Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 41 by Jeferson Quimelli
31 de outubro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

A descrição detalhada do templo e da cidade ao seu redor faz da promessa de restauração algo concreto, tangível e real. As pessoas poderiam ver que Deus tinha em mente algo muito especial. Os detalhes deixam claro que a restauração que Deus está trazendo é maior e melhor do que a estrutura que eles tinham antes. O pecado de Israel não frustra o futuro de Israel que Deus tem em mente; o novo supera o velho.

Tendo em vista que a descrição dada não parece ter sido literalmente cumprida, como devemos interpretar esses capítulos? Uma ideia é que, em primeiro lugar, Deus restaurou Israel na esperança de que isso levasse a renovação, renascimento espiritual e fidelidade a Deus. Mas Israel não respondeu como Deus desejava e esta visão baseada nesta esperança não se cumpriu literalmente. Em segundo lugar, mesmo que Israel tenha falhado, estão incorporados nesta visão princípios e detalhes que fazem parte da restauração final do povo de Deus. Essa é a razão por que encontramos no livro de Apocalipse tantas citações e referências ao livro de Ezequiel.

Isso é importante para nós, porque Deus executará Seu plano de estabelecer novos céus e uma nova terra com uma Nova Jerusalém

Jon Dybdahl
Universidade Walla Walla, EUA

 

Extra: Para entender essa visão você poderá se beneficiar da seguinte animação em 3D.

 

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/eze/41 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1089
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/eze/41
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/08/07/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ezequiel 41 NVI
Ouça online: Bíblia NVI em áudio
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



EZEQUIEL 41 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUAREZ by Maria Eduarda
31 de outubro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria


EZEQUIEL 41 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
31 de outubro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 41 – O avanço do reino de Deus neste mundo contaminado pelo pecado depende muito da disposição e compromisso sério do povo que professa a fé no Deus da Bíblia.
Frank Holbrook compartilha uma história intrigante:
O Dr. Walter Beach, ex-secretário da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, menciona que conversou com uma antiga colega de estudos, que agora era uma senhora de distinção e cultura. Enquanto conversavam, ele percebeu que a relação dessa mulher para com Deus tornara-se algo distante, e mera curiosidade intelectual.
– Bem, Maria, qual é agora a sua maior preocupação? Perguntou o Dr. Beach.
Com um grande sorriso, ela respondeu:
– Oh! Atualmente, minha preocupação é a organização de uma sociedade para promover a boa vontade para com os gatos e os cães em nossa comunidade. O Senhor sabe quanto ela é necessária!
O Dr. Beach ficou chocado. Sem dúvida, é bom trabalhar pelo melhoramento das condições dos animais de estimação. Mas devemos dedicar muito mais entusiasmo, tempo e talento para suprir as necessidades do povo de Deus… Só podemos imaginar o que a Sra. Maria poderia haver realizado se a sua prioridade fosse os serviço de Deus e a salvação do próximo.
O templo (vs. 1-4), suas dependências (vs. 5-12), as dimensões preditas por Ezequiel (vs. 13-15) e seus ornamentos e mobílias (vs. 15-26) nunca se cumpriram nem se cumprirão devido à negligência dos judeus ao apelo à consagração. O que está escrito é o que poderia ter sido.
Siegfried Júlio Schwantes comenta: “…uma nação ideal vivendo na Terra Prometida depois do exílio teria construído este templo ideal. Mas como o povo judeu não viveu à altura do ideal que Deus lhes propunha, um templo que obedece a estas estipulações deste nunca foi construído”.
Aplicações:
• Desperdiçamos nosso tempo quando nossa prioridade é interesses egoístas, em vez dos interesses de Deus.
• Impedimos que os planos de Deus para este mundo avancem quando somos negligentes na vida religiosa orientada por Deus em Sua Palavra.
• Apatia missionária, mornidão do fervor e, indisposição para viver o ideal divino, tornam o crente presa fácil das influências do mundanismo, em vez de ser uma luz para atrair pecadores ao cristianismo.
• Se não correspondemos às expectativas divinas, nós e nosso próximo perderemos muitas bênçãos divinas.
Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 41, Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
31 de outubro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Também mediu o seu comprimento: vinte côvados, e a largura: vinte côvados, diante do templo, e me disse: Este é o Santo dos Santos” (v.4).


Contemplando o interior do templo, Ezequiel se depara com a descrição do lugar Santíssimo. Era ali que Deus manifestava a Sua glória e a luz de Sua presença. Tendo “vinte côvados” (v.4) de comprimento e de largura, o Santo dos Santos formava um quadrado perfeito.

Em sua visão da nova Jerusalém, João também viu um quadrado perfeito: “A cidade é quadrangular, de comprimento e largura iguais. E mediu a cidade com a vara até doze mil estádios. O seu comprimento, largura e altura são iguais” (Ap 21:16). O que Deus tem preparado “para aqueles que O amam” (1Co 2:9) é nada mais, nada menos, do que o Santo dos Santos, o Santíssimo lugar de Sua habitação.

Quando, no dia da expiação, o sumo sacerdote entrava no lugar Santíssimo, todo o povo, em atitude de humilhação (Lv 23:29), era purificado de todos os pecados com que havia contaminado o tabernáculo. Da mesma forma, Deus espera realizar a mesma obra em nosso coração. Jesus afirmou: “se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus” (Mt 18:3). A menos que busquemos o coração de uma criança; a menos que peçamos a Deus “um coração puro” (Sl 51:10), rápido para amar, rápido para perdoar, nossos pés jamais pisarão a santíssima habitação do Eterno.

Há exatamente 500 anos atrás, um homem permitiu que Deus fizesse morada em seu coração, e, seguindo o princípio declarado por Pedro e os apóstolos: “Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5:29), cheio de santa ousadia e fé inabalável, pregou com batidas de convicção as 95 teses contra as indulgências, na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, em 31 de outubro de 1517. Martinho Lutero não tivera a intenção de agir contra a igreja, mas em que a igreja reconhecesse o seu erro e promovesse o princípio que, em todos os tempos, deve nortear o povo de Deus: “Sola Scriptura“. Mas a humildade que guiava a sua busca em fazer a vontade de Deus foi rejeitada pelos que, professos religiosos, negaram a verdadeira mensagem da cruz.

A reforma não foi simplesmente um marco histórico, mas o início de um movimento cujo fundamento sobre a “pedra que vive” (1Pe 2:4) jamais cairá devido ao derradeiro grupo de “crianças” que irá perseverar até o fim (Mt 24:13). Cristo está para encerrar a Sua obra no santuário celestial e, quando isso acontecer, virá reclamar um povo que, à semelhança dos reformadores, não cederam às ameaças da abominável união  (Ap 16:14). Mas, “com jejuns, com choro e com pranto” (Jl 2:12), rasgaram seus corações na presença do Senhor, aborreceram o mal e amaram o bem (Am 5:15).

Muitos querem hoje comemorar o fim da reforma protestante, eu, porém, oro para que seja o início de uma reforma em nossa vida como a geração que contemplará, em vida, a vinda do Filho do Homem. Coloquemos em prática o conselho do próprio Lutero: “Não podemos atingir a compreensão das Escrituras, quer pelo estudo quer pelo intelecto. Teu primeiro dever é começar pela oração. Roga ao Senhor que te conceda, por Sua grande misericórdia, o verdadeiro entendimento da Sua Palavra. Não há nenhum intérprete da Palavra de Deus senão o Autor dessa Palavra, como Ele mesmo diz: ‘E serão todos ensinados por Deus’. Nada esperes de teus próprios trabalhos, de tua própria compreensão: confia somente em Deus, e na influência de Seu Espírito. Crê isto pela palavra de um homem que tem tido experiência” (O Grande Conflito, p. 129).

Bom dia, crianças de Deus!

Jornada espiritualChuva Serôdia. Chegou a hora!“, 16° dia: “Pegue um papel e uma caneta e faça uma lista de todas as reformas que você necessita realizar em sua vida, tendo em vista o que você aprendeu até agora. Apresente ao Senhor a lista e clame ao Espírito Santo pelo Seu poder para que toda a reforma seja realizada. Lembre-se de que é o Espírito que possui a capacidade de transformar a vontade” (Manassés Queiroz, Chuva Serôdia. Chegou a hora!, pág. 97).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel41
#RPSP

Deixe seu comentário:



EZEQUIEL 41 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
31 de outubro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 41 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
31 de outubro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

1 Ao templo. O termo designa aqui o lugar santo (p. 789, L; ver 1Rs 6:17; 7:50) [A parte interna do templo, o templo propriamente dito, se compunha de dois aposentos: o lugar santo e o lugar Santo dos Santos, ou Santíssimo. Estes dois lugares são símbolos do ministério de Jesus Cristo pela humanidade, como estudamos em Êx 25; 1Cr 22; Jo 2:19; Hb 9:11, 12 e seguintes e correlatos]. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, p. 794.

Penetrou. O anjo entra sozinho no lugar santíssimo (ver Hb 9:7). CBASD, p. 794.

O pilar. Ou, “o batente” da porta entre o lugar santo e o santíssimo, que mede aqui apenas dois côvados (um metro), em comparação com os seis côvados na entrada do lugar santo (v. 1). CBASD, p. 794.

Entrada: seis côvados. Isto é, o vão da porta, o espaço entre os pilares. CBASD, p. 794.

Santo dos Santos. Um quadrado perfeito de 20 côvados (p. 789, K), da mesma medida que o do templo de Salomão (1Rs 6:20). CBASD, p. 794.

A parede do templo. A espessura aqui dada (três metros) é a mesma que a do muro do átrio exterior (Ez 40:5). Essa espessura está de acordo com as grandes proporções da antiga arquitetura oriental. CBASD, p. 794.

Pavimento elevado ao redor do templo. Isto é, o alicerce mais alto sobre o qual repousava o templo.Ao que parece, esta plataforma se estendia 2,5 m para além  da parede externa das câmaras (v. 9, 11), formando um passeio do lado de fora das câmaras (p. 789, e). CBASD, p. 794, 795.

18 Querubins e palmeiras. Isto pode ser comparado com os detalhes artísticos do templo de Salomão (1Rs 6:29). CBASD, p. 795.

22 Altar de madeira. O altar de incenso (ver 23:41) ou a mesa para os pães da proposição (ver Êx 25:23; Lv 24:26). O fato de os outros móveis não terem sido mencionados não significa que eles estariam ausentes; a visão coloca em evidência as coisas que eram um pouco diferentes das do templo de Salomão. Bíblia de Estudo Andrews.

23 Duas portas. Uma estava na entrada do lugar santo e a outra, no Santíssimo. CBASD, p. 795.

25 Baldaquino (ARA). NVI: “saliência”.

26 Janelas de fasquias. Ou, janelas com treliças fixas (ver com. de 1Rs 6:4). CBASD, p. 795.



EZEQUIEL 40 by Jeferson Quimelli
30 de outubro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

O capítulo 40 dá início à descrição em detalhes dos edifícios e serviços do templo renovado e apresenta um layout da nova cidade e da terra em um Israel restaurado.

À medida que a visão começa vários pontos introdutórios principais são apresentados. A visão é recebida no Dia da Expiação (22 de outubro de 573 aC), próximo ao fim do ministério de Ezequiel. Esse era o dia solene em que, anualmente, o santuário era purificado. Além da purificação do santuário, Ezequiel tem uma visão poderosa do novo e melhorado templo restaurado.

Quando Ezequiel recebe a visão ele é instado a prestar muita atenção e fixar sua mente sobre os detalhes da visão porque sua tarefa é relatar tudo o que vê para o povo de Israel. Cativo na Babilônia e longe de sua amada Jerusalém e do templo, o povo de Israel precisa ser inspirado pela esperança. Eles precisam ouvir e ver esta imagem vívida acerca do que Deus quer fazer no futuro para eles.

Quando olhamos para a nossa própria situação no mundo, precisamos deixar que Deus nos inspire com sua visão de um novo céu e uma nova terra que Ele tem reservado para nós.

Jon Dybdahl
Universidade Walla Walla, EUA

 

Extra: Para entender essa visão você poderá gostar da seguinte animação em 3D.

 

 

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/eze/40 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1088
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/eze/40
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/08/06/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ezequiel 40 NVI
Ouça online: Bíblia NVI em áudio
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



EZEQUIEL 40 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUAREZ by Maria Eduarda
30 de outubro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 40 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
30 de outubro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 40 – Alguns planos de Deus nunca irão se cumprir porque Ele respeita a livre vontade humana e faz profecias condicionais. Quando as condições são desprezadas, as profecias não são cumpridas.

• Por outro lado, há profecias incondicionais, as quais se cumprirão apesar de qualquer oposição.

“De muitas maneiras estes capítulos finais são os mais importantes do livro, visto que eles formam uma realidade culminante, o clímax da profecia de Ezequiel e da restauração de Israel. Essa seção inclui: 1) o novo templo (40.1-43:12); 2) o novo culto (43:13-46:24); e 3) a nova divisão da Terra Prometida (47:1-48.35)” (John MacArthur).

Os capítulos finais de Ezequiel são profecias condicionais, que jamais se cumprirão como estão descritas devido à negligência judaica. Sobre tais profecias, Frank Holbrook nos orienta:

• Algumas promessas proféticas nunca se cumprirão;
• As profecias suscetíveis a cumprimento se cumprirão de modo geral. Os aspectos principais cumprir-se-ão para a igreja de Cristo espalhada pelo mundo inteiro. E a igreja não está limitada à configuração original das profecias da Palestina;
• A única maneira segura de saber quais as promessas proféticas que se cumprirão, e de que modo, consiste em examinar como foram aplicadas pelos escritores do Novo Testamento;
• Sendo que as promessas proféticas do concerto ou aliança tornaram-se a herança do Israel espiritual (Gálatas 3:29; 6:15-16), elas não podem mais aplicar-se exclusivamente ao povo judeu. Ao contrário da opinião popular, o moderno Estado de Israel não se constitui cumprimento das profecias do concerto.

Para uma ideia geral do capítulo em apreço, William MacDonald nos fornece os seguintes tópicos:

• Um homem com uma cana de medir (vs. 1-4);
• A porta oriental do átrio exterior (vs. 5-16);
• O átrio exterior (vs. 17-19);
• As outras duas portas do átrio exterior (vs. 20-27);
• As três portas do átrio interior (vs. 28-37);
• Os utensílios para o sacrifício (vs. 38-43);
• As câmaras dos sacerdotes (vs. 44-47);
• O vestíbulo do templo (vs. 48-49).

A visão revela um Deus preocupado com Sua missão tendo Seu povo como instrumento. Todavia, a negligência espiritual dos crentes interfere na atuação profusa de Deus no mundo.

Vai ser muito triste se, caso chegarmos ao céu, Deus nos mostrar tudo o que poderíamos ter feito, mas por nossa falta de consagração muita coisa não foi realizada. Portanto, reavivemo-nos na missão! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 40, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
30 de outubro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Em visões, Deus me levou à terra de Israel e me pôs sobre um monte muito alto; sobre este havia um como edifício de cidade, para o lado sul” (v.2).


Como na sequência apocalíptica, após a profecia contra Gogue e Magogue (Ap 20:8), vem sobre Ezequiel “a mão do SENHOR” (v.1) e, assim como João, ele recebe a visão de um lugar que Deus havia planejado (Ap 21:10). Chamado para ver, ouvir e guardar a visão no coração, o profeta recebe a ordem de anunciar tudo quanto viu “à casa de Israel” (v.4). Na verdade, Ezequiel foi levado a contemplar o  novo templo, considerado o “coração” de Jerusalém.

Meticulosamente, cada parte do templo lhe foi apresentado conforme media o “homem” com “um cordel de linho e uma cana de medir” (v.3). Era o “Arquiteto e Edificador” (Hb 11:10) colocando em cada parte daquele lugar as Suas perfeitas medidas. “Cada câmara” (v.7), cada “espaço em frente das câmaras” (v.12) e cada detalhe do templo apontavam para a aliança eterna do Senhor para com o Seu povo. Mas, enquanto Ezequiel viu a figura, João viu o verdadeiro, “a santa cidade, Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus” (Ap 21:10).

Após o pecado, o homem perdeu o contato direto com Seu Criador. Aquele que com o barro formou a obra-prima de Sua criação, teve de sofrer a dor da separação. Desejoso de estabelecer morada com Seus filhos, disse Deus a Moisés: “E Me farão um santuário, para que Eu possa habitar no meio deles” (Êx 25:8). Aquele, portanto, não era um lugar comum, era um lugar santo e uma “maquete” do original (Hb 8:2). Um símbolo de que, um dia, a separação terá fim.

Assim como, no princípio, o Senhor plantou um lindo jardim para os nossos primeiros pais, percebam nas palavras do profeta Isaías, recitadas por Paulo, a grandiosidade do que nos aguarda: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam” (1Co 2:9). Lá, no novo Éden, “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1:29) “verá o fruto do penoso trabalho se Sua alma e ficará satisfeito” (Is 53:11).

Percebam que a Bíblia diz que o lugar que Deus tem preparado é para “aqueles que O amam”. E Jesus mesmo declarou: “Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos” (Jo 14:15). Acerca disto, dissertou M. L. Andreasen: “Se a lei ou qualquer dos mandamentos pode ser transgredida impunemente; se a lei foi abolida ou mudados os seus preceitos; se a lei, dada pelo próprio Deus, deixou de ser a norma no juízo, torna-se então desnecessária a morte de Cristo, o Pai mesmo deixa de ser a personificação da justiça e bondade, e Cristo já não pode escapar à acusação de ser cúmplice de um erro. Clamem todos os cristãos contra semelhante doutrina!” (O Ritual do Santuário, p. 224).

Não mais em tendas ou edifícios, mas você e eu, pelo sacrifício de Jesus, fomos escolhidos para ser o “santuário do Espírito Santo” (1Co 6:19). Permita que o Eterno ocupe o espaço que só Ele pode preencher, em seu coração (Ec 3:11), então, certamente, a exemplo de Cristo, serás “obediente até à morte” (Fl 2:8), receberás “a coroa da vida” (Ap 2:10) e “uma porta aberta no céu” (Ap 4:1).

Bom dia, herdeiros da salvação em Cristo!

Jornada espiritualChuva Serôdia. Chegou a hora!“, 15° dia: “Faça uma pesquisa bíblica sobre o tema do “selamento dos justos”. Avalie como ele ocorrerá e o perfil de quem o receberá. Faça um profundo exame de consciência e compartilhe o assunto com seu grupo de oração. Você pode usar como fonte de pesquisa: Eventos Finais, Ellen G. White (www.cpb.com.br)” (Manassés Queiroz, Chuva Serôdia. Chegou a hora!, p. 86).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel40
#RPSP




%d blogueiros gostam disto: