Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 28 by jquimelli
18 de outubro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Aqui Ezequiel anuncia a desgraça do príncipe de Tiro. O fato do príncipe ter assumido o papel de uma divindade no culto da cidade indica que este governante representa muito mais do que somente a si mesmo. Vemos aqui representado em escala humana algo de dimensões cósmicas. Nós não queremos basear a doutrina da queda dos anjos celestes apenas neste capítulo, mas o que é dito aqui ilumina o assunto que é abordado em outros lugares da Bíblia.

A essência da queda no pecado é o fato da criatura pretender possuir as prerrogativas do Criador, seja essa criatura angelical ou humana. Nenhum de nós consegue escapar dessa tentação, por mais ridícula que essa pretensão seja.

No entanto, aquele que é Deus não procurou a exaltação própria. Em vez disso, Ele “esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz!”(Filipenses 2:7, 8. NVI).

Ele é a nossa salvação e nosso modelo de ser.

Ross Cole
Avondale College, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/eze/28 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1076
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/eze/28
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/07/25/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ezequiel 28 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



EZEQUIEL 28 – PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
18 de outubro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 28 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
18 de outubro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 28 – Quando chega o dia do julgamento até os grandes, com suas alusões de grandeza, experimentam a dolorosa realidade da mortalidade.
Quando Deus julga, nenhuma máscara permanece; por isso, quem se escondeu atrás de riquezas, status e grandezas se verá humilhado diante de sua triste realidade.
Os oráculos contra Tiro tiveram início no capítulo 26:1 e vai até o capítulo 28:9.
Ao continuar sua profecia contra Tiro, Ezequiel destacou o líder político, o rei. Ele se elevou acima da humanidade, acreditou ser Deus, o poderoso. Devido a sua riqueza, braveza e segurança… pensava ser invencível.
Torna-se orgulhoso, arrogante, autoritário todo aquele que não passa de um homem, mas age como se fosse um deus. Além disso, o rei de Tiro se achava:
• …mais sábio que Daniel
• …onisciente
• …proprietário da prata e do ouro
• …onipotente negociador
Devido à independência do Deus verdadeiro, consequências viriam sobre o rei de Tiro:
• Seria atacado pelos mais terríveis estrangeiros;
• Espadas feririam a formosura de sua sabedoria e maculariam seu esplendor;
• Seria assassinado e morreria como qualquer homem mortal;
• Morreria no meio dos mares, onde se jactava ser deus poderoso.
A profecia de Ezequiel disseca o físico e penetra no âmbito invisível, também real. Por trás de Tiro, estava Satanás que, querendo ser Deus, foi expulso do Céu; pretendendo ser mais do que era, foi humilhado. Qualquer pessoa que deixa o poder dominar, rejeita submissão a Deus e alia-se ao poder satânico; então, Deus precisa agir, dando um “Basta!”.
Isso aconteceu com:
• Senaqueribe (Isaías 37);
• Faraó (Ezequiel 29:1-6);
• Babilônia (Isaías 47);
• Nabucodonosor (Isaías 14:1-23; 3:15);
• Herodes (Atos 12:21-23);
• O líder do cristianismo apostatado (II Tessalonicenses 2:3-4; Apocalipse 13:1-10).
Cuidado: Qualquer poder apodrece quando não se submete a Deus. A realidade é maior do que podemos perceber. Satanás é dono de todo coração orgulhoso.

Sobre os últimos versículos do capítulo em análise, Daniel Isaac Block sintetiza:
Planos de Jeová para as nações (28:20-26):
1. Objetivo teológico de Jeová (vs. 20-23);
2. Projeto de Jeová para Israel (vs. 24-26).
Deus quer salvar, purificar e renovar Sua criação; e, certamente o fará! Através do juízo, Deus Se revela. Caso Seu povo não O torne conhecido, isso não O impedirá de dar-Se a conhecer.
Bens materiais não salvam ninguém! Apeguemo-nos a Deus! Priorizemos a espiritualidade! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 28, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
18 de outubro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte Santo de Deus, no brilho das pedras andavas” (v.14).


A profecia contra Tiro ganha uma nova conotação, sendo agora direcionada para o seu monarca. Sua soberba foi tanta que ser homem era pouco, e, em seu coração se elevou, dizendo: “Eu sou Deus” (v.2). O acúmulo de riquezas metabolizou a soberba em exacerbada estima de si mesmo, de forma a elevar o seu coração “como se fora o coração de Deus” (v.6). E nesta louca pretensão, toda a sua formosura e sabedoria morreria para jamais subsistir (v.19).

A quebra que encontramos neste texto é claramente vista a partir do verso doze. Apesar de não mencionar o nome do rei de Tiro, um personagem fica evidenciado na descrição feita. Ou seja, não era simplesmente um rei humano o causador das iniquidades de Tiro, mas quem estava por trás do rei. Um ser que um dia estava na presença de Deus e que foi criado perfeito (v.15), cheio “de sabedoria e formosura” (v.12). Um anjo que andava no brilho das pedras do santuário celestial e que gozava de privilégios santos e eternos. “Até que”, nele, “se achou iniquidade” (v.15).

Em Lúcifer, um anjo de luz, teve início o mistério da iniquidade. De forma inexplicável, um ser criado perfeito e sem mácula desenvolveu dentro de si os primeiros traços de pecado e, no Céu, aperfeiçoou seus maus sentimentos. Multiplicando entre os anjos celestiais as suas teorias malignas, foi o seu coração se enchendo “de violência” (v.16). E conseguiu vender para terça parte dos anjos (Ap 12:4) a ideia de que a injustiça do seu comércio era muito mais lucrativa.

Podemos identificar no texto três grandes “mercadorias” do comércio satânico que têm rendido grandes “lucros” ao inimigo:

  • A primeira delas está no verso dois, quando o homem se coloca na posição de Deus. Você já ouviu falar na saudação “Namastê”? Em resumo, significa: O deus que habita em mim saúda o deus que habita em você. Seria até um belo gesto se o sentido disso não fosse levar o homem a buscar dentro de si a divindade. Ao ponto de seguidores desta doutrina afirmarem: “Eu sou o meu deus”. Atenção! Quem desejou o ser igual a Deus? Satanás. “Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo” (Is 14:14);
  • A segunda, encontramos no verso dezesseis. Ellen White descreve o que aconteceu: “deixando seu lugar na presença imediata do Pai, Lúcifer saiu a difundir o espírito de descontentamento entre os anjos. Ele agia em misterioso segredo, e durante algum tempo escondeu seu propósito real sob uma aparência de reverência para com Deus… Tais foram os erros sutis que por meio dos ardis de Lúcifer estavam a propagar-se rapidamente nos lugares celestiais” (PP, p. 11). “A multiplicação… do comércio” do mal foi o estopim para que o anjo de luz se transformasse em Satanás. A dissensão estabelecida no Céu por Lúcifer causou a ruptura de terça parte dos anjos de Deus da atmosfera celestial. Não é sem motivo, portanto, que a Bíblia afirma que o SENHOR abomina “o que semeia contendas entre irmãos” (Pv 6:19). E, preste bastante atenção: esta tem sido a causa de maior ganho no comércio do Maligno;
  • E a terceira, não menos importante, está no verso cinco e no verso dezessete. Beleza e riqueza podem avançar de mãos dadas na direção de Deus, ou na direção oposta. De maneira desvirtuada, Satanás tem transformado estas duas dádivas divinas em ferramentas do mal. O culto ao corpo e a avareza têm feito grandes estragos na humanidade e corrompido o coração do homem mais do que já é. O “santuário do Espírito Santo” (1Co 6:19) é profanado e o acúmulo de bens materiais desvia o homem da adoração ao Deus Mantenedor, negando-Lhe a honra que Lhe é devida (Dt 8:17).

Eis as mercadorias do diabo e eis diante de você a decisão de comprá-las ou rejeitá-las. Enquanto Satanás mercantiliza com o homem mediante um salário fatal, Deus oferece GRATUITAMENTE o Seu dom inefável da salvação em Cristo Jesus (Rm 6:23). Sidom comprou a ideia de Tiro e receberia o mesmo opróbrio (v.23). Mas, à semelhança de Israel, o SENHOR deseja congregar o Seu remanescente “dentre os povos entre os quais estão espalhados” (v.25) e lhes dar uma habitação segura (v.26) e eterna. A decisão é sua: comprar o mal ou aceitar o presente?

Bom dia, remanescente do SENHOR!

Desafio do dia: Desafio do dia: Jornada espiritual de 21 dias “Chuva Serôdia. Chegou a hora!“, 3° dia: “Marque hoje mesmo um encontro com seus amigos para orar pela chuva serôdia do Espírito Santo. Pode ser num monte, num sítio, num parque ou numa casa mesmo” (Chuva Serôdia. Chegou a hora!, p.29).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel28
#RPSP

Deixe seu comentário:



EZEQUIEL 28 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
18 de outubro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: