Reavivados por Sua Palavra


I SAMUEL 20 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ 
25 de junho de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Baseando-se neste capítulo, Rosalie Haffner Lee sugere qualidades a serem consideradas na escolha de verdadeiros amigos:

1. Semelhança de gostos e interesses: Para andar juntas, duas pessoas precisam estar de acordo – assim como Davi e Jônatas.

2. Alguém que é sensível e bondoso: Embora em algumas pessoas se encontrem tais qualidades como força, coragem e persistência, em todo amigo verdadeiro deve haver uma fusão dessas qualidades com outras mais brandas, como delicadeza e simpatia – como na amizade de Davi e Jônatas.

3. Deve haver afeição: Jônatas estava disposto a renunciar à sucessão do trono de seu pai; seu desejo era ser leal ao amigo.

4. Deve haver aproximação de valores espirituais: Jônatas conhecia os caminhos de Deus do mesmo modo que Davi. Quando os dois amigos estavam prestes a separar-se, Jônatas foi confortado com o pensamento de que o Senhor dirigiria os acontecimentos de acordo com Sua vontade, e preservaria a amizade deles.

Sobre esse episódio na vida de Davi, quando corria risco de morte, Ellen G. White observou: “A amizade de Jônatas por Davi era também da providência de Deus, a fim de preservar a vida do futuro governante de Israel”.

Amigos são importantes para avançarmos neste mundo de tristezas. Um provérbio sueco reza: “A amizade dobra nossa alegria e divide a tristeza ao meio”. William Shakespeare declarou: “Depois de algum tempo você aprende que as verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida”.

Por causa dos satânicos objetivos do tentador, cumprir planos divinos é desafiador. Inimigos como Saul podem surgir de onde nem imaginamos. Cumprir os propósitos de Deus faz as hostes demoníacas se levantarem para criar estratégias intentando interrompê-los.

Diante desta realidade, “se desejamos uma vida além da mera existência biológica, é necessário interagir com Deus. Não há outra alternativa” – diz teólogo Eugene Peterson.

• Nossa amizade com Deus deve estar acima de qualquer amizade;
• Os amigos mais caros, nobres e importantes são aqueles presenteados por Deus;
• Os melhores amigos são aqueles que te apoiam e te ajudam a viver os planos divinos.

Assim, carecemos de boas amizades nos dias atuais. Por isso, precisamos ser bons amigos.

Faça sólidas amizades! – Heber Toth Armí.



1 SAMUEL 19 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ
24 de junho de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



1 SAMUEL 19 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA
24 de junho de 2019, 0:46
Filed under: Sem categoria



1 SAMUEL 19 – COMENTÁRIOS PR. HEBER TOTH ARMÍ 
24 de junho de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Aquele que não se entrega a Deus de verdade é porque tem um sério pacto com o pecado. A desgraça da vida está em não aceitar a graça divina.

O rei Saul desprezou a Deus. Sua vida tornou-se vulcão de sentimentos negativos. Perdeu o senso do dever. Desviou o foco administrativo para Davi com intuito de matá-lo. Em várias situações ele quase matou seu genro:

1. Queria que seu filho Jônatas, amigo e cunhado de Davi, o ajudasse a matá-lo (vs. 1-6);
2. Com sua lança tentou cravar Davi na parede de seu palácio (vs. 7-10);
3. Era para tê-lo matado em sua cama, mas os assassinos encontraram um ídolo que estava em seu lugar embaixo das cobertas (vs. 11-17);
4. O refúgio de Davi foi junto a Samuel, o profeta de Deus (vs. 18-24).

A vida não foi fácil para Davi após ter sido ungido por Samuel para ser rei em Israel. Davi só fazia o bem para o rei, mas este estava ávido para matá-lo. As palavras de Jônatas relembram ao pai que Davi era bom para ele – por um tempo Saul se convencera!

Davi era manso, sereno e calmo; tocava harmoniosamente sua harpa para acalmar o estresse, o conflito e a fúria de Saul. Mas, o brilho de Davi ofuscava os olhos do rei. Quanto mais se destacava, mais Saul o odiava.

Deus protege Seus servos de formas impensáveis. Com raiva e ódio à flor da pele, procurando Davi para assassiná-lo, Saul foi tomado pelo Espírito de Deus deixando-o estirado ao chão. Nota-se que, “a graça de Deus estava com Saul, mas a desobediência foi a sua ruína” (Merril F. Unger).

Reflita: O líder político…

• …que tem problemas pessoais deixa de administrar sua nação para criar problemas desnecessários.
• …sem princípios morais é regido por sentimentos baixos que o tornam inimigo dos bons e parceiro dos corruptos.
• …alheio as coisas espirituais – como oração, consagração e submissão a Deus – torna-se a desgraça de uma nação.
• …desfocado de seu dever devido a ter o foco no pecado provoca tragédias, que, se Deus não estivesse agindo, já teria provocado a ruína/destruição de todos.
• …desobediente a Deus é uma desgraça total!

Confiemos em Deus quando os políticos são corruptos! Ele cuida dos fiéis! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



1 SAMUEL 18 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ
23 de junho de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



I SAMUEL 18 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ
23 de junho de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Quem ignora viver com Deus, tem raiva de quem anda e é abençoado por Ele. Que outra explicação há para o ódio mortal do rei Saul para com o menino Davi?

Aprofunde-se neste capítulo, note…

• Uma bela amizade que serve de inspiração para todos os amigos: Davi e Jônatas (vs. 1-4);
• Uma inveja demoníaca da parte de um rei para com um menino: Saul e Davi (vs. 5-16);
• Uma vil traição de um sogro para com o noivo de sua filha: Saul, Davi, Merabe e Mical (vs. 17-30).

Jônatas era herdeiro do trono de Saul por ser seu filho. Porém, ele abdicou dessa herança ao oferecer sua capa a seu amigo Davi – nenhum filho de pai depravado está destinado a viver a mesma miséria de caráter e loucura de seu pai.

Saul tentou assassinar Davi de várias formas porque estava possuído de inveja:

1. Duas vezes, o próprio rei quase o matou;
2. Nomeou-o como chefe de 1000 soldados, esperando que, na dianteira, Davi seria atingido e morto;
3. Ofereceu sua filha mais velha, Merabe, a quem conquistasse mais vitórias, esperando que Davi morresse logo;
4. O amor de Mical por Davi fez Saul concordar com o casamento; mas, o dote seria 100 prepúcios de inimigos fariseus – Davi aceitou o desafio, trouxe o dobro: 200 prepúcios!

Davi tornou-se genro de seu inimigo, Saul. E, quanto mais sucesso ele obtinha, mais crescia a raiva e o ódio do sogro para com o genro.

“A psiquiatria sugere que Saul talvez sofresse de uma grave doença mental, como a esquizofrenia, que assim explicaria seu comportamento errático. De modo nenhum isso reduziria a sua responsabilidade, pois a doença de Saul veio como resultado de sua incredulidade ter sido condenada por Deus” (Merril F. Unger).

Reflita:

• Nossos desvios de condutas podem ter explicações científicas/médicas, mas não justificativa perante Deus.
• Nossas loucuras podem ser doenças, mas procedem de nosso afastamento de Deus.
• Inveja, raiva, ódio, ciúmes resultam em atitudes que revelam que a pessoa está sendo regida pelos poderes do inferno.
• “A inveja é filha do orgulho, e, se é entretida no coração, determinará o ódio, e finalmente a vingança e o assassínio” (Ellen G. White).

Convertamo-nos… e contemos com a proteção divina por causa dos invejosos! – Heber Toth Armí.



1 SAMUEL 18 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA
23 de junho de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: