Reavivados por Sua Palavra


GÊNESIS 7 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ
19 de outubro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO GÊNESIS 7 – PR. HEBER TOTH ARMÍ
19 de outubro de 2018, 0:46
Filed under: Sem categoria

GÊNESIS 7 – Quando o povo de Israel sofria terrivelmente em terras estrangeiras pela crueldade dos egípcios, o mal parecia sobressair sobre o bem, e o látego do carrasco aparentava ser mais forte que a esperança provida por Deus, o relato do dilúvio objetivava apresentar que Deus se importa e age no mundo.

Deus…
• …vê o que acontece na terra;
• …observa como as pessoas vão se tornando mais e mais violenta e maldosa;
• …conhece as inclinações do coração humano;
• …Se entristece com a situação deplorável em que a raça humana chegou;
• …depois de ver, sentir, observar e avaliar, decide mudar a política de deixar os pecadores na condição deplorável;
• …sabe a hora de agir e sabe como agir.

“O poder de Deus e a capacidade que Ele tem de ver todas as coisas conduz à emoção apropriada, não à insensibilidade, ou pessimismo ou brutalidade”; certamente, Deus “decide castigar os perversos, mas poupar Noé, homem que age diferente dos demais e, por isso, evita o castigo que lhes é destinado”. Assim sua família, tornou-se “o meio pelo qual o Deus misericordioso preserva a raça humana e também o símbolo visível de como o Deus justo e bom faz distinção entre fieis e desobediente” (Paul R. House).

O Comentário Bíblico Adventista sintetiza o capítulo em questão em dois pontos, os quais seguem:

• Noé, com sua família, e as criaturas viventes, entram na arca (vs. 1-16);
• Início e desenrolar do dilúvio (vs. 17-24).

“Por 120 anos Deus manteve Sua longanimidade (1Pd 3:20), e durante esse tempo, Noé, por sua vida e obra, ‘condenou o mundo’ (Hb 11:7). Mas os seres humanos, em seu descuido e indiferença, aproximavam-se rapidamente de seu fim. Ao salvar uma família e destruir todas as outras, Deus não estava sendo arbitrário. Somente Noé havia se qualificado para estar no novo mundo que surgiria após a purificação da Terra pela água” (CBASD).

Reflita:

• Ninguém da família de Caim entrou na arca; portanto, o dilúvio foi o fim da descendência dessa raça ruim.
• A graça foi oferecida a todos por 120 anos, mas apenas a família de Noé aceitou-a.

Organize tua família para que seja um instrumento da misericórdia divina. Viva no presente, consciente que Deus age para salvar quando a situação chega a ser deprimente! – Heber Toth Armí.



GÊNESIS 7 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA
19 de outubro de 2018, 0:08
Filed under: Sem categoria



GÊNESIS 6 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ
18 de outubro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO GÊNESIS 6 – PR. HEBER TOTH ARMÍ
18 de outubro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

GÊNESIS 6 – A corrupção da humanidade não é característica apenas dos últimos dias. Ela é tão antiga quanto a queda, e desenvolveu-se muito rapidamente. A progressão do mal tornou-se quase irreversível, a tal ponto de ter que colocar um freio acionado por Deus. Esse freio chama-se dilúvio, que tornou-se a barreira ao aumento da perversidade.

A coisa piorava na sociedade, a maldade penetrou em cada canto do mundo e do coração da humanidade. Gênesis 6 mostra a Israel, que ao receber a mensagem desse livro estava no Egito (e também a nós), que Deus toma providências radicais quando o mal parece sufocar ao bem.

Em meio aos perigos oriundos da corrupção, “Gênesis proporcionou a Israel a base teológica e histórica de sua existência como povo escolhido de Deus. Israel podia traçar sua genealogia até o patriarca Abraão, a quem Deus havia escolhido dentre as nações dispersas, e a quem fez as grandes promessas pactuais de que teria posteridade e território”. Desta forma, “o conteúdo de Gênesis dava segurança aos israelitas de que Deus os daria o futuro prometido, e que Ele era capaz de cumprir com Suas promessas” (Walvoord e Zuck).

1. O dilúvio aconteceu como uma ação direta de Deus no mundo, participando ativamente na história humana; a literalidade do dilúvio é ratificada por profetas posteriores (Isaías 54:9), pelos apóstolos (I Pedro 3:20; II Pedro 2:5; 3:6), pelo próprio Jesus (Mateus 24:37-39; Lucas 17:26-27) e também por muitos achados arqueológicos em todo mundo.
2. O objetivo divino com a inundação mundial foi colocar limites à corrupção moral, social, física e espiritual numa sociedade que sofria no império da violência.

Observe estes dois importantes pontos:

• Visando atingir as famílias, Satanás promove o jugo desigual, e o resultado é catastrófico (vs. 1-6);
• Visando salvar a família, Deus chama Noé: Sua família é a única e entrar na arca especial para livrar-se do dilúvio (vs. 7-22).

A graça de Deus atua na desgraça humana; porém, cada pessoa decide aceitar ou rejeitar o presente divino. Ele entra em cena e salva quem se apega a Seu método de resgate.

Deus é paciente, mas não passivo. Ele atua quando o mal desafia Seus planos. Se outrora agiu contra a violência e imoralidade, Ele logo agirá no presente! Preparemo-nos! – Heber Toth Armí.



GÊNESIS 6 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA
18 de outubro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria



GÊNESIS 5 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ
17 de outubro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: