Reavivados por Sua Palavra


ATOS 6 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
1 de agosto de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ATOS 6 – Primeiro leia a Bíblia

ATOS 6 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ATOS 6 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal do Youtube

(pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



ATOS 6 by Jeferson Quimelli
1 de agosto de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/atos/6

Por causa de minhas responsabilidades, muitos jovens me pedem fundos para suas várias necessidades, especialmente para a educação. Eu invisto muito tempo, até mesmo tempo pessoal, a fim de ajudar a arrecadar fundos para esses alunos carentes. Mas eu me senti convencido de que “Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas. Atos 6:2.”

Por isso, recrutamos auxiliares para cuidar das necessidades diárias desses alunos. “e nos dedicaremos à oração e ao ministério da palavra”. (Atos 6:4) O segredo de realmente viver é quando estamos fazendo aquilo para o qual fomos feitos / chamados / ordenados. Deus deu dons diferentes a pessoas diferentes para serem usados de maneira apropriada.

Visto que tenho estudado a Bíblia com o programa Reavivados Por Sua Palavra desde o seu início, convidei outras pessoas, especialmente aqueles jovens que vinham em busca de oração ou de ajuda financeira, a se unirem à igreja mundial na leitura da Bíblia! Agora tenho dois grupos de oração, cada um deles com 25 pessoas, que estudam a Bíblia diariamente e se reúnem para orar pelo Zoom uma vez por mês. Louvo a Deus porque cada membro desses dois grupos ora com outros a quem eles também incentivam a lerem diariamente a Bíblia.

Milton Das
Diretor do Ministério Jovem e líder do Programa BCSS (Bolsas Escolares para as Crianças de Bangladesh)
União Missão Adventista de Bangladesh

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1270
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ATOS 6 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
1 de agosto de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

763 palavras

1 naqueles dias. Marca nova divisão no livro (cf 1.15). Bíblia Shedd.

O zelo missionário partiu dos crentes helenistas, menos tradicionais e desembaraçados do problema da língua, visto que o grego era língua franca do Império Romano. Bíblia Shedd.

Helenistas. Isto é Judeus de língua grega. Os helenistas eram judeus da diáspora que além de falar o grego, haviam absorvido em parte a cultura grega. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 182.

Hebreus. Estes eram os judeus que haviam nascido na Palestina, moravam ali e falavam a língua aramaica. CBASD, vol. 6, p. 182.

viúvas. A igreja tinha assumido a responsabilidade de seu cuidado (4:32-34; 1 Tm 5:3-16). Andrews Study Bible.

Aqui o velho problema da discriminação tinha emergido: as viúvas dos judeus gregos (ou de fala grega) eram consideradas forasteiras pelos judeus nativos e assim não estavam recebendo sua porção na distribuição de alimentos, provavelmente derivada em parte da generosa doação de 4.34-37. Bíblia de Genebra.

2 a palavra de Deus. Nesta organização inicial da igreja do Novo Testamento, dois ministérios estão listados: o ministério da palavra e oração (v. 4) e o ministério de satisfazer as necessidades físicas do povo, tal como servir á mesa. Bíblia de Genebra.

3 Sete homens. Era razoável que os apóstolos pensassem no número sete. Havia uma reverência pelo numero entre os judeus. CBASD, vol. 6, p. 183.

5 escolheram. Pelos nomes gregos se supõe que todos eram helenistas, inclusive um prosélito (gentio convertido ao judaísmo) cristão. Bíblia Shedd.

6 Apresentaram-nos. Provavelmente para exame, instrução, e é claro ordenação. CBASD, vol. 6, p. 185.

impuseram as mãos. Ação que simboliza uma doação, quer de bênção (Mc 10.16), cura (Mc 6.5), o Espírito Santo (At 8.17; 19.6) ou responsabilidade e autoridade para serviço (At 13.3; 1Tm 4.4). Bíblia Shedd.

8 Cheio de graça e poder. Graça e beleza de espírito deveriam acompanhar a proclamação da mensagem evangélica. O “poder” era a realização de milagres. Estevão devia ter a mesma plenitude de dons do Espírito que os doze. CBASD, vol. 6, p. 186.

9 Libertos. Descendentes dos judeus levados a Roma por Pompeu (63 a.C.) e logo libertos, junto com outros das regiões mencionadas. Bíblia Shedd.

10 Não podiam resistir. Literalmente, “não eram fortes para permanecer contra”. Esta experiência cumpriu a promessa de Cristo a Seus seguidores (Lc 21:15). CBASD, vol. 6, p. 187.

Sabedoria. Estevão foi o primeiro mestre da nova comunidade a ser destacado por sua sabedoria. […] Possuía uma clara visão da verdade e a habilidade para revelar verdades não percebidas até então. CBASD, vol. 6, p. 188.

11 Subornaram. Às vezes, esta palavra era usada para o ato de empregar, instigar ou instruir um agente secreto. CBASD, vol. 6, p. 188.

Incapazes de contradizer os argumentos de Estêvão a respeito de Jesus, os membros da Sinagoga [dos Libertos] espalharam falsas acusações sobre ele. No furor resultante, Estêvão foi arrastado ao Conselho [Sinédrio]. Andrews Study Bible.

blasfêmias contra Moisés e contra Deus. Estêvão só dizia, como está evidente no cap. 7, que Moisés, como Jesus – e como o próprio Estêvão – foi rejeitado pelo povo (7.35, 39). Isto não poderia ser tomado como blasfêmia contra Moisés e contar Deus. Bíblia de Genebra.

12 Sublevaram. Por meio das acusações falsas, agitaram o povo que testemunhara os milagres de Estevão. CBASD, vol. 6, p. 188.

13 lugar santo. O templo, para os judeus, era o lugar mais sagrado do mundo, o centro do universo, por ser a habitação de Deus. Bíblia Shedd.

Estêvão não falou contra o templo, mas somente declarou que Deus não estava confinado a um templo terreno, uma vez que o céu era Seu lar e Seu trono (7.48-50). Estêvão, na verdade, sustentava a lei mosaica e o seu ensino, especialmente naquilo que apontava para o Cristo vindouro (7.37-38). Bíblia de Genebra.

14 Esse Jesus. Mais uma vez, uma menção com desprezo, embora este nome soasse belo ao sair de lábios cristãos. CBASD, vol. 6, p. 189.

temos ouvido dizer que esse Jesus … mudará os costumes que Moisés nos deu. Estêvão percebendo que a fé cristã não se manteria dentro do judaísmo (cf Mc 7.18, 19; Mt 23.25, 26; Lc 11.39-41), antecipa a teologia universal de Paulo. Sua visão é de um cristianismo mundial, sem as restrições do judaísmo e da Lei. Bíblia Shedd.

Para Estêvão, Jesus, aquEle que está à direita do Pai no Céu (7:55-56), é o “Profeta como eu” que Moisés mesmo predisse que viria, a Pessoa definidora da História cujo significado extrapolaria o judaísmo. Similarmente, nem o tabernáculo nem o templo poderiam conter Deus (7:44-50). Estêvão está plenamente convicto de que a culminação de todo o Antigo Testamento é alcançado em Jesus. Andrews Study Bible.

15 Rosto de anjo. Seu rosto devia estar iluminado com um brilho divino. […] O rosto de Estevão se iluminou por sua proximidade de Cristo e pela luz da visão que estava prestes a ter de Jesus à destra de Deus. CBASD, vol. 6, p. 188.



ATOS 06 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
1 de agosto de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Todos os que estavam assentados no Sinédrio, fitando os olhos em Estêvão, viram o seu rosto como se fosse rosto de anjo” (v.15).

Quando estudamos nos evangelhos os dois episódios da multiplicação de pães e peixes, algo chamou a minha atenção. Na primeira multiplicação, sobraram 12 cestos cheios de alimento. Já na segunda, sobraram 7 cestos. Então, pensei: O Senhor escolheu 12 discípulos, e, depois, 7 diáconos foram eleitos. A multiplicação, porém, não se tratava mais de alimento, mas de pessoas, pois “se multiplicava o número dos discípulos” (v.7). No lugar do pão e do peixe crescia “a Palavra de Deus” e “também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé” (v.7). A igreja cristã estava crescendo e sendo alimentada pelo sólido e suficiente evangelho do reino.

Enquanto, porém, estivermos neste mundo de pecado, o ditado de que “quanto mais pessoas, mais problemas” continuará sendo uma realidade. Não foi diferente com a igreja primitiva. “Multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária” (v.1). Estava acontecendo uma acepção entre as viúvas helenistas e as viúvas palestinas. Os helenistas eram judeus de fala grega convertidos ao cristianismo. Ainda havia um certo preconceito e esta questão precisava ser resolvida com urgência.

Numa convocação extraordinária, os doze apóstolos reuniram a igreja e propuseram a eleição de “sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria” (v.3), que ficariam encarregados de atender as necessidades da comunidade. Foram os primeiros diáconos da igreja cristã. Dentre eles, contudo, um merece considerável destaque: “Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo” (v.5). Devidamente investidos, os diáconos deram início a uma sagrada obra em comunhão com os discípulos. Era um trabalho tão importante quanto o “ministério da palavra” (v.4). O serviço daqueles sete diáconos proporcionou o crescimento e o fortalecimento da igreja primitiva.

Estêvão, além de “servir às mesas” (v.2), “cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo” (v.8). Seu modo de falar e perfeita argumentação deixavam os líderes judeus sem palavras. Inspirado pelo Espírito Santo, suas palavras e obras despertaram tamanha inveja, que “o povo, os anciãos e os escribas… o arrebataram, levando-o ao Sinédrio” (v.12). Mas apesar das testemunhas falsas, da ira que lhes consumia o coração e do temor de que aquele servo de Deus continuasse convertendo mais judeus, nada disso os impediu de contemplar, provavelmente, uma cena que jamais haviam visto: Iluminado pela glória do Invisível, cheio do Espírito e tomado de santo temor, o rosto de Estêvão brilhava como a face de um anjo.

Sobre Estêvão declara Ellen White:
Não somente falava no poder do Espírito Santo, mas também era claro ser ele um estudioso das profecias, e instruído em todos os assuntos da lei. Habilmente defendia as verdades que advogava e derrotava completamente seus oponentes. Em relação a ele cumpriu-se a promessa: ‘Proponde pois em vossos corações não premeditar como haveis de responder; porque Eu vos darei boca e sabedoria a que não poderão resistir nem contradizer todos quantos se vos opuserem’. Lucas 21:14, 15” (EGW, Atos dos Apóstolos, CPB, p. 54). Ninguém conseguiu refutar as palavras de Estêvão porque, na verdade, não eram palavras dele, mas do Espírito Santo.

Entrega completa, amados, requer renúncia completa e completa dependência de Cristo. Estêvão estava disposto a sofrer o que fosse por amor a Jesus. Não havia ninguém ou nada que ele amasse mais do que a seu Salvador. E o mesmo brilho que um dia foi revelado no rosto de Moisés foi visto no rosto de Estêvão. Jesus deseja refletir o Seu brilho em nossa face, hoje. Ele deseja fazer de mim e de você Suas testemunhas. A mudança feita pelo Espírito Santo no coração de Estêvão, foi manifesta em suas palavras e fisionomia. Permita que esta mesma mudança alcance o teu coração, e o teu exterior brilhará “mais e mais até ser dia perfeito” (Pv.4:18).

Que se cumpra em nossa geração o que foi profetizado: “Servos de Deus, com o rosto iluminado e a resplandecer de santa consagração, apressar-se-ão de um lugar para outro para proclamar a mensagem do Céu. Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. Operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e sinais e maravilhas seguirão aos crentes” (O Grande Conflito, p.612). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, cheios do Espírito e de sabedoria!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Atos6 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ATOS 6 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
1 de agosto de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

ATOS 6 – Na igreja têm pessoas que amam dinheiro (como Ananias e Safira) e tem pessoas necessitadas de dinheiro (como as viúvas). Além disso, nos capítulos anteriores ficou evidente a perseguição à igreja, a prisão dos apóstolos, a morte súbita dos hipócritas, e no capítulo em pauta, a murmuração dos gregos contra os hebreus.

Certamente, a igreja de Atos não é modelo de perfeição. Muitos problemas existiam e muitos surgiriam. Como uma instituição cheia de problemas poderia sobreviver?

Outra questão era o crescimento em massa da igreja. Como estruturar e atender as necessidades duma igreja que cresce muito rapidamente?

Além disso, o diabo estava por trás; note que…
• No capítulo 4 utilizou-se da perseguição para minar o poder da igreja.
• No capítulo 5 ele usou a infiltração dos hipócritas para reduzir o poder da igreja.
• No capítulo 6 ele armou armadilha que resultou na distração da igreja.

Interessante que, em cada situação, a igreja saiu-se vencedora!
• No capítulo 4, apesar de perseguida, mediante a oração e a pregação da Palavra, a igreja contra-atacou aos ataques do inimigo e cresceu enfrentando a perseguição.
• No capítulo 5, apesar dos hipócritas penetras, mediante a oração e a pregação da Palavra, a igreja contra-atacou as artimanhas diabólicas, então, o resultado foi um crescimento surpreendente.
• No capítulo 6, apesar dos problemas que surgiram devido ao crescimento colossal da igreja, os apóstolos, quase desfocados da oração e do ministério da Palavra, a tempo conseguiram colocar a igreja nos trilhos.

Tristemente, os apóstolos estavam abandonando o aspecto essencial da igreja que é a oração e a pregação da Palavra para atender às mesas. O que não era algo ruim, errado. Era um trabalho digno e urgente; mas, não deveriam tirar o foco da oração e pregação.

Embora Satanás quisesse eliminar esses dois aspectos da igreja, os apóstolos perceberam o perigo, se organizaram para, então, voltarem a priorizar ao que realmente importa mais (vs. 1-4).

Como resultado, surgiram os diáconos e, a igreja avançou admiravelmente (vs. 5-7). Como os diáconos mantiveram o mesmo foco dos apóstolos, eles eram pregadores poderosos, que instigavam seus ouvintes a tal ponto de suscitar ameaças – como se vê no caso de Estêvão (vs. 8-15).

• Pergunto: Sua igreja mantém o foco certo apesar nos ataques satânicos?

Estudemos, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



ATOS 5 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
31 de julho de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ATOS 5 – Primeiro leia a Bíblia

ATOS 5 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ATOS 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal do Youtube

(pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



ATOS 5 by Jeferson Quimelli
31 de julho de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/atos/5

Safira tinha pleno conhecimento (Atos 5:2) do que seu marido havia feito. Nossa consciência fala com base em nosso conhecimento, então tomamos nossas decisões sabendo o que o Espírito nos diz sobre o certo e o errado. Deus não força a consciência. Conscientemente escolher o errado quando nossa consciência incomoda nossa mente sobre o que é certo, é pecar contra o Espírito Santo. “A consciência é a voz de Deus, ouvida em meio ao conflito das paixões humanas; quando é resistida, o Espírito de Deus se entristece.” 5T 120.

Mais tarde (Atos 5:39-40) vemos homens semelhantes a nós impressionados (como sementes em solo rochoso) de que Deus está trabalhando, mas rapidamente se afastando da luz porque a Palavra não tinha desenvolvido raízes profundas. Hoje, estamos ouvindo o Espírito Santo ou apenas descartando seus chamados para nós como apenas um “sentimento?” Estamos enraizados na Palavra de tal forma que nos impedirá de nos endurecermos em relação às mensagens importantes de Deus?

Estou procurando ser sensível ao valioso trabalho do Espírito conforme Ele me dirige para longe do caminho errado e me atrai para o caminho certo. Espero que você também esteja se submetendo à liderança do Espírito Santo.

Melissa Joyeeta Das
Estudante do Seminário Adventista de Bangladesh

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1269
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ATOS 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
31 de julho de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 Entretanto. Há um forte contraste entre a generosidade bondosa de Barnabé e a avareza de Ananias e Safira. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 169.

2 Sua mulher. Fica claro que Safira foi uma cúmplice voluntaria. O pecado do casal foi planejado. CBASD, vol. 6, p. 169.

Reteve. A mesma palavra no grego descreve a ação de Acã na Septuaginta (Js 7.1). Bíblia Shedd.

A mera retenção de parte do preço da venda não seria, em si, um pecado. Na verdade, Ananias não tinha obrigação de dar nada. O dinheiro era dele podia dar todo ou apenas parte. Mas ele doou uma parte e agiu como se fosse tudo. Nisso consistiu o engano, que era uma mentira premeditada. CBASD, vol. 6, p. 169.

O testemunho de toda a igreja estava em risco por causa do pecado de uns poucos (cf Lv 10.1-2; Nm 16.23-35; Js 7.19-25; 2Sm 6.1-7). Bíblia de Genebra.

3 Satanás enchesse o seu coração. Realça-se a continuada atividade de Satanás (v. Lc 22.3; Jo 13.2, 27; 1Pe 5.8). Bíblia de Estudo NVI Vida.

mentisses ao Espírito Santo. No v. 4 Pedro diz a Ananias que ele tinha mentido a Deus. As palavras de Pedro indicam que o Espírito Santo é Deus (v. 9). Bíblia de Genebra.

O Espírito Santo é claramente pessoal e identificado com Deus no v. 4. Bíblia Shedd

9 Porque vocês entraram em acordo para tentar o Espírito do Senhor? Se nenhuma consequência drástica tivesse se seguido a esse ato de pecado, os resultados entre os crentes teriam sido mais graves quando se tomasse conhecimento da fraude. Não somente pareceria lucrativa a desonestidade, mas também se chegaria à conclusão de que o Espírito podia ser logrado. Era importante haver diretrizes definidas desde o início, a fim de não restarem dúvidas quanto ao fato de Deus não tolerar esse tipo de hipocrisia e de fraude. Bíblia de Estudo NVI Vida.

11 igreja. Usada aqui pela primeira vez em Atos. Andrews Study Bible.

12 Pórtico de Salomão. Uma galeria coberta com duas fileiras de colunas … do lado leste do átrio dos gentios no templo. Era o local mais indicado para todos se reunirem para cultuar e receberem o ensino dos apóstolos. Bíblia Shedd.

13 dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles. Nenhum dos crentes insinceros e superficiais ousava se identificar com a igreja. Os padrões de moralidade eram altos. Bíblia de Genebra.

15 a sombra de Pedro. Corresponde a artigos como os lenços de Paulo (19.12) e a borda do manto de Jesus (Mt 9.20). Não era o caso de algum desses objetos materiais possuir qualidades mágicas, mas o mínimo artigo ou sombra representava um meio direto de contato com Jesus ou Seus apóstolos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

17,18 Os saduceus, o partido dos sacerdotes que controlavam o templo e seu serviço; foram os mais contestados pela pregação aberta de Cristo no recinto do templo (12; cf Mt 22.23n). Bíblia Shedd.

34 fariseu. partido popular dos judeus que dava ênfase à Lei como o caminho da salvação. Bíblia Shedd.

Gamaliel, renomado mestre de Paulo (22.3), representante da escola e Hilel, que favorecia uma interpretação mais liberal e humanizante da Lei.  Bíblia Shedd.

40 açoitaram-nos. Os apóstolos receberam a tradicional “quarentena de açoites menos um” (2Co 11.24). Bíblia de Genebra.

Compilação: TatianaW / JefersonQ



ATOS 05 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
31 de julho de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida” (v.20).

Com um só coração e alma, os apóstolos e demais membros da igreja primitiva estavam vivendo, na prática, o evangelho do reino. Vendendo suas propriedades, os valores eram entregues “aos pés dos apóstolos” (v.2), que distribuíam aos que tinham necessidade. Aquela obra era prova da mudança efetuada na vida dos novos conversos. Estava enraizado como doutrina entre os judeus que a prosperidade em todos os sentidos era sinal da aprovação de Deus, considerando os doentes e os pobres alvos da ira divina contra os seus pecados. A igreja cristã, porém, cheia do poder do Espírito Santo, compreendeu o cerne do evangelho, que não se trata de uma próspera aparência, mas de ter Jesus Cristo e Suas palavras atuando na vida de forma que esta se torne tão-somente uma manifestação da vontade de Deus.

Ananias e Safira representam uma classe de professos cristãos que não entregaram o coração aos cuidados do Espírito Santo, de forma que, “levando o restante” (v.2), buscam aparentar aquilo que não possuem. Deus não exigiu dos novos conversos a venda de suas propriedades. Houve, contudo, uma obra do Espírito nos corações. Ao reter parte do valor da propriedade, Ananias “em acordo com sua mulher” (v.2) impediram a obra do Espírito Santo e permitiram que Satanás lhes enchesse o coração. Atitudes como esta não são tomadas da noite para o dia. Antes, são o resultado da rejeição aos apelos divinos e apego ao que é terreno e perecível. Aquele era um momento crucial na história da igreja cristã e o Senhor provou estar à frente de Seu povo lançando fora de Suas fileiras os impenitentes.

A sequência do capítulo toma um rumo completamente diferente de seu início. O contraste entre a covarde infidelidade do obstinado casal e a corajosa fidelidade dos apóstolos aponta para o grande conflito que se avoluma à medida em que nos aproximamos do fim. A generosidade dos novos conversos não visava promover a si mesmos, e sim a felicidade e bem-estar do outro. Sua bondade e discrição eram sinais evidentes da obra do Espírito Santo no coração. Não precisamos acender luzes em nossa direção. Precisamos permitir que o Espírito Santo acenda a luz de Cristo em nosso coração, santificando nossas intenções, palavras e ações. Então, tudo o que fizermos será uma clara manifestação de “todas as palavras desta Vida” (v.20).

É impossível silenciar aqueles que são guiados pelo Espírito Santo. “Deus outorgou” o dom de Seu Espírito “aos que Lhe obedecem” (v.32). E ainda que perseguidos e severamente provados, são estes que se alegram “por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas” (v.41) por causa do nome de Jesus. Como foi com os apóstolos na prisão e no Sinédrio, Deus cuidará de Sua última igreja concedendo-lhe firmeza de caráter e fé inabalável. Neste tempo de oportunidade, enquanto os ventos são retidos pela longanimidade de um Deus de amor, cada dia representa um avanço na vida dos que amam a Deus e buscam a Sua aprovação. Seu lema de vida tem sido: “Antes importa obedecer a Deus do que aos homens” (v.29). E seus passos são guardados e firmados no áureo Caminho seguro.

O Senhor nos diz hoje: “Eu amo os que Me amam, e os que de madrugada Me buscam Me acharão” (Pv.8:17). Muito se fala em pregar o evangelho, e devemos fazê-lo, pois esta é a nossa missão. Mas precisamos lembrar que a primitiva pregação do evangelho não aconteceu até que o poder do Espírito Santo fosse derramado; poder que foi antecedido por um maravilhoso movimento de oração. Se queremos receber a promessa da chuva serôdia, precisamos, a cada dia, ser receptáculos da chuva temporã. Os primeiros raios do sol precisam nos encontrar em nosso lugar de oração a clamar pelo Espírito Santo. A obra do Senhor há de ser finalizada pelo remanescente que sai de seus refúgios de comunhão, “todos os dias”, na igreja “e de casa em casa”, e não cessam “de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo” (v.42). Uma obra que abalará o mundo, pois que não é humana, mas divina. Pois se “esta obra vem de homens, perecerá; mas, se é de Deus”, ninguém poderá destruí-la (v.38-39).

Jesus foi exaltado “a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados” (v.31). Como o Israel espiritual de Deus, estamos dispostos a permitir que essa obra aconteça em nós? Estamos dispostos a renunciar tudo aquilo que nos afasta de Deus e dos propósitos que Ele tem em nossa vida? Aqueles homens e mulheres da primitiva piedade entregaram tudo no altar do Senhor, inclusive a própria vida. Que não sejamos achados mentindo “ao Espírito Santo” (v.3) nem tampouco “lutando contra Deus” (v.39). Mas que, cheios do Espírito, façamos parte dos restantes que dirão ao mundo, por preceito e por exemplo, “todas as palavras desta Vida” (v.20), ainda que caiam os céus. Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, restantes do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Atos5 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ATOS 5 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
31 de julho de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

ATOS 5 – A igreja que avança mesmo sob forte ameaça torna-se ameaça ao reino das trevas. Satanás enfurece-se, por isso, trabalha para intentar atrapalhar o desenvolvimento da obra de Deus no mundo.

No capítulo anterior, a Igreja foi perseguida; prenderam os líderes espirituais, receberam a proibição de continuarem a missão. Líderes deste mundo intentam coagir a pregação visando eliminar a influência do Céu na Terra. Apesar disso, a vitória foi possível mediante a combinação da oração com a pregação. Consequentemente, a igreja superou a opressão.

Neste capítulo, as estratégias diabólicas mudaram. Ele não conseguiu destruir a igreja com ameaças, prisões e proibições políticas; então, inseriu táticas mais sutis. Ele conduziu crentes falsos à igreja. Assim, temos poderoso exemplo de como se origina a hipocrisia. A intenção do diabo é minar o poder da verdade. Seu alvo é interromper o poder existente na Palavra combinada com oração.

Observe mais atentamente estes pontos:
1. Os crentes consagrados, cheios do Espírito Santo, estavam cheios de vida, entusiasmo, ousadia e dinamismo entre si, todos se ajudando e se satisfaziam investindo na Igreja (4:32-37).
2. Os crentes hipócritas penetraram e fizeram votos, os quais não cumpriram. Estes falsos crentes não suportaram o poder da verdade, e morreram fulminados na Igreja. A morte instantânea de Ananias e Safira demonstra o desagrado divino por crentes fraudulentos (5:1-10).
3. O poder de Deus avança mesmo contra o poder do diabo. A igreja primitiva firmada na oração e na pregação avançou apesar da intenção satânica de destruição. A igreja crescia diante de cada prova vencida. Nada a impedia de avançar (5:11-16).
4. Os problemas não cessam mesmo quando o Espírito Santo atua claramente na Igreja. Após o caso dos cristãos interesseiros, egoístas e mentirosos, os apóstolos foram presos. Miraculosamente foram libertos em seguida. Depois, levaram-nos novamente à prisão, mas, finalmente, foram libertos. Tudo isso não os impedia de pregar (5:17-33).
5. Deus interferiu nas estratégias de Satanás através de Gamaliel, que sabiamente amenizou a oposição da liderança eclesiástica. Após açoitarem aos apóstolos, os dispensaram; então, com os crentes, “todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e anunciar a Jesus, o Cristo” (5:34-42).

Utilizemos mais a oração e a Palavra na pregação, pois esta é a estratégia evangelística divina! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: