Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 31 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
22 de janeiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 31 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 31 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 31 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



EZEQUIEL 31 by Jeferson Quimelli
22 de janeiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/31

A mensagem de aviso de Deus, através de Ezequiel, para o Egito é: não acredite que a mesma desgraça não possa acontecer com você! Pense na Assíria, uma grande árvore, mais maravilhosa do que qualquer outra no jardim de Deus. No entanto, ela caiu e isso afetou toda a floresta!

As Escrituras não se opõem aos governos humanos. Deus simplesmente pede para que eles ocupem o seu verdadeiro lugar na floresta e evitem o orgulho.

Esta história é familiar acerca de outros reinos. Nabucodonosor também foi cortado como uma árvore. Ferro e bronze foram amarrados ao redor do toco restante para preservar a sua vida. Após sete anos de insanidade, ele foi restaurado ao trono (Dan 4).

Não aconteceu diferente com a casa de Davi. Os reis de Israel e Judá foram depostos e mortos. Contudo, a partir do tronco de Jessé brotaria nova vida (Is 11:1). Isto se aplica ao verdadeiro filho de Davi, Jesus de Nazaré, o Messias. Seu reino jamais terá fim.

Quando os cedros nos atraírem, que a nossa fé permaneça em Jesus Cristo, o único em quem há verdadeira vida, vida eterna.

Ross Cole
Avondale College, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1079
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 31 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
22 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

809 palavras

Imagem intensamente simbólica da queda do orgulhoso faraó (Hofra) e de seu povo. Essa derrocada é comparada ao corte de uma árvore majestosa (que representou primeiro a Assíria e depois o Egito (v. 2, 3, 12). Bíblia de Estudo Andrews.

Assim como a Assíria, o Egito se orgulhou em sua força e beleza; isto seria sua derrota. Ele cairia como uma poderosa árvore e seria colocada no lugar dos mortos. Não há permanência à parte de Deus, mesmo para uma grande sociedade com cultura magnificente e poder militar. Life Application Study Bible Kingsway.

1 No undécimo ano, no terceiro mês, no primeiro dia do mês. 11 de junho de 586 a.C. Bíblia de Estudo Andrews.

Undécimo ano. Do cativeiro de Joaquim (ver com. [CBASD] de Ez 1:2). … Esta profecia foi dada cerca de dois meses após a anterior. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 751.

Faraó. Hofra, ou Ápries, que foi notório por seu orgulho (ver com. [CBASD] de Ez 29:3). CBASD, vol. 4, p. 751.

3 Considere a Assíria. Grande nação que tinha caído. Em 609 a.C. o faraó Neco foi até Carquemis a fim de ajudar o Império Assírio, que estava cambaleando debaixo dos ataques de Nabucodonosor. O esforço fracassou e a Assíria desapareceu da história. Bíblia de Estudo NVI Vida.

O profeta usa o destino da Assíria como uma advertência ao Egito, pois o antes poderoso Império Assírio tinha entrado em colapso entre 640-609 a.C. Alguns estudiosos pensam que é improvável que em um oráculo contra o Egito o enfoque primário tivesse caído sobre a Assíria (vs 3-17). Esses estudiosos sugerem que um erro do copista alterou uma das consoantes do texto e traduzem “Assíria” como “cipreste” ou como “ao que vos posso comparar”, o que seria um paralelismo melhor com a última frase do v. 2. Com essa correção, a passagem inteira fica girando em torno do Egito. Bíblia de Genebra.

4 As águas o fizeram crescer. A referência é ao Nilo ou ao Tigre, dependendo da interpretação adotada. CBASD, vol. 4, p. 751.

5 Se elevou a sua estatura. Ele era mais alto do que todas elas. Ele superava todos os príncipes ao seu redor, que eram como arbustos para ele. Bíblia de Estudo Matthew Henry.

8 Os cedros do jardim de Deus não eram rivais para ele. O aspecto do orgulho é introduzido. Bíblia de Estudo NVI Vida.

11 Da mais poderosa das nações. Ou, “do dominador das nações”, (BJ), isto é, Nabucodonosor (ver com. [CBASD] de Ez 29:19). CBASD, vol. 4, p. 751.

14 Não se exaltem. Esta é a lição a ser extraída da parábola. Que as outras árvores não confiem na própria força nem se envaideçam com a prosperidade. CBASD, vol. 4, p. 751.

10 Como te elevaste na tua estatura. O rei do Egito assemelha-se ao rei da Assíria em pompa, poder e prosperidade. Da mesma maneira, assemelha-se a ele em seu orgulho. A mesma tentação de uma poderosa nação pela qual alguns são dominados é fatal para muitos outros também. O Egito irá assemelhar-se também à Assíria em sua queda. Ciáxares, rei dos Medos, junto com  Nabucodonosor,, rei da babilônia, destruiu Nínive e, com ela, o império assírio. A respeito dos assírios [e também dos egípcios], podem-se afirmar três coisas. 1. É o próprio Deus que ordena sua ruína; 2. É o próprio pecado deles que procura sua ruína; 3. É algum poderoso dentro dos pagãos que é o instrumento de sua ruína. Bíblia de Estudo Matthew Henry.

15, 16 Além. Do heb. she’ol, hades, na LXX, a morada figurativa dos mortos, representada como uma caverna subterrânea (ver com. [CBASD] de Pv 15:11). CBASD, vol. 4, p. 752.

A palavra heb sheol, que consta no texto original, na tradução brasileira, se traduz [foi traduzida por] “inferno” na antiga versão de Almeida. … “O além” é mais exato. Bíblia de Estudo NVI Vida. [Jacó disse em Gn 42:38, logo antes de sua morte, que iria para o Sheol, o que torna a tradução “inferno” inválida].

15 De preto por causa dele. As árvores do Líbano que ainda estavam em pé estavam de luto por ele, porque podiam ler seu próprio destino com a sua queda. A derrubada do cedro significa o massacre desse poderoso monarca e de todos os que o apoiavam. Bíblia de Estudo Matthew Henry.

16 À cova. A palavra heb é bar, poço; dá-nos a ideia de sepultura. Bíblia Shedd.

Termo poético para a sepultura. profundezas. Outro termo poético para sepultura. Bíblia de Estudo Andrews.

17 Traspassados à espada. Aqui a realidade irrompe através da figura. CBASD, vol. 4, p. 752.

Seu braço. Seus auxiliares, aqueles que o ajudavam em suas conquistas. CBASD, vol. 4, p. 752.

18 Às profundezas. Já é outra palavra para o lugar dos mortos. Em heb é tahit que quer dizer “embaixo”. Bíblia Shedd.

Incircuncisos. O rito da purificação da circuncisão era praticado pelos egípcios, que lhe davam muita importância. Daí ser vergonhoso passar a “jazer no além”com as nações “incivilizadas”, a ponto de ser objeto do escárnio das mesmas. Bíblia Shedd.

Este é Faraó. Esta é a aplicação da alegoria. CBASD, vol. 4, p. 752.



EZEQUIEL 31 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
22 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“[…] porque todos os orgulhosos estão entregues à morte e se abismarão às profundezas da terra, no meio dos filhos dos homens, com os que descem à cova” (v.14).

Comparada a uma árvore “no jardim de Deus” (v.8), a formosura da Assíria era digna de admiração. Toda a sua pompa, no entanto, foi destruída. A mesma sorte estava determinada sobre o Egito. A confiança na aparente formosura encheu o coração da nação de orgulho próprio. Perceba que o próprio Senhor declarou que nem as árvores do Éden eram mais lindas do que aquele reino. O estereótipo, à vista dos homens e do próprio Deus, era perfeito.

Contudo, “o seu coração se exalçou na sua altura” (v.10). À medida de sua beleza, foi exaltado o seu orgulho e, diante do Senhor Deus, a sua perfeição externa não tinha valor algum, “porque todos os orgulhosos estão entregues à morte” (v.14). O orgulho cria uma barreira entre o homem e Deus e o impede de reconhecer a sua dependência dEle. Tentar encobrir um coração “desesperadamente corrupto” (Jr.17:9) com uma bela capa é, no mínimo, uma grande mentira. Caí nessa besteira por muitos anos e, podem acreditar, não vale à pena.

Um texto de Ellen White me impactou muito, e diz o seguinte: “A abundante iniquidade não se limita apenas aos incrédulos e zombadores. Quem dera que assim fosse! Mas não é. Muitos homens e mulheres que professam a religião de Cristo são culpados. Mesmo alguns que professam estar esperando Seu aparecimento não estão mais preparados para esse acontecimento do que o próprio Satanás” (CPB, Testemunhos para a Igreja, v. 2, p.346). Exagero? Não, amados. Triste e dura realidade! Aparentar ser o que não é, é a pior mentira já criada. E os mentirosos não herdarão o reino dos céus (Ap.21:27).

O próprio Jesus condenou a falsa piedade: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia! Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de hipocrisia e de iniquidade” (Mt.22:27-28). Não esqueçam que foram estes belos “sepulcros” que condenaram a Jesus e tramaram a Sua morte. E, a seu devido tempo, os “sepulcros” atuais se levantarão contra os santos do Altíssimo. Necessitamos de um exame constante do coração, através da comunhão diária e da constante influência do Espírito Santo.

Dois sentimentos invadem o meu coração quando lembro dos anos em que passei como uma dracma perdida dentro da igreja: tristeza por tanto tempo ter ferido o coração de Deus e alegria arrebatadora pela longanimidade do Senhor para comigo. Podemos pregar nos púlpitos, ou até forçar a igreja a aceitar uma reforma. Podemos até mesmo ser exemplo de conduta cristã. Mas se a reforma não for o resultado de um genuíno reavivamento, para nada serve a não ser para receber o mesmo salário dos “que descem à cova” (v.14).

Jesus não nos exige um coração perfeito, mas um coração perfeitamente dependente de Seus méritos. Enquanto o Senhor da seara não ocupar em nossa vida o primeiro lugar que Lhe é devido, nunca compreenderemos, de fato, o nosso lugar na seara do Senhor. Não faça para si vestes de “folhas de figueira” (Gn.3:7), mas permita que o Criador lhe revista com as vestes da justiça de Cristo “a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez” (Ap.3:18). Olhe para Jesus nas primeiras horas da manhã a cada dia. Fale com Ele. Ouça o que Ele tem a lhe dizer através de Sua Palavra. E, nesse processo diário, o Espírito Santo lhe concederá a beleza que é aprovada pelo Céu. Vigiemos e oremos!

Bom dia, belos aos olhos de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel31 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 31 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
22 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 31 – Quem não quer a desgraça resultante do pecado na sua vida, família e sociedade deve aliar-se a Deus no combate do vírus destruidor chamado pecado. Quanto pior o pecado, pior tende a ficar a situação! Mas todas as situações estão sob o controle de Deus e, antes do caos tomar conta, Deus o interrompe ousadamente. Assim aconteceu com o Egito.

Esta terra tinha sido abrigo e segurança para muita gente em perigo. Por exemplo:
• Assim que Abraão chegou à terra prometida, deparou-se com a fome e busca auxílio no Egito (Gênesis 12:10-20).
• Mais tarde, em outro período de fome, Jacó, neto de Abraão, também foi conduzido ao Egito (Gênesis 46).
• Por fim, os que restaram na terra prometida, buscaram refúgio naquela terra próspera (Jeremias 43:1-7).

Embora o Egito fosse referência devido a sua potência econômica, política e militar e, o profeta Isaías não interpretou que isso significasse segurança; pelo contrário, profetizou:
“Ai dos que partem para o Egito achando que os cavalos poderão ajudá-los, impressionados com números, admirados de tantos carros e cavaleiros…” (Isaías 31:1).

De igual forma, o profeta Ezequiel nos ensina no capítulo de hoje que…
1. A Assíria, muito mais poderosa que o Egito, fora conquistada pela Babilônia; portanto, não era hora do Egito ficar se achando a mais poderosa árvore da floresta, pois logo ela estaria no chão. Deus detesta o orgulho (vs. 1-9).
Vangloriar-se da própria grandeza nos impede perceber a própria cegueira.
Note o antecedente bíblico: “O Egito foi fundado pelos descendentes de Cam, ou seja, a mesma família que construiu Babel e sua torre, Nínive, Sodoma e Gomorra. Um povo idólatra que não temia ao Senhor, cujo rei estava nas mãos de Satanás” (Valter Dobelin).
2. Deus demonstrou severidade com Samaria (Ezequiel 16), Amom, Moabe, Edom (Ezequiel 25) e Tiro, modelo de orgulho (Ezequiel 26-28). Chegara a hora do Egito ser repreendido, assim como fora a Assíria (vs. 10-18).

Orgulho é o entulho que entrava o arrependimento, impedindo assim a conversão ao verdadeiro Deus; Não há nada a fazer com o orgulhoso/arrogante – quando não revela Sua severidade contra tal atitude, Deus o deixa inchar e estourar.

Olhe ao redor… Como está a moralidade em nossa sociedade? O texto inspirado revela que Deus não está de braços cruzados. Quando a imoralidade se multiplica, Deus entra em cena para combatê-la! Desperte!! Prepare-se!!!
Fique alerta! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 30 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
21 de janeiro de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO EZEQUIEL 30 – Primeiro leia a Bíblia

EZEQUIEL 30 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

EZEQUIEL 30 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



EZEQUIEL 30 by Jobson Santos
21 de janeiro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ez/30

A expressão “Dia do Senhor” é algo que nós, como cristãos, aplicamos especialmente para a segunda vinda de Jesus (2 Tess 2:2). Entretanto, esta expressão ligada a um final definitivo tem seu precedente histórico. Para o Egito, o “dia do Senhor” havia chegado.

Amós garante aos seus leitores que não será um dia agradável:
“Será como se um homem fugisse de um leão e encontrasse um urso;
como alguém que entrasse em sua casa e,
encostando a mão na parede, fosse picado por uma serpente.
O dia do Senhor será de trevas e não de luz.
Uma escuridão total, sem um raio de claridade”
(Amós 5:18-20 NVI).

Na época de Ezequiel, o “dia do Senhor” traria nuvens e desgraça a Jerusalém e ao Egito. Não haveria meios de escapar da força da Babilônia.

É preciso sabedoria para entender o funcionamento da história e saber de antemão quem serão os vencedores e os derrotados em um determinado cenário e assim decidir quando resistir e quando se entregar. Aos olhos humanos, é mais fácil se apoiar no poder humano visível do que no braço do Deus invisível. Que hoje e sempre possamos confiar na sabedoria e no braço poderoso do nosso Deus e não na força e visão limitados do homem. O destino das nações está nas mãos do Senhor.

Ross Cole
Avondale College, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1078
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



EZEQUIEL 30 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
21 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

734 palavras

Continuação do tema iniciado na seção anterior: Nabucodonosor é o agente de Deus para o juízo do Egito. Bíblia de Estudo Andrews.

Este é um lamento pelo Egito e seus aliados. Por causa do orgulho e da idolatria dos egípcios, eles seriam derrubados. Life Application Study Bible Kingsway.

3 O Dia do SENHOR. Ver com. [CBASD] de Is 2:12. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 748.

O tempo dos gentios. Ou, “o tempo das nações”. Deus mantém um registro de contas com as nações. Ele determina quando se enche a medida da iniquidade delas. CBASD, vol. 4, p. 748.

5 Etiópia. O vizinho do Egito ao sul, região do Nilo (Gn 10:6). Pute. Ou Líbia. Ficava no norte da África. Lude. Ou, Lídia, na Ásia menor; os lídios eram mercenários no exército egípcio. toda a Arábia. Provável referência a mercenários estrangeiros de várias terras (ver Jr 25:20; 50:37). Bíblia de Estudo Andrews. Bíblia de Estudo Andrews.

8 Saberão que Eu sou o SENHOR. Esta frase é um refrão constante no livro de Ezequiel. É uma declaração do grande objetivo de Deus, ou seja, levar a toda humanidade um conhecimento de Si mesmo que produza salvação. Ele emprega vários meios para declarar Seus conselhos à raça humana. Fala por meio da voz da consciência, por meio de profetas inspirados e através de providências e juízos divinos. Seu objetivo supremo é que o conhecimento do Seu nome permeie toda a Terra como as águas cobrem o mar (Hc 2:14). A mensagem inspirada contra o Egito pode ser considerada como a tentativa de Deus de revelar Sua solicitude pela vasta multidão de pessoas que habitava aquele país (ver com. [CBASD] de Ez 6:7). CBASD, vol. 4, p. 748, 749.

9 Mensageiros. Pode se referir aos egípcios que fugiram e, ao chegarem à Etiópia, alarmaram a população dali com a notícia da queda do Egito, ou a um enviado especial para advertir os etíopes. CBASD, vol. 4, p. 749.

Descuidada. Do heb. betach, alguém que está seguro, que não suspeita de nada. CBASD, vol. 4, p. 749.

12 Rios. Do heb. ye’orim, … uma forma plural e pode ser usada para descrever o Nilo com seus afluentes e sua rede de canais. CBASD, vol. 4, p. 749.

13 Mênfis. Antiga capital do Cairo, ficava a 24 km da moderna capital do Cairo. Bíblia de Estudo Andrews.

14 Nô. Outro nome para Tebas, cidade na margem oriental do Nilo, cerca de 500 km ao sul do Cairo (ver com. [CBASD] de Jr 46:25). CBASD, vol. 4, p. 749.

A moderna Luxor. Bíblia de Estudo Andrews.

17 Áven. Corresponde a Om, de Gênesis 41:45 e 50 (de onde saiu a esposa de José), ã Bete-Semes (casa do sol), de Jeremias 43:13, e à Heliópolis (cidade do sol) dos gregos, assim chamada porque desde os mais remotos tempos havia sido a principal sede do culto egípcio ao Sol. CBASD, vol. 4, p. 749.

Pi-Besete. Uma cidade situada no Delta do Nilo, cerca de 80 km a nordeste de Mênfis, no sítio que hoje é denominado Tell Basta. Era o centro do culto a Bastet, deusa de cabeça de gato, adorada com orgias (ver Heródoto, ii.66). Foi encontrado um cemitério para gatos neste antigo sítio, do qual hoje existem apenas ruínas. A cidade é mais comumente conhecida pelo nome de Bubastis. CBASD, vol. 4, p. 749.

18 Tafnes. Uma cidade cerca de 40 km a sudoeste de Pelúsio (ver com. [CBASD] de Jr 2:16; Ez 30:15). Esta é a cidade para a qual os judeus fugiram depois do assassinato de Gedalias. Como sinal da destruição dos judeus remanescentes no Egito, foi ordenado a Jeremias que escondesse pedras na entrada do faraó, em Tafnes, a fim de marcar o local onde Nabucodonosor estenderia seu baldaquino real (Jr 43:9-11). CBASD, vol. 4, p. 749.

Escurecerá. Um símbolo profético comum que descreve uma calamidade futura (ver Is 13:10; Jl 2:10, 31; 3:15; Am 8:9). CBASD, vol. 4, p. 750.

21 Faraó, rei do Egito. Hofra, ou Ápries (589-570 a.C.),um homem de grandes empreendimentos e de gênio militar (ver vol. 2 [CBASD], p. 75, 76). CBASD, vol. 4, p. 750.6:10).

21-26 Esta profecia foi dada a Ezequiel em 587 a.C. Deus destruiu a superioridade militar do Egito e a deu à Babilônia. Deus permitiu que nações subissem ao poder para desempenhar um propósito particular, geralmente além da nossa compreensão imediata. Quando você ler [escutar] a respeito de exércitos e guerras, não se desespere. Lembre-se que Deus é soberano e no comando de tudo, até mesmo o poder militar. Além de orar pelos seus líderes militares e civis, ore para que os maiores propósitos de Deus se cumpram e que isto se cumpra “na terra, assim como no céu” (cf. Mt 6:10). Life Application Study Bible Kingsway.



EZEQUIEL 30 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
21 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Porque está perto o dia, sim, está perto o Dia do Senhor, dia nublado; será o tempo dos gentios” (v.3).

Em um dos anos mais sombrios da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha avançava em seu propósito de dominar o mundo, ao mesmo tempo em que as forças inimigas se arregimentavam com força superior. Porém, as notícias que eram anunciadas aos confiantes arianos eram sempre de como os planos de Hitler estavam galgando os degraus da vitória e que logo veriam o fim da guerra e o apogeu de sua pátria. Mal sabiam os partidários convictos de que em pouco tempo contemplariam a derrota de seu país em um cenário de completa desolação e ruína. Por muitos anos, Israel confiou no Egito como uma força a ser considerada. Mas o Senhor revelaria que qualquer nação se torna completamente indefesa quando a sua confiança está firmada na impotente força do homem.

Até mesmo as nações aliadas ao Egito cairiam “à espada” (v.6). O Senhor faria “cessar a pompa do Egito, por intermédio de Nabucodonosor, rei da Babilônia” (v.10). Em uma nação politeísta, dominada por superstições e práticas idólatras, através da execução de Seu juízo, Deus Se revelaria ao Egito como o único Senhor. Semelhante ao desejo frustrado de Hitler de construir um novo mundo com uma raça ariana e superior, os egípcios, que se orgulhavam de sua origem, seriam espalhados pela Terra: “Espalharei os egípcios entre as nações e os derramarei pelas terras” (v.23).

Muitos há que, hoje, têm fortalecido a ideia de que Deus nos convida a fazer parte de um movimento separatista; de que o processo de santificação não pode ocorrer enquanto estivermos dentro de uma igreja onde nem todos estão buscando o mesmo objetivo. Esquecem, contudo, que em momento algum Jesus deixou de frequentar as sinagogas ou o templo ou Se recusou a andar e comer com pecadores. Sua missão estava em estar em constante contato com os que mais necessitavam de Seu auxílio. Com afetuosa atenção, curava e ensinava enquanto discipulava doze homens, em sua maioria jovens, inclusive aquele que mais tarde O trairia.

Fazemos parte da última igreja profética, chamada para proclamar uma mensagem inclusiva: “Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a Terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo” (Ap.14:6). No sentido espiritual, precisamos sim fazer parte do “povo de propriedade exclusiva de Deus” (1Pe.2:9). Mas na ótica da salvação, devemos ser condutos da luz de Cristo a todos os povos. O precioso sacrifício de Cristo foi feito “Porque Deus amou ao mundo” (Jo.3:16). “[Está] perto o dia, sim, está perto o Dia do Senhor” (v.3). Oremos para que o amor do Pai seja derramado em nosso coração pelo Espírito Santo (Rm.5:5), então viveremos como Jesus viveu, pois “para com Ele não há acepção de pessoas” (Ef.6:9). Vigiemos e oremos!

Bom dia, luz do mundo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel30 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



EZEQUIEL 30 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
21 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 30 – A Bíblia e a experiência espiritual nos ensinam que qualquer coisa ruim pode acontecer com aqueles que preferem confiar em si mesmos e em conceitos filosóficos humanos em detrimento dos princípios e ensinos divinos.

O Egito é “a sétima e última nação dessa lista de juízo… Os juízos aqui descritos parecem ser os mais severos de todos. Sem o rio Nilo, o Egito morreria. Enquanto seria natural seu povo dar valor à vida, o Egito é a terra da morte. O livro mais conhecido da cultura egípcia é o Livro dos Mortos. Os maiores monumentos dessa nação são túmulos gigantescos em forma de pirâmide. Seus reis construíram palácios pequenos, mas sepulcros enormes, e eram embalsamados para desfrutar o tempo na sepultura! Seguros de si, os egípcios não se impressionavam com a morte. Deus considerou necessário, portanto, julgar essa nação que, na Bíblia, retrata o mundo, em especial o mundo sem Deus” (William MacDonald).

Reflita:
• O dia do Senhor é nublado, escuro e medonho aos amantes do pecado (vs. 1-3).
• O Egito e as cidades vizinhas que se aliaram confiando em seu poder serão destruídos a fim de que reconheçam ao único Deus verdadeiro (vs. 4-8).
• Deus revela detalhes de como se dará o fim do Egito, pois só Ele conhece o fim desde o princípio (vs. 9-12).
• É Deus quem executa o juízo e a sentença; Seu objetivo primário não é destruição de pessoas, mas a restauração da verdadeira religião (vs. 13-19).
• O rei babilônico será instrumento de Deus contra o Egito, pois Ele está soberanamente no controle de tudo o que acontece no Universo (vs. 20-26).

O juízo divino é como uma tempestade, as profecias são como os trovões que a anuncia (vs. 1-5). Povos poderosos não podem escapar à ira da natureza, muito menos da ira divina (vs. 6-19). O maior objetivo de Deus é revelar Seu poder e tornar-se conhecido visando à conversão do mundo (vs. 20-26).

Quatro vezes aparece no texto a expressão: “Saberão que Eu sou o Senhor”. O juízo fará o que Israel negligenciou: Revelar Deus ao mundo!

• E nós, temos investido na missão?

Israel estava no cativeiro porque não priorizou o reino de Deus. O Egito seria devastado porque desprezou a Deus. E nós, aprendemos a lição?

Vamos priorizar Deus? – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: