Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 62 by jquimelli
21 de julho de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Deus tinha planos maravilhosos para Jerusalém. Ele fez promessas incríveis a seu respeito. Jerusalém foi o lugar onde Ele colocou o Seu Nome; o lugar em que o seu trono de adoração foi estabelecido no Santo dos Santos do templo; o lugar do qual Ele planejava governar as nações.

Sempre fico profundamente tocada pelas expressões de prazer mútuo e alegria que caracterizam a nossa relação de amor com Deus. Quão terna, quão profunda, quão abrangente é esta união que Deus deseja ter com cada um de nós (Veja por exemplo: Isaías 61:10; Sofonias 3:17). Assim como nós chamamos uma pessoa a quem queremos muito bem de “querido” ou “querida”, Deus chama a sua noiva de nomes hebraicos especiais, Hephzibah (Delícia) e Beulah (Desejada e Casada).

Assim como Deus estabeleceu Adão e Eva para serem cuidadores de Sua nova criação, Deus coloca seus amados para vigiarem Seu novo Reino. Existe um compromisso total nesta união! Eles trabalham intimamente unidos em propósito e atitude. Nosso Marido celestial não cochila nem dorme (Salmo 121:4), nem sua “esposa”. Eles tem o pensamento um no outro de dia e de noite (v.7).

Esses vigias, esses intercessores, oram sem cessar, são ousados em pedirem “grandes coisas”. O alvo deles é o objetivo prometido pelo seu Senhor (v. 8): estabelecerem “Jerusalém” como “o louvor de toda a terra” (v. 7), tornarem-se eles próprios de confiança e fazerem com que as igrejas de Deus sejam lugares seguros de adoração para todas as pessoas ( v. 8; 56:8).

Aleta Bainbridge
Associação da Grande Sydney, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/62, https://www.revivalandreformation.org/?id=987 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/62/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/27
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 62 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 62 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
21 de julho de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 62 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
21 de julho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Eis que o SENHOR fez ouvir até às extremidades da terra estas palavras: Dizei à filha de Sião: Eis que vem o teu Salvador; vem com Ele a sua recompensa, e diante dEle, o seu galardão” (v. 11).


Creio que o maior desafio do cristão não seja o de pregar o evangelho a todo o mundo, mas do evangelho ocupar todo o espaço de seu coração. Todo aquele que, à semelhança de Paulo, se esvazia do eu para ser preenchido por Cristo, experimenta a morte para o pecado e a ressurreição para a vida (Gálatas 2:20). Podemos pregar, pregar e pregar, mas se este evangelho não é real em nossa vida, se ele não nos modifica dia após dia, se não promove uma vontade intensa de estarmos cada vez mais perto de Jesus, qual é a finalidade de nossa pregação? Paulo precisou literalmente cair do cavalo para entender que Jesus é real, o Seu amor é real e a salvação por meio de Jesus é real!

Estamos em um ano festivo. Há 500 anos, outro homem de Deus também teve um encontro com Jesus ao “cair do cavalo” das tradições. Lutero não só enfrentou o clero religioso e o governo da época. Primeiro, ele teve de travar uma luta contra o próprio eu. O “evangelho do Reino” (Mateus 24:14) primeiramente precisava preencher o seu coração, e só assim ele estaria preparado para o que viria pela frente. Daí você pode estar se questionando: estou lendo o comentário do capítulo de hoje? Sim, amado. Está.

A “Desposada” (v. 4), a alegria do Noivo (v. 5), a “Cidade Santa, a nova Jerusalém” (Ap. 21:2), é a recompensa que o SENHOR dará ao Seu povo. “Um diadema real” (v. 3) preparado por Deus para os Seus filhos. Mas é interessante observarmos outro nome dado à santa cidade: “Procurada” (v. 12). Quando queremos muito encontrar algo, o que fazemos? Procuramos. E a depender do valor ou do interesse pelo objeto procurado, não descansamos até encontrá-lo, não é mesmo? Paulo perseguia cristão por cristão e não descansaria enquanto não os encontrasse e acabasse com aquela “raça maldita”. Até descobrir que ele era o maldito e “desventurado” (Romanos 7:24), e encontrar o verdadeiro Caminho para Casa: Jesus Cristo.

“EIS QUE VEM O TEU SALVADOR” (v. 11)! Tem sido este o nosso maior interesse? “Procurada” é o nome que mais faz sentido para nós com relação à Cidade Santa? Estamos prontos para, como Paulo e Lutero, colocar em risco a nossa vida terreal em defesa do evangelho da vida eterna? Não estaremos, se este mesmo evangelho não for tão real em nossa vida quanto o foi na vida daqueles homens de Deus.

Precisamos diariamente clamar: Oh, SENHOR, acende em nosso coração a Tua “tocha acesa” (v. 1) para que a nossa cidadania não seja deste mundo!

Estamos a apenas alguns instantes de passar “pelas portas” (v. 10) de pérola. E nós só temos conhecimento desta promessa maravilhosa, porque homens e mulheres arriscaram tudo para que o evangelho nos alcançasse hoje. Quando permitimos que Cristo use a “chave” que abre a porta do nosso coração, os louvores e a alegria da eternidade começam aqui. Então, nossas intenções, nossos pensamentos, nossas palavras, nossas ações são transformados em um eco da voz de Deus a proclamar: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap. 14:7).

“Muitos estão no limiar do Reino, esperando somente serem recolhidos” (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 109). Que esta seja, pela graça de Jesus, a nossa real condição até que Ele venha!

Bom dia, “Povo Santo, Remidos-Do-SENHOR”!

Desafio do dia: “Pregue a mensagem e insista em anunciá-la, seja no tempo certo ou não” (II Timóteo 4:2).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías62
#RPSP



ISAÍAS 61 by jquimelli
20 de julho de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

O Messias–Servo revela as armas do amor que Deus usa para recuperar o mundo das garras do inimigo cruel (Is 59:16 e seguintes): pregar boas notícias, curar corações partidos, libertar cativos, confortar os que sofrem, reviver o espírito daqueles que estão desencorajados e com medo, restaurar o senso de auto-estima daqueles que foram abusados ​​por muito tempo.

Este é o Evangelho “Em vez de…” , isto é: em vez da dupla porção de punição (Is 40:2) que merecemos, Ele troca a nossa desgraça e vergonha por uma porção dupla de alegria eterna (Is 61:7).

Aqueles que recebem esta mensagem, por sua vez, tornam-se reparadores e restauradores de vidas quebradas. Tornam-se um reino de sacerdotes, uma nação santa, ministros do nosso Deus (v. 6), portadores das vestes da salvação fornecidas pelo próprio Jesus (v.10). Que maravilhoso privilégio!

Aleta Bainbridge
Associação da Grande Sydney, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/61, https://www.revivalandreformation.org/?id=986 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/61/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/26
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 61 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 61 – Comentário adicional Aleta Brainbridge by jquimelli
20 de julho de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

O trompete de chifre de carneiro [shofar] soa novamente! Desta vez não para alertar acerca de algum perigo (58:1), mas acompanhado de palavras que trazem alegria para o povo de Deus. Estas palavras são pronunciadas pelo Messias-Servo, cheio do Espírito do Soberano Governador do Universo, ao proclamar o “ano da graça do Senhor” (v. 2) ou o Ano do Jubileu.

A cada cinquenta anos do calendário judaico se realizava um “jejum sagrado” de regozijo porque trazia liberdade, restauração e libertação para aqueles que tinham sido escravos ou se endividado por qualquer motivo. A chegada de “um ano de graça do Senhor” (v. 2) significava o ingresso na graça e libertação.

Estas palavras, porém, não se aplicavam apenas para Israel. O Messias–Servo está, na verdade, anunciando o Jubileu dos Jubileus. Cerca de 700 anos antes da Encarnação, Isaías disse ao mundo todo que o Messias nasceria na Terra. E, embora sendo completamente Deus (Is 8:8,10, 9:6), iria sujeitar Sua vontade em completa obediência ao Pai e ao Espírito (Is 50:4-9); Ele iria sofrer, morrer e ressuscitar (Is 52:13-53,12). Só então poderia o reino da graça ser anunciado – o tempo de libertação para toda a humanidade.

Jesus leu esta passagem no início do seu ministério público (Lc 4:17-19) dizendo que as palavras de Isaías se cumpriam naquele momento. Esta notícia maravilhosa que deveria ter sido bem recebida pelos ouvintes foi a razão de O tentarem matar por blasfêmia. De: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/04/26/



ISAÍAS 61 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
20 de julho de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 61 – Comentários Pr Heber Toth Armí by jquimelli
20 de julho de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 61 – Promessas feitas, promessas cumpridas. Assim é com Deus, podemos confiar nEle. Ao iniciar Seu ministério na Terra Jesus foi ao templo, abriu a Bíblia em Isaías 61 e leu os primeiros versículos.
Depois declarou: “Hoje, se cumpriu as Escrituras que acabais de ouvir” (Lucas 4:18-19).
Ao citar os primeiros versículos do capítulo em questão, Jesus “estava dizendo aos ouvintes que aquela seria a Sua agenda ministerial neste mundo, a qual foi cumprida em todos os detalhes. Um dos itens da agenda era proclamar libertação aos cativos em pecado […]. Jesus pagou um preço muito alto para nos resgatar. Ele praticou o maior ato de empatia do Universo […]. Por meio de Cristo, somos salvos do pecado e habilitados para a prática de boas obras” (Rubens S. Lessa).
Porém, nem tudo ainda se cumpriu. “Os judeus que foram salvos durante o ministério de Cristo e aqueles que foram salvos durante a era da igreja, ainda não cumprirão essa promessa da salvação das nações, que acontecerá no tempo do fim” (John MacArthur). Todavia, temos em Cristo a garantia de total cumprimento.
• Jesus reconstruirá a cidade há muito tempo destruída, mas a maior restauração se dá nos seres humanos (vs. 4-9; ver João 14:1-3; Hebreus 11:16; Filipenses 3:20-21; I Coríntios 15:51-54).
• A transformação no ser humano começa aqui, com a mudança de caráter, de vida, dos que aceitam a Cristo e Sua justiça (vs. 10-11; II Coríntios 5:17, 21; Gálatas 2:20).
Sobre as vestes de justiça, José Maria Barbosa Silva comenta:
“Estamos certos quando acreditamos que precisamos de novas vestimentas para melhorar nossa imagem. O problema é querer encontrar essa roupa em qualquer loja, porque não há tecido, corte nem modelo que cubra verdadeiramente nossas necessidades espirituais. Em lugar de ficar procurando, empurrando cabides de um lado para outro na seção de roupas da melhor loja de departamentos do Céu, o linho fino branco é a única vestimenta apropriada para os convidados do Rei. E há somente um fornecedor…: O próprio Deus”.
• A questão é: Trocaremos nossa justiça, que não passa de trapos de imundícia (Isaías 64:6), pelas vestes de justiça divina?
“Deus tem pressa em nos dar vestes novas; são as vestes brancas e imaculadas de sua justiça” (Wilson Sarli). Temos pressa em recebê-las? – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: