Reavivados por Sua Palavra


FILIPENSES 4 by jquimelli
22 de julho de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/filipenses/fp-capitulo-4/

Este capítulo vem repleto de orientações práticas para a vida cristã. Paulo aborda o desentendimento, algo que pode roubar a paz e a alegria, ocorrido entre duas mulheres (v. 2). Paulo encoraja essas irmãs na fé a viverem em harmonia com Deus e uma com a outra.
Contentar-se em qualquer situação é a base da alegria, especialmente para Paulo que se encontrava preso no momento em que escreveu esta carta (v. 11). Há uma grande necessidade de encontrar contentamento no que se tem, sem buscar continuamente por mais, pelo maior e melhor. Estar satisfeito com o que se tem é o caminho para a alegria em qualquer situação em que nos encontrarmos. Como alguém já observou: “a comparação mata o contentamento.”

A ênfase do verso 13, “tudo posso naquEle que me fortalece” está em Cristo, que nos concede forças. Esta é uma fusão da vontade humana com o poder divino. Nós somos capazes de fazer grandes coisas, não por nossa própria capacidade, mas na dependência de Deus.

Podemos, portanto, enfrentar hoje o que quer que aconteça em nosso caminho, por causa da conexão que temos com o Cristo Vivo.

Edward A. Appollis
Heidelberg College
África Do Sul

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1353
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/04/28
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio: Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados22-07-2018.mp3



FILIPENSES 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
22 de julho de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



FILIPENSES 4 – COMENTÁRIO PASTOR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
22 de julho de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

FILIPENSES 4 – Pare, ouça e reflita!

Depois de apelar para permanecer firmes no Senhor (v. 1), Paulo relacionou itens com seus apelo pela unidade e a paz, conforme o Comentário Bíblico Broadman:

1. Evódia e Síndique (vs. 2-3);

2. A paz de Deus (vs. 4-7);

3. O que levar em conta (vs. 8-9);

4. Reação de Paulo aos presentes dos filipenses (vs. 10-20);

5. Saudações e bênçãos finais (vs. 21-23).

Neste capítulo há um imperativo: Alegrem-se no Senhor (v. 4). Da prisão, possuindo razões para lamentar e reclamar da situação em que se encontrava, ordenou e reiterou a ordem de alegrar-se no Senhor.

O crente não é mal humorado. Não anda mostrando carranca aos outros. Ele é feliz! Tal felicidade acontece quando…

• …se resolve diferenças (v. 2),

• …equilíbrio evidencia que pertencemos a Deus (v. 5);

• …substituímos preocupação por oração (v. 6);

• …a paz de Deus invade coração e mente (v. 7);

• …finalmente, nossos pensamentos forem elevados (v. 8).

Ainda neste capítulo encontra-se um dos versículos mais conhecidos de Paulo: “Tudo posso naquele que me fortalece”; contudo, muito mal interpretado.

Atenção! O texto não diz que o cristão torna-se…

• …super humano;

• …super poderoso;

• …alguém blindado;

• …alguém que tudo o que planeja acontece;

• …uma pessoa sem problemas;

• …uma pessoa desprovida de sofrimento.

O contexto mostra que o fiel e verdadeiro cristão pode passar por quaisquer adversidades por piores que sejam, mas, independente de toda oposição e dificuldades, a tudo supera confiando em Deus (vs. 10-13).

A felicidade não é ausência de dificuldades, é essência teológica do cristianismo; Paulo conta seu testemunho e revela segredos:

“Já aprendi a estar contente, a despeito das circunstâncias. Fico satisfeito com muito ou com pouco. Encontrei a receita para estar alegre, com fome ou alimentado, com as mãos cheias ou vazias” – O segredo? Depender de Cristo em qualquer situação.

“A carta se encerra com uma bênção. Possivelmente, Paulo esperava que ela fosse lida diante da igreja reunida. Pode ser por causa de um apoio deliberado à sua dominante preocupação com a unidade, que ele ora para que a graça de Cristo estivesse no espírito deles” (Broadman).

Deus não quer promotores de desunião e tristeza, mas com promotores de união e alegria de Sua Igreja!

Oremos: “Senhor, transforma nossa tristeza em alegria” – Heber Toth Armí.



FILIPENSES 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
22 de julho de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Tudo posso nAquele que me fortalece” (v.13).


Há amor exalando de cada palavra deste capítulo. De uma forma toda especial, Paulo encerra a sua epístola aos filipenses com cuidadosas e bem escolhidas palavras. O seu desejo era que a generosa igreja de Filipos permanecesse unida num só propósito de viver na prática o amor cristão. Ao rogar a Evódia e Síntique para que pensassem “concordemente no Senhor” (v.2), fica claro que estava havendo um sério atrito entre elas. Apesar de terem sido importantes na obra de Deus auxiliando o ministério de Paulo, provavelmente suas divergentes opiniões as levaram a uma contenda que certamente estava afetando toda a igreja.

Alguns teólogos acreditam que esta epístola possa ter sido escrita justamente por causa da divisão causada por estas duas mulheres. Como alguém que já havia convivido com elas, Paulo conhecia a sinceridade de ambas e o poder de influência que elas tinham na pregação do evangelho. E é muito interessante a forma como ele aborda as duas no final, citando a pessoa de Clemente e dos demais membros daquela igreja para que as auxiliem na reconciliação. Fica evidente que era um caso conhecido de todos, portanto, todos deveriam unir forças para solucioná-lo, e não para escolher de que lado ficar. Pois, como bem afirmou Jesus: “Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá” (Mt 12:25).

Paulo seguiu uma sequência no encerramento desta carta. Importante analisarmos ponto a ponto:

  1. Unidade (v.2): a influência dos líderes da igreja deve ser um constante incentivo à união. Ainda que em meio às diversidades, os membros da família de Cristo devem aprender a conviver com as diferenças sem que estas se tornem causas de divisões e contendas. O perdão deve sempre prevalecer;
  2. Cooperação (v.3): quando a igreja se une em amor de uns para com os outros, quando a comunidade cristã experimenta, de fato, o genuíno amor, cada palavra e cada gesto torna-se uma poderosa ferramenta no avanço da obra de salvar;
  3. Alegria (v.4): como já estudamos ontem, a verdadeira alegria é um dom de Deus que, quando vivido, é tão contagiante e completo, que nenhuma circunstância adversa consegue destruí-lo;
  4. Moderação/Temperança (v.5): um cristão equilibrado não é aquele que vive uma religião morna, pois Jesus deixou mais do que claro que este tipo de atitude é nauseante diante de Deus (Ap 3:16). Mas  é aquele que entende que a moderação segundo Deus é o equivalente à fidelidade; é saber fazer um uso sábio do que é bom e rejeitar totalmente tudo o que é mau, sabendo que “perto está o Senhor” (v.5);
  5. Confiança em Deus através de uma vida de oração (v.6): o andar ansioso a que Paulo se refere também pode ter uma ligação direta com as divisões internas que estavam acontecendo na igreja. Quando tentamos agir por conta própria diante das dificuldades e provações, acabamos por postergar o sofrimento e o problema não é solucionado. Assim como a oração foi a ferramenta divina que uniu os primeiros discípulos, dissipando as suas diferenças e preparando-os para receber o poder do Espírito Santo (At 1:14), ela permanecerá como a principal aliada da igreja de Cristo nos últimos dias;
  6. Um caráter em construção (v.8-9): a palavra “finalmente” dá a ideia de conclusão, mas também denota ação no sentido de dar continuidade ao que haviam iniciado. Para isso, alguns critérios são apresentados como um meio de avaliar o que convém ao cristão: tudo o que é verdadeiro, respeitável, justo, puro, amável, de boa fama, virtuoso e louvável. Diante desta lista, creio que o recado é bem claro: Quer ter o caráter de Cristo? Ocupe sua mente com o que a edifica;
  7. Perseverança (v.11-13): ainda que nunca tenhamos passado fome ou sofrido em prisões, cada um de nós enfrentamos lutas diferentes que podem ser experiências difíceis e até traumatizantes. Mas o cristão que deposita a sua confiança em Deus e procura viver cada ponto que temos analisado até então, recebe de Deus a força necessária para “viver contente em toda e qualquer situação” (v.11);
  8. Caridade (v.14-18): Paulo chega a dizer que a ajuda dos filipenses foi uma espécie de sociedade em seu ministério “no tocante a dar e receber” (v.15). Quando damos voluntariamente parte daquilo que possuímos, reconhecendo que tudo o que temos pertence ao Senhor, nossas ofertas tornam-se “como aroma suave, como sacrifício aceitável e aprazível a Deus” (v.18).

Que possamos escolher viver constantemente estas tão preciosas orientações. Que unidos num só pensamento, tenhamos a mente de Cristo e façamos parte da igreja que ora, que perdoa, que ama e que cuida uns dos outros, pois é esta a igreja que o Senhor vem buscar.

A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito” (v.23).

Feliz semana, igreja militante!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Filipenses4 #RPSP



FILIPENSES 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
22 de julho de 2018, 0:00
Filed under: Sem categoria


Filipenses 3 by jquimelli
21 de julho de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/filipenses/fp-capitulo-3/

Este é claramente um capítulo de comparações. As realizações de Paulo na carne eram o que muitos judeus buscavam naquele tempo, como a circuncisão, o orgulho nacional, os privilégios da liderança espiritual e a irrepreensibilidade na lei (vs. 4-6). Mas quando Paulo compara essas coisas com o superior valor de ter a Cristo, as demais realizações humanas parecem sem valor (v.7). É importante mudar os nossos valores daquilo que os outros consideram importante para o que Cristo vê como importante.

Devemos colocar alta prioridade sobre o relacional – uma relação saudável com a família e entes queridos e um forte relacionamento com Deus. No momento da morte são essas relações que realmente importam.

Embora jamais devamos esquecer de onde viemos e dos eventos que nos moldaram, não devemos nunca deixar que o passado nos tire o foco de onde a nossa cidadania reside – no céu (v.20). Esta é certamente a atitude que devemos ter para obter o prêmio em Cristo Jesus (v.15).

Que possamos sempre ter o céu como nosso objetivo maior, não importa o lugar em que estejamos trabalhando para Deus hoje.

Edward A. Appollis
Heidelberg College
África Do Sul

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1352
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/04/27
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio: Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados21-07-2018.mp3



FILIPENSES 3 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
21 de julho de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: