Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 25 by jquimelli
24 de abril de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O capítulo 25 de Provérbios tem uma estrutura centrada em um só assunto, a importância de sermos pessoas moderadas. Cada uma de suas frases nos incentiva na direção de termos uma vida equilibrada ou na direção de ajudar a outros a agirem assim. Sugere também que uma vida moderada não é aquela em que pensamos apenas em nós mesmos, mas aquela em que trabalhamos pelo bem até de nossos inimigos (versos 21-22).

O capítulo diz que é um problema se você come muito mel (v. 16) ou se você passa muito tempo na casa do vizinho (v. 17). Extremos nunca são bons. Uma coisa boa em excesso passa a ser ruim. Acima de tudo, eu gosto muito do último verso, que resume o capítulo: “Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se” (verso 28 NVI).

O que o homem sábio diz neste capítulo faz muito sentido: Moderação é a chave para a vida.

Querido Senhor, por favor, ajude-me a reconhecer Tua voz nas palavras de Salomão e a guardá-la em meu coração. Ajude-me a administrar melhor minha vida e ser mais equilibrado em tudo o que faço. Amém.

Fylvia Fowler Kline
Hope Channel , Inc.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/pro/25 e https://www.revivalandreformation.org/?id=899 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/pro/25/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/01/29
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Provérbios 25 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



PROVÉRBIOS 25 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by jquimelli
24 de abril de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

#RPSP



PROVÉRBIOS 25 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
24 de abril de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

PROVÉRBIOS 25 – Os dias do reinado de Ezequias foram caracterizados por avivamentos espirituais. Certamente os provérbios fizeram parte destes refrigérios nacional.
Isso deve nos levar a valorizar ainda mais este livro que pouco se prega nos púlpitos de nossas igrejas – o máximo que muitos fazem é citar um provérbio aqui e acolá, mas sem analisá-lo profundamente.
A partir deste capítulo, até o capítulo 29, os provérbios foram escritos por Salomão, porém, ele não os introduziu no cânon das Escrituras. Foram compilações copiadas e agrupadas pelos sábios de Ezequias, depois incluídas pelo rei de Judá. Russell Norman Champlim comenta:
O primeiro versículo do capítulo 25 “serve de nota expositiva introdutória, para informar-nos de onde vieram estes provérbios… Sabemos que Ezequias, rei de Judá (721-693 A.C.), era homem de habilidade literária, além de ter sido patrono das artes. Ver II Reis 18.18,37; 19.2,3; Isa. 38.10-20. Ezequias viveu cerca de 250 anos depois de Salomão… Essa editoração, preparada pelos ‘homens de Ezequias’ (provavelmente escribas profissionais) [preservaram] mais de cem [dos] provérbios [de Salomão] na seção à nossa frente”.
Fixe nestas verdades destas informações:
• Deus Se beneficiou de editores para compilar ensinamentos importantes a serem introduzidos em Sua Palavra.
• Deus não é contra o trabalho de fazer compilações para agrupar mensagens relevantes ao povo de Deus de outras épocas e lugares.
• A inspiração e revelação não acontecem apenas de uma forma, podem ser através de pesquisas e entrevistas, como fez o Dr. Lucas (ver Lucas 1:1-3); ou compilações, como se vê em Provérbios 25 a 29.
• Pesquisadores, editores e compiladores sob a regência do Espírito Santo foram tão inspirados quanto qualquer profeta em suas visões e sonhos recebidos diretamente de Deus.
Portanto, vamos atentar para a mensagem de Deus em Provérbios 25.
• Deus não dá tudo “de-mão-beijada”, quem quiser o conhecimento, precisará investir tempo, talento e recursos para obtê-lo (vs. 2-3);
• O líder bom não é perverso, orgulhoso, e precipitado em julgar; é confiável e sábio (vs. 4-12);
• Amigos reais são essenciais; traidores, indelicados, interesseiros e fofoqueiros são inúteis (vs. 13, 18-23, 25);
• Cuidado com excesso de palavras, comer muito doces, reclamações, descontrole emocional – pode ser tua ruína total (vs. 14-17, 24, 26-28).
Invista tua vida na sabedoria, vale a pena! Deixe-se moldar por ela, experimentarás um avivamento! – Heber Toth Armí.



PROVÉRBIOS 25 #RPSP Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
24 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; se tiver sede, dá-lhe água para beber, porque assim amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça, e o SENHOR lhe retribuirá” (v. 21-22).

Há uma linha de raciocínio muito interessante neste capítulo. Ele inicia falando a respeito de qual deve ser a nossa atitude diante das autoridades (rei), em seguida da atitude com relação ao próximo e termina sobre qual deve ser a atitude de cada um, individualmente.

Você já se olhou no espelho hoje? O espelho revela a descrição física de cada “mau elemento” condenado à pena máxima: morte. Sendo a morte o salário do pecado (Romanos 6:23), estaríamos todos condenados, não fosse a recompensa paga. Cristo veio e assumiu o meu e o teu lugar naquela cruz. Ele veio alimentar quem não merecia (João 6:48), dar de beber a quem não merecia (João 4:14) e ainda prometeu um galardão a estes. Vocês compreendem a grandiosidade da misericórdia divina? Ela é estendida a imerecedores! A respeito disso, escreveu Ellen White: “Nosso único direito à Sua misericórdia é nossa grande necessidade” (A Ciência do Bom Viver, p. 161).

Mediante este entendimento, fica mais fácil compreender os versos áureos de hoje. O amor que outrora levou o Criador à cruz deve ser o mesmo que leva o pecador à luz. E esta luz refletida no imerecedor faz com que ele mesmo perceba que não há melhor forma de dar destaque à luz do que nas trevas. Os inimigos e perseguidores tornam-se oportunidades de exercitar o amor que Cristo imprimiu em nossos corações. E em meio às trevas de perseguições e de injustiças, recebemos a chance de iluminar. Sabemos que alimento e água são as necessidades básicas que todos nós precisamos para sobreviver. É como se a Bíblia nos dissesse que, se nossos adversários estão passando por situação de vida ou morte, e está ao nosso alcance oferecer vida, então é exatamente isso que devemos fazer.

Não cabe a nós vituperar a vida de ninguém (v. 9-10). Muito menos termos “língua fingida” (v. 23). Nossas palavras devem ser “como maçãs de ouro em salvas de prata” (v. 11), para que possamos amontoar brasas vivas sobre a cabeça dos que nos aborrecem. O sentido sobre a expressão “brasas vivas” é incerto, mas, a respeito dela, há o seguinte comentário: “A bondade a um inimigo, procurando-o, quando, na verdade, ele deveria tomar a iniciativa para se reconciliar, pode trazer sobre a cabeça dele brasas vivas de arrependimento e tristeza pelo pecado, que queimarão a má vontade e o tornarão um amigo e servo do SENHOR” (Comentário Bíblico Adventista, vol. 3, p. 1168). Isto é real e pode ser experimentado por cada pessoa que encontrou em Cristo a verdadeira razão de viver. Este tipo de pessoa não se alegra com a queda do inimigo (Provérbios 24:17), mas, se preciso for, se faz de “tapete” para amortecer a queda. Escolha ser um “mensageiro fiel” (v. 13) do SENHOR, iluminando até o caminho dos teus perseguidores, e, certamente, “o SENHOR te retribuirá” (v. 22).

Bom dia, pacificadores, leiam Romanos 12:20!

Desafio do dia: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” – Jesus Cristo. 

Rosana Garcia Barros 
#PrimeiroDeus  #Provérbios25



PROVÉRBIOS 24 by jquimelli
23 de abril de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

“Pois ainda que o justo caia sete vezes, tornará a erguer-se” (Provérbios 24:16a NVI).

Foi muito triste o que aconteceu na esquina perto da minha casa, onde morava uma jovem família com três crianças entre as idades de seis meses a seis anos. Mark, o marido, foi diagnosticado com câncer. Em menos de seis meses, ele morreu em sua casa, nos braços de Beth. Logo após, Beth perdeu o emprego. Em seguida, veio um tornado que quase pôs abaixo a sua casa. E, para completar, uma das crianças foi diagnosticada com uma doença que exigia cuidados constantes. Que situação difícil!

Hoje Beth está casada com um homem de Deus, um marido e pai maravilhoso, e eles vivem felizes juntos em um novo lar.

Apesar de gostar de finais felizes, não é a vida nova de Beth que mais me fortaleceu espiritualmente nessa história toda. É a confiança inabalável que minha amiga Beth tem em Deus, tanto nos bons quanto nos maus momentos. Nem uma única vez durante os tempos difíceis eu a ouvi reclamar, desistir, ou questionar o porquê de tantas dificuldades. Em meio a tudo o que atravessou, ela sempre soube que iria se recuperar e que seus maus momentos eram apenas um revés temporário.

Querido Senhor, dê-me a coragem que eu preciso para atravessar momentos difíceis sempre confiando em Tuas promessas. Amém.

Fylvia Fowler Kline
Hope Channel , Inc.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/pro/24 e https://www.revivalandreformation.org/?id=898 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/pro/24/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/01/28
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Provérbios 24 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



PROVÉRBIOS 24 – VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
23 de abril de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



PROVÉRBIOS 24 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
23 de abril de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

PROVÉRBIOS 24 – Não compensa rejeitar a sabedoria, nem substituir a verdadeira (pura) sabedoria por uma genérica, ou falsificada.

Numa sociedade onde reina inveja, corrupção, imoralidade, glutonaria, perversidade, ira, revolta, injustiças, hipocrisia, falsidade, ganância, etc., precisamos ser guiados pela sabedoria divina.

Neste capítulo encontramos os últimos dos 30 provérbios dos sábios, os quais terminam no versículo 22. Os quais, segundo Jacques Doukhan, se agrupam da seguinte forma:

1. Primeiro provérbio (capítulo 22:21-23);
2. Segundo provérbio (capítulo 22:24-25);
3. Terceiro provérbio (capítulo 22:26-27);
4. Quarto provérbio (capítulo 22:28);
5. Quinto provérbio (capítulo 22:29);
6. Sexto provérbio (capítulo 23:1-3);
7. Sétimo provérbio (capítulo 23:4-5);
8. Oitavo provérbio (capítulo 23:6-8);
9. Nono provérbio (capítulo 23:9);
10. Décimo provérbio (capítulo 23:10-11);
11. Décimo primeiro provérbio (capítulo 23:12);
12. Décimo segundo provérbio (capítulo 23:13-14);
13. Décimo terceiro provérbio (capítulo 23:15-16);
14. Décimo quarto provérbio (capítulo 23:17-18);
15. Décimo quinto provérbio (capítulo 23:19-21);
16. Décimo sexto provérbio (capítulo 23:22-25);
17. Décimo sétimo provérbio (capítulo 23:26-28);
18. Décimo oitavo provérbio (capítulo 23:29-35);
19. Décimo nono provérbio (capítulo 24:1-2);
20. Vigésimo provérbio (24:3-4);
21. Vigésimo primeiro provérbio (capítulo 24:5-6);
22. Vigésimo segundo provérbio (capítulo 24:7);
23. Vigésimo terceiro provérbio (capítulo 24:8-9);
24. Vigésimo quarto provérbio (capítulo 24:10);
25. Vigésimo quinto provérbio (capítulo 24:11-12);
26. Vigésimo sexto provérbio (capítulo 24:13-14);
27. Vigésimo sétimo provérbio (capítulo 24:15-16);
28. Vigésimo oitavo provérbio (capítulo 24:17-18);
29. Vigésimo novo provérbio (capítulo 24:19-20);
30. Trigésimo provérbio (capítulo 24:21-22).

Após os 30 provérbios dos sábios, contendo diversos assuntos, há mais alguns provérbios interessantes de outros sábios (24:23-34). Sobre eles, Doukhan analisa:

“Este breve apêndice (24:23-24) […], concentra-se num aspecto específico do ensino: a necessidade de aprofundar nosso juízo e trabalho. O sábio adverte, por um lado, sobre a tentação de ser ‘parcial no julgamento’ (24:23-26) e contra as falsas testemunhas (24:28-29). Por outro lado, a tentação da superficialidade em nosso trabalho (24:27, 30-34)”.

• Precisamos combater a superficialidade nos julgamentos e no trabalho!

Deus quer o melhor para nós. Ele nos deixou um livro de sabedoria escrito por diversos sábios. Estudá-lo nos conduzirá à sabedoria dEle, e, praticar os princípios de vida ali contidos nos tornará sábios aqui na Terra e nos preparará para a Pátria Celestial.

Viver a sabedoria nos dará inúmeras vantagens relevantes no caminho ao céu. “Senhor, orienta-nos!” – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: