Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 30 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
25 de novembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO JEREMIAS 30 – Primeiro leia a Bíblia

JEREMIAS 30 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

JEREMIAS 30 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



JEREMIAS 30 by Jeferson Quimelli
25 de novembro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/jr/30

Por que Deus permitiu que nações ímpias explorassem Seu povo? Por que Deus permite que o mal continue e os malfeitores prosperem? Ao dar esperança a Seu povo, Deus lhes dá a certeza de que a justiça será feita. A nação que é um agente do julgamento de Deus também estará sujeita ao mesmo julgamento. Essas promessas de restauração do povo de Deus e de julgamento sobre os inimigos de Deus trazem o tema da aliança: “Por isso vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus”. (v. 22).

Esta restauração não é primariamente material, política ou nacional, mas a restauração de um relacionamento de aliança entre Deus e Seu povo. Ao exercer o ministério da saúde, restauramos a saúde física; ao alimentar os pobres, cuidamos das necessidades materiais; ao buscar justiça em um ambiente politicamente injusto, defendemos os ideais da Palavra de Deus. Todos esses esforços são bons e devem ser elogiados, mas são insignificantes até que reconheçamos o cerne do problema, que é um relacionamento rompido com o Criador.

Oração:
“Querido Senhor, por favor, ajude-me a lembrar em tudo o que faço que o foco principal de minha vida deve ser meu relacionamento contigo. Amém.”

Michael Sokupa
Diretor Associado, Ellen G. White Estate
Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1013
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



JEREMIAS 30 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
25 de novembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

660 palavras

2 Escreve. O profeta foi instruído a escrever o que foi revelado a ele a respeito da restauração de Israel, e este registro é encontrado nos cap. 30 e 31. CBASD, vol. 4, p. 501.

3 Meu povo de Israel e de Judá … fá-los-ei voltar. A promessa divina de Jeremias 29:10 a 14 se amplia neste versículo para incluir não apenas o reino do sul, de Judá, mas também o reino do norte, de Israel. O coração do profeta acompanhava não apenas os cativos em Babilônia, mas os que estavam na Assíria e nas cidades da Média (ver 2Rs 17:5, 6). CBASD, vol. 4, p. 501.

7 Que grande é aquele dia. A princípio, o profeta viu a angústia que logo sobreviria a Jerusalém e à Judeia por causa dos babilônios … Quando aplicado ao tempo do fim, “aquele” dia se refere ao grande dia do Senhor no final da história deste mundo. CBASD, vol. 4, p. 501.

Tempo de angústia para Jacó. A LXX traduz “um tempo de angústia para Jacó”. Jeremias ilustra a intensidade da experiência que recairia sobre Israel … por meio de uma comparação com a experiência de Jacó quando lutou com o Anjo (ver com. de Gn 32:24-26). Jacó foi ameaçado por um irmão irado disposto a matá-lo em vingança pelos erros passados. A fim de se preparar para a crise, Jacó permaneceu ali para passar a noite em oração. O fardo em seu coração era que tudo deveria estar ajustado com Deus. O quanto pôde, Jacó se esforçou para corrigir cada erro que cometeu. Por sua persistência e fé, a Jacó foi dada a certeza da bênção de Deus antes que a noite terminasse. Ao olhar para a luz do futuro, à luz da experiência de Jacó, Jeremias mostra que, na época da invasão babilônica (ver com. De Jr 34:7), eles passariam por uma agonia semelhante à de seu antepassado. Mas, à profecia da grande “angústia”, o profeta associou uma mensagem de conforto a toda alma fiel que, “porém, será livre dela”. Esta mesma experiência de intensa busca da alma sobrevirá ao Israel espiritual depois do fim de graça, antes do segundo advento do Senhor. Apenas os que confessaram cada pecado conhecido conseguirão sair vitoriosos daquele tempo de agonia espiritual conhecido como o “tempo da angústia de Jacó” (ver GC, 616-623). CBASD, vol. 4, p. 501, 502.

8 Eu quebrarei o seu jugo. Primariamente, é uma referência ao jugo dos babilônios que foi quebrado quando Ciro permitiu que os exilados retornassem à sua terra (ver 2Cr 36:22, 23; Ed 1:1-4). CBASD, vol. 4, p. 502.

10 De longe. Primariamente, isto se refere ao retorno dos exilados do cativeiro babilônico, como o contexto mostra. CBASD, vol. 4, p. 502.

12 Teu mal é incurável. A razão pela qual Deus não deixou Judá “totalmente impune” (ver v. 11) é que o povo, nessa época, tinha ido longe demais em seus pecados. CBASD, vol. 4, p. 502.

13 Não há quem defenda. Judá foi abandonada por seus amantes … e, enfim, estava sozinha, porque abandonou seu Deus. CBASD, vol. 4, p. 502.

16 Os que te devoram serão devorados. Apesar do fato de Deus ter usado os babilônios como instrumento para castigar Seu povo por causa da apostasia, os próprios caldeus não escapariam da retribuição divina por causa de suas iniquidades (ver com. De Jr 25:12). CBASD, vol. 4, p. 502.

22 Meu povo. O Senhor desejava que Judá entrasse no pleno relacionamento indicado nesta expressão, mas o povo escolhido falhou em viver de acordo com seus privilégios. A promessa pertence agora à igreja cristã (Hb 8:10). Na condição da nova terra, este relacionamento ocorrerá em sua plenitude (ver Ap 21:3). CBASD, vol. 4, p. 503.

23 Redemoinho. Uma ilustração gráfica do juízo de Deus descendo sobre os pecadores impenitentes (ver Jr 23:19, 20; 25:32, 33). CBASD, vol. 4, p. 503.

24 Não voltará atrás. Deus anuncia Seu propósito de realizar esse ato [livramento de Israel e queda do império babilônico] até sua conclusão. CBASD, vol. 4, p. 503.

Últimos dias. Isto é, na época do cumprimento da predição e posteriormente. No momento, o futuro parecia obscuro. Adiante estavam a invasão e a deportação. O cumprimento das gloriosas promessas de prosperidade pareciam quase inacreditáveis. O futuro confirmaria os misericordiosos propósitos de Deus. CBASD, vol. 4, p. 503.



JEREMIAS 30 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
25 de novembro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Ah! Que grande é aquele dia, e não há outro semelhante! É tempo de angústia para Jacó; ele, porém, será livre dela” (v.7).

Como diligente estudante das Escrituras, o profeta Daniel entendeu “que o número de anos, de que falara o profeta Jeremias, que haviam de durar as assolações de Jerusalém, era de setenta anos” (Dn.9:2). Já em idade avançada, Daniel percebeu que chegado era o momento do cumprimento da promessa divina e, com jejum e oração, suplicou a fim de que o Senhor perdoasse os pecados de Seu povo e o levasse de volta a Canaã. Ainda orava Daniel quando lhe apareceu o anjo Gabriel com revelações de Deus a respeito de eventos futuros. A ele foi revelada a profecia das setenta semanas, ou quatrocentos e noventa anos. Da mesma forma, enquanto Jeremias era inspirado a escrever profecias para curto prazo, também nos deixou revelações que seriam compreendidas “nos últimos dias” (v.24).

Sobre este “tempo de angústia para Jacó” (v.7), comenta o pastor Rafael Rossi: “No auge da perseguição, os fiéis viverão essa angústia que tem suas razões:

1. Medo de serem mortos.
2. Medo de que seus pecados não foram perdoados. Assim como Satanás acusou Jacó, acusará o povo de Deus.
3. Estarão perfeitamente conscientes de sua fraqueza e indignidade. Satanás se esforçará por aterrorizá-los com o pensamento de que seus casos não dão margem à esperança.
4. Medo de não terem se arrependido de todos os pecados.
5. Medo de desonrar o nome de Deus” (Você pode ler o artigo “O tempo de angústia”, na íntegra, no site adventistas.org).

Mas a mensagem de Deus para o Seu remanescente é: “Não temas, pois, servo Meu… diz o Senhor, nem te espantes… Porque Eu sou contigo, diz o Senhor, para salvar-te” (v.10 e 11). Os tempos turbulentos em que estamos vivendo e toda a pressão mental exercida, certamente tem sido um período preparatório para o que ainda há de vir. Diante da ameaça de ser morto pelo próprio irmão e de uma mente perturbada pela culpa, Jacó não reconheceu que estava lutando com o Senhor e que seu refúgio estava nAquele com quem mediu forças uma noite inteira. Essa noite será reproduzida quando o povo de Deus, ameaçado de morte e afligido pelas constantes acusações de Satanás, passar por este momento de trevas lutando com Deus em perseverante súplica.

Esse último período de angústia será seguido pelo segundo advento de Cristo, que virá para livramento eterno de Seu povo. Como descreveu Ellen White: “Foi uma hora de angústia assustadora, terrível, para os santos. Dia e noite clamavam a Deus, pedindo livramento… Como Jacó, estavam lutando com Deus… Aqueles que haviam zombado da ideia de os santos ascenderem para o Céu, serão testemunhas do cuidado de Deus para com o Seu povo, e contemplarão seu glorioso libertamento” (História da Redenção, p.407, 408). “Eis a tempestade do Senhor!” (v.23). Eis que se aproxima o tempo em que serão derramadas “pela Terra as sete taças da cólera de Deus” (Ap.16:1); quando, do Céu, será declarado: “Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se” (Ap.22:11). Aceitemos o chamado de Deus enquanto há tempo: “eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação” (2Co.6:2). Vigiemos e oremos!

Bom dia, remanescente de Cristo!

* Oremos pelo reavivamento e reforma tão necessários em nossa vida.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Jeremias30 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



JEREMIAS 30 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
25 de novembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 30 – Jesus veio ao mundo apesar dos muitos obstáculos e oposições; da mesma forma, Ele retornará – embora tudo conspirará contra Seu retorno.

No desenvolvimento da História, Deus oferecia esperança à humanidade com a promessa do Messias; paralelamente, Satanás empenhou-se com afinco tentando impedir o cumprimento das profecias.
• Essa tensão é visível desde o início, principalmente no aspecto da vida humana relacionado à religião. Abel era o fiel remanescente, Satanás suscitou ódio e vingança sem causa em Caim para matar seu irmãozinho.
• Depois disto, a geração de Noé caracterizou-se pela prática do pecado, restando apenas alguns remanescentes. Se Deus não agisse para salvar a família de Noé, Satanás teria eliminado toda possibilidade do cumprimento de Gênesis 3:15.
• Na sequência, a promessa messiânica girou em torno de Davi e seus descendentes. Jesus viria da casa de Davi. Satanás suscitou ódio inexplicável no coração de Saul visando matar Davi. Apesar de várias tentativas, Deus preservou Seu representante real.
• Além destas, Satanás utilizou muitas outras formas objetivando eliminar ao povo escolhido por Deus, de onde viria o Messias.

• O pecado quase riscou Israel do mapa. Nos tempos de Jeremias, a Terra Prometida está comprometida. Os judeus estão no exílio em Babilônia. Contudo, Deus está no controle; portanto, Satanás não O impedirá de cumprir Seus objetivos em prol da salvação da humanidade.

• 1. Deus revela através de Jeremias que os judeus não serão exterminados, mas retornarão para ocupar a terra que havia sido saqueada (vs. 1-3);
2. Deus intervirá e fará justiça contra todos aqueles que interferem ou tentam interromper Seus planos no mundo (vs. 4-10);
3. Deus disciplina Seu povo visando corrigi-lo de suas terríveis maldades, mas os adversários, destruidores e devoradores de Seu povo serão definitivamente eliminados (vs. 11-16);
4. Deus promete restaurar Seu povo física, mental, social e espiritualmente (vs. 17-20).
5. Deus reitera a promessa com respeito ao Messias, e declara que Seus propósitos cumprirão, ainda que tenha que lutar ferozmente (vs. 21-24).

• Satanás não quer a salvação de ninguém, mas nada impediu Deus executar Seus planos na Terra. Se, apesar de tudo, a primeira vinda de Cristo aconteceu, a segunda logo se cumprirá também.

• Examine mais tua Bíblia; conheça os planos divinos para tua vida! Deus conforta os atribulados, liberta os escravos. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 29 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
24 de novembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO JEREMIAS 29 – Primeiro leia a Bíblia

JEREMIAS 29 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

JEREMIAS 29 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



JEREMIAS 29 by Jeferson Quimelli
24 de novembro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/jr/29

Minha filha Lauretta e eu estávamos no antigo Caminho da Procissão na antiga Babilônia. Ali recordamos a História, quando os exilados de Jerusalém entraram pela Porta de Ishtar rumo aos seus desastrosos 70 anos de exílio. As mensagens consoladoras de Jeremias 29 vieram à nossa mente: “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro (vv.10-11).”

Quando minha filha e eu saímos da sala do trono, entramos no enorme salão onde Belsazar e seus mil senhores foram destruídos por Ciro. Isaías 44 e 45 chama Ciro de pastor, libertador e ungido. Seu título é um tipo que está conectado ao antítipo, o Ciro celestial.

Oração:
“Nosso querido e amoroso Pai celestial, obrigado por explicar Sua salvação através da história de Ciro. Obrigado por nos libertar deste mundo de dor e morte da Babilônia para a felicidade do céu. E obrigado porque Sua graça não é apenas sobre justiça, mas sobre amor. Oramos isso em nome de Jesus, nosso Ciro celestial. Amém”

François du Plessis
Evangelista na União Sul-Africana

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1015
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



JEREMIAS 29 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
24 de novembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 Palavras da carta. Possivelmente, não muito tempo depois de Joaquim [Jeconias] ter sido levado cativo… , esta carta foi enviada por Jeremias aos cativos em Babilônia (2Rs 24:8-16; 2Cr 36:5-8; Dn 1:1-4). Desprezado e rejeitado por seus irmãos em Jerusalém, Jeremias dirigiu sua atenção aos exilados. CBASD, vol. 4, p. 497.

Ao resto dos anciãos. Isto mostra que nem todos esses líderes (ver Ez 8:1; 20:1) tinham ido para o exílio. CBASD, vol. 4, p. 497.

2 Rainha-mãe. Ver com. De Jr 13:18. A mãe de Joaquim, Neústa, esposa de Jeoaquim, foi capturada com ele (2Rs 24:8, 12, 15). CBASD, vol. 4, p. 497.

3 Por intermédio. Estes dois homens, evidentemente, eram amigos e defensores de Jeremias, e é natural que Jeremias os encarregasse com suas mensagens aos exilados em Babilônia. … A carta foi enviada de Jerusalém (Jr 29:1). CBASD, vol. 4, p. 497.

13 De todo o vosso coração. Esta maravilhosa promessa é um eco de Deuteronômio 4:29. Deus deixa claro que Ele não pode fazer nada por Seu povo a menos que este O busque com propósito sincero. CBASD, vol. 4, p. 498.

21 Acabe … Zedequias. Nada se sabe destes falsos profetas, Acabe e Zedequias, exceto o que está declarado neste versículo. Possivelmente, eram os líderes do partido de revolta entre os exilados. CBASD, vol. 4, p. 499.

22 Assou no fogo. Este método de execução era evidentemente comum entre os babilônios, para traidores rebeldes (ver Dn 3:6, 20). Se estes falsos profetas fossem agitadores entre os exilados (ver com. Do v. 21), os babilônios não considerariam nenhum castigo cruel demais. CBASD, vol. 4, p. 499.

23 Palavras que não lhes mandei dizer. Os falsos líderes religiosos devem ter enganado o povo para que cressem neles como homens de boa moral e caráter. Se os adultérios dos falsos profetas fossem conhecidos, eles perderiam sua influência sobre a mente do povo. Neste versículo, Deus abriu diante de todos um registro da conduta pecaminosa desses profetas apóstatas. CBASD, vol. 4, p. 499.

25 Cartas. Estas podem ter sido enviadas pelos mensageiros citados no v. 3, quando retornaram de Babilônia. Quando as mensagens chegaram a Jerusalém, Jeremias foi informado delas. Em resultado, ele enviou uma mensagem, reprovando severamente a Semaías. CBASD, vol. 4, p. 499.

Sofonias. Como ele era “o segundo sacerdote” (Jr 52:24; cf 2Rs 25:18), esperava-se que sua autoridade e influência impedissem Jeremias de profetizar e que Jeremias fosse punido como impostor. Sofonias representou o rei Zedequias numa espécie de compromisso temporário (ver Jr 21:1; 37:3). Mas tarde, quando Nebuzaradã, o “capitão da guarda” babilônio, conquistou Jerusalém, Sofonias foi aprisionado e executado (Jr 52:24-27). CBASD, vol. 4, p. 499.

26 Joiada. Alguns têm sugerido que ele foi substituído por Sofonias porque não apoiou a política do partido de revolta. Como era, possivelmente, o dever do “segundo sacerdote” preservar a ordem e punir impostores proféticos, Semaías reprovou a Sofonias por sua indiferença e timidez no exercício do dever por não silenciar Jeremias, que apresenta aqui o conteúdo das “cartas” de Semaías (v. 25). CBASD, vol. 4, p. 499.

29 Leu esta carta. Sofonias evidentemente, fez isso para alertar Jeremias sobre a conspiração dos inimigos contra ele ou para induzir o profeta a suavizar e moderar suas palavras. CBASD, vol. 4, p. 499.

31 Manda dizer a todos os exilados. Isto parece indicar que a comunicação entre Babilônia e a Palestina era frequente. CBASD, vol. 4, p. 499.



JEREMIAS 29 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
24 de novembro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Buscar-Me-eis e Me achareis quando Me buscardes de todo o vosso coração” (v.13).

Quando Jesus esteve na Terra, Ele encontrou a humanidade extremamente ferida pelo pecado e assediada pelo diabo. As feições de sofrimento, as marcas das enfermidades e a indiferença dos líderes religiosos estavam diariamente diante do Salvador. Jesus ouvia dos lares de Seu povo as vozes da impaciência e da ira. Ele via a forma desumana que os pobres eram tratados. Via os olhares de condenação daqueles que deveriam acolher e instruir, repelindo os pecadores. Jesus percebia a reprovação de Sua obra de salvação por parte daqueles que buscavam justificar os próprios pecados enquanto alegavam piedade. Jesus via tudo isso, mas nada podia superar a contemplação que realizava em cada coração.

Naqueles que os olhos humanos não podiam enxergar nada de bom, Jesus viu o potencial de Sua graça. Na mulher adúltera, no publicano corrupto, no pescador irascível, no endemoniado incontrolável, Jesus ouviu o grito de corações desesperados por perdão e misericórdia. Jesus sabia que, por meios humanos, nenhum deles encontraria a paz tão desejada. A carta que o profeta Jeremias enviou aos exilados com as palavras do Senhor estava envolvida com muito amor, misericórdia e esperança. Havia uma promessa escrita ali e orientações bem claras em como sobreviver em Babilônia até que pudessem retornar para casa: Edificar casas, plantar pomares, gerar filhos e filhas, não dar ouvidos a falsos profetas e buscar ao Senhor de todo o coração.

No contexto do grande conflito, estamos todos exilados em um mundo de pecado. Estamos cercados pela corrupção, imoralidade e costumes que têm feito deste tempo um período tão pior quanto o que Cristo presenciou em Seu ministério terrestre ou o que Jeremias teve de suportar. Como era verdadeira a carta de Jeremias aos exilados de seu povo, também podemos comprovar em nossos dias a veracidade do que Paulo escreveu em uma de suas cartas ao jovem Timóteo: “Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis; pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes” (2Tm.3:1-5).

Diante desta realidade que não poucas vezes temos visto dentro da igreja e até de nossa própria casa, só nos resta uma estratégia, que está contida no capítulo de hoje: “Então, Me invocareis, passareis a orar a Mim, e Eu os ouvirei. Buscar-Me-eis e Me achareis quando Me buscardes de todo o vosso coração” (v.12-13). Era essa a estratégia espiritual de Cristo. O sol nunca aparecia no horizonte sem encontrar o nosso Salvador de joelhos em comunhão com Seu Pai. Jesus foi a perfeita carta de Deus à humanidade. Mas aos cristãos foi dada a missão global de serem a “carta de Cristo… escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações” (2Co.3:3).

Em meio à Babilônia espiritual atual, todos precisam ler em nossa vida que Jesus Cristo é “o caminho, e a verdade, e a vida” (Jo.14:6); que Ele não rejeita ninguém que vá a Ele em humildade (Jo.6:37); que os cansados e sobrecarregados com os fardos deste mundo podem encontrar alívio em Jesus (Mt.11:28); que a vida eterna consiste em conhecer o Pai e o Filho (Jo.17:3); que Ele é “a ressurreição e a vida” e todo aquele que nEle crê, “ainda que morra, viverá” (Jo.11:25); que Ele voltará e nos levará para morar com Ele na casa de Seu Pai (Jo.14:1-3), onde “estaremos para sempre com o Senhor” (1Ts.4:17). Jesus não nos prometeu facilidades nesta missão. Por vezes, nos sentiremos como que prestes a desfalecer. Contudo, ainda que duramente provados, consideremos os nossos sofrimentos como o fizeram os primeiros discípulos do Senhor: “E eles se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome” (At.5:41). Seguindo o conselho da divina Carta original: Vigiemos e oremos!

Bom dia, cartas de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Jeremias29 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



JEREMIAS 29 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
24 de novembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 29 – A mensagem de Deus pode chegar-nos de diversas formas. A escrita é a melhor, mais confiável. Portanto, as Escrituras devem ser nossa base de avaliação de qualquer suposta revelação. Leia atentamente este comentário após ler o capítulo bíblico mencionado:

1. A introdução (vs. 1-3) fala da carta que o profeta Jeremias enviou de Jerusalém aos cativos hebreus em Babilônia.
Enviar mensagens escritas aos seres humanos foi uma estratégia divina desde a invenção dos caracteres, ou seja, as letras. As cartas inspiradas são conhecidas tanto no Antigo quanto no Novo Testamento.

2. Jeremias escreveu, mas as Palavras são de Deus. Objetivando tornar-Se acessível, Deus Se humilha pedindo auxílio humano para escrever Sua mensagem (v. 4).

3. O recado de Deus visava beneficiar aos sofredores exilados. Eles deveriam…
• …construir habitações;
• …plantar, colher, casar e constituir famílias;
• …procurar a paz;
• …orar pelos opressores (vs. 5-7).

Os conselhos de Deus são confusos para nossa mente limitada. Precisamos aceitar no íntimo do coração as orientações divinas que são infinitamente melhores que nossas mais altas ambições, mais nobres que nossos mais importantes planos, e produzem resultados mais satisfatórios do que apegarmo-nos a nossas míseras estratégias.

4. Deus alerta aos cativos que os profetas que eles criam terem sido levantados por Ele na verdade eram falsos. Eles iludem, apregoam falsa esperança. Como ninguém, Deus sabe o que faz, o que diz e o que fará (vs. 8-15).

5. Deus, outrora, havia dito aos judeus a irem ao cativeiro, contudo o povo ignorou; portanto, quem desobedeceu sofrerá as consequências (vs. 16-19). Agora, Deus quer que os exilados deem atenção às Suas orientações, apesar dos falsos profetas (vs. 20-23).
Ainda que as falsas mensagens de esperança pareçam mais interessantes que as de Deus, elas só trazem decepção. É melhor confiar em Deus; Ele sempre deseja o bem das pessoas.

6. Semaías “dedurou” o conteúdo da carta a Sofonias, chamando Jeremias de louco. Jeremias desaprovou e condenou a atitude dos seus acusadores que alegavam possuir o dom de profecia. Coitado deles (vs. 24-32).

Desrespeitar Deus e Seus servos significa preparar a própria sepultura; pois, tal desrespeito promove rebeldia. Quem age assim torna-se obstáculo à salvação dos pecadores. Cuidado com tais pessoas!

É melhor confiar em Deus. Ele sabe o que faz! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: