Reavivados por Sua Palavra


NEEMIAS 12 – novo texto mundial/site Revival and Reformation by jquimelli
11 de dezembro de 2019, 9:07
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/RA/ne/12

Três coisas que amo são encontradas no capítulo 12.

Os primeiros 26 versos são genealogia. Tome cuidado para não ignorar o que parece ser uma lista de nomes desinteressantes. Esses nomes falam do significado da tribo de Levi para o plano de Neemias. Neemias estava pressionando o botão de reset. Mas esses homens eram importantes para a liderança espiritual de Israel e suas conexões familiares eram inestimáveis.

Li a descrição dos coros, líderes e sacerdotes marchando no topo do muro e meu coração dispara. Eu amo organização! Eu posso ver a procissão ordenada. Eu posso ouvir o eco ecoando pelas colinas. Eu posso sentir a marcha dos pés no ritmo da música deles. Eu posso sentir a emoção que ocorre quando um evento organizado corre exatamente como planejado.

Neemias volta aos dias de Davi e Salomão. Ele lembra as pessoas de sua história. Tudo o que Neemias executa é intencional. Ele mostra que o futuro espiritual tem fundamento no passado espiritual.

Mas há uma quarta coisa que eu amo. As pessoas preparadas, o evento organizado, o reset com bases históricas eram, por um lado, adoração. Deus é louvado. E é isso que, na verdade, direciona nossos passos e músicas.

Merle Poirier
Gerente de Operações das Revistas Adventist Review e Adventist World

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=671
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



NEEMIAS 12 by jquimelli
11 de dezembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

No dia da celebração, a Escritura diz: “Ainda no mesmo dia, ofereceram grandes sacrifícios e se alegraram; pois Deus os alegrara com grande alegria” (v. 43). Assim como eles começaram dependendo da ajuda de Deus, eles comemoraram reconhecendo a Deus como Aquele que lhes havia dado grande alegria.

Na obra de Deus não repartimos tarefas com Ele. Tudo o que fazemos desde o início até o final é feito em Seu poder e pelo Seu poder e Sua glória. Somos Seus servos, e mesmo após termos cumprido Suas ordens, toda a glória deve ir para Ele.

O papel da boa música espiritual é ser sempre uma bênção quando o povo de Deus se reúne para adorar e celebrar os atos de Deus. O povo de Deus cantou com “os instrumentos músicos de Davi, homem de Deus” (verso 36). Miriam liderou o povo de Deus quando o Senhor os livrou do Egito (Êxodo 15:20,21). A boa música faz bem ao coração.

Pardon Mwanza

Vice Reitor da Universidade Rusangu, Zambia
Ex Vice-Presidente Geral Da Conferência Geral da IASD



NEEMIAS 12 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
11 de dezembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



NEEMIAS 12 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
11 de dezembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

NEEMIAS 12 – Quando o povo age conforme a vontade de Deus, Deus enche o coração do povo de alegria e satisfação. Não tem coisa melhor do que agir conforme as orientações divinas em cada fase da vida – o resultado é indescritível!

Matthew Henry destaca que neste capítulo estão os seguintes registros:
1. Os nomes dos chefes dos sacerdotes e dos levitas que vieram com Zorobabel de Babilônia (vs. 1-9);
2. A sucessão dos sumos sacerdotes (vs. 10-11);
3. Os nomes das próximas gerações dos outros chefes dos sacerdotes (vs. 12-21);
4. Os levitas notáveis da época de Neemias (vs. 22-26);
5. As solenidades da dedicação dos muros de Jerusalém (vs. 27-43);
6. Os estabelecimentos dos ofícios dos sacerdotes e levitas no Templo (vs. 44-47).

Davi, cheio do Espírito Santo, havia orientado os corais para adoração a Deus. Assim, após retornar do cativeiro babilônico, a adoração foi estabelecida conforme rege a revelação dada por Deus a Davi – identificado como homem de Deus (v. 24).
• Existem pessoas identificadas com o pecado (II Tessalonicenses 2:3) e outras identificadas com Deus, como Davi (vs. 24, 36). Pessoas que te conhecem te identificam com o quê, ou, com quem?

Chamo tua atenção para o versículo 43, sobre a celebração e consagração dos muros de Jerusalém, que na Bíblia “A Mensagem” reza assim: “Naquele dia, oferecerem muitos sacrifícios, numa grande celebração, pois Deus os havia enchido de alegria. As mulheres e as crianças levantaram a voz com todo o povo. O júbilo de Jerusalém foi ouvido de muito longe”.

A Bíblia não faz muitas referências à alegria efusiva das mulheres, mas quando o faz é para enfatizar a intensidade da alegria que tomou conta de todo o povo. Essa alegria indescritível origina-se em Deus, vinculada com a satisfação de realizar a Sua sublime vontade (vs. 45-47)
• Quem é indiferente à missão dada por Deus nunca experimentará a alegria num nível mais elevado que a alegria que o mundo oferece.

Hernandes Dias Lopes extrai os seguintes princípios deste capítulo: Devemos celebrar louvores a Deus…
• Pelas nossas vitórias (12:27);
• Com união entre os irmãos (12:27-29,43);
• Com grande alegria (12:27,43);
• Com vida pura (12:30);
• Com ordem e arte (12:8,9,24,27,36,42);
• Com a fidelidade das nossas ofertas (12.44-47).

Vamos celebrar e adorar a Deus? – Heber Toth Armí.



NEEMIAS 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
11 de dezembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“No mesmo dia, ofereceram grandes sacrifícios e se alegraram; pois Deus os alegrara com grande alegria; também as mulheres e os meninos se alegraram, de modo que o júbilo de Jerusalém se ouviu até de longe” (v.43).

Com muros erguidos e portas fixadas em seus lugares, Jerusalém começou a renascer das ruínas. Aqueles que antes haviam presenciado a glória da santa cidade e de seu templo sabiam que as reformas não mostravam sequer o mínimo do brilho que outrora revelava. Aqueles, contudo, que haviam nascido em cativeiro babilônico, contemplavam absortos o vislumbre de um lugar que só haviam conhecido por ouvir falar. Os dois grupos experimentavam sensações diferentes, mas uma mesma alegria que irrompeu em cânticos de louvor e alto júbilo.

Precedido pelos levitas e sacerdotes, todo o povo acompanhava “dois grandes coros em procissão” (v.31). Ao som dos coros, acompanhados pelos sacerdotes “com trombetas” (v.35) e pelos músicos levitas, “com os instrumentos músicos de Davi, homem de Deus; Esdras, o escriba, ia adiante deles” (v.36). “Purificaram-se os sacerdotes e os levitas, que também purificaram o povo e as portas e o muro” (v.30), até que “ambos os coros pararam na Casa de Deus” (v.40), e a alegria descrita no verso 43, por cinco vezes, pôde ser ouvida à grande distância.

Diante de um cenário tão propício à verdadeira adoração, da experiência do cativeiro, do reavivamento experimentado pelo estudo da Lei de Deus e dos episódios de livramento e auxílio sobrenaturais, tudo cooperava para que o povo permanecesse em santa convicção como fiéis adoradores do Deus vivo. O sentimento de finalmente estar em casa tomou cada coração em arrebatadora alegria. Estava longe, no entanto, de ser um culto meramente emocional. A presença de Esdras “adiante deles” (v.36) era-lhes uma constante lembrança do fundamento de sua fé: a Palavra de Deus. Se perseverassem em crescer firmes no conhecimento do Senhor, Jerusalém tornar-se-ia novamente o brilho de Deus na Terra, convidando todos os povos a conhecê-Lo.

Meus amados irmãos, o Senhor deseja nos levar de volta para casa, para a santa cidade que Ele mesmo nos edificou. Não estamos longe desse sublime momento! “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos” (Fp.4:4). O caminho que temos de trilhar até lá deve ser dado com passos não vacilantes, mas firmes segundo as orientações de um Deus que não muda (Ml.3:6). Aqueles que aguardam ser recolhidos deste mundo escuro no grande Dia de Deus são os que, pela Palavra têm sido edificados e purificados. Em oração, aguardam com expectativa contemplar o amoroso olhar de seu Senhor e Salvador, o Verbo, a Palavra; um desejo que o Espírito Santo torna em luz para o mundo.

Há um canto celestial e uma alegria suspensa no Universo, que em breve irromperá em louvores ao Criador. Mas há um cântico e uma alegria que só os salvos poderão cantar e sentir. Um louvor arrebatador será ouvido no espaço infinito quando a graça de Cristo consumar o seu resultado eterno. Olhando para o Autor e Consumador de nossa fé e contemplando as marcas de Seu amor, nosso coração se tornará em incansável instrumento de louvor. Enquanto aguardamos, “guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois Quem fez a promessa é fiel” (Hb.10:23). “Ora, o fim de todas as coisas está próximo; sede, portanto, criteriosos e sóbrios a bem das vossas orações” (1Pe.4:7). Vigiemos e oremos!

Bom dia, herdeiros da alegria sem par!

• Deixe nos comentários o seu pedido de oração. #euoroporvocê

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Neemias12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



NEEMIAS 12 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
11 de dezembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



NEEMIAS 12 – Comentários selecionados by jquimelli
11 de dezembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1232 palavras

1-26 Lista dos sacerdotes e levitas desde o tempo do retorno da Babilônia até o tempo de Esdras e Neemias (Andrews Study Bible).

9 em frente deles. Os cânticos eram antifonais, com duas seções do coro em pé, frente a frente (Bíblia Shedd).

10-11 Os v. 10 e 11 apresentam a genealogia dos sumo sacerdotes desde a época de Zorobabel até o período da compilação do livro de Neemias. Joiaquim. Mencionado somente neste e nos versos 12 e 26. Ele foi sumo sacerdote entre Jesua, que ainda vivia durante o período de Dario I (Ed 5:2), e Eliasibe, o sumo sacerdote na época de Neemias (3:1; 13:4; etc). Joiada. Sumo sacerdote no período entre o mandato de Neemias como governador e o ano 410 a.C., quando Joanã foi confirmado como sumo sacerdote (CBASD, vol. 3, p. 491).

10 Eliasibe. O sumo sacerdote que ajudou na reconstrução do muro (3.1,20,21; 13.28). Um sacerdote com o nome de Eliasibe foi culpado de profanar o templo ao ceder aposentos a Tobias, o amonita (13.4,7). Não se sabe se esse Eliasibe era o mesmo sumo sacerdote (Bíblia de Estudo NVI Vida).

15 Adna. Significa “Prazer”. Meraiote. A raiz deste nome significa “rebelião e amargura”. Felizmente o portador do triste nome veio a ser chefe de uma família de levitas (Bíblia Shedd).

16 Zacarias. “O Senhor se lembrou de mim” deve ter sido a oração de gratidão da mãe ao receber esse filho (cf 1Sm 1.9-11,19,20; Gn 30.6,20). Também serviu como sinal do favor divino naquela época de restauração. Zacarias foi um dos profetas da época, juntamente com os profetas Ageu e Malaquias; os livros desses três profetas se acham juntos, encerrando a obra profética do Antigo Testamento (Bíblia Shedd).

19 Uzi. “Força minha”. Um nome que se dava ao primeiro filho (Bíblia Shedd).

21 Natanael. “Deus deu”. Os filhos são uma dádiva de Deus (Sl 127.3) (Bíblia Shedd).

23 livro das Crônicas. Cf 7.5. Talvez se tratasse das crônicas oficiais do templo, que continham várias listas e registros (Bíblia de Estudo NVI Vida).

O documento em que a lista de levitas foi incluída originalmente. Este livro era um registro diário dos eventos de importância nacional e uma continuação dos primeiros anais do reino (CBASD, vol. 3, p. 491).

24 Davi, homem de Deus. Este título não é aplicado a Davi com frequência (ver Ne 12:36; 2Cr 8:14). As Crônicas possivelmente foram escritas pelo mesmo autor, como Esdras e Neemias (CBASD,vol. 3, p. 492).

coro contra coro. Esta frase é tirada da posição dos guardas em 1Crônicas 26.16. Neste verso, é utilizada para descrever a posição dos grupos de cantores na adoração a Deus, possivelmente significando que os grupos foram arranjados em frente um ao outro e cantavam de modo responsivo (CBASD,vol. 3, p. 492).

25 depósitos das portas. Mais precisamente “tesourarias” (ARC). Os “porteiros” eram os policiais do templo e guardavam os depósitos e a tesouraria do templo, próximos às portas (CBASD,vol. 3, p. 492).

27 harpas. Usadas principalmente nas cerimônias religiosas (1Sm 10.5,2; 2Sm 6.5; Sl 150.3). Harpas da antiguidade foram reconstruídas a partir de restos de harpas provenientes de Ur e com base em representações gráficas e textos cuneiformes que relatam pormenorizadamente como as harpas eram afinadas. Liras. Tinham cordas de mesmo comprimento, mas seus diâmetros e tensões eram diferentes (v. 1Cr 15.16; Dn 3.5) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

27-43 A dedicação dos muros de Jerusalém foi celebrada em alto estilo. Tendo em vista que não era somente uma grande festa, mas uma festa religiosa, tudo que estava envolvido no processo precisava ser ritualmente purificado (v.30). A programação tinha muitos detalhes, envolvendo dois grandes coros. Os coros se moveram ao longo de Jerusalém, e quando entraram no recinto do templo sacrifícios foram oferecidos (v. 43). Mulheres e crianças se regozijaram, enfatizando, portanto, o status de segurança da cidade (Andrews Study Bible).

27 na dedicação. Esta é a primeira descrição bíblica do muro de uma cidade. […] Essa atitude colocou toda a circunferência do muro sob a proteção divina, reconhecendo que os muros seriam inúteis a menos que o próprio Deus defendesse a cidade (ver Zac 2:5) (CBASD, vol. 3, p. 492).

Harpas. Do heb. Kinnoroth. Um kinnor era uma lira e não uma harpa (CBASD,vol. 3, p. 492). [Nota: Desta palavra vem Kineret, outro nome do mar da Galiléia, cujo perímetro se parece com este instrumento].

28 campinas. A parte sul do Vale do Jordão, nos arredores de Jericó, a 24 km de Jerusalém (Bíblia Shedd).

30 purificavam-se […] purificavam.Não se dedica a Deus uma coisa impura, defeituosa, pecaminosa. Por isso, os ministros começaram a purificação de si mesmos, antes de purificarem o povo e os muros (cf Lv 8,9; 2Cr 29.30-36) (Bíblia Shedd).

Os levitas purificavam tudo o que era sagrado no templo (1Cr 23.28) e o próprio templo (2Cr 29.15) em períodos de reavivamento. A pureza ritual servia para ensinar a santidade e a pureza moral exigidas por Deus (Lv 16.30) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Coisas inanimadas poderiam se tornar legamente contaminadas (Lv 14:34; Dt 23:14). No caso dos muros ou portas se tornarem cerimonialmente impuros, deveriam passar por purificação legal antes da dedicação (CBASD, vol. 3, p. 492).

31 em procissão. Para a dedicação, Neemias dividiu em dois grandes grupos os que participariam; os dois partiram em direções opostas, talvez desde a Porta do Vale. O primeiro grupo, encabeçado por Esdras (36), prosseguiu à direita, ao sul (31-37); o segundo, encabeçado por Neemias, seguiu à esquerda, rumo ao norte (38-39). Os dois cortejos tinham grupos de cantores em primeiro plano, seguindo-se então as pessoas de destaque. Avançando sobre larga pista na crista do muro, rodeando a cidade Até o encontro, perto do templo, onde se reuniram para o culto (40-44) (Bíblia Shedd).

43 as mulheres. As mulheres judias não são mencionadas com frequência como participantes nas festividades públicas. A outra ocasião singular em que as mulheres são mencionadas participando numa celebração geral foi no mar Vermelho, lideradas por Miriã (Êx 15:20) (CBASD, vol. 3, p. 494).

sacrifícios […] júbilo. As obras de restauração iniciadas com o regresso do povo, terminam com essa dedicação, com sacrifícios e júbilo. A era que começou ao se completar a edificação do Templo (444 a.C) continuará até a nova destruição de Jerusalém, no ano 70 d.C, pelo General Tito, depois imperador de Roma. Durante a maior parte dessa era, os israelitas, apesar de habitarem na sua própria terra, viviam sob o domínio de governadores estrangeiros (Bíblia Shedd).

44-47 Os versos finais descrevem como as provisões necessárias ao templo foram organizadas e como as contribuições foram supervisionadas. Após a cerimônia de dedicação o povo espontaneamente sustentou o templo e os seus funcionários. Podemos ver que isto não continuou sempre assim no próximo capítulo que descreve as reformas finais de Neemias, durante sua segunda visita a Jerusalém (13.6-7) (Andrews Study Bible).

44 Judá estava satisfeito. O povo alegremente ofertava para o sustento dos sacerdotes e dos levitas (Cf 2Co 9.7) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Novos arranjos foram feitos para manter aqueles que serviam no templo. Os depósitos eram administrados por homens que garantiam que os dízimos e ofertas fossem recebidos e distribuídos apropriadamente. Estes depósitos deveriam ser grandes o suficiente para receber todos os grãos apresentados pelo povo. Esta administração de depósitos era uma responsabilidade importante (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

46 dias de Davi. 1 Cr 6.31-32. A música sacra sempre fazia parte integrante do culto prestado a Deus (Bíblia Shedd).

44-47 A dedicação do muro da cidade foi caracterizada por alegria, louvor e cânticos (12:24, 27-29, 35, 36, 40-43). Neemias mencionou repetidamente a Davi, quem iniciou o costume de usar coros na adoração. Nos dias de Davi era uma nação vigorosa, temente a Deus. Estes exilados que retornaram queriam reconstruir Jerusalém para que fosse centro de uma nação renovada, fortalecida por Deus; portanto, eles dedicaram a si mesmos e sua cidade a Deus (Life Application Study Bible Kingsway NIV).




%d blogueiros gostam disto: