Reavivados por Sua Palavra


DANIEL 12 by jquimelli
19 de novembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Neste capítulo, Daniel vê a ordem mundial como a conhecemos chegando ao fim e Miguel (Cristo), nosso Sumo Sacerdote, concluindo Seu juízo investigativo. Começa, então, o tempo de angústia de Jacó. Contudo, “naquela ocasião o Seu povo, todo aquele cujo nome está escrito no Livro [da Vida] , será liberto” (v. 1b NVI).

Aquele que falava a Daniel fornece a partir do v. 9 informações adicionais a respeito dos fiéis. Eles serão purificados através do processo de santificação, e sua fé em Cristo será testada. Mas os ímpios continuarão com seus maus hábitos, alguns, mesmo, escondendo os seus pecados, participando timidamente da verdadeira adoração a Deus, e servindo a Deus da boca para fora, em vez de uma entrega completa do coração à Ele. No entanto, aqueles que são sábios caminharão com Cristo e Seu Espírito e “entenderão”.

Não foi dado a Daniel nenhum período de tempo após o encerramento da profecia dos 2300 anos. No entanto, foi dada resposta à pergunta de Daniel de como tudo iria terminar. Os tempos difíceis da história que ocorreram durante a Idade Média, mencionados anteriormente, deveriam terminar em 1798, mas voltariam a acontecer logo antes do final.

Daniel ainda não entende tudo, mas é orientado a seguir o seu caminho e descansar (dormir em Cristo): “você se levantará para receber a herança que lhe cabe” (v. 13 NVI). Este evento marcará o final do tempo histórico e o início da eternidade.

Não há nenhuma posição oficial de nossa denominação a respeito dos 1.290 e 1.335 dias. As informações que temos a respeito provêm de pesquisas particulares, as quais precisam ser realizadas com humildade.

Querido Deus,
Não sabemos quando Jesus virá; mas sabemos que a Sua Vinda está próxima. Se tivermos que ir para o nosso descanso, que seja em Jesus, e se continuarmos vivos, sustenha-nos em Teus braços. Amém.

Koot van Wyk
Universidade Nacional Sangju
Coreia do Sul

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/dan/12 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1108
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/dan/12
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/08/26/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Daniel 12 NVI
Ouça online: Bíblia NVI em áudio
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



DANIEL 12 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
19 de novembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



DANIEL 12 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
19 de novembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

DANIEL 12 – O último capítulo de Daniel é o ápice da profecia, não só do livro desse profeta, mas de todo o Antigo Testamento.

O capítulo em análise encerra não só a profecia iniciada no capítulo 10, mas todo o livro de Daniel. Para uma visão mais abrangente, observe as divisões da última profecia que Daniel recebeu, conforme apresentadas por Samuel Nuñez:

• Daniel contempla dois seres sobrenaturais e dialoga com Gabriel (10:1-21);
• O discurso profético do anjo Gabriel: Desde a Pérsia até a intervenção de Miguel (11:1-12:4);
• Daniel contempla outros dois seres sobrenaturais e dialoga com o varão vestido de linho (12:5-13).

O início de Daniel 12 conecta-se com Daniel 11. Os reis do Norte e do Sul e os países mundiais, envolvidos no conflito com Deus e Seu povo verão Miguel levantando-Se no tempo de maior angústia mundial, para dar fim à história do pecado e suas terríveis consequências.

Destacamos as seguintes citações de estudiosos:

• “No capítulo 12 conhecemos os ganhadores de almas, ou seja, ‘os que ensinam a justiça à multidão’ (12:3). É também onde encontramos o texto mais claro do Antigo Testamento sobre a ressurreição (v. 2). Aqui também o livro de Daniel indica a conclusão do grande conflito entre Cristo e Satanás através da palavra ‘salvo’ (v. 1)” (Gergard Pfandl).
• “O livro termina com a promessa a Daniel de que ele estará entre os que se levantam no dia final para receber sua parte na herança do povo de Deus (12:13). Esta é uma promessa bem-aventurada que se oferece a todos os que oferecem sua lealdade a Miguel, o Filho do Homem, o Cristo de Deus” (William Shea).
• “A luz que Daniel recebeu de Deus foi dada especialmente para estes últimos dias. As visões que ele viu às margens do Ulai e do Hidéquel, os grandes rios de Sinear, estão agora em processo de cumprimento, e logo ocorrerão todos os acontecimentos preditos” (Ellen G. White).
• “O capítulo 12 de Daniel é o epílogo glorioso da cátedra profética final dada por Gabriel. Nela revela ao profeta que os dias finais deste mundo estarão pautados por dificuldades para o povo de Deus mas também de maravilhas que darão, finalmente, passo à eternidade que desfrutarão os fieis junto ao Messias” (Merlyn Alomía).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

Escreve você também tua percepção do livro de Daniel:



DANIEL 12, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
19 de novembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos conduzirem à justiça, como as estrelas, sempre e eternamente” (v.3).


Perante um tribunal inquisitor estava um homem cujo caráter foi definido como “homem cheio de fé e do Espírito Santo” (At 6:5). “Estêvão, cheio de graça e poder” (At 6:8), realizava no meio do povo grandes sinais e prodígios. Elegido como um dos diáconos da igreja primitiva, ninguém podia-lhe “resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava” (At 6:10). Contudo, como sucedeu com Jesus, testemunhas falsas foram subornadas para depor contra aquele servo de Deus. Mas, diante de todos os que estavam no Sinédrio, repito, diante de todos, o rosto de Estêvão brilhava “como se fosse rosto de anjo” (At 6:15).

O relato bíblico acerca deste homem de Deus nos revela uma espécie de trajetória pré segundo advento. Cheio da plenitude do Espírito Santo, ele foi eleito para levar cura e restauração à vida das pessoas através do ministério de “servir às mesas” (At 6:2). E assim serão achados os salvos antes da volta de Jesus, como Ele mesmo afirmou: “Porque tive fome, e Me destes de comer; tive sede, e Me destes de beber; era forasteiro, e Me hospedastes; estava nu, e Me vestistes; estive enfermo, e Me visitastes; preso, e fostes ver-Me” (Mt 25:35-36).

E, discorrendo acerca de toda história do povo de Israel, Estêvão citou Moisés como aquele que “cuidava que seus irmãos entenderiam que Deus os queria salvar por intermédio dele; eles, porém, não compreenderam” (At 7:25). E, findando o discurso, diante de uma multidão enfurecida contra ele, “Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à Sua direita, e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus” (At 7:55-56). Depois disto, apedrejado até à morte, Estêvão “adormeceu” (At 7:60) para aguardar a bendita esperança: “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna” (v.2).

Amados, conseguiram entender a ordem que se deu no relato sobre Estêvão? É um resumo do que sucederá aos justos antes do Grande Dia da volta de Jesus. Perante uma sociedade vulgo religiosa, os santos padecerão severas perseguições e sofrerão um “tempo de angústia, qual nunca houve” (v.1). Cheios do Espírito Santo, assim como Estêvão, “resplandecerão como o fulgor do firmamento”, conduzindo muitos à justiça (v.3). E diante de um mundo enfurecido, semelhante à sentença dada à nação israelita, a visão de Estêvão tornar-se-á realidade quando “Miguel, o grande príncipe”, Jesus, o Senhor dos Exércitos, Se levantar para salvar o Seu povo “e todo aquele que for achado inscrito no livro” (v.1).

O último capítulo do livro de Daniel é uma inconfundível carta de alforria aos sábios de Deus. Entendendo a ordem do Mestre, e o que está escrito: “O fruto dos justos é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio” (Pv 11:30), sairão a pregar mediante o exemplo da própria vida escondida em Cristo. E, mesmo sem proferir uma só palavra, seus rostos manifestarão o resplendor da luz do Céu. Daniel queria entender tudo aquilo que lhe foi revelado, mas aquela mensagem não era para o seu tempo, mas para o nosso. E quando as fogueiras da perseguição forem reacendidas, e, perante multidões iradas, formos ameaçados de morte, as pedras do ódio diabólico cairão ao chão perante a gloriosa presença de um Deus que romperá esta atmosfera para nos dizer: “Vinde benditos de Meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mt 25:34).

O livro não mais está selado. Jesus venceu para abrir o livro, e prometeu: “Já não haverá demora” (Ap 10:6). E concluiu: “É necessário que ainda profetizes a respeito de muitos povos, nações, línguas e reis” (Ap 10:11). O passo a passo da vida de Estêvão nos deixou uma clara definição do que significa “muitos serão purificados, provados e embranquecidos” (v.10). Precisamos parar de nos vitimizar perante as provações e entender que elas não são instrumentos de morte, mas de vida. Deus jamais permitirá que sejamos tentados além do que possamos suportar (1Co 10:13), mas não nos livrará de entrarmos em uma cova de leões, ou em uma fornalha ardente, ou ainda perante um tribunal mentiroso, se isto for necessário para a nossa salvação e para o cumprimento da missão que Ele nos confiou: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”. Então, a promessa final será vivida e sentida diariamente: “E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”  (Mt 28:19-20).

Você entende realmente o que verdadeiramente importa para Deus? “Importa-vos nascer de novo” (Jo 3:7). Se você ainda não tomou a decisão que define a sua entrada no caminho estreito; se você ainda está adiando a decisão de dar o primeiro passo na direção dAquele que, por você, deixou pegadas de sangue na trilha até o Calvário, meu irmão e minha irmã, não seja como os perversos que não entenderão (v.10) e nem como o povo de Israel que não compreendeu. Mas, como Estêvão, como Moisés e como Daniel, seja a mensagem que o mundo precisa ver e ouvir. E, ainda que morras, “ao fim dos dias, te levantarás para receber a tua herança” (v.13).

Bom dia, sábios missionários de Deus!

Desafio do dia 3/21: Oremos pelo batismo diário com o Espírito Santo e assim sejamos cristãos missionários, apressando a volta de Cristo, nosso Salvador.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Daniel12
#RPSP

Deixe seu comentário:



DANIEL 12 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
19 de novembro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



DANIEL 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
19 de novembro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

1 Nesse tempo. … o contexto justifica a conclusão de que “nesse tempo” se refere ao tempo do desaparecimento do poder descrito no final do cap. 11. Deve-se observar que as palavras
“nesse tempo” não especificam se os eventos previstos aqui ocorrerão de forma simultânea aos de Daniel 11:45, se os precedem ou se os seguem imediatamente. O importante é que os eventos do último versículo do cap. 11 e os do primeiro versículo do 12 estão estreitamente ligados no que se refere ao tempo. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 968.

se levantará Miguel. Referência a Cristo (ver nota sobre 10:13). O guardião celestial do povo de Deus se levantará quando o poder apóstata e seus aliados estiverem concentrados em destruir esse povo. Pouco antes da segunda vinda de Cristo, os servos de Deus dos últimos tempos ameaçarão os poderes da época (comparar com Ap 13) ao proclamar uma mensagem evangélica de lealdade ao Deus Criador e a realidade de uma prestação de contas a ele por ocasião de seu juízo (Ap 14:6-12). Bíblia de Estudo Andrews.

O sentido claramente é que Cristo Se levanta para livrar Seu povo (ver GC, 613, 633, 641, 642, 657). CBASD, vol. 4, p. 969.

tempo de angústia.  Quando cessar a obra intercessória de Cristo e o Espírito de Deus for retirado da Terra, então todos os poderes das trevas que estiveram retidos descerão com indescritível fúria sobre o mundo. Haverá uma cena de conflito tal que ninguém poderá descrever (ver GC, 613, 614). CBASD, vol. 4, p. 969.

Comparar com Ap 15-16. Bíblia de Estudo Andrews.

Salvo. Comparar com Dn 7:18, 22, 27; 10:14. Que consolo é saber que nesse grande conflito a vitória é certa! CBASD, vol. 4, p. 969.

No livro. Isto é, o livro da vida (ver com. de Dn 7:10; cf. Fp 4:3; Ap 13:8; 20:15; 21:27; 22:19). CBASD, vol. 4, p. 969.

inscrito no livro. O “Livro da Vida” de Cristo, que registra o nome de todos os que recebem vida eterna (comparar com Ap 3:5; 13:8; 17:8; 20:12,15; 21:27). Quando Miguel se levantar, o processo judicial de decisão envolvendo livros/registros (Dn 7:10) estará terminado. Só restará executar os vereditos positivos e negativos (comparar com 12:2; Mt 25:31-46; Ap 22:11,12). Bíblia de Estudo Andrews.

2 Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão. Referência à ressurreição na segunda vinda de Cristo (1Ts 4:15-17; considerar também Ap 1:7), mais uma indicação de
que Miguel é Cristo (sobre RESSURREIÇÃO no AT, ver Jó 19:25,26; Is 26:19. No NT, conferir At 24:15; ICo 15:51-55; ITs 4:13-18; sobre a MORTE caracterizada como um sono, ver Jo 11:11-14; At 7:60; 1Ts 4:13,14). Bíblia de Estudo Andrews.

Uma ressurreição especial precede o segundo advento de Cristo. “Todos os que morreram na fé da mensagem do terceiro anjo” se levantarão nessa hora. Além disso, os que contemplaram com zombaria a crucifixão de Cristo e os que mais violentamente se opuseram ao povo de Deus serão levantados de seus túmulos para ver o cumprimento da promessa divina e o triunfo da verdade (ver GC, 637; Ap 1:7). CBASD, vol. 4, p. 969.

3 Os que forem sábios. Do heb. hammaskilim, do verbo sakal, “ser prudente”. Essa forma pode ser entendida num sentido simples, como “os que forem prudentes” ou “os que tiverem discernimento”; ou num sentido causativo, como “aqueles que fazem com que haja discernimento”, isto é, “aqueles que, ensinam”. A pessoa que realmente tem discernimento das coisas de Deus percebe que elas devem ser compartilhadas com outros. A sabedoria divina leva a pessoa a ser um instrutor dessa sabedoria a outros. Em Daniel 11:33, maskilim é traduzido como “sábios”, e são apresentados como perseguidos por seus esforços fiéis. Neste versículo, eles são recompensados com a glória eterna (comparar com o v. 10). CBASD, vol. 4, p. 969.

4 encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim. Daniel menciona que somente duas partes de sua profecia seriam seladas até o tempo do fim: (1) a profecia dos 1.260 dias de 12:7,9; 7:25 e (2) a profecia das 2.300 tardes e manhãs de 8:14,26. Ambas são apresentadas em Ap 11-14 depois que o livrinho de Ap 10 é aberto, o esquadrinharão. Muitos estudariam as Escrituras com  afinco, buscando compreender as profecias de Daniel, o saber se multiplicará. No tempo do fim, haveria mais conhecimento para que a profecia fosse entendida. Bíblia de Estudo Andrews.

Essa instrução não se aplica a todo o livro de Daniel, pois uma parte da mensagem foi entendida e tem sido uma bênção aos crentes por séculos. Ela se aplica à parte da profecia de Daniel que fala dos últimos dias (AA, 585; DTN, 234). A mensagem, baseada no cumprimento dessas profecias, não poderia ser proclamada antes que esse tempo chegasse (ver GC, 356; comparar
com o “livrinho aberto” na mão do anjo de Ap 10:1, 2; ver também TM, 115). CBASD, vol. 4, p. 969.

Muitos o esquadrinharão. Do heb. shut … . Muitos intérpretes crêem que shut é usado aqui num sentido metafórico e que descreve uma fervorosa investigação da Bíblia, resultando num aumento do conhecimento com respeito às profecias do livro de Daniel (ver cf. DTN, 234; GC, 356). CBASD, vol. 4, p. 969.

O saber se multiplicará. Esta frase deve ser considerada a seqüência lógica da frase que a antecede: quando o livro selado for aberto, no tempo do fim, o conhecimento das verdades contidas nessas profecias aumentará (ver PR, 547; cf. Ap 10:1, 2). No final do século 18 e início do século 19, despertou-se um novo interesse pelas profecias de Daniel e Apocalipse em diferentes  lugares do mundo. O estudo dessas profecias difundiu a crença de que o segundo advento de Cristo estava próximo. Vários estudiosos na Inglaterra, Joseph Wolff no Oriente Médio, Manuel Lacunza na América do Sul e Guilherme Míller nos Estados Unidos, junto com outros estudiosos das profecias, declararam, com base no estudo das profecias de Daniel, que o segundo advento estava prestes a ocorrer. Essa convicção se tornou a força motivadora de um movimento mundial. Esta profecia também foi interpretada como indício dos estupendos avanços da ciência e do conhecimento geral no século 19, avanços que tornaram possível uma proclamação extensa da mensagem dessas profecias. CBASD, vol. 4, p. 970.

6. Homem vestido de linho. Daniel tinha visto este Ser celestial no início de sua visão (ver Dn 10:5, 6). A referência de Daniel ao’ no” (v. 5) e ao “homem vestido de linho”, sem fazer uma
identificação mais completa, sugere que o cap. 10, que apresenta os dois, é parte dessa mesma visão. CBASD, vol. 4, p. 970.

Quando … ? O anjo formula a pergunta que deve ter ocupado a mente de Daniel. A ânsia do profeta era pela rápida e completa restauração dos judeus (ver com. de Dn 10:2). O decreto de Ciro já tinha sido promulgado (Ed 1:1; cf. Dn 10:1), mas havia muito a ser feito. Após o longo e complexo relato das vicissitudes posteriores que o povo de Deus sofreria, o profeta naturalmente estava ansioso por saber quando ocorreriam “estas maravilhas” e quando seria cumprida a promessa4 será salvo o teu povo” (Dn 12:1). Daniel não entendeu por completo a relação do que viu com o futuro. Uma porção da profecia estava selada e seria entendida apenas no “tempo do fim” (Dn 12:4). CBASD, vol. 4, p. 970.

7. A mão direita e a esquerda. Ver Dt 32:40. O ato de levantar ambas as mãos indica que máxima solenidade e segurança estavam atreladas à declaração. Por Aquele que vive. Não poderia haver maior juramento (ver Hb 6:13; cf. Ap 10:5, 6). CBASD, vol. 4, p. 970.

um tempo, dois tempos e metade de um tempo. Isto é, o período de 1.260 anos. 538-1798 d.C, que ocorre primeiramente Daniel 7:25 (ver com. ali). CBASD, vol. 4, p. 970.

Ver nota sobre 7:25. Bíblia de Estudo Andrews.

8. Não entendi. .. a parte dessa visão que Daniel não entendeu deve ser o fator tempo. Ele estava orando pela rápida restauração do templo (ver com. de Dn 10:2), um problema imediato. Ele pareceu incapaz de ajustar o fator tempo à concepção de uma breve libertação de seu povo. CBASD, vol. 4, p. 971.

Entenderão. Uma garantia de que, nos últimos dias, quem estudar as profecias com afinco e inteligência entenderá a mensagem de Deus para seu tempo. CBASD, vol. 4, p. 971.

11, 12 mil duzentos e noventa dias … mil trezentos e trinta e cinco dias. Os dois períodos mencionados nestes versículos estão relacionados ao tempo de 7:25 e 12:7, embora sejam ligeiramente distintos. Isso indica que eles começam, terminam e se sobrepõem mais ou menos na mesma era. Bíblia de Estudo Andrews.

Os que mantêm o ponto de vista de que “diário” representa o “paganismo” (ver com. de Dn 8:11) subtraem 1.290 de 1.798 e chegam à data de 508 d.C. Eles veem os eventos que cercam essa data, como a conversão de Clóvis, rei dos francos, à fé católica, e a vitória sobre os godos, como passos importantes para o estabelecimento da supremacia da Igreja Católica no Ocidente. Os que defendem o ponto de vista de que “diário” se refere ao ministério sacerdotal contínuo de Cristo no santuário celestial e ao verdadeiro culto a Cristo na era do evangelho (ver com. de Dn 8:11) não encontram explicação satisfatória para esse texto. Creem que essa é uma das passagens das Escrituras sobre as quais o futuro projetará mais luz. CBASD, vol. 4, p. 971.

12. Bem-aventurado. Os períodos de tempo dos v. 7, 11 e 12 alcançam o “tempo do fim” a que se referem os v. 4 e 9. “Bem-aventurado”  (ver com. de Mt 5:3), diz o anjo, é aquele que testemunha os eventos dramáticos das cenas finais da história da Terra. Então, as seções do livro de Daniel que foram seladas seriam entendidas (ver com. de Dn 12:4), e logo “os santos do Altíssimo” receberão “o reino, e o possuirão para todo o sempre” (Dn 7:18). CBASD, vol. 4, p. 971, 972.

Espera. Isto implica que se pode esperar que o seguinte período profético continue além do fim dos 1.290 anos. Se os 1.290 e os 1.335 anos começam ao mesmo tempo, esse segundo período chega ao ano de 1843, uma data importante com relação ao grande despertar adventista na América, em geral conhecido como movimento milerita. CBASD, vol. 4, p. 972.

13. Segue o teu caminho … levantarás para receber a tua herança. O cumprimento das profecias de Daniel deve alcançar um futuro distante. Daniel descansaria no túmulo, mas ‘”no fim dos dias’, isto é, na conclusão do período da história deste mundo, lhe seria permitido outra vez estar em sua posição e em seu lugar” (PR, 547; ver também Ellen G. White,
Material Suplementar sobre este versículo). CBASD, vol. 4, p. 972.

13 levantarás para receber a tua herança. Daniel recebeu a maravilhosa certeza de que desfrutaria a salvação final (comparar com 2Tm 4:7, 9). Bíblia de Estudo Andrews.

 



DANIEL 11 by jquimelli
18 de novembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

A Igreja Adventista do Sétimo Dia não possui uma interpretação oficial dos versículos 36-45. Precisamos lembrar que o cumprimento dessas profecias ainda está no futuro. A interpretação abaixo é resultado de uma pesquisa pessoal desse autor, Koot van Wyk. Outros comentaristas adventistas tiveram e têm outras opiniões [Como as registradas no Comentário Adventista].

Uma possível análise é que Daniel descreveu a final ascensão dos EUA (como a segunda besta descrita por João em Apocalipse 13 ) da seguinte forma: “se magnificando acima de todo deus”, honrando o deus da capacidade militar e fazendo muitos amigos ou aliados (v. 36-39 ). Os EUA, com muitos navios, entrarão na terra de Israel com laços de amizade, e apertarão as mãos do Egito (v. 40-43).

Estamos agora nesse ponto da história e da profecia e temos que esperar para ver o que o futuro nos trará. Será que as nações seguirão os EUA, como o versículo 43 parece indicar? Será que os EUA, como o versículo 45 parece indicar, moverão sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém? Isso pode significar uma nova ordem mundial com muita tribulação antes que Jesus retorne conforme mencionado em Daniel 12:1.

Querido Deus,
São estes os acontecimentos momentosos que sinalizam a Sua volta que estávamos esperando? Dê-nos entendimento. Assim como concedestes sabedoria a Daniel para que ele compreendesse a profecia de Jeremias dos 70 anos, dê-nos entendimento. Oramos humildemente. Amém.

Koot van Wyk
Universidade Nacional Sangju
Coreia do Sul

 

[Nota do autor em comentário em https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/dan/11 diz: “Tiago White sugeriu uma abordagem ‘aguardar para ver’, como indica o Comentário Adventista. … ‘Para uma análise detalhada, veja Koot van Wyk e Sookyoung Kim, The Quo Vadis Problem and Solution in Historicism of Daniel 11 [O Problema Quo Vadis e Solução no Historicismo de Daniel 11] no International Journal of Humanities and Social Science vol. 5 nº 9 (1); Setembro 2015: 99-135. O download está disponível online e também está na Avondale College Library, Austrália.”]

 

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/dan/11 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1106
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/dan/11
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/08/25/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Daniel 11 NVI
Ouça online: Bíblia NVI em áudio
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/




%d blogueiros gostam disto: