Reavivados por Sua Palavra


JÓ 7 by jquimelli
26 de setembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Parece que não há esperança de recuperação para Jó (v. 6). Sua vida é apenas um sopro que se vai, seus olhos talvez nunca mais vejam o bem novamente (v. 7). Ele afirma que a pessoa que morre não assumirá novamente a sua vida (v. 8). Esta pessoa nunca mais retornará à sua casa (v. 9, 10). Jó se recusa a se calar e insiste em falar de sua angústia e amargura (v. 11).

Mas Jó sabe que o coração de Deus está sobre ele: “Que é o homem para que tanto o estimes, e ponhas nele o Teu cuidado…? (v. 17 ARA).

A ideia de que “a cada manhã o visites… o ponhas à prova” (v. 18 ARA) não está no texto original. O autor de Jó está dizendo aqui que Deus não deixa o homem sozinho, mesmo quando parece haver nenhuma resposta para o sofrimento. Deus está perto de Jó, apesar de ele ter que enfrentar Satanás: “Nunca desviarás de mim o Teu olhar misericordioso? Jamais me abandonarás, nem por um instante?” (v. 19, KJA, cf. tb NVI).

Querido Deus,

sabemos que tudo o que sofremos acontece como consequência das ações de Satanás. Nós oramos que, aconteça o que acontecer, permaneçamos sempre conTigo e sintamos Sua presença sempre conosco. Amém.

 

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coreia do Sul

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/job/7 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/job/7
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/07/01/
Tradução Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico: Jó 7
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/pp/56-57 e https://credeemseusprofetas.org/



JÓ 7 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
26 de setembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 penosa a vida. No hebraico, essa terminologia muitas vezes se refere ao serviço militar (Bíblia de Genebra). Literalmente, “guerra”, “serviço militar”. A NTLH diz: “A vida neste mundo é dura como o serviço militar.” […] Jó afirma que é tão natural e apropriado para alguém, em suas circunstâncias, desejar ser libertado pela morte como o é para um soldado desejar que seu tempo de serviço [em guerra] termine (ver Jó 14:14; Is 40:2) (CBASD, vol. 3, p. 577).

3 me deram por herança meses de desengano. Isso não implica necessariamente que sua doença já estava em progresso havia meses. Ele poderia prever os dias que tinha na frente (CBASD, vol. 3, p. 577).

9 tal como a nuvem. Jó compara a morte ao desparecimento de uma nuvem no céu à medida que sua umidade se dissipa no ar que a cerca (CBASD, vol. 3, p. 578).

sepultura. Do heb. sheol. (CBASD, vol. 3, p. 578).

jamais tornará a subir. Esta declaração não nega a ressurreição. Seu significado está restrito pela observação feita no verso seguinte.Os mortos não se levantam para voltar a seus antigos lares. mesmo tomadas independentemente, as palavras hebraicas traduzidas como “jamais tornará a subir” não expressam um ato conclusivo, mas, simplesmente, uma ação incompleta. A NVI traduz a frase da seguinte forma: “Quem desce à sepultura não volta” (CBASD, vol. 3, p. 578).

Essa é a linguagem das aparências. Jó não estava desenvolvendo uma doutrina, ele meramente afirmava o que todos observavam. Mais adiante, Jó mostra que acredita na possibilidade da ressurreição (14.12-15) (Bíblia de Genebra).

11 não reprimirei. O sofrimento de Jó é tão intenso que ele se sente justificado em expressar suas queixas livremente (ver Sl 55:2; 77:3; 142:2) (CBASD, vol. 3, p. 578).
…mas note que ele se queixa diante de Deus, não diante do homem (Bíblia de Genebra).

Jó sentiu profunda angústia e amargura e falou honestamente a Deus a respeito de seus sentimentos que mostravam sua frustração. Se expressarmos nossos sentimentos a Deus, poderemos tratar deles sem explodir em palavras e ações duras e agressivas, possivelmente machucando a nós mesmos e a outros. Na próxima vez que emoções fortes ameaçarem tomar conta de você, expresse-as de maneira própria a Deus em oração. Isto ajudará você a conseguir uma perspectiva eterna sobre a situação e dará a você maior habilidade de tratar com ela de forma mais construtiva (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

12 Jó parou de falar com Elifaz e se dirigiu diretamente a Deus.Apesar de Jó ter vivido uma vida inculpável, ele estava começando a duvidar do valor de viver desta maneira. Ao fazer isto, ele estava perigosamente perto da assumir que Deus não se importava com ele e que não estava sendo justo. Mais tarde Deus reprovou Jó por esta atitude (36:2). O inimigo sempre explora nossos pensamentos para nos levar a abandonar a Deus. Nosso sofrimento, como o de Jó, pode não ser resultado de nossos pecados, mas devemos ter cuidado para não pecar por causa de nossos sofrimentos (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

o mar. Jó indaga: Sou eu como um mar agitado e bravio que precisa ser restringido e limitado? (CBASD, vol. 3, p. 578).

15 minha alma escolheria … antes, a morte. Jó via a morte como saída, mas Satanás não recebera permissão para ir tão longe, nem a morte serviria ao seu propósito (Bíblia de Genebra).

estrangulada. É possível que uma sensação de sufoco tenha acompanhado a aflição de Jó. De qualquer forma, ele considera o estrangulamento mais desejável do que a vida (CBASD, vol. 3, p. 578).

16 deixa-me. Estas são palavras audaciosas para qualquer mortal dirigir a Deus. Jó está nas profundezas do desespero. Ele acha que o Todo-Poderoso o discriminou e pede para ser libertado da interferência divina. Quão diferentemente ele teria se sentido se pudesse saber o que estava por trás dos bastidores e se pudesse ver seu Pai contemplando-o com terna piedade e infalível amor. Deus estava sofrendo com Seu servo, mas Jó não sabia (CBASD, vol. 3, p. 578).

sopro. Ou, “vapor”, uma figura daquilo que é transitório. Jó considera sua vida de pouco valor. Ele era incapaz de apreciar seu tremendo valor aos olhos de Deus (CBASD, vol. 3, p. 579).

17 o que é o homem […]? O salmista usa palavras semelhantes num contexto que exalta o amor e o cuidado de Deus (Sl 8:3-8). Jó, em seu sofrimento, vê o incessante cuidado de Deus de maneira distorcida, interpretando-o como uma omissão importuna. Na verdade, Jó está dizendo a Deus: “Por que incomodas o homem com Tuas provas e aflições? Olha para outro lado. Dá-me tempo para ‘engolir a minha saliva’ ” (Jó 7:19). São palavras impróprias, mas Deus não destrói a Jó por causa de sua audaciosa declaração (CBASD, vol. 3, p. 579).

20 se pequei. O original diz apenas: “Pequei” […] no sentido de […] “admito que pequei” (CBASD, vol. 3, p. 579).

Jó se referiu a Deus como um guardião (orig: watcher, tb vigilante) ou observador da humanidade. […] Sabemos que Deus acompanha (watch) tudo o que acontece conosco. Não devemos nos esquecer que Ele nos vê com compaixão, não meramente com escrutínio crítico. Seus olhos são olhos de amor (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

a mim mesmo me seja pesado. Alguns manuscritos hebraicos e a antiga tradução grega dizem: te seja pesado.” (Bíblia de Genebra).

A NVI traduz a frase da seguinte forma: “Acaso tornei-me um fardo para Ti?” A tradição judaica afirma que este era o significado original, mas que foi corrigido pelos escribas porque parecia ímpio (Bíblia de Genebra).

21 não tiras a minha iniquidade. Embora Jó salientasse a integridade (isto é, seu compromisso honesto para com a piedade e a retidão) do passado de sua vida, ele nunca negou ser um pecador (CBASD, vol. 3, p. 579).

O discurso de Jó, registrado nos cap. 6 e 7, mostra certos perigos: (1) O perigo da ênfase demasiada na vaidade da vida. Os seres humanos devem se lembrar de seu grande valor aos olhos de Deus. (2) O perigo da livre expressão das emoções. Quando Jó removeu suas inibições, queixou-se com amargura, fez perguntas com irreverência, acusou com rispidez e rogou com impaciência. (3) A tendência do coração humano, quando cegado pela dor ou agitado pela paixão, de interpretar mal a atuação de Deus. (4) A certeza de que as pessoas boas ainda podem ter dentro delas muito da velha natureza não regenerada, que não é percebida até que a ocasião a revele. Dificilmente alguém poderia prever que Jó tivesse um rompante de ira (CBASD, vol. 3, p. 579).



JÓ 7 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
26 de setembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

JÓ 7 – Nossa fé em meio ao sofrimento é espetáculo ao Universo (I Coríntios 4:9-13). Jó não foi apenas um dos primeiros grandes espetáculos, mas também grande ícone que serviu (ainda serve) de exemplo de fidelidade a Deus quando tudo conspira para abandoná-lO!

Jó aproveitou bem a vida, mas agora estava moribundo visualizando e desejando a morte, considerando-se pior que todos. A vida é efêmera, passa rapidamente, é como um sopro ou nuvem que logo se desfaz… Seu sofrimento acabou com a vida. Para ele…

• …a vida é dura, comparada à dura escravidão, ou a um trabalhador que só tem míseros salários para receber no fim do mês (vs. 1-3);
• …as noites eram horríveis, pois quando tentava dormir, debatia na cama à noite toda (v. 4); quando dormia, surgiam pesadelos e visões tão horríveis que o aterrorizavam (vs. 13-14);
• …a vida não tinha sentido, pois após ter batalhado para viver correta e honestamente, agora seu corpo estava coberto de vermes e cascas de feridas, sua pele escamosa e dura estava cheia de pus que vazava constantemente (v. 5).

Com tal quadro clínico, experimentando “meses de decepção” (7:3, BJ) com “implacável dor” (6:10), Jó declara que não se calaria ainda que os argumentos de seus amigos fossem como mordaça para lhe reprimir as palavras (vs. 6, 11). Baseando-se nessa premissa, Jó grita ao ar querendo a atenção de Deus (vs. 7-12).

Jó desprezou a vida, mas não a Deus – mesmo que se sentia desprezado por Ele (vs. 16-19). É nítida a preferência pela morte estando num estágio avançado de sofrimento (vs. 13-15). Meu destaque, porém, vai à visão de bondade e misericórdia de Deus que Jó preservava mesmo atribuindo-Lhe seu sofrimento. Ele apelou ao Senhor que perdoa ao miserável pecador (vs. 20-21).

Quando…

• …tudo conspirar contra nós, podemos ainda contar com Deus. Quem não tem fé e confiança nEle, nestas horas, a quem recorrer?
• …o desespero bate à porta de nossa alma, sem a compreensão da bondade e misericórdia do Salvador, como enfrentar a dor cruel?
• …pessoas queridas nos desprezam e a ciência e a medicina nada podem fazer por nós, a quem recorrer se não for a Deus?

A fé em Deus é essencial em tudo na vida! Revigore-a agora mesmo e viva melhor! – Heber Toth Armí.



JÓ 7 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS  by Ivan Barros
26 de setembro de 2016, 0:38
Filed under: Sem categoria

“Por isso, não reprimirei a boca, falarei na angústia do meu espírito, queixar-me-ei na amargura da minha alma” (v. 11).

Impossível entender a Bíblia sob a ótica humana. Sabemos que a Palavra é a voz de Deus em linguagem humana, mas nós somos seres tão limitados pelo pecado que nos governa, que somente através da atuação do Espírito Santo conseguimos compreender o contexto da fala do Soberano do Universo. Estudar a Bíblia sem clamar pela direção do Espírito Santo é como uma criança em idade de alfabetização lendo um livro de Ensino Médio; ela pode até ler, mas não entenderá o que ali está escrito. O registro de hoje é praticamente uma discussão com Deus. Jó contende com Quem ele, ousadamente, chama de “Espreitador dos homens” (v. 20).

Percebemos em suas palavras o seu real anseio: morrer. Ele não conseguia mais enxergar “esperança” (v. 6). A sua situação descrita por ele mesmo no verso cinco, praticamente nos leva ao cenário deplorável de sua dor. Todo o corpo de Jó era uma ferida só, aberta e em estado de putrefação. Geralmente vemos casos em um pé, ou uma perna, ou um braço… mas, em TODO o corpo, seria como contemplar uma cena de terror.

Jó escolhe não reprimir suas palavras, e expressar toda a sua angústia diante de Deus. Ele não esconderia as suas queixas e nem a sua profunda dor perante Aquele que tudo perscruta. Ele reduz a condição do homem a nada (v. 17) e refere-se à si mesmo como “um alvo” (v. 20) da ira divina. Mas, logo após, busca o perdão de Deus, pois só consegue enxergar a sepultura como o fim de seu sofrimento.

Oh, se Jó pudesse rasgar os céus e o Céu dos céus e enxergar o olhar compassivo do SENHOR sobre ele! As chagas de seu corpo não eram maiores ou piores do que as que o Seu SENHOR receberia como opróbrio que não Lhe pertencia. Em seu profundo desespero, Jó desabafou a Deus tudo o que carregava em seu íntimo. Por mais que suas palavras fossem duras e expressassem grande amargura, ele percebeu, diante da incompreensão de seus amigos, que só poderia compartilhar a sua dor com Deus. Jó precisava de apoio emocional, e foi buscá-lo na Fonte.

É muito fácil estar por fora de uma situação e julgá-la conforme nossa própria ótica. Hoje conhecemos a história da vida de Jó desde o início até o fim. Mas o próprio personagem teve que conviver não sei quanto tempo com uma situação miserável, sem fazer ideia do porquê estava passando por tudo aquilo e sentindo-se completamente impotente a ponto de só conseguir enxergar a morte como solução eficaz. Satanás moía aquele servo sofredor e não lhe dava descanso nem de dia e nem de noite (v. 4). 

Jó desconhecia o fato de ser um palco ambulante do conflito entre o bem e o mal. O adversário não perderia a oportunidade de mostrar ao Universo que Deus estava errado com relação a Jó, por isso o esmiuçou e o maltratou severamente. Mas Jó jamais seria provado além do que pudesse suportar (Vide I Coríntios 10:13). Portanto, quando Deus disse e confirmou as características de Jó a Satanás, já estava com a recompensa de seu “servo bom e fiel” (Mateus 15:23) preparada.

Quando os teus olhos apenas enxergarem a dor (v. 7), quando os olhos dos que estão ao seu redor (v. 8) o acusarem, lembre-se: “Eis que os olhos do SENHOR estão sobre os que O temem, sobre os que esperam na Sua misericórdia” (Salmo 33:18). Jó podia não enxergar naquele momento, mas a sua “tortura” (v. 15) seria convertida em completa alegria.

O homem temente a Deus estava sob o olhar do SENHOR do Universo, e Deus não deixaria sem resposta a sua queixa. Deus o conservava com vida porque Jó conservava o seu coração pela fé. Como está escrito: “o justo viverá pela sua fé” (Habacuque 2:4). Com a mesma sinceridade que Jó serviu a Deus nos bons momentos, ele clamou a Deus nos maus. “Está alguém entre vós sofrendo? Faça oração. Está alegre? Cante louvores” (Tiago 5:13). Qualquer que seja a tua situação hoje, vá até o Perscrutador de corações e perceberás que as tuas dores, nas mãos dEle tornam-se degraus para encontrares alívio, não na sepultura, mas na vida eterna que Ele tem preparada para os que O temem.

Bom dia, tementes a Deus!

Desafio do dia: Faça uma lista de “queixas” e as apresente a Deus em oração. Inutilize em seguida a lista, sabendo que Deus irá agir no devido tempo.

*Leiam #Jó7

Rosana Garcia Barros



Jó 6:11 – AGUENTE FIRME by jquimelli
25 de setembro de 2016, 10:49
Filed under: Sem categoria

Jó 6:11 “Por que esperar, se já não tenho forças? Por que prolongar a vida, se o meu fim é certo?”

Houve certa vez uma ousada fuga de uma prisão nazista. Os internos haviam cavado um túnel que, infelizmente, terminava cerca de seis metros antes de um bosque bastante denso. Por conta disso, esperaram até que houvesse uma noite sem luar e enviaram um homem até o bosque, onde ele ficaria observando o momento em que o guarda se viraria de costas. Sua função era dar um puxão em uma corda que saia do bosque e chegava até a saída do túnel. Isso faria com que o próximo prisioneiro soubesse que era seguro sair naquele momento. Um a um, aqueles homens sentiram o toque da corda e saíram, correndo para a segurança do bosque escuro.

Infelizmente, o guarda ouviu um som e foi até onde se localizava à saída do túnel. Ele não viu a abertura, mas ficou ali por um tempo, olhando desconfiado pelas redondezas . O tempo parecia ter parado para o prisioneiro seguinte que aguardava debaixo da terra o puxão da corda.

De repente, ele perdeu a paciência. Não podia mais esperar. Foi para a frente, subiu e saiu do buraco na escuridão. Foi a última coisa que fez. O guarda se virou e atirou nele com sua metralhadora, enchendo-o de balas.

Podemos aprender com o erro fatal desse homem. Seu erro dividiu-se em três partes. Ele perdeu a paciência, perdeu a fé e deixou de obedecer. Se ele tivesse apenas confiado no homem na outra ponta da corda… Se ele tivesse apenas obedecido às instruções que lhe haviam sido dadas, poderia ter encontrado sua liberdade. Em vez disso, perdeu a própria vida.

A Bíblia diz que nós herdamos as promessas de Deus por meio de “fé” e “paciência”. Há momentos em que o cristão pede alguma coisa á Deus e a resposta demora. Mas ele não perde a paciência. Ele agüenta firme Aquele que está segurando a ponta vê coisas que nós não podemos ver e sabe o que é melhor para nós. A Bíblia diz: Confie no SENHOR de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento” (Pv 3:5) (Bíblia NVI Evangelismo em Ação Vida).



JÓ 6 by jquimelli
25 de setembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Jó responde aos seus amigos pedindo um julgamento justo. Ele sente que as flechas de Deus estão contra ele (v. 3,4). Jó, mesmo em terrível sofrimento, enxerga claramente a capacidade de Deus em ajudá-lo (v. 8, 9).

Ele nunca pediu posses a seus amigos ou ajuda contra um inimigo, ou um opressor (vv. 22-23). Mas ele implora a seus amigos que lhe digam onde ele errou (v. 24). Eles pensavam que suas palavras eram necessárias para disciplinar a seu mau amigo, e que as palavras de Jó eram uma resposta típica de quem sofre por sua maldade (v. 26). Para Jó, seus amigos não têm uma boa reputação (v. 27). Com um sorriso em seus rostos, eles põem para baixo um amigo e ficam satisfeitos quando ele se abate (v. 28).

Apesar de Jó estar em dificuldades financeiras, ele está determinado a manter seu estilo de vida adequado e estender a sua capacidade de discernir o certo do errado em outros aspectos da vida também (v. 30).

Querido Deus,
Dê-nos também uma vida de discernimento e de busca por justiça e atos corretos como Jó. Conhecendo suficientemente as estratégias de Satanás, sabemos que estamos seguros contigo porque tens o controle total de nossas vidas. Amém.

 

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coreia do Sul

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/job/6 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/job/6
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/07/01/
Tradução Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico: Jó 6
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/pp/56-57 e https://credeemseusprofetas.org/



Jó 6 – Comentários selecionados by jquimelli
25 de setembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

Em sua primeira resposta aos seus amigos, Jó anseia mais por compaixão do que por críticas (Andrews Study Bible).

6,7 Não seja rápido em dar conselhos áqueles que estão sofrendo. Eles podem estar precisando mais de compaixão do que de conselhos (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

8,9 Na sua dor, Jó queria desistir para ficar livre de seu desconforto e morrer. Mas Deus não atendeu ao pedido de Jó. Ele tinha maiores planos para Jó. Nossa tendência, como Jó, é querer desistir e fugir quando as coisas vão mal. Confiar em Deus nos bons tempos é louvável, mas confiar nEle nos tempos difíceis nos testa até os nossos limites e exercita a nossa fé. Em suas lutas, grandes ou pequenas, confie que Deus está no controle e que Ele cuidará de você (Rom 8:28) (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

15-21 como um riacho. Os amigos de Jó são comparados a um wadi do Oriente Médio – um rio caudaloso quando as neves das montanhas se derretem, mas seco quando vem o calor. isto devia ser muito decepcionante a viajantes do deserto quando eles mais precisavam de água (Andrews Study Bible ).

29, 30 Jó se referiu à sua integridade não porque ele era inocente, sem pecado, mas porque ele tinha um relacionamento correto com Deus. Ele não era culpado dos pecados dos quais seus amigos lhe acusavam […]. Outra versão deste verso poderia ser: “Minha justiça permacece.” Justiça não é o mesmo que inocência (auséncia de pecados) (Rom 3.23). Ninguém, a não ser Jesus, foi isento de pecado – livre de todos os pensamentos e ações erradas (Life Application Study Bible Kingsway NIV).




%d blogueiros gostam disto: