Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 17 by jquimelli
7 de outubro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Ezequiel 17 é uma parábola no sentido que ela tem significado espiritual, mas é um enigma que precisa ser explicado.

Na ilustração de Ezequiel uma águia gigante quebrou o topo de um jovem cedro e o levou para uma terra diferente. De fato, em 597 aC Babilônia capturou Joaquim, rei de Judá, juntamente com o melhor do povo de Jerusalém, e levou-os para a Babilônia.

A interpretação de Ezequiel da ilustração dá ênfase especial à traição de Zedequias ao quebrar o tratado com a Babilônia. Zedequias tinha feito um juramento de fidelidade a Nabucodonosor, em nome do Senhor Jeová, mas quebrou esse juramento ao buscar ajuda do Egito. Como castigo ele foi levado cativo para a Babilônia.

Por último, Ezequiel, mostra que Deus, não uma águia, vai retirar o topo do cedro. Ele irá plantá-lo no topo de uma montanha, onde se transformará em uma árvore enorme e magnífica, trazendo benefícios para aves e animais de todos os tipos.

A partir da linha davídica de reis, Deus tomará um rei, o Messias, e por meio dele estabelecerá um reino que trará bênçãos a todo o mundo. Árvores altas e verdes secarão, mas a árvore de Deus florescerá. Nações como a Babilônia e o Egito perecerão, mas o reino de Deus será exaltado.

Esta é a mensagem para nós, hoje. Ao empreendermos as nossas atividades neste dia, lembremos de colocar o Messias em primeiro lugar em nossas vidas. Aqueles que estão unidos a Ele hoje participarão de Seu reino para sempre.

Pr Mohanraj Israel
Spicer College, Índia

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/eze/17 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1065
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/07/14/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ezequiel 17 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



EZEQUIEL 17 – PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
7 de outubro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria


EZEQUIEL 17 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
7 de outubro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 17 – Os proclamadores das mensagens divinas são como cozinheiros que preparam saborosos alimentos para pessoas que perderam o apetite pelos alimentos saudáveis.

Contudo, Deus continua variando o cardápio, procurando despertar rebeldes da letargia espiritual. Acompanhe estes pontos com atenção e oração:

• Visando chamar a atenção, o profeta usa alegoria com objetivo retórico. Quem sabe por uma forma mais compreensível a sabedoria profética alcançaria o coração dos ouvintes (vs. 1-2).

• As imagens enigmáticas deveriam despertar prazer de ouvir e fixar o ensinamento na mente do povo relapso. Já no início, Deus é o lavrador que Se dedica a Sua vinha. Planta-a em boa terra, próximo a abundantes águas. Seu crescimento foi impressionante. Babilônia, retratada como uma exuberante águia, sob a supervisão divina, atrai a vinha. Contudo, uma segunda águia, prende a atenção da vinha, a qual rejeita as intenções do lavrador e foge ao Seu propósito disciplinador (vs. 3-10).

• A interpretação da alegoria é uma explicação da conquista de Jerusalém por Nabucodonosor, quando tomou a Joaquim e sua corte real em 597 a.C. (ver II Reis 24:6-17). Joaquim foi bem tratado. Babilônia colocou em seu lugar no trono de Judá a Matanias, cujo nome foi alterado para Zedequias (II Reis 24:17) (vs. 11-12).

• No início havia submissão da parte de Zedequias a Babilônia, depois rebelou-se contra Nabucodonosor e fez aliança com o Egito. Quando Zedequias precisou contar com a ajuda egípcia, teve resposta positiva, mas nada impediu a queda de Jerusalém. Zedequias selou seu destino e o destino dos fugitivos ao romper com Babilônia e aliar-se com o Egito, demonstrando rebelião contra Deus (vs. 13-21).

• Deus, identificando-Se com a primeira águia, tomará um terno renovo e o plantará em um alto monte. Deus reavivará a linhagem davídica, de onde viria o Messias (vs. 22-24).

Aplicações: Deus…

…tem a última palavra, não a rebeldia, a rebelião ou a indiferença humana.
…está no controle mesmo quando Seu povo se esforça para agir contrário a Sua vontade.
…aviva a esperança nos corações desesperados usando variados recursos retóricos para alcançar Seus propósitos.
…enviou o Messias, da tribo de Judá, da linhagem de Davi, mesmo contra a vontade de Seu povo (João 1:10-11).
…quer salvar-nos de nossa rebeldia.
…anseia por nosso coração!
…espera nossa resposta!

Daremos atenção a Deus? – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 17, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
7 de outubro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Tão certo como Eu vivo, o Meu juramento que desprezou e a Minha aliança que violou, isto farei recair sobre a sua cabeça” (v. 19).


Após a primeira leva de cativos judeus para a Babilônia, Nabucodonosor estabeleceu a Zedequias como rei em Jerusalém (2Rs 24:17). Apesar da aliança feita entre eles, Zedequias “se rebelou contra o rei da Babilônia, enviando os seus mensageiros ao Egito” (v.15). Este era o significado da parábola ou enigma apresentado ao profeta.

Por algum motivo plausível, o SENHOR aprecia falar ao homem através de parábolas. Na verdade, por pelo menos dois motivos. Observe que a maioria das parábolas é representada através do uso das coisas criadas. Ou seja, a natureza está repleta de ricas lições espirituais e, em contemplá-la como uma segunda revelação do Criador, há grande sabedoria. O outro motivo é o de provar o ser humano com respeito à sensibilidade para discernir as coisas espirituais. Não foi sem razão que os discípulos questionaram a Jesus acerca disto: “Por que lhes falas por parábolas?” (Mt 13:10). E a resposta foi praticamente outro enigma: “Por isso, lhes falo por parábolas; porque, vendo, não veem; e, ouvindo, não ouvem, nem entendem” (Mt 13:13).

Jesus não queria com isso confundir ainda mais os Seus discípulos, mas simplesmente repetiu as palavras que Ele, seu Pai e a pessoa do Espírito Santo proferiram a Seu profeta Isaías: “Porque o coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos” (Mt 13:15; Is 6:9-10; At 28:25-27; Jo 12:40-41). E encerrou dizendo: “Bem-aventurados, porém, os vossos olhos, porque veem; e os vossos ouvidos, porque ouvem” (Mt 13:16). O SENHOR não pode atuar em um coração que decide permanecer petrificado. Ele nunca vai desrespeitar o nosso livre arbítrio. A essência do Seu governo é o amor, jamais a tirania. Portanto, a única barreira que pode nos impedir de sermos beneficiados pela bem-aventurança é “o eu não consagrado” (Ellen G. White, The Review and Herald, 5 de Março de 1908).

É certo que é a bondade de Deus que nos conduz ao arrependimento (Rm 2:4), mas só obtemos os resultados quando aceitamos a ação divina. Satanás tem trabalhado arduamente para garantir que o homem continue buscando a satisfação de seus próprios interesses e ignore por completo a aliança eterna que o SENHOR estabeleceu com a humanidade. Infelizmente, os apelos do Espírito Santo têm sido desprezados e os convites satânicos aceitos como entretenimentos inocentes quando, na verdade, são passaportes para a morte.

Deus não selou Seu compromisso conosco com um simples “aperto de mão” (v.18), mas com o sangue de Seu Unigênito (Jo 3:16). Foi a transgressão da lei do SENHOR que pendurou no madeiro o nosso Salvador. Se o “pecado é a transgressão da lei” (1Jo 3:4) e “o salário da pecado é a morte” (Rm 6:23), a pergunta é: “Violará a aliança e escapará?” (v.15). Assim como um dia Deus fez nascer um renovo (v.22), enviando Jesus a este mundo, a segunda vinda de Cristo é certa e tudo tem apontado para a Sua brevidade. E todo aquele que insistir em fazer parte da terrível turba do mal dos últimos dias (2Tm 3:1-5), dividirá com o diabo e seus anjos o salário do pecado.

Quantas chacinas, crimes hediondos e cenas de destruição precisarão acontecer para que o homem entenda que o mundo está em contagem regressiva? Erguei-vos, homens e mulheres de Deus! Já é chegada a hora do sonido do Alto Clamor, “antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR” (Jl 2:31). “Buscai ao SENHOR e vivei… Buscai o bem e não o mal, para que vivais; e, assim, o SENHOR, o Deus dos Exércitos, estará convosco, como dizeis” (Am 5:6 e 14). Porque “está perto o grande Dia do SENHOR; está perto e muito se apressa. Atenção!” (Sf 1:14). Mas, “se tardar, espera-o, porque, certamente, virá, NÃO TARDARÁ” (Hc 2:3).

Feliz sábado, povo da aliança!

Desafio do dia: Jornada espiritual “O Último Chamado de Deus“, 4° dia: Hoje, a Associação Geral da Igreja Adventista convoca todo o exército do Deus vivo a unir-se em um dia especial de jejum e oração “Lutando pelo Mundo”. Revestidos da armadura de Deus, cumpramos o que está escrito em Efésios 6:18: “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel17
#RPSP

Deixe seu comentário:



EZEQUIEL 17 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
7 de outubro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



%d blogueiros gostam disto: