Reavivados por Sua Palavra


Ezequiel 14 by jquimelli
4 de outubro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Este capítulo lida com dois aspectos importantes da vida espiritual: o ouvir a palavra de Deus e a oração. A mensagem neste capítulo é dirigida aos anciãos e à nação de Israel, que tentavam usar desses dois caminhos para agradar a Deus. Mas tanto os anciãos quanto a nação de Israel estavam longe da experiência de comunicarem-se com Ele através da Sua Palavra e da oração.

Os anciãos vêm a Ezequiel com o aparente propósito de ouvir a palavra do Senhor, mas seus corações estavam cheios de ídolos. A idolatria impede as pessoas de escutarem a Deus. A manifestação externa do desejo de ouvi-Lo não é suficiente – só estaremos prontos para receber a palavra de Deus depois que o coração estiver limpo de qualquer pecado conhecido. Deus apresenta o remédio para essa condição: arrepender-se e abandonar o pecado (v. 6). A garantia de Deus é que, se Israel se arrepender e voltar-se para Ele, passará a ser novamente o Seu povo e Ele o seu Deus (v. 11).

Roy Jemison Injety
Spicer College, Índia

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1062
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/07/11/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ezequiel 14 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



EZEQUIEL 14 – PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
4 de outubro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 14 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
4 de outubro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 14 – Ídolos não são apenas pessoas ou objetos visíveis; quaisquer coisas ou pessoas que venerarmos tornam-se ídolos, até mesmo pessoas ou coisas invisíveis.
Ezequiel 14 oferece-nos dois pontos principais:
1. Ídolos do coração, invisíveis, porém reais (vs. 1-11):
• Ninguém consegue esconder-se de Deus, ou ocultar o que escondemos no coração: Amor por riquezas/jogos/novelas/seriados/filmes/fama/vícios/trabalho/etc.
• Nenhuma posição, por mais elevada, impedirá Deus de avaliar nosso coração.
• Nem o mais alto posto espiritual isenta Deus de observar ídolos secretos guardados em nosso íntimo.
• Os ídolos do coração…
…são obstáculos à verdadeira adoração;
…interferem na comunhão com Deus;
…interceptam a prática do serviço fiel a Deus.
• Deus…
…utiliza profetas para confrontar líderes espirituais que abrigam ídolos invisíveis.
…não pode conviver em corações entupidos com ídolos inúteis.
…quer restaurar pessoas que desgraçaram sua espiritualidade e consequentemente vivem as desgraças resultantes do adultério espiritual.
2. Juízo, salvação e esperança – a real intenção de Deus no julgamento (vs. 12-23):
• Rebeldia e rebelião em relação a Deus obstaculizam a possibilidade de salvação.
• Quem rejeita a mão estendida de Deus, em vez de salvação colherá tribulação.
• Esquecer-se do Criador fará o pecador buscar segurança material, ignorando o valor da busca pelas delícias espirituais.
• As terríveis consequências resultantes do pecado não destruirão ao remanescente fiel, independente da situação.
• Três exemplos de remanescente fiel devem despertar aos crentes infiéis:
…Noé, justo numa geração injusta, brilhava na sociedade de trevas antediluvianas;
…Daniel, fiel numa geração infiel, contemporâneo dos ouvintes de Ezequiel.
…Jó, sábio e rico, piedoso numa sociedade deprimente, exploradora e decadente.
• A salvação é individual, não é por procuração. Os fieis permanecem firmes ainda que caiam os céus; não terão por destino a condenação.
O juízo divino limita o pecado, e visa revelar quem é fiel e consagrado. A salvação é pessoal, individual. Entretanto, Deus almeja salvar multidões, povos e nações; por isso, apresenta-nos tais revelações.
Remanescente não é quem pertence ao grupo dos fieis, mas quem verdadeiramente é fiel. Estar entre o povo de Deus não é garantia de salvação, é preciso ter sua própria comunhão com Cristo, eliminar ídolos do coração, e perseverar na revelação da prática da verdadeira religião.
“Cada um é responsável por si diante de Deus” (Bíblia Andrews).
Portanto, afaste-se de tudo aquilo que te afasta de Deus! Reaviva-te! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 14, comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de outubro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Ainda que estivessem no meio dela estes três homens, Noé, Daniel e Jó, eles, pela sua justiça, salvariam apenas a sua própria vida, diz o SENHOR Deus” (v. 14).


Ao ser avisado acerca da destruição de Sodoma e Gomorra, Abraão questionou o SENHOR acerca da possibilidade de haver justos naquelas cidades. Por amor a seu sobrinho Ló, ele iniciou o seu questionamento com um grupo de cinquenta justos até chegar ao pequeno grupo de dez, recebendo de Deus a promessa de que as cidades seriam poupadas do juízo caso ali habitassem ao menos dez justos. Qual não foi a sua surpresa, a destruição foi consumada e apenas Ló e suas duas filhas escaparam da morte (Gn 18 e 19). Com base neste relato e na misericórdia divina, o povo de Israel acreditava que Deus pouparia Jerusalém do juízo por amor aos justos que ali habitavam.

Porém, esta teoria foi lançada por terra diante da resposta do SENHOR ao profeta. Cegos espirituais, os líderes religiosos guiavam o povo segundo os ídolos que levantaram “dentro do seu coração” (v.3). Aparentemente, tinham uma vida religiosa exemplar, mas em seus corações erguiam altares abomináveis, e cultuavam seus ídolos em secreto. Porém, diante do Deus que tudo vê, foram apanhados “no seu próprio coração” (v.5). Confiavam que a comunhão e a fidelidade do remanescente os livraria de receber o castigo que lhes cabia.

Noé, Daniel e Jó são citados por Deus como Suas fiéis testemunhas. A vida destes três homens deixou um legado de confiança, abnegação e serviço. O trabalho de suas mãos e as palavras de seus lábios foram frutos diretos de um coração governado pelo SENHOR. A justiça que lhes regia não era proveniente de si mesmos, mas da poderosa destra de seu Legislador. Em seus corações não havia espaço para nada que pudesse ganhar mais atenção do que a adoração ao verdadeiro Deus. E ainda que estes servos do Altíssimo vivessem em Jerusalém naquela época, nem assim o SENHOR deixaria de derramar os Seus juízos. “Pela sua justiça salvariam apenas a sua própria vida” (v.20).

Amados, a integridade e a retidão que eram notórias na vida daqueles três homens não são hereditárias, mas podem ser inculcadas. O meio em que vivemos e o que contemplamos têm grande influência em nossas futuras escolhas, mas não definem o meu e o teu destino eterno. Ao afirmar a seguinte verdade a Samuel: “O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração” (1Sm 16:7), Deus deixou bem claro que Ele conhece os Seus e os que não são Seus. Ele sabe com quem pode contar e com quem não pode. Ele vê as intenções do coração humano ainda que estejam muito bem escondidas. Não adianta, em hipótese alguma, esconder maus sentimentos, malícias e pecados acariciados. Como diz o ditado popular, isso é dar um tiro no próprio pé. E porque não dizer: no próprio coração?

A repreensão dada pelo SENHOR ao Seu povo é seguida de um convite: “Convertei-vos, e apartai-vos dos vossos ídolos, e dai as costas a todas as vossas abominações” (v.6), que é seguido do objetivo: “Então, diz o SENHOR Deus: Eles serão o Meu povo, e Eu serei o seu Deus” (v.11). O juízo divino nunca foi e nunca será derramado sem propósito de salvação (v.23). Não podemos jamais confiar na espiritualidade de ninguém como garantia de que estamos seguros. Mas devemos permitir que Jesus assuma o controle de nossa embarcação e dEle receber a própria porção do maná do Céu. Porque no grande Dia do SENHOR, cada um responderá pela própria vida e não haverá desculpas para o ócio espiritual.

Os quatro ventos estão para ser soltos e as taças da ira de Deus, derramadas na Terra. (Ap 7:1; 16:1). “Mas eis que alguns restarão nela” (v.22) e seu caminho e seus feitos serão um último chamado de Deus antes que venha a grande assolação. Suas vidas darão testemunho da fidelidade à Palavra do SENHOR assim como Noé, Daniel e Jó. Como não poupou o mundo antigo, Deus não deixará de derramar sobre a Terra os Seus juízos. Contudo, como preservou aqueles Seus servos, cumprir-se-á na vida dos Seus restantes dos últimos dias a profecia dada ao salmista: “Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita; tu não serás atingido” (Sl 91:7). Portanto, atendamos AGORA ao amável e urgente convite do SENHOR: “Convertei-vos“!

Bom dia, corações convertidos ao SENHOR!

Desafio do dia: Acompanhe-me, a partir de hoje, em uma jornada espiritual muito especial de sete dias, com o título: “O Último Chamado de Deus”. Jesus disse que os nossos olhos são a lâmpada do corpo (Mt 6:22). Durante estes sete dias faça uma limpeza visual, não assistindo e nem lendo nada que seja secular (A não ser por questões laborais).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel14
#RPSP

Deixe seu comentário:



EZEQUIEL 14 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
4 de outubro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria



%d blogueiros gostam disto: