Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 39 by jquimelli
29 de outubro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Este capítulo poderia ter recebido o título: “O fim de Gogue e Magogue” ou: “A destruição das forças do mal”. O enorme exército que marcha contra Israel é destruído pela ação de Deus.

Poucos anos antes de Ezequiel receber esta visão, os inimigos – assírios e babilônios – haviam chegado à Palestina pelo Norte e Deus lhes permitiu que conquistassem Israel por causa de seu pecado. Gogue e Magogue, um inimigo maior ainda, também vem do norte. E Israel busca a Deus por salvação.

Ezequiel mostra o poder das forças inimigas. Porém, mostra também que o exército de Deus é ainda mais poderoso.

O resultado final de tudo isso retorna ao tema de Ezequiel: Israel entenderá que foi o próprio Deus que os enviou ao cativeiro e agora os levará de volta e os protegerá. Então as nações saberão que o Senhor é Deus (verso 20). Além disso, o espírito de Deus será derramado sobre Israel (verso 29).

Não há inimigo tão grande, nenhum mal tão grande que Deus não possa derrotá-lo. Se, como Israel, você está cativo por causa de seu pecado, Deus é suficientemente grande e gracioso para salvá-lo.

Jon Dybdahl
Universidade Walla Walla, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/eze/39 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1087
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/eze/39
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/08/05/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ezequiel 39 NVI
Ouça online: Bíblia NVI em áudio
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



EZEQUIEL 39 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUAREZ by Maria Eduarda
29 de outubro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 39 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
29 de outubro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 39 – Qualquer plano estabelecido sem Deus está absolutamente fadado ao fracasso. Por mais forte que seja o exército, por melhor que seja a estratégia, por mais recursos que se tenha – armas, táticas e habilidades físicas – são ineficazes frente ao que Deus propõe a fazer no mundo.

Temos muito a aprender do capítulo em pauta. Leia-o várias vezes em várias versões, ore e reflita em cada um de seus versos, depois medite nestes pontos:

• Inimigos do povo de Deus serão punidos devido aos seus pecados, injustiças e imoralidades; quando o juízo divino terminar, o universo inteiro terá convicção do poder de Deus que é justo, misericordioso e poderoso (vs. 1-8).

• Inimigos de Deus, desvinculados da fonte da vida, amantes do pecado, que é o combustível do fogo do juízo, serão plenamente destruídos; assim, Deus será plenamente vitorioso e terá resolvido para sempre o problema do mal (vs. 9-15).

• A destruição total de tudo que está relacionado ao mal revela a capacidade divina de vencer completamente sobre tudo o que invadiu e suplantou a criação que era perfeita (vs. 16-22).

• A restauração do povo de Deus do cativeiro revelaria o caráter de Deus ao mundo inteiro, a intolerância de Deus para com o pecado e Sua misericórdia para com o pecador. O reavivamento da nação desobediente só se daria com a atuação sobrenatural do Espírito Santo no coração do remanescente (vs. 23-29).

No plano divino, nenhum ímpio escapará do juízo e nenhum justo será esquecido, abandonado. Os que profanam o nome de Deus terão seus nomes riscados da terra dos viventes. Deus honra aqueles que honram o Seu santo e magnífico nome.

Os 7 anos de destruição (v. 9) simbolizam e revelam completude e perfeição na execução do julgamento. Os 7 meses de purificação (v. 12) revelam plenitude na restauração do que o pecado arruinou. O que aconteceu no passado é um reflexo do que Deus fará no futuro, conforme revela o livro de Apocalipse capítulo 19, 20 e 21.

Enquanto o pecador impenitente perde a vida, o pecador arrependido e restaurado recebe a plenitude do Espírito para viver o alto padrão idealizado por Deus à humanidade arruinada pelo pecado.

No fim, o caráter de Deus será vindicado e os reavivados serão redimidos! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 39, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de outubro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Manifestarei a Minha glória entre as nações, e todas as nações verão o Meu juízo, que Eu tiver executado, e a Minha mão, que sobre elas tiver descarregado” (v.21).


A manifestação da ira de Deus contra Gogue declara o tamanho do Seu zelo por Seu nome e amor por Seu povo. Uma promessa foi feita e Ele a cumprirá de forma “sete” (v. 9, 12 e 14), ou seja, de forma perfeita e definitiva.

Representando todas as nações inimigas do povo de Deus de todos os tempos, como vimos ontem, Gogue e Magogue receberão uma “viagem” só de ida ao “lugar de sepultura” (v.11). Perante “todo o povo da terra” (v.13), as forças de Gogue serão reduzidas a nada “para limpar a terra” (v.12) da escravidão do pecado que há tanto tem manifestado os seus terríveis resultados.

A derradeira fúria do inimigo para com a humanidade caminha para um trágico clímax onde a fé de cada um será provada, ainda com maior intensidade, do que o foi com os cristãos de Roma perante o Coliseu e com os cristãos da Idade Média perante a inquisição. Pois que o profeta Daniel descreveu um “tempo de angústia, qual nunca houve” (Dn 12:1). Acusados como hereges e fundamentalistas, “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap 14:12), experimentarão os reveses de uma perseguição sem precedentes.

Semelhante ao período que Jesus enfrentou a separação do Pai, grande angústia aguarda o povo de Deus e como Jesus o fez, repetirão as palavras do salmista Davi: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Sl 22:1; Mt 27:46). Porém, o Espírito Santo que “não agirá para sempre no homem” (Gn 6:3), será derramado (v.29) sobre cada coração que por Ele clamou e por Ele desejou ser preenchido. O Senhor os tornará “a ajuntar para voltarem à sua terra” (v.28) e lá estará para sempre com eles.

O juízo final acontecerá quer o mundo acredite, quer não. E nenhum dos salvos poderá declarar: “Por causa da minha justiça é que o SENHOR me trouxe a esta terra para a possuir” (Dt. 9:4), mas, com o coração compungido de gratidão, clamarão “em grande voz, dizendo: “Ao nosso Deus, que Se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação” (Ap 7:10).

O Senhor fez uma aliança eterna com Abraão, Isaque e Jacó, e, por Sua fidelidade a cumprirá. Pois que “nem uma só promessa caiu de todas as boas palavras que falou de vós o SENHOR, vosso Deus; todas vos sobrevieram, nem uma delas falhou” (Js 23:14). Jesus mesmo prometeu: “E eis que venho sem demora, e Comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras” (Ap 22:12). Muito em breve, Ele virá buscar um povo que, andando no Espírito, abandonou “as obras da carne” (Gl 5:19) e manifestou na vida “o fruto do Espírito” (Gl 5:22).

Que possamos orar, a cada dia, como Davi orou: “Ó Deus, salva-me, pelo Teu nome, e faze-me justiça, pelo Teu poder” (Sl 54:1). E aguardar, andando no Espírito Santo, a bendita e gloriosa promessa!

Bom dia, povo do advento!

Jornada espiritualChuva Serôdia. Chegou a hora!“, 14° dia: “Converse com o Senhor sobre sua experiência cristã e o quanto necessita de crescimento espiritual para ser selado pelo Espírito Santo. Escreva no seu caderno de oração às suas conclusões” (Manassés Queiroz, Chuva Serôdia. Chegou a hora!, pág. 83).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel39
#RPSP



EZEQUIEL 39 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
29 de outubro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 39 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
29 de outubro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

Profetiza ainda contra Gogue. Este capítulo continua o assunto do anterior, … acrescentando detalhes adicionais. CBASD, vol. 4, p. 783.

Aves… animais. Abutres e chacais estavam sempre prontos a se banquetear com os corpos dos que morriam em batalha (ver 1Sm 17:46; Ez 33:27). CBASD, vol. 4, p. 783.

Farão fogo com tudo isto por sete anos. É claro que esta parte da profecia não terá um cumprimento literal em relação à segunda vinda de Cristo e ao milênio. … a história teria seguido um caminho bem diferente se Israel tivesse permitido que Deus cumprisse Seus desígnios para com a nação. … Pode-se fazer a pergunta: Por que, então, essas coisas não se cumprirão no presente, quando há novamente um estado israelita na Palestina? A resposta é que, por causa da rejeição do Messias, os judeus foram rejeitados por Deus como nação. As promessas, desde a morte de Estêvão, pertencem ao Israel da nova aliança e se cumprirão em sentido espiritual. CBASD, vol. 4, p. 783.

11 Espantar-se-ão. Os viajantes … ao passarem por esse local … seriam compelidos a considerar o juízo infligido sobre os inimigos de Deus. … A localização precisa [a leste do mar Morto] não é importante para a interpretação da passagem. CBASD, vol. 4, p. 783, 784.

14 Homens que, sem cessar. Homens nomeados para esta tarefa que deviam continuar nela até que estivesse completa. CBASD, vol. 4, p. 784.

17 Às aves de toda espécie. Esta seção tem um notável paralelo com Apocalipse 19:17 e 18, uma passagem que indica quando e como este texto encontrará cumprimento parcial com referência à era cristã. Com o uso dos mesmos símbolos, João representa a imensa matança dos ímpios na segunda vinda de Cristo. CBASD, vol. 4, p. 784.

21 Minha glória entre as nações. Ezequiel prediz o curso que a história seguiria se Israel, no cativeiro, tivesse aprendido com seu castigo … A derrota das multidões de Gogue não representa a aniquilação final de todo o pecado e a introdução de um novo céu e uma nova Terra. Em vez disso, descreve uma etapa intermediária. O cenário seria tão estupendo que evocaria admiração universal, para que todas as atenções fossem dirigidas a Deus e a Seus propósitos para com os habitantes da Terra. Esta se tornaria uma ocasião para grande expansão missionária por parte de Israel, o que culminaria com a introdução do reino de Deus. CBASD, vol. 4, p. 784.

23 Saberão as nações. Elas não mais afirmariam, como no passado, que os sofrimentos de Israel eram decorrentes do fato de Deus não ter conseguido proteger Seu povo. Veriam, em vez disso, a justiça e a coerência dos propósitos divinos, e como resultado seriam atraídas para o reino de Deus e procurariam fazer parte dele. CBASD, vol. 4, p. 784.

29 Derramarei o Meu Espírito. O reavivamento de Israel teria sido acompanhado por um grande derramamento do Espírito. Este poder prometido teria capacitado os judeus a evangelizar rapidamente o mundo e a se preparar para a vinda do Messias. CBASD, vol. 4, p. 784.




%d blogueiros gostam disto: