Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 29 – Comentário Rosana Barros
28 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma” (v. 17).


Existe um trabalho cujas atribuições são imprevisíveis e tão difíceis que exigem total disponibilidade. A qualquer momento pode haver uma emergência e não há como mensurar o quanto de labor diário será necessário. Cada dia reserva surpresas à parte e o estado de humor tem grande influência sobre os “clientes”. Este serviço requer olhos sempre atentos e mãos sempre dispostas. É preciso ser um pouco de cada coisa: professor, educador físico, nutricionista, psicólogo, enfermeiro, plantonista, vigilante, chefe de cozinha, camareira, artesão, conselheiro espiritual. A jornada de trabalho é de 24h, sem férias, salário ou benefícios trabalhistas. E se adoecer, trate logo de melhorar, porque também não há auxílio doença e nem licença por questões de saúde. Eu não sei qual é a sua profissão, mas sei que certamente você não estudaria em troca de um trabalho assim.

Depois de toda aquela descrição, você lembrou de alguém? Alguém que carregou os seus primeiros quilos dentro de si por nove meses. Alguém que sentiu dores para que você sentisse vida fora do ventre. Que percebeu que um pedaço do seu coração estava em seus braços. Que chorou com sua primeira vacina. Que perdeu diversas noites de sono para lhe alimentar e acalentar. Que transforma em torcida organizada cada conquista sua. Que sofre com suas quedas. Que te repreende  quando necessário, mas que te ama o tempo todo. Que chora escondido quando você a magoa, ou que não contém as lágrimas diante de seus atos insensatos. Que pode não receber remuneração monetária, mas que trocaria todo o dinheiro do mundo pela sua felicidade. Eis que lhes apresento A MATERNIDADE!

De tudo o que temos aprendido neste livro, pelo menos 80% deve ser ensinado pela mãe. Sem desmerecer a paternidade, cumpre à mãe, como mulher que edifica a sua casa (Pv. 14:1), ter participação mais ativa e mais próxima dos filhos. Todos os dias enfrento desafios, e cada um deles não se compara a dez metas das maiores multinacionais. Requer muita sabedoria, controle emocional, raciocínio rápido, domínio próprio e muito, muito amor. A disciplina faz parte da educação e saber aplicá-la e dosá-la na medida certa não é tarefa fácil. Mas a Palavra do SENHOR nos diz que precisamos usar “a vara e a disciplina” (v. 15) para que o resultado seja o de filhos sábios. Contrariando este contexto, “a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe” (v. 15). Crianças entregues ao ócio, liberdade excessiva e que não são submetidas a regras, certamente serão vergonha para a mãe e tristeza para o pai.

Não sou uma mãe perfeita e estou bem longe de ser. Cada filho possui particularidades que precisam ser trabalhadas com muito cuidado e atenção e quantas vezes eu tenho errado tentando acertar. Há pouco mais de três anos meu marido e eu optamos por ele ser o provedor do lar e eu me dedicar integralmente à educação dos nossos filhos. Percebi o chamado de Deus nesta direção e resolvi fazer a Sua vontade. Desde então tem sido um desafio após outro, afinal, o “título” de mãe em tempo integral não é algo bem visto onde a mulher precisa ser um “animal” de carga para ser valorizada. E um dia desses, com o coração pesaroso pelas circunstâncias e por achar que ainda não estou cumprindo fielmente a parte que como mãe me corresponde, em oração pedi que o SENHOR falasse comigo, nem que fosse para apontar os meus erros, e Ele assim me respondeu:
“Eu contenderei com os que contendem contigo e SALVAREI OS TEUS FILHOS… Todo homem saberá que Eu sou o SENHOR, o Teu Salvador e o Teu Redentor, o Poderoso de Jacó” (Isaías 49:25 e 26). Eu fiquei sem palavras diante de tal resposta. Glórias ao SENHOR!

Podemos ser conhecedores da Bíblia de Gênesis a Apocalipse. Podemos ter muitas graduações e especializações. Podemos aplicar a disciplina e a vara em nossos filhos e lhes impor autoridade. Entretanto, o resultado SALVAÇÃO só o SENHOR pode dar. Percebi que não adianta ficar cobrando de mim mesma o que só Deus pode realizar. Que não existe responsabilidade que cause mais estafa mental e física do que a maternidade, mas que não há nenhuma outra obra tão poderosa em todo o planeta. Diante de uma época onde jogos virtuais têm ceifado a vida de crianças e adolescentes, ser mãe é uma corrida contra o tempo e um caso de vida ou morte. O mundo está se corrompendo por dar as costas às profecias da Palavra de Deus (v. 18), e mães que decidem vestir-se para a batalha com a armadura certa (Efésios 18:10-18), certamente no SENHOR estarão seguras (v. 25) e serão bem-sucedidas em seu labor:

“Todavia, será preservada através de sua missão de mãe, se ela permanecer em fé e amor, e santificação, com bom senso” (II Timóteo 2:15).

Mãe, acredite, ainda que não sejas valorizada aqui, muito em breve serás honrada no mundo porvir! Aleluia!

Bom dia, mães segundo o coração de Deus!

Desafio do dia: Lembram do nosso jejum das quartas-feiras? Não desanime. Oremos e jejuemos por nossas famílias e elas serão mais influentes do que muitos sermões!

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus
#Provérbios29
#RPSP



PROVÉRBIOS 28 – Comentário Rosana Barros
27 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (v. 13).


Diante do estudo destes provérbios em forma de antítese, a Bíblia mais uma vez nos confirma que Deus faz distinção entre o certo e o errado, o justo e o perverso, a bênção e a maldição. Não há como buscar ao SENHOR e não ser por Ele transformado. A conversão promove mudanças e o justo começa a experimentar uma novidade de vida que os ímpios não conseguem entender (v. 5).
 
Ricos passam a compartilhar as suas riquezas. Egoístas deixam de o ser e priorizam mais os outros do que a si mesmos. Ébrios abandonam o vício e tornam-se exemplares sacerdotes do lar. Prostitutas tornam-se respeitáveis mães de família. Jovens entregues à luxúria e às orgias tornam-se valorosos porta-vozes de Deus e de Sua Palavra. Religiosos fariseus passam a ser praticantes da verdadeira religião (Tiago 1:27). Para o mundo tudo isto é loucura. Para Deus é a conjugação de dois verbos: CONFESSAR e DEIXAR.
JAMAIS haverá prosperidade na vida de quem encobre os seus pecados! Fazer isso é como alguém que varre toda a sujeira da casa para debaixo do tapete. Um dia o “tapete” da vida será levantado e toda a imundícia, exposta (Eclesiastes 12:14)!
 
Os reis da Terra estão embriagados com o vinho da devassidão da grande meretriz (Apocalipse 17:1-2). A suma do mundo é: “Siga a voz do seu coração!”
A suma da Palavra de Deus é: “Teme a Deus e guarda os Seus mandamentos; porque ISTO É DEVER DE TODO HOMEM” (Eclesiastes 12:13).
A verdadeira felicidade está no “constante… temor de Deus” (v. 14) e, aquele que teme a Deus, guarda os Seus mandamentos. Mas, “o que desvia os ouvidos de ouvir a lei, ATÉ A SUA ORAÇÃO SERÁ ABOMINÁVEL” (v. 9). A quem você tem dado ouvidos? Não foi sem razão que Cristo nos advertiu: “Vede que ninguém vos engane” (Mateus 24:4).
 
Por onde você tem andado?
“O que anda em integridade será salvo, mas o perverso em seus caminhos cairá logo” (v. 18). A sua vida tem refletido o caráter de Jesus ou você tem tentado usurpar o lugar que só a Ele pertence? Ser cristão não é simplesmente viver para Cristo, mas ter Cristo na vida. Nunca seremos exemplo para ninguém, mas Jesus nos chama como Suas testemunhas (Atos 1:8), para proclamar as Suas preciosas verdades. Verdades que precisam ser ditas, mesmo que causem dor (v. 23). O problema é que as igrejas não enchem se a mensagem não for a que as pessoas querem ouvir. Os gazofilácios não terão dinheiro se não houver milagres e expulsão de demônios. ESTÁ ESCRITO: “Nem todo o que Me diz: SENHOR! SENHOR! entrará no reino dos céus, mas AQUELE QUE FAZ A VONTADE DE MEU PAI, que está nos céus” (Mateus 7:21). Jesus foi cristalino, meus irmãos! Assim como Ele veio a este mundo e fez a vontade do Pai, estamos aqui para fazer a mesma coisa. Não confie em si mesmo, pois “o que confia no seu próprio coração é insensato” (v. 26) e “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9). Escolha ser temente a Deus e fiel aos Seus mandamentos e, certamente, você “será cumulado de bênçãos” (v. 20) e suas orações chegarão ao trono divino como aroma suave e agradável (Apocalipse 8:4).
 
Bom dia, filhos prudentes (v. 7) do Pai!
 
Desafio do dia: “Examinais as Escrituras” (João 5:39)! Não se contente com uma leitura superficial. Estude a Palavra de Deus e o Espírito Santo continuará lhe guiando “a toda a verdade” (João 16:13).
 
Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus #Provérbios28 #RPSP


PROVÉRBIOS 27 – Comentário Rosana Barros
26 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Como o crisol prova a prata, e o forno, o ouro, assim, o homem é provado pelos louvores que recebe” (v. 21).


Tem um ditado que diz mais ou menos assim: Quer conhecer alguém? Dê poder para ele.
No contexto do verso acima poderíamos criar a seguinte versão:
Quer conhecer alguém? Elogie-o.

A Bíblia adverte sobre o auto elogio e aconselha que o louvor por nossas ações não saia de nossos próprios lábios, mas da boca do estranho (v. 2). Em uma época onde as palestras e livros motivacionais e de auto ajuda estão no auge, este conselho parece mais um balde de água fria. Onde predomina a depressão, a reclusão e a anti socialização, a auto estima tem sido evocada como uma ferramenta imprescindível e até curativa. Só que o verso acima, longe de ser um “bullying” ao amor próprio, é uma reflexão sobre o limite da auto estima. Gostar de si mesmo é até imprescindível para que possamos praticar o segundo maior mandamento: “Amarás o teu próximo COMO A TI MESMO” (Mateus 22:39). Eis o limite apresentado por Jesus, um pouco mais a frente: “o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mateus 23:12).

A provação não se trata apenas de algo externo, mas, principalmente interno. Quando o nosso ego é massageado, há o grande perigo de trocarmos a glória de Deus pelo orgulho próprio. Por isso que é muito melhor “a repreensão franca do que o amor encoberto” (v. 5). Pois “leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos” (v. 6). Receber conselhos cordiais é como “o óleo e o perfume” que “alegram o coração” (v. 9). Contudo, entramos numa zona de risco iminente quando buscamos os holofotes para nós mesmos.

Precisamos buscar a prudência para nos esconder do mal (v. 12) e isto inclui até a auto exposição que vemos hoje. Use suas redes sociais com sabedoria e se elas lhe têm sido uma pedra de tropeço, se desfaça delas. O que você imagina ser uma exposição inocente, pode se tornar pior do que “a ira impetuosa” (v. 4). Quando fazemos o possível para fugir do mal, Deus faz o impossível para que ele não nos alcance.

Escolha atentar para os sábios conselhos do SENHOR, pois “o que atenta para o seu SENHOR será honrado” (v. 18). Porém, “procurar a própria honra não é honra” (Pv. 25:27). Portanto, aceite o terno convite do Pai: “Sê sábio, filho meu, e alegra o Meu coração” (v. 11). Que tudo o que façamos seja com o real objetivo de filhos que querem alegrar o coração de seu Pai!

Bom dia, filhos sábios do Pai!

Desafio do dia: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo” (Filipenses 2:3).

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus  #RPSP  #Provérbios27



PROVÉRBIOS 26 #RPSP Comentário Rosana Barros
25 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

Sem lenha, o fogo se apaga; e não havendo maldizente, cessa a contenda (v. 20).


De uma forma insistente e persuasiva, o SENHOR dá o Seu recado sobre o perigo em cair na armadilha dos insensatos. O mau uso da língua é veneno que mortifica tanto quem o destila quanto quem o recebe. E só para não restar dúvidas, até aquele que diz: “Fiz isso por brincadeira” (v. 19), não é tido por inocente.

O mundo tem despertado para os malefícios do consumo da carne na alimentação e uma das maiores motivações tem sido o amor pelos animais. Sem desmerecer um objetivo tão nobre, e até bíblico (Provérbios 12:10), a abstinência da carne animal não deve sobrepor a abstinência do falar injurioso. Não adianta ser vegano e devorar os semelhantes. Pois “as palavras do intrigante são como feridas; elas descem ao mais íntimo do ventre” (v. 22).

É um problema tão grave e tão maligno diante de Deus, que é comparado a um ato insano. Quem, em sã consciência, pegaria um cachorro de rua pelas orelhas? Mas esta atitude é comparada a “quem se mete em questão alheia” (v. 17). Intrometimento, fofoca, contenda, são atos detestáveis diante de um Deus que é amor, paz e bondade. Todo aquele que deseja desfrutar da eternidade na Nova Terra enfrentará essas questões com a devida seriedade e discernimento espiritual. E procurará preencher a mente com o que é lícito diante do SENHOR: “Finalmente, irmãos, tudo o que é VERDADEIRO, tudo o que é RESPEITÁVEL, tudo o que é JUSTO, tudo o que é PURO, tudo o que é AMÁVEL, tudo o que é de BOA FAMA, se alguma VIRTUDE há e se algum LOUVOR existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Filipenses 4:8).

E quando a malícia vem de forma sutil? Quando o insensato age dissimuladamente? Sobre isto declarou Ellen White:
Intimamente ligada à bisbilhotice está a insinuação encoberta, esquiva, pela qual o coração impuro procura insinuar o mal que não ousa exprimir abertamente. Os jovens devem ser ensinados a evitar toda aproximação de tal prática como evitariam a lepra” (Educação, p. 236). A triste realidade é que pais têm ensinado aos filhos que não há problema algum em fazer “comentários” sobre a vida alheia e que este deve ser o principal assunto nas refeições e nas rodas de conversas. O que estamos fazendo com esta geração onde as notícias correm na velocidade da luz? Destruir a vida alheia com palavras, ainda que por “brincadeira”, é pecado; quem assim insiste em agir, se não se arrepender a tempo, é réu de morte (Romanos 6:23).

Não é fácil ficar em silêncio quando muitas vezes é a sua imagem que está em jogo. Em nossa ânsia por justiça própria, abrimos nossos lábios para tentar resolver à própria maneira o que só Deus pode resolver. Então, o SENHOR nos diz: “Não respondas ao insensato segundo a sua estultícia, para que não te faças semelhante a ele” (v. 4). Não devemos revidar! Palavras e atitudes más não devem resultar na mesma coisa. Não sejamos lenha para a fogueira do mal, e a contenda cessará. É claro que “a língua falsa aborrece a quem feriu” (v. 28), mas, no devido tempo, “a sua malícia se descobrirá publicamente” (v. 26). Se “a maldição sem causa não se cumpre” (v. 2), devemos confiar na misericordiosa justiça divina e procurar viver um procedimento santo e digno do nosso chamado: “Porque assim é a vontade de Deus, que, pela prática do bem, façais emudecer a ignorância dos insensatos” (I Pedro 2:15).

Bom dia, prudentes do SENHOR!

Desafio do dia: “Irmãos, não vos queixeis uns dos outros, para não serdes julgados. Eis que o Juiz está às portas” (Tiago 5:9).

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus #Provérbios26



PROVÉRBIOS 25 #RPSP Comentário Rosana Barros
24 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; se tiver sede, dá-lhe água para beber, porque assim amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça, e o SENHOR lhe retribuirá” (v. 21-22).

Há uma linha de raciocínio muito interessante neste capítulo. Ele inicia falando a respeito de qual deve ser a nossa atitude diante das autoridades (rei), em seguida da atitude com relação ao próximo e termina sobre qual deve ser a atitude de cada um, individualmente.

Você já se olhou no espelho hoje? O espelho revela a descrição física de cada “mau elemento” condenado à pena máxima: morte. Sendo a morte o salário do pecado (Romanos 6:23), estaríamos todos condenados, não fosse a recompensa paga. Cristo veio e assumiu o meu e o teu lugar naquela cruz. Ele veio alimentar quem não merecia (João 6:48), dar de beber a quem não merecia (João 4:14) e ainda prometeu um galardão a estes. Vocês compreendem a grandiosidade da misericórdia divina? Ela é estendida a imerecedores! A respeito disso, escreveu Ellen White: “Nosso único direito à Sua misericórdia é nossa grande necessidade” (A Ciência do Bom Viver, p. 161).

Mediante este entendimento, fica mais fácil compreender os versos áureos de hoje. O amor que outrora levou o Criador à cruz deve ser o mesmo que leva o pecador à luz. E esta luz refletida no imerecedor faz com que ele mesmo perceba que não há melhor forma de dar destaque à luz do que nas trevas. Os inimigos e perseguidores tornam-se oportunidades de exercitar o amor que Cristo imprimiu em nossos corações. E em meio às trevas de perseguições e de injustiças, recebemos a chance de iluminar. Sabemos que alimento e água são as necessidades básicas que todos nós precisamos para sobreviver. É como se a Bíblia nos dissesse que, se nossos adversários estão passando por situação de vida ou morte, e está ao nosso alcance oferecer vida, então é exatamente isso que devemos fazer.

Não cabe a nós vituperar a vida de ninguém (v. 9-10). Muito menos termos “língua fingida” (v. 23). Nossas palavras devem ser “como maçãs de ouro em salvas de prata” (v. 11), para que possamos amontoar brasas vivas sobre a cabeça dos que nos aborrecem. O sentido sobre a expressão “brasas vivas” é incerto, mas, a respeito dela, há o seguinte comentário: “A bondade a um inimigo, procurando-o, quando, na verdade, ele deveria tomar a iniciativa para se reconciliar, pode trazer sobre a cabeça dele brasas vivas de arrependimento e tristeza pelo pecado, que queimarão a má vontade e o tornarão um amigo e servo do SENHOR” (Comentário Bíblico Adventista, vol. 3, p. 1168). Isto é real e pode ser experimentado por cada pessoa que encontrou em Cristo a verdadeira razão de viver. Este tipo de pessoa não se alegra com a queda do inimigo (Provérbios 24:17), mas, se preciso for, se faz de “tapete” para amortecer a queda. Escolha ser um “mensageiro fiel” (v. 13) do SENHOR, iluminando até o caminho dos teus perseguidores, e, certamente, “o SENHOR te retribuirá” (v. 22).

Bom dia, pacificadores, leiam Romanos 12:20!

Desafio do dia: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” – Jesus Cristo. 

Rosana Garcia Barros 
#PrimeiroDeus  #Provérbios25



PROVÉRBIOS 24 #RPSP Comentário Rosana Barros
23 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“A sabedoria é alta demais para o insensato; no juízo, a sua boca não terá palavra” (v. 7).

Ontem assisti a um vídeo impactante e, ao mesmo tempo, totalmente realista, falando sobre a situação da geração atual de cristãos. Vivemos em uma geração que não faz ideia do que seja negar-se a si mesmo e tomar a sua cruz. Onde a Bíblia é o livro mais vendido no mundo, mas que nunca foi tão evitado ou tão mal interpretado. Geração que usa a Palavra de Deus da maneira que lhe convém, e que não aceita a sua utilidade como instrumento corretivo e educativo (II Timóteo 3:16). Geração que ama as bênçãos e não o SENHOR das bênçãos. Que diz louvar a Deus entre quatro paredes, enquanto o louvor aceitável a Deus está nas mãos que se estendem para salvar.

Temos recebido, por assim dizer, uma “avalanche” de conselhos, contudo a vitória está em praticá-los. Não adianta de nada, meu querido irmão e minha amada irmã, estarmos nos alimentando espiritualmente à cada dia se este alimento não for compartilhado com os que têm fome. Eu não chamo o verso 11 nem de conselho, mas de ordem: “Livra os que estão sendo levados para a morte e salva os que cambaleiam indo para serem mortos”. LIVRA! SALVA! Não nos faz lembrar de uma outra ordem que nos foi dada por Cristo? 

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (Mateus 28:19). A nossa missão aqui como cristãos não é outra a não ser IR FAZER DISCÍPULOS, cuidar de gente. Quem zela mais pelas coisas do que pelas pessoas acabará sem palavras no dia do juízo (v. 7).

A graça de Deus tem sido interpretada de forma errônea e muitos se perderão por acreditar que nada do que façam importa para Ele. “E não pagará Ele ao homem segundo as suas obras?” (v. 12). Assim diz o SENHOR: “Dizei ao justo que bem lhes irá; porque comerão do fruto das suas ações. Ai do perverso! Mal lhe irá; porque a sua paga será o que as suas próprias mãos fizeram” (Isaías 3:10-11). “E eis que venho sem demora, e Comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras” (Apocalipse 22:12). Portanto, querer usar de desculpas para enganar os outros pode até funcionar, mas dizer diante de Deus: “Não o soubemos, não o perceberá Aquele que atenta para a tua alma?” (v. 12). Não podemos ser negligentes quanto ao chamado que nos foi feito. João Batista, os discípulos, Paulo e tantos outros deram, literalmente, a vida pelo evangelho. Será que estamos dispostos a fazer o mesmo?

“Teme ao SENHOR, filho meu” (v. 21) “e não será frustrada a tua esperança” (v. 14). Que a operante graça de Jesus em sua vida seja um convite de amor aos teus semelhantes!

Bom dia, testemunhas de Jesus!

Desafio do dia: Peça ao SENHOR que lhe oriente como melhor cumprir a missão e comece a orar por cinco amigos especiais.

Rosana Garcia Barros 
#PrimeiroDeus  #Provérbios24



PROVÉRBIOS 23 – Vídeo Pr Evandro Fávero
22 de abril de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: