Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 35 by jquimelli
29 de agosto de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

O Senhor elogiou os recabitas e os utilizou como exemplo por manterem as promessas feitas aos seus antepassados. Estas pessoas de palavra me lembram outro personagem da Bíblia cuja vida de integridade sempre me inspirou.

José prometeu servir lealmente a Potifar, porém, acima disso, ele prometeu ser fiel e leal a Deus. Quando foi tentado a quebrar sua promessa, José respondeu: “Como poderia eu … cometer algo tão perverso e pecar contra Deus?” (Gn 39:9 NVI). O Senhor abençoou a José por causa de sua fidelidade. Um estudo cuidadoso da história de José confirma que Potifar também confiava nele. Se Potifar tivesse realmente acreditado nas acusações maliciosas de sua esposa, José certamente teria sido executado naquele mesmo dia.

Eu desafio você hoje a ser uma pessoa de palavra. Não faça promessas descuidadamente – faça-as com cuidado e oração. Mas, quando você fizer uma promessa, especialmente a Deus, seja fiel a ela. Em um mundo onde ninguém honra a suas promessas, que a sua vida seja um testemunho de alguém que honra as suas.

Senhor, obrigado porque Tu és fiel a todas as Tuas promessas. Ajude-me, hoje, com a presença capacitadora do Teu Espírito Santo a sempre cumprir minhas promessas. Amém”.

Derek J. Morris
Diretor do Hope Channel

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jer/35, https://www.revivalandreformation.org/?id=1008 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/35/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/06/05/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jeremias 35 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JEREMIAS 35- COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
29 de agosto de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



JEREMIAS 35 – COMENTARIO PR HEBER TOTH ARMI by Maria Eduarda
29 de agosto de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 35 – Sermões com ilustrações práticas são recursos divinos para Deus apelar à fidelidade de Seu povo. Certamente precisamos desse sermão de Jeremias nos dias de hoje.

Jeremias recebe incumbência divina de dar uma ponderosa lição de fidelidade ao povo infiel ao Deus verdadeiro (vs. 1-2). O profeta deveria convocar um grupo dos descendentes de Recabe, que receberam fortes influências de Jonadabe havia cerca de 300 anos, o qual auxiliara Jeú a exterminar o culto ao deus Baal, no Reino do Norte em 841 a.C. (II Reis 10:15-28).

Os recabitas tinham parentesco com o sacerdote queneu, Jetro, sogro de Moisés (Juízes 1:16; 4:11). Jonadabe, filho de Recabe, deu instruções, nas quais seus descendentes preservaram e permaneceram fieis por séculos. As regras eram:

1. Não beber vinho;
2. Não construir casas;
3. Não cultivar a terra;
4. Habitar em tendas como nômades, para viverem bem e prosperarem.

Num contexto de guerra, conquistas, lutas por poder, etc., Jonadabe viu na vida simples uma forma de sobreviver; então, passou esse estilo de vida a seu povo. O vinho arruína a família, possuir casas e plantações dificulta quando precisassem deslocar-se devido às políticas das nações e Impérios.

Como havia perigo por todos os lados nos dias de conquistas do Império Babilônico, os recabitas buscaram abrigo em Jerusalém (v. 11).

Aproveitando que estavam entre eles, Jeremias convida-os a passarem uma lição aos judeus infiéis na frente dos líderes espirituais, no Templo. Eles deram um impactante exemplo de fidelidade ao recusarem o pedido de Jeremias. Eles não beberam vinho, não cederam à solicitação do profeta (vs. 3-10).

Deus usa o sermão prático dos recabitas para revelar Sua indignação ao Seu povo infiel, e explicar a razão da deportação deles ao exílio (vs. 12-17). Entretanto, antes dos recabitas se retirar, Jeremias proferiu bênção eterna aos dedicados e perseverantes descendentes de Jonadabe (vs. 18-19).

Pergunto:

• Nosso estilo de vida baseia-se na Palavra de Deus ou nas filosofias do inferno?
• Os valores transmitidos aos filhos são bíblicos ou mundanos, paganizados?
• Nossa fidelidade é evidente e exclusiva para Deus ou para coisas supérfluas?
• Perdemos tempo com tudo, consequentemente não investimos na Palavra de Deus?

Não devemos ignorar a mensagem nem os mensageiros de Deus; pois, assim tapamos os ouvidos para Deus. Reavivemos nossa fidelidade! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 35, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Por isso, assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Nunca faltará homem a Jonadabe, filho de Recabe, que esteja na Minha presença” (v. 19).


O legado deixado através da educação familiar de fato é, de toda a ciência da educação, o maior formador de valores que existe. Diversas culturas e religiões têm sido preservadas até hoje pelo antigo método “de pai para filho”. O ensino do lar sempre foi o mais eficaz em seus efeitos e o mais terrível quando mal estabelecido. De uma forma bem clara e didática, o SENHOR nos deixou o passo a passo da educação cristã quando Moisés recitou as seguintes palavras:

“Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.
Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.
Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levanta-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.
E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas”
(Deuteronômio 6:4-9).

Jonadabe, filho de Recabe, compreendeu bem esta ordem e com diligência a cumpriu. Em meio a uma geração corrompida de falsos adoradores, permaneceu fiel a Deus entre os “sete mil joelhos” que não se prostraram diante de Baal (1 Reis 19:18). E, cheio de zelo pela causa do SENHOR, teve participação ativa na destruição da casa de Baal (2 Reis 10:23). A Bíblia não relata como ele fez para que, muitos anos depois seus descendentes ainda permanecessem fiéis aos princípios que ele estabeleceu, porém, certamente, ele utilizou o método divino de ensino que vimos no livro de Deuteronômio. E este é infalível!

O pedido feito por Deus a Jeremias testaria os princípios dos recabitas, que, mediante a sua fidelidade, seriam um testemunho vivo de que o Seu método, quando diligente e humildemente aplicado, produz gerações que cultura alguma consegue corromper. Jonadabe teve a difícil missão de educar a sua família no reinado de Acabe e de Jezabel. Inseridos em uma sociedade de moral corrompida e de valores distorcidos, procurou ensinar seus filhos a sábia lição da abstinência. O não consumo do vinho os manteria longe de confusões e livres de uma mente entorpecida pelo álcool. A peregrinação os livraria das más associações e da contemplação do mal entre seus conterrâneos idólatras e imorais. Mas, acima de tudo, seu patriarca os ensinou a serem fiéis às palavras do SENHOR, amando-Lhe e obedecendo-Lhe. O que, infelizmente, não era feito pelos filhos de Deus com relação aos Seus mandamentos (v. 14).

Será que estamos distantes da realidade que viveu Jonadabe? Vivemos em uma geração que chama o amargo de doce e o doce de amargo. Que não sabe mais fazer diferença entre o certo e o errado, muito menos entre o santo e o profano. Que, à semelhança dos dias do profeta Elias, vive coxeando entre dois senhores. Que diz adorar a Deus, mas que não está disposta a fazer como os recabitas e renunciar tudo aquilo que possa corromper os princípios bíblicos. Com a mente entorpecida pelos encantos de Babilônia e “com o vinho de sua devassidão” (Apocalipse 17:2), multidões têm construído casas já condenadas a ruir. E, terrivelmente, o povo de Deus não está livre desta desgraça espiritual.

Enquanto um grupo ergue a bandeira do “nada a ver”, outro grupo marcha com o ardente desejo de defender o legalismo. E, numa guerra “santa” sem sentido, Satanás exulta ao ver os seus desígnios sendo estrategicamente cumpridos e o verdadeiro evangelho sendo deixado de lado. Oh, quão triunfante seria a vitória da igreja e quão grande seria a derrota do maligno se cada família despertasse para o tempo solene no qual estamos inseridos! Se cada pai e cada mãe compreendesse a responsabilidade que lhes pesa na educação do lar! Os princípios estabelecidos por Deus seriam difundidos, o evangelho seria pregado com a eficácia dos tempos apostólicos e veríamos todos, ainda em vida, o cumprimento da grandiosa promessa do retorno do nosso SENHOR Jesus Cristo!

Eis o chamado de Deus para o Seu povo, AGORA: “Convertei-vos, AGORA, cada um do seu mau caminho, fazei boas as vossas ações e não sigais a outros deuses para servi-los” (v. 15). Que de nossa casa proceda a geração de verdadeiros adoradores, e, em verdade, “nunca faltará” descendência a __________, filho do Altíssimo, que esteja na Sua presença para sempre (v. 19)!

Bom dia, recabitas atuais!

Desafio do dia: Estabeleça um horário especial de oração da família onde, todos os dias, vocês possam estar unidos em oração.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias35
#RPSP



JEREMIAS 35 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
29 de agosto de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



JEREMIAS 35 – COMENTARIOS SELECIONADOS by jquimelli
29 de agosto de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

Nos dias de Jeoaquim. A experiencia registrada no cap. 35 ocorreu no periodo inicial do ministerio de Jeremias, pouco antes de os babilonios atacarem Jerusalem (ver PR, 423). CBASD, vol.4, p. 521.

Recabitas. O progenitor desta familia foi Jonadabe, ou Jeonadabe (v. 6) [filho de Recabe], que viveu nos dias de Jeu, rei de Samaria (841-814 a.C.), aproximadamente 240 anos antes. … Jonadabe insistiu que seus seguidores adotassem um rigido modo de viver. CBASD, vol.4, p. 521.

À camaa. Estes quartos ou apartamentos anexados ao templo (1Rs 6:5), aparentemente, eram designados a importantes sacerdotes ou profetas… A expressao “homem de Deus” indica que Jigdalias era um profeta. CBASD, vol.4, p. 521.

Nao beberemos vinho. Por toda a vida os recabitas foram como os nazireus (ver com. de Nm 6:2-5), um povo separado, vivendo longe das cidades e se abstendo de possuir bens. CBASD, vol.4, p. 521.

11 Quando, porem, Nabucodonosor. Os recabitas explicaram que foram forcados a ir temporariamente à cidade de Jerusalem com os outros habitantes da terra de Judá, por causa da invasão babilônica (Jr 4:6; 8:14; cf. 2Rs 24:1, 2). CBASD, vol.4, p. 521.

13 Nunca aceitareis … ? Em marcante contraste com os recabitas, que tinham persistido fielmente por séculos em obedecer às normas de seu ancestral, Jonadabe, “os homens de Judá e os moradores de Jerusalem”, embora afirmassem ser os filhos de Deus, persistentemente recusavam “ouvir” o conselho divino (ver com. de Jr 7:13). CBASD, vol.4, p. 521.

18 Pois que obedecestes. O que Deus particularmente elogia neste versículo é a constancia e a fidelidade dos recabitas, apresentadas na consideração de uma lei humana. CBASD, vol.4, p. 521.

19 Nunca faltará homem. Tais promessas sao, naturalmente, condicionais à continua fidelidade dos descendentes (ver com. de 1Rs 2:4). A lealdade dos filhos de Recabe a vida abstemia ordenada a eles, foi uma dura reprovação ao apostata e imoral povo de Judá como um todo. CBASD, vol.4, p. 521.




%d blogueiros gostam disto: