Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 8 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
2 de agosto de 2017, 21:14
Filed under: Sem categoria

1 Naquele tempo. Época em que ocorreriam os eventos registrados em Jeremias 7:32 a 34. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 421.

Lançarão para fora … os ossos. O motivo seria pilhagem, procura por tesouros, ornamento e insígnias, que normalmente eram enterrados com os reis … [ou] o desejo de mostrar desprezo e afronta aos mortos. Tal prática está em harmonia com os horrendos costumes dos assírios ao lidar com os túmulos dos reis das regiões conquistadas. As classes que tiveram seus ossos tratados dessa forma eram as que lideraram a apostasia em Judá. CBASD, vol. 4, p. 421.

2 Espalhá-los-ão ao sol, e à lua, e a todo o exército do céu, a quem tinham amado. Há uma ironia nesta ilustração. Os corpos celestes testemunham, silentes, a profanação dos ossos de seus adoradores.  CBASD, vol. 4, p. 421.

8 Como, pois dizeis: somos sábios, e a lei de Deus está conosco? Evidentemente, isto se refere em especial aos sacerdotes e aos falsos profetas (ver v. 10; Jr 2:8; 5:31). Foram eles que se gabaram de conhecimento e posse da lei, apesar de sua negligência com as exigências divinas. CBASD, vol. 4, p. 421.

Converteu em mentira. Os falsos profetas não desejavam as instruções de Jeremias, pois se consideravam sábios e criam ser divinamente nomeados como professores do povo. Os sacerdotes também fizeram o povo errar, falsificando os ensinamentos das Sagradas Escrituras. CBASD, vol. 4, p. 421.

14 Venenosa. Do heb ro’sh, uma planta amarga e venenosa … , possivelmente a cicuta, o coloquíntida, a papoula ou a beladona. CBASD, vol. 4, p. 422.

16 . Uma cidade na fronteira norte da Palestina (ver com. de Jr 4:15). CBASD, vol. 4, p. 422.

17 Encantamento. A fúria do inimigo não poderia ser aplacada ou dissipada por qualquer arte ou método. CBASD, vol. 4, p. 422.

29 Passou a sega. Alguns consideram este versículo como uma queixa dos cativos; outros, como uma continuação do amargo lamento do profeta por seu povo condenado. em qualquer caso, este é o lamento do fracasso. Na Palestina, a safra de grãos começa por volta de abril. A colheita dos frutos ocorre por volta de agosto ou setembro. Quando as culturas de grãos se perdiam, ainda havia uma colheita de uvas, figos, azeitonas, etc. Para Judá, no entanto, a estação de coleta de frutas – a última oportunidade – tinha passado, e não haveria libertação. Seu destino era inevitável. Logo virá o último verão do mundo e com ele a última colheita. então, dos lábios de milhares, que agora vivem complacentemente, novamente subirá esse clamor de desespero (ver T7, 16).  CBASD, vol. 4, p. 423.

22 Bálsamo. Uma resina ou goma aromática muito valorizada por suas propriedades terapêuticas (ver Jr 46:11; 51:8), derivada de uma pequena árvore perene que crescia na região montanhosa a leste do Jordão. O produto era exportado na época do AT (ver Gn 37:25; Ez 27:17).Não havia bálsamo para as feridas espirituais de Israel, nem médico para aplicá-lo? A resposta implícita é: “Sim, há.” A mensagem trazida pelos profetas, caso atendida, teria fornecido a cura.  CBASD, vol. 4, p. 423.

Por que, pois, não se realizou a cura … ? A falta de cura para o povo não era devido à ausência de meios para efetivá-la, mas à recusa da nação em ir ao Grande Médico. Talvez o povo tenha se tornado insensível às suas necessidades. Talvez tenha ficado muito orgulhoso para aceitar o remédio e pensasse que poderia curar a si mesmo. Talvez tenha passado a gostar da doença. De qualquer maneira, não quis olhar para o Médico e viver. CBASD, vol. 4, p. 423.

Filha do Meu povo. Expressão hebraica comum que indica que a nação de Israel, ao longo da história, foi a “mãe” e aquela geração era a “filha”. CBASD, vol. 4, p. 423.



JEREMIAS 8 by jquimelli
2 de agosto de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Pouco tempo depois de abrir uma conta em uma grande rede social, há alguns anos, decidi postar dezenas de antigas fotos do ensino médio. Eu estava ansioso por compartilhar essas memórias na forma de fotos com outros colegas de classe que eu havia encontrado na Internet. E estava expectante para saber notícias deles e ouvir a respeito de suas recordações dos tempos de ensino médio.

Um ou dois dias depois da postagem, fiquei chocado ao descobrir que um colega havia escrito um comentário cheio de palavrões debaixo da imagem de um dos nossos antigos professores. Eu me senti envergonhado pelo professor, pelos amigos que podiam ter lido o comentário e envergonhado de mim mesmo por ter dado início à situação embaraçosa. Rapidamente apaguei aqueles comentários e esperando não ofender esse ex-colega, enviei-lhe uma mensagem alertando-o da impropriedade do que tinha feito.

Ele escreveu de volta: “Oh, eu não tive a intenção de ofender ninguém”. Mas ele não mencionou nada sobre estar envergonhado pelo que havia escrito. Embora ele e eu sejamos ambos filhos de missionários e tenhamos sido colegas no mesmo colégio cristão, pude perceber que ele não está mais interessado em Deus. Entendi o procedimento dele porque há alguns anos eu também não estava interessado em ter Deus em minha vida e não me sentia envergonhado pela minha linguagem de baixo calão e outros pecados menores.

Não sentir vergonha por nossos pecados é algo perigoso. Quando deixamos de fazer diferença entre o certo e o errado, corremos o risco de deixar de ouvir a suave voz do Espírito Santo que sempre nos exorta a proceder corretamente. Este é o triste estado a que chegaram os israelitas. Observe o versículo 12, quando o Senhor perguntou: “Ficaram eles envergonhados de sua conduta detestável? Não, eles não sentem vergonha, nem mesmo sabem corar” (NVI).

As consequências vieram rapidamente para os israelitas. Deus predisse a vinda de um julgamento divinamente imposto: “O que eu lhes dei será tomado deles” (v. 13).

Quando deixamos de ouvir a suave voz de Deus perdemos grandes privilégios e bênçãos.

Oração: “Querido Deus, mantenha a minha consciência sensível aos sussurros do Espírito Santo. Molda-me à Sua semelhança. Faz com que eu tenha aversão ao mal e ame a retidão e a boa conduta. Amém”.

Andrew McChesney
Editor da revista Adventist Mission

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jer/8, https://www.revivalandreformation.org/?id=1034 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/8/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/05/09
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jeremias 8 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JEREMIAS 8 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
2 de agosto de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria


JEREMIAS 8 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
2 de agosto de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 8 – Não devemos conformar-nos com o secularismo, nem com o mundanismo. Precisamos de uma filosofia bíblica para reger nossa vida visando um futuro feliz e abençoado.
Convido-te a refletir nestes pontos importantes:
• Toda pessoa que despreza um encontro com Deus, inevitavelmente terá um encontro com a calamidade. Os judeus arrogantes, impenitentes e acomodados em sua libertinagem, veriam que “mais miserável seria o destino dos sobreviventes do que o dos mortos” (R. K. Harrison) (vs. 1-3).
• A natureza obedece ao Criador, mas o povo de Deus, liberto, abençoado e privilegiado, desobedece. “Jeremias acha inacreditável que um povo pode se comportar tão contra a natureza em relação ao Seu Criador” – comenta Harrison (vs. 4-7).
• Falsos líderes religiosos sempre existiram. Os versículos 8-12 “mostram como os responsáveis pelo culto em Jerusalém levaram toda a nação para caminhos errados, alegando estar fazendo o que a Torá manda… Já a esta altura havia mestres sem estudo e preparo que distorciam as Escrituras, para sua destruição e dos outros (2Pe 3:16)”, acrescenta Harrison.
• Observando o destino inevitável de Judá devido a seus inúmeros pecados (vs. 13-17), Jeremias não contém suas emoções. Os últimos versículos do capítulo “evidenciam a agonia intensa por que Jeremias passou quando contemplou a ruína de seu povo. Sua tristeza provinha do conflito entre seu amor pela pátria e sua fidelidade total aos mandamentos de Deus” (Harrison).
A satisfação consigo mesmo, o apego ao pecado, a negligência às advertências divinas, a deterioração do ensino das Escrituras, são problemas de outrora e de agora. Eis a razão da ausência de verdadeiro reavivamento.
Enfrentamos uma crise religiosa, eclesiológica e pessoal, devido aos mesmos problemas antigos revividos no presente. Precisamos entender que a aversão ao arrependimento impossibilita o reavivamento.
Neste texto “a lei e os profetas ficam de fato bem próximos, pois o profeta deve pregar a lei que vem sendo negligenciada, modificada e rejeitada. A nação não pode se beneficiar, de uma forma ou de outra, do mal uso da revelação divina. Pelo contrário, esse uso errôneo distancia-os dos alicerces teológicos que os sustêm na terra santa” (Paul R. House).
• Não estamos, também, perdendo bênçãos pelos mesmos motivos: Negligência, distorção e rejeição da Palavra de Deus?
• Não precisamos também urgentemente das advertências do profeta Jeremias?
Arrependamo-nos! Reavivemo-nos! Reformemo-nos! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 8, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos” (v. 20).


Distante do temor do SENHOR, Judá dizia servir ao Deus que não mais conhecia. Suas palavras eram falsas, seus pensamentos eram perversos e suas ações, terríveis. Não havia limites para pecar e não sabiam mais o significado de amar. Estavam colhendo os frutos ruins de seu plantio abominável. Mas o SENHOR não desistia deles!

Nada do que o profeta falasse os fazia mudar de ideia, pois “rejeitaram a Palavra do SENHOR” (v. 9). Não existia um só do povo que buscasse a Deus, “porque, desde o menor deles até ao maior, cada um” era governado pela ganância e movido pela falsidade (v. 10). Até o que nunca tinha passado pela mente do SENHOR, aquele povo fazia, queimando seus filhos como sacrifícios a deuses estranhos (Jeremias 7:31). Falavam mentiras sem escrúpulos e não havia ninguém “que se arrependesse da sua maldade, dizendo: Que fiz eu?” (v. 6). Ou seja, era um típico caso perdido. Mas o SENHOR não desistia deles!

É interessante lançarmos uma lupa sobre a seguinte pergunta feita por Deus: “Quando alguém se desvia do caminho, não torna a voltar?” (v. 4).

Na carta à igreja de Éfeso, primeira igreja do Apocalipse, Jesus revela a causa de Sua indignação para com ela: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor” (Ap. 2:4).

Quantas vezes, por darmos o primeiro passo na direção certa, pensamos ser o suficiente para permanecermos nela. Contentamo-nos com o início sem nos preparar para chegarmos ao destino final.

O povo tinha perdido o seu primeiro amor, e abandonaram o caminho. Quando aceitamos a Cristo como o nosso SENHOR e Salvador e nos batizamos, declaramos ao mundo que somos novas criaturas; que a partir dali seguiremos o Caminho (João 14:6). Só que por vezes esquecemos que a jornada cristã é um processo (Provérbios 4:18). Um processo gradativo. E se por um acaso houver um desvio de rota, Deus nos chama de volta: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras” (Ap. 2:5).

Era este o convite do SENHOR ao Seu povo. Este é o convite do SENHOR a cada filho que se desviou do caminho eterno. O desconsolo de Jeremias (v. 18) nos revela a deplorável situação de seus conterrâneos: voluntariamente perdidos. Em breve a colheita findará, e aqueles que deliberadamente rejeitaram ao convite divino concluirão por si mesmos: “não estamos salvos” (v. 20).

Hoje, Deus nos chama para redescobrir o primeiro amor, retrocedendo para podermos avançar! Se por algum motivo você se desviou; se mesmo dentro da igreja você não encontra motivação para buscar e amar ao SENHOR, Ele lhe diz agora:
EU NÃO DESISTO DE VOCÊ!

Como fez Jacó, apegue-se a Deus com todas as suas forças e tome a firme decisão: “Não Te deixarei ir se me não abençoares” (Gênesis 32:26).

Bom dia, alvos do amor de Deus!

Desafio do dia: Envie uma mensagem “DEUS NÃO DESISTE DE VOCÊ!” a alguém que você sabe ou sente que está se afastando dos caminhos de Deus. Ore por e com essa pessoa.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias8
#RPSP



JEREMIAS 8 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
2 de agosto de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: