Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 17 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
11 de agosto de 2017, 7:00
Filed under: Sem categoria

Ponteiro de ferro. Um estilete (NVI, BJ) ou uma ferramenta para esculpir (ver Jó 19:24). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 456.

Diamante. Pedra afiada colocada no ferro para gravura em metal. … empregada neste versículo para mostrar que “o pecado de Judá” estava profundo e endelevelmente gravado “nas tábuas do coração” (ver 2Co 3:3). CBASD, vol. 4, p. 456.

Nas pontas. Muito provavelmente as pontas dos altares de culto idólatra. CBASD, vol. 4, p. 456.

Seus filhos se lembram. Educadas em um ambiente de idolatria, as crianças estariam inclinadas a adotar o mesmo caminho perverso. CBASD, vol. 4, p. 456.

Postes-ídolos. Do heb. ‘asherim. Aserá era o nome de uma deusa cananeia adorada com ritos licenciosos, cujo símbolo era uma árvore ou um poste de madeira (ver com de Jz 3:7; ver vol. 2, p. 21, 22). CBASD, vol. 4, p. 456.

Árvores frondosas.Embora Aserá não fosse um bosque, o santuário dessa deusa pagã geralmente estava ligado a um bosque, assim como os “altos montes” foram associados a altares pagãos (ver Dt 12:2, 3; Is 57:7). CBASD, vol. 4, p. 456, 457.

Ó monte do campo. Local onde as idolatrias eram realizadas, ou seja, nas montanhas. CBASD, vol. 4, p. 457.

Teus tesouros darei. Uma alusão aos despojos que os babilônios invasores levariam de Jerusalém, especialmente, do templo (ver 2Rs 24:10-16). CBASD, vol. 4, p. 457.

Te privarás da herança que Te dei. Rendição da “herança” de Judá aos caldeus … deixar a terra sem ser cultivada, ou permitindo que ela “descanse” (ver Êx 23:10, 11). O país de Judá, por causa de seu cativeiro próximo, “descansaria” e “desfrutaria seus sábados” (ver Lv 26:32-34; 2Cr 36:21). CBASD, vol. 4, p. 457.

5 Maldito o homem que confia no homem. Percebendo que boa parte dos problemas experimentados pela nação foram causadas por suas alianças com a Assíria e o Egito, o que indicava uma transferência da confiança no Senhor para o “braço” do homem, o profeta subitamente denuncia os responsáveis por essa confiança enganosa. … As nações das quais os israelitas dependiam de ajuda não eram mais do que um conjunto de seres humanos sujeitos às fraquezas comuns a toda a humanidade. A mensagem do profeta tem significado para os dias atuais. Como é fácil para as pessoas procurarem fontes humanas de ajuda e orientação, em vez de confiar no que Deus prometeu! CBASD, vol. 4, p. 457.

6 Confia no homem. Uma forte imagem de desolação e esterilidade. Nesta triste e desamparada condição, totalmente á parte das bênçãos que poderiam ter sido suas, a pessoa que confia no homem “não virá quando vier o bem”. CBASD, vol. 4, p. 457.

Terra salgada. Esta surpreendente imagem imediatamente chamaria a atenção para as costas desoladas do Mar Morto, estéril por causa do conteúdo salgado da água e do solo. CBASD, vol. 4, p. 457.

Árvore plantada junto ás águas … não receia. Recebendo muita umidade, esta árvore florescente não é ameaçada pela chegada de uma seca. Assim é com os justos, que recebem força para cada aflição por causa de sua confiança em Deus. CBASD, vol. 4, p. 457.

10 Coração. Literalmente, “rins” (BJ), como representação do interior do ser humano, dos motivos escondidos (ver com. de Sl 7:9). Deus julgará “a cada um conforme as suas obras” (ver Mt 16:27; Rm 14:12; 2Co 5:10; Ap 22:12). [Aos salvos serão atribuídas as obras e méritos perfeitos de Jesus.] O juízo não lidará apenas com as obras dos seres humanos, mas também levará em consideração o “fruto” e a influência dessas obras sobre os outros, tanto na vida como na morte. CBASD, vol. 4, p. 457, 458. 

11 Como a perdiz. Experiência da pessoa gananciosa, cuja cobiça a levava a amontoar riquezas alheias e que, cedo ou tarde, elas fariam “para si asas” e desapareceriam (ver Pv 23:5). CBASD, vol. 4, p. 458.

14 Cura-me. Ver Jr 3:22; 30:17; 33:6. O profeta conhece o único que pode curar seu coração pecaminoso (ver Sl 6:2; 30:2; 103:1-3). CBASD, vol. 4, p. 458.

15 Que se cumpra! Estas são as palavras irônicas e debochadas de israelitas não arrependidos, em resposta ás advertências de juízo feitas por Jeremias. CBASD, vol. 4, p. 458.

16 Eu não me recusei a ser pastor. A frase foi traduzida na AA como: “não instei contigo para enviares sobre eles o mal”. CBASD, vol. 4, p. 458.

Nem tampouco desejei. O profeta protesta que, por não desejar ver “o dia da aflição” do juízo divino que ele predisse contra seu povo, ele não estava ansioso para ser o porta-voz de Deus. CBASD, vol. 4, p. 458.

19 Assim me disse o SENHOR. A partir daqui se inicia uma nova linha de profecias sem ligação direta com as anteriores. Esta mensagem foi enviada, possivelmente, depois das registradas em jeremias 14 a 17:18, e algum tempo antes do discurso do templo (ver com. de Jr 7:1; ver também PR|, 411). CBASD, vol. 4, p. 458.

21 Assim diz o SENHOR. Este versículo e os seguintes mostram que a profanação do sábado continuava em Jerusalém, principalmente nas “portas” da cidade (ver com. de Gn 19:1; Js 8:29). CBASD, vol. 4, p. 458.

Cargas. Pode ser visto um registro semelhante a respeito da quebra do sábado em Neemias 13:15 a 22. Estas cargas incluíam grãos, vinho, frutas, peixe e outros artigos comerciais trazidos de outros reinos para dentro da cidade, por meio daqueles que vinham ao templo para adorar [principalmente para serem comercializadas no domingo]. … Desta forma, a ilustração apresentada é da negligente observância do sábado, uma prática muito desagradável a Deus (ver Is 56:2-6; cf. Jr 58:13, 14). CBASD, vol. 4, p. 458.

25 Pelas portas desta cidade entrarão reis e príncipes. Seria difícil encontrar alguma passagem bíblica que relate mais acertadamente a grande importância da observância do sábado. Se os judeus tivessem sido leais às leis de Deus, e especialmente ao mandamento do sábado, bênçãos sem medida teriam sido deles. CBASD, vol. 4, p. 459.

Andando em carros e montados em cavalos. Símbolos de pompa real (1Rs 426; Zc 9:9, 10). CBASD, vol. 4, p. 459.

Será para sempre habitada. Promessa de um destino glorioso que poderia ter sido de Jerusalém (ver DTN, 577; cf. PR, 46, 46, 564; ver também p. 16, 17). CBASD, vol. 4, p. 459.

27 Não me ouvirdes. A falha dos israelenses em observar o sábado provocaria trágico resultado (ver 2Rs 25:9). CBASD, vol. 4, p. 459.

Não se apagará. Isto não indica que o fogo arderia sem cessar, mas que o “fogo” da justiça retributiva de Deus não se extinguiria até que Seu propósito estivesse completo. Jerusalém foi destruída com fogo pelos babilônios, em 586 a.C., e pelos romanos, em 70 a.D. em ambos os casos, nenhum esforço humano conseguiu interromper a deflagração, até que a obra de destruição a eles atribuída estivesse completa. CBASD, vol. 4, p. 459.



JEREMIAS 17 by jquimelli
11 de agosto de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

O Espírito Santo de Deus, através do profeta Jeremias (Jer 17:1) está aqui usando um poderoso contraste para transmitir uma dolorosa realidade. Os pecados da nação de Judá – o próprio povo escolhido de Deus – estavam permanentemente escritos nas pontas dos seus altares e em seus corações. Como isso aconteceu? Simples: “Maldito o homem (ou mulher) que confia no homem” (Jer 17:5 ARA). Qual é o resultado inevitável disto? O coração daquele que confia no homem se afasta do Senhor.

“Mas bendito é o homem (ou mulher) cuja confiança está no Senhor!” (Jer 17:7 NVI). Que incrível diferença! Eu preciso ter esses resultados na minha vida!
Porém, “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto”! (v. 9a ARA). O grito doloroso: “quem o conhecerá?” (v 9b) ecoa através dos tempos e em nossa própria consciência despertada.

Alguma vez você já desejou tanto alguma coisa ruim que chegou a conversar consigo mesmo sobre isto? E se arrependeu depois por isso? Eu já. Descobri, nesta ocasião, que se você disser algo a você mesmo por muito tempo (mesmo que esteja mentindo para si próprio) você vai acabar acreditando!

Não importa quem somos, nós realmente não conhecemos a nós mesmos. “Só de um modo o verdadeiro conhecimento do próprio eu pode ser alcançado. Precisamos olhar a Cristo. O desconhecimento dEle é que dá aos homens uma tão alta ideia de sua própria justiça. Ao contemplarmos Sua pureza e excelência, veremos nossa fraqueza, pobreza e defeitos, como realmente são. Ver-nos-emos perdidos e sem esperança, vestidos com o manto da justiça própria, como qualquer pecador. Veremos que se afinal formos salvos, não será por nossa própria bondade, mas pela graça infinita de Deus” Parábolas de Jesus, 79.

Não é à toa que nos versos 13 e 14 ouvimos Jeremias proclamar sua necessidade da graça divina em uma significativa oração! E, assim, também, oramos: “Querido Pai, ’cura-me, … e serei curado; salva-me, e serei salvo, pois Tu és aquEle a Quem eu louvo’ (v. 14 NVI). Tu és minha única esperança! Amém”.

Dan Houghton
Centro de Pesquisa Hart – http://www.hartresearch.org/
Califórnia, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jer/17, https://www.revivalandreformation.org/?id=1026 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/17/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/05/18
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jeremias 17 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JEREMIAS 17 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
11 de agosto de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria


JEREMIAS 17 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
11 de agosto de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 17 – Pecado é independência e morte. Independência de Deus é a essência do pecado. Dependência de Deus é a essência da verdadeira religião.

O maior dos pecados da humanidade não consiste em vícios, fantasias e quedas; é o fato de não buscar a Deus, não orientar-se por Sua Palavra.

O pecado é uma grande tolice. O idiota faz o que é errado pensando ser certo e, acusa quem faz certo acreditando estar errando. O pecado cega, ensurdece e embrutece as pessoas: Leva o pecador pelo caminho que conduz ao inferno fazendo-o sentir sensações de que está indo para o céu.

Atenção:

• O pecado substitui o amor a Deus no coração por amor a qualquer coisa, na maioria das vezes, banais (v. 1).

• O pecado influencia desde a infância a fim de anestesiar a consciência de toda pessoa. Isso é fato, pois o coração de tantas pessoas está repleto de pecado a tal ponto de que, só através de Deus, o pecador poderá discernir a intensidade de sua situação – embora muitos preferem suas próprias opiniões moldadas por tradições infernais (vs. 2-11, 19-27).

• O pecador, desejando ser um remanescente fiel e obter a salvação em Cristo Jesus, deve aceitar o diagnóstico divino e pedir perdão e restauração, libertação e cura (vs. 12-14).

• O pecador causa dor e sofrimento ao servo do Senhor, o qual clama por socorro e firma-se em Deus. O crente ergue os olhos do problema para Deus através da oração (vs. 15-18).

O pecador precisa saber que perdão não é libertação para pecar, mas libertação do pecado. O crente fiel é aquele que pranteia seus pecados, abandona tudo o que lhe afasta de Deus, objetivando viver dependendo de Seu poder.

Há maldição em confiar em si mesmo ou em qualquer outra pessoa, ensinamento ou coisa, que as afastam de Deus (vs. 5, 19-23), mas há bênção em confiar nEle e em Suas instruções (vs. 7-8, 24-26).

O sábado é como a aliança de compromisso visível entre Deus e Seus súditos (v. 27). Por isso, nunca foi fácil observá-lo corretamente!

Sobre o sábado, devemos…

• Estudá-lo biblicamente!
• Discerni-lo espiritualmente!
• Revitalizá-lo urgentemente!
• Observá-lo corretamente!
• Proclamá-lo profusamente!

Como Jeremias, devemos ser porta-vozes de Deus e Sua Palavra, não de conceitos ou preconceitos humanos. Sejamos fieis, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 17, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
11 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (v. 9).


A ilustração acerca do “pecado de Judá” (v. 1) revela a dimensão da rebelião daquele povo. E a diferença entre os versos 5 e 7, o motivo de sua destruição. Escolheram a maldição (v. 5) e rejeitaram a bênção (v. 7). Atentem para os resultados da maldição contidos no verso 6 e para os resultados da bênção no verso 8. O conteúdo deste último verso como uma continuação do verso 7, é praticamente uma repetição do Salmo inaugural: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios… Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido” (Salmo 1:1 e 3).

Deixar de confiar em Deus para confiar em palavras humanas não é somente uma escolha errada, mas uma maldição. Deixar de seguir a voz de Deus para seguir a voz de nosso enganoso coração é, no mínimo, “insensato” (v. 11). “Ouça a voz do seu coração” tornou-se uma frase ovacionada em um mundo cada vez mais destituído de princípios. E a vida é transformada em uma “roleta-russa” cujo desfecho termina em tragédia, trocando o vital pelo fatal.

Amados, três princípios fundamentais estão contidos neste capítulo. Primeiro deles: “Bendito o homem que confia no SENHOR” (v. 7). Esta bem-aventurança é a garantia da vitória sobre o mal: “e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (I João 5:4). A confiança nos leva a ter um relacionamento pessoal com o nosso Salvador e, por meio dEle, somos justificados.

O segundo princípio está contido no verso 10: “Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, Eu provo os pensamentos”. Deus sonda cada coração humano. Jesus revelou a importância deste princípio ao colocar uma “lupa” sobre os mandamentos no sermão da montanha. Ele ampliou a observância da lei ao deixar bem claro as obras que o SENHOR leva em conta: “Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com INTENÇÃO IMPURA NO CORAÇÃO, já adulterou com ela” (Mateus 5:28). Quando Ele voltar, todos “conhecerão”, diz Jesus, “que Eu sou Aquele que sonda mentes e corações, e vos darei a cada um segundo as vossas obras” (Apocalipse 2:23). Ou seja, Deus não olha para o que fazemos, mas com que intenção fazemos.

E o terceiro e último princípio que gostaria de destacar é o que “Assim diz o SENHOR: Guardai-vos por amor da vossa alma” (v. 21). A santificação do sábado, quarto mandamento do Decálogo, faz parte não apenas de um conjunto de regras impostas por Deus, mas da “lei da liberdade” (Tiago 2:12) que nos guarda pelo amor de um Pai que o criou para o nosso próprio bem (Marcos 2:27). A obediência aos mandamentos do SENHOR não consiste em uma fé cega, mas em uma confiança pré-estabelecida através de um relacionamento de amor com o SENHOR dos mandamentos. Bem observa George Knight: “É normal para o cristão guardar a lei, pois o próprio princípio da lei, que é amor a Deus e ao próximo, se acha escrito nas ‘tábuas de carne’ do coração (2 Co. 3:3). Assim, o cristão está mais próximo da lei de Deus do que o legalista, pois os verdadeiros cristãos ‘nasceram do alto’ (João 3:3, 7) e tiveram a mente e o coração transformados (Rm. 8:4-7)” (Pecado e Salvação, p. 70-71).

“Ouvi a palavra do SENHOR” (v. 20)! Ele nos chama com grande urgência para uma entrega completa e genuína do nosso coração. Os sinais mostram o cumprimento das profecias para o tempo do fim, e a nossa maior necessidade hoje é do poder dobrado do Espírito Santo a nos conduzir “a toda a verdade” (João 16:13). Que como Jeremias, possamos clamar a cada dia: “Cura-me, SENHOR, e serei curado, salva-me, e serei salvo; porque Tu és o meu louvor” (v. 14)!

Bom dia, benditos do SENHOR!

Desafio do dia: Você já fez a sua assinatura da lição da escola sabatina? Faça já a sua. Não fique sem o seu maná diário. Acesse o site: https://projetomana.cpb.com.br

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias17
#RPSP



JEREMIAS 17 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
11 de agosto de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: