Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 34 by jquimelli
28 de agosto de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Nenhum de nós gosta de receber más notícias. Mas o que você prefere, uma boa notícia falsa ou uma má notícia verdadeira? O rei Zedequias recebeu más notícias do profeta Jeremias: os exércitos de Nabucodonosor, rei da Babilônia, destruiriam Jerusalém e o rei seria levado cativo.

Jesus também deu uma má notícia aos seus seguidores : “Eu lhes tenho dito tudo isso para que vocês não venham a tropeçar. Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus.”(João 16:1-2, NVI).

Por que o Senhor dá essas más notícias ao Seu povo? A resposta é simples: Ele quer nos preparar para os tempos difíceis pela frente. A melhor preparação para a angústia ou perseguição é uma relação pessoal com Deus. Jesus disse aos Seus seguidores: ““Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”.” (João 16:33, NVI).

Não admira que o apóstolo Paulo tenha sido capaz de dar este testemunho alegre: “Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”(Rm 8:38-39, NVI).

“Senhor, obrigado porque estarás comigo no meio de minhas dificuldades e porque nada pode me separar do Teu amor. Amém”.

Derek J. Morris
Diretor Hope Channel

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jer/34, https://www.revivalandreformation.org/?id=1010 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/34/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/06/04/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jeremias 34 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JEREMIAS 34- COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
28 de agosto de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



JEREMIAS 34 – COMENTARIO PR HEBER TOTH ARMI by Maria Eduarda
28 de agosto de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 34 – Quem não aprende a libertar, precisará aprender quando estiver no cativeiro. Deus proclamou libertação aos escravos, os líderes do povo de Deus ignoraram.

• Leia com atenção!

Misericordiosamente Deus usa Seus mensageiros para advertir aos pecadores objetivando a salvação deles. Em Jeremias 34:1-7 o profeta exorta o rei Zedequias pedindo-lhe que se renda à Babilônia.

A rejeição à misericórdia de Deus resulta no desprezo às palavras de Seus mensageiros. Consequentemente, as atitudes de um líder desobediente são vistas na opressão de seus semelhantes. Zedequias oprime israelitas, escravizando-os (Jeremias 34:8-16). Além de pecar contra seu próprio povo, o rei do povo de Deus peca contra a própria palavra divina, revelada em Êxodo 21:1-11.

Quem não tem interesse pelas elevadas instruções e sábias revelações divinas, certamente agirá conforme seus próprios interesses, que são egoístas, mesquinhos e resultam em problemas com as pessoas e com Deus. Quando Nabucodonosor cercava a cidade de Jerusalém, Zedequias concordou em libertar os escravos. Ao se retirar o exército babilônico, Zedequias achou conveniente sujeitar a escravidão novamente ao seu próprio povo. Assim, o nome de Deus foi profanado, então, as consequências horrendas seriam inevitáveis (Jeremias 34:17-22).

Reflita:

• Quando a Palavra de Deus é desonrada, as atitudes em relação ao próximo se tornam erradas.
• Quando a misericórdia de Deus é ignorada, as consequências das atitudes erradas chegarão como forte enxurrada.
• Quando não se valoriza a Palavra de Deus automaticamente não prioriza as orientações que apontam para bênçãos, paz e felicidade; então, terá que aprender a importância de ouvir a Palavra de Deus nos exílios da vida.
• Quando se age pela conveniência pessoal, pela lógica humana ou pelo que parece óbvio em vez de consultar a Deus e a Sua Palavra, a sociedade vira um caos, a opressão surge de onde deveria existir libertação, e a opressão invade a vida de todos.
• Quando se rejeita oportunidades de arrependimento, as pessoas se arrependerão de não ter-se arrependido; pois, as consequências não perdoam aos inconsequentes.

A liberdade dada por Deus deve ser usada para demonstrar nossa lealdade a Ele e a Sua Palavra.

Se assim fizermos nossa atitude será nobre em relação ao próximo, viveremos o padrão divino em um ambiente humano. Nossa sociedade perceberá que somos diferentes e assim testemunharemos alegremente de nosso Deus! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 34, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
28 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Assim diz o SENHOR, Deus de Israel: Vai, fala a Zedequias, rei de Judá, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR: Eis que Eu entrego esta cidade nas mãos do rei da Babilônia, o qual a queimará” (v. 2).


Estava acontecendo uma guerra mundial. Jerusalém e as cidades de Judá contra a Babilônia “e todos os reinos da terra” (v. 1). Além da desvantajosa situação de Jerusalém, Deus já havia predito, por intermédio de Seus profetas, a sua ruína. “Face a face”, o rei Zedequias veria a Nabucodonosor, e ele lhe falaria “boca a boca” (v. 3). E numa tentativa de fuga, Zedequias é capturado pelo exército dos caldeus e abandonado pelo seu próprio exército. “Então, o tomaram preso e o fizeram subir ao rei da Babilônia, a Ribla, o qual lhe pronunciou a sentença” (II Reis 25:6). A última cena que Zedequias pôde ver foi a morte de seus filhos, pois, logo após, lhe “vazaram os olhos; ataram-no com duas cadeias de bronze e o levaram para a Babilônia” (II Reis 25:7). Diante de tamanha violência emocional e física, como entender que ele morreria “em paz” (v. 5)?

Notem que a profecia é dada ao rei de Judá quando Nabucodonosor estava às portas de invadir Jerusalém. Era o último chamado de Deus para aquele insensato monarca. A promessa de que findaria seus últimos momentos de vida em paz foi por ele ignorada quando, estando a um passo de se entregar e de viver o cumprimento da profecia, preferiu dar longos passos na direção contrária. E isto lhe custou seus dois olhos, a destruição de sua família e de sua dignidade. O orgulhoso rei terminaria seus dias no cárcere babilônico (Jeremias 52:11).

O mundo tem uma visão muito distorcida do que seja liberdade e escravidão. Quando o SENHOR estabeleceu leis acerca da escravatura no meio do Seu povo, creio que um de Seus objetivos era dar-lhes a oportunidade de sentirem o que Ele sentiu ao livrá-los do jugo egípcio. Cada vez que um hebreu concedesse liberdade a um irmão, na verdade, a maior liberdade seria sentida por ele mesmo. Ao ajudar alguém a desprender-se das amarras do inimigo, estamos igualmente libertando um irmão.

Ao descobrir que os encantos disfarçados de Satanás estão destruindo as famílias, vazando os olhos da fé e os prendendo às cadeias da desobediência, muitos têm aceitado o último chamado de Deus e mudado a direção de suas vidas. Mediante o trabalho missionário de muitas testemunhas de Jesus (Atos 1:8), o SENHOR tem levado a verdadeira liberdade para muitos corações sinceros. Porém, da mesma forma que aconteceu no meio de Judá (v. 16), Satanás tem usado seus agentes para que o livre volte à escravidão.

Amados, uma coisa está bem clara no capítulo de hoje: mesmo que Deus nos deseje a paz, Ele não interfere na nossa liberdade em escolher a guerra; e o caminho para a verdadeira liberdade está em dar ouvidos às palavras do SENHOR. Fugir da vontade de Deus e ser condescendente com o mal são duas atitudes que põem em risco não somente a sua integridade física e emocional, mas o seu futuro eterno. Como disse uma amiga muito querida em um de seus sermões, parafraseando: Não temos mais tempo a perder agindo como meninos espirituais, mas precisamos buscar crescer em maturidade.

Não fuja dos propósitos do SENHOR para a tua vida! E que você seja um instrumento nas mãos de Deus para libertar muitos irmãos que ainda estão em Babilônia (Apocalipse 18:4).

Bom dia, livres em Jesus!

Desafio do dia: Respire profundamente o primeiro ar da manhã pelo menos cinco vezes e beba dois copos com água antes da sua devoção matinal. Faça disto um hábito e terás mais saúde, disposição e clareza espiritual.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias34
#RPSP



JEREMIAS 34 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
28 de agosto de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



JEREMIAS 34 – COMENTARIO SELECIONADOS by jquimelli
28 de agosto de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

Quando Nabucodonosor. Este capitulo começa relatando eventos que ocorreram no inicio do cerco final a Jerusalem, enquanto o profeta ainda estava em liberdade, porque a profecia enviada a Zedequias (v. 2, 3) foi mencionada pelo rei como o motivo para o aprisionamento de jeremias (ver com. de Jr 32:2). CBASD, vol. 4, p. 518.

Nao morreras a espada. Esta garantia foi dada, provavelmente, a Zedequias para persuadi-lo a deixar de resistir aos babilonios e entrar em acordo com Nabucodonosor. Ainda que Zedequias fosse levado cativo a Babilonia, a submissao de sua parte lhe asseguraria uma vida pacifica e um enterro honroso. CBASD, vol. 4, p. 518.

Apregoar a liberdade. Enquanto a lei mosaica permitia que os israelitas fossem postos sob escravidao por tempo limitado (ver com. de Ex 21:2), muitos senhores excederam seus direitos … aplicaram a lei do endividamento a fim de escravizar grande quantidade de seus companheiros. Entao, sob o perigo premente do ataque babilonico, Zedequias prometeu leiberdade a todos os que eram escravos em Jerusalem a fim de assegurar o recebimento da ansiada cooperacao servical dos homens livres em vez do forcado auxilio dos escravos … . CBASD, vol. 4, p. 519.

10 Obedeceram. Em vista da ameaca dos perigos externos e de que uma classe de pessoas oprimidas poderia se levantar para auxiliar um invasor (ver Ex 1:10), a ordem de Zedequias para libertar os escravos se adequou as tendencias por parte dos principes e do povo. CBASD, vol. 4, p. 519.

11 Mas depois se arrependeram. Quando os caldeus temporariamente levantaram o cerco para enfrentar o exercito egipcio que estava se aproximando (ver v. 21; Jr 37:5), muitos dos habitantes de Jerusalem creram que o perigo das suas cidades havia passado, e eles novamente os sujeitaram por servos e servas”. CBASD, vol. 4, p. 519.

15 Feito perante Mim alianca. Este acordo para libertar os escravos foi solenemente celebrado pelo rei e por “todos os principes, e todo o povo (v. 10) no patio do templo, e assim foi feito, em certo sentido, com o proprio Deus (ver Ne 5:8-13). Portanto,ao quebrar esta aliança, o povo transgrediu nao apenas contra seus companheiros, mas também contra Deus. CBASD, vol. 4, p. 519.

17 Eu vos apregoo a liberdade. A liberdade ordenada por Deus (Lv 25:10) foi negada pelo povo a seus companheiros e tornada pelo juizo de Deus em “liberdade” que levaria os transgressores “a espada, a peste e a fome” e tambem ao cativeiro. CBASD, vol. 4, p. 519.

18 Bezerros que cortaram. Os que estavam entrando em alianca deviam passar entre as duas metades, simbolicamente se comprometendo a uma obediencia perpetua as provisoes solenemente combinadas. A vida dos animais era a garantia da vida dos que participavam da alianca.  CBASD, vol. 1, p. 311, sobre Gn 15:0.

21 De vos. Isto mostra, como indicado antes (ver com. do v. 11), que os babilonios tinham levantado o cerco a Jerusalem, dando aos principes de Juda a falsa ideia de que o perigo tinha passado, e a falsa esperanca de que o auxilio vinha do egito (Jr 37:5-10). CBASD, vol. 4, p. 519.




%d blogueiros gostam disto: