Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 36 by jquimelli
30 de agosto de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Jeremias teve um longo ministério, de cerca de 44 anos, dos dias de Josias até os últimos dias do Rei Zedequias, que reinou 11 anos. Os últimos dias registrados de Jeremias ocorreram depois da morte de Nabucodonosor. Em seu ministério Deus lhe mostrou a condição do povo de Deus, antes e depois do exílio. Apesar de suas advertências e admoestações, as pessoas continuaram rebeldes e desobedientes, para grande frustração do profeta e de Deus.

Após ter o rei lançado no fogo o texto de Jeremias, Deus falou para o profeta produzir uma outra cópia através de Baruque, o escriba (vs. 28, 32). Deus acrescentou ao texto anterior palavras extras a respeito da punição do rei e dos seus servos, bem como dos seus descendentes.

Nosso Deus usou homens e mulheres capazes para escrever Sua Palavra e tudo que escreveram é historicamente correto. Seus textos apelavam para o arrependimento do povo e demonstravam a paciência de um amoroso Deus. Deus tenta, de diferentes maneiras, que todos se convertam. A punição divina é consequência direta das ações dos homens.

“Querido Deus, permita que não estejamos rasgando e queimando a Sua Palavra através do nosso desprezo e nossas más ações. Salva-nos de nós mesmos, Senhor. Amém”.

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Coreia do Sul

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jer/36, https://www.revivalandreformation.org/?id=1009 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/36/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/06/06/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jeremias 36 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JEREMIAS 36 – COMENTARIO PR ADOLFO SUAREZ by jquimelli
30 de agosto de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria


JEREMIAS 36 – COMENTARIO PR HEBER TOTH ARMI by jquimelli
30 de agosto de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 36 – Ignorantes deixam o certo por preferirem o errado, superficiais ignoram a verdade por gostarem mais da mentira, crentes sem o verdadeiro Espírito Santo preferem ouvir pregadores charlatães antes que pregadores com mensagens de Deus.
Hernandes Dias Lopes avalia nossa triste realidade:
Há muitas pessoas que “correm atrás de ilusões, e não da verdade. Buscam respostas para seus dramas em pretensos homens inspirados, em vez de buscarem a eterna e infalível Palavra de Deus. Multiplicam-se os gurus espirituais nos redutos chamados evangélicos. Pessoas desprovidas de entendimento espiritual, analfabetas das Escrituras, oferecem aos famintos a palha de seus sonhos, visões e revelações. Por falta de conhecimento, o povo perece”.
Atualmente, a mensagem bíblica tem sido filtrada pela conveniência do pregador que almeja agradar ao pecador a fim de se tornar apreciado, aclamado e obter reconhecimento das massas. Se a mensagem não fosse diluída, muitos pregadores seriam desprezados, assim como Jeremias e Baruque.
• No quarto ano de Jeoiaquim, Baruque escreveu as profecias de origem divina que Jeremias lhe ditou (vs. 1-8).
• No ano seguinte, Baruque as leu publicamente num dia de jejum – mas, infelizmente não houve reavivamento (vs. 9-12).
• Logo depois ter lido ao povo a Palavra de Deus, Baruque leu a mesma mensagem profética aos líderes do povo de Deus. Os quais apoderaram-se do rolo (vs. 13-20).
• A mensagem rapidamente chegou ao rei Jeoiaquim, que, nem mesmo deixou terminar a leitura, cortou o rolo com canivete, queimou a profecia, e ainda ordenou a prisão do profeta e seu escriba. Porém Deus providenciou escape a eles (vs. 21-26).
• Após as Palavras de Deus virarem cinzas, Baruque as reescreveu com acréscimos, visando ampliar e melhorar o texto sob a regência e supervisão de Jeremias. Mas, não sem dar uma palavra dura (vs. 27-32).
Observações:
“Inspiração” não significa “ditado”. Profetas proferem palavras de Deus, mas não as recebem por ditado. A mensagem inspirada pode ser ditada para que um escriba as escreva.
Outra coisa, pessoas incrédulas não aceitam o que a Bíblia diz; pois, colocam suas próprias opiniões acima das revelações de Deus.
Finalmente, a rejeição à revelação de Deus resulta na retirada da proteção e das bênçãos divinas, deixando vulnerável a entrada de todo tipo de maldições.
Portanto, valorizemos a Palavra de Deus! Vale a pena! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 36, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
30 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Toma um rolo, um livro, e escreve nele todas as palavras que te falei contra Israel, contra Judá e contra todas as nações, desde o dia em que te falei, desde os dias de Josias até hoje” (v. 2).


O pastor Alejandro Bullón conta uma experiência em que foi chamado para falar com dependentes químicos que usavam as folhas da Bíblia para fumar maconha. Ao abordar aqueles jovens, um deles se manifestou com palavras desafiadoras de que se Deus realmente existisse que lhe tirasse a vida naquele momento, mas nada aconteceu. Então, concluiu mais ou menos com as seguintes palavras: – Está vendo, pastor? O seu Deus não existe!

De uma forma não menos desafiadora, o rei Jeoaquim queimou as páginas que continham as palavras do SENHOR. Obstinadamente, sem dar ouvidos aos rogos dos príncipes (v. 25), lançou no fogo a sua carta de alforria. Aquelas palavras representavam a sua última chance de “talvez” (v. 3) ouvir e se converter de seus maus caminhos. Contudo, lançou no braseiro aceso não somente o rolo, mas a si mesmo!

Era incansável a maneira pela qual Deus usava os Seus servos para falar ao Seu povo. Vez após outra, a Sua voz era reproduzida através de Seus profetas mesmo sabendo que a maioria não Lhe daria ouvidos. “Humildes súplicas” (v. 7) eram alçadas aos Céus incessantemente, com a esperança de desviar do povo a ira do SENHOR. Porém, não havia mudança. Manifestavam serem religiosos apregoando “jejum diante do SENHOR” (v. 9), MAS NÃO CONHECIAM O SENHOR.

Ao ouvirem as palavras do rolo, que Baruque leu diante deles, os príncipes de Judá “entreolharam-se atemorizados” (v. 16). Eles bem sabiam que aquelas palavras eram verdadeiras e que cabalmente seriam cumpridas, quer eles as aceitassem quer não. Reconheceram a mensagem. E também reconheceram o mensageiro: “Acaso, te ditou o profeta todas estas palavras?” (v. 17). Mas não reconheceram o Titular da obra!

Com a mesma intensidade, e creio que como em tempo algum houve, Deus tem advertido o Seu povo hoje. E o que estamos fazendo com estas santas advertências? Dando ouvidos ou tentando destruí-las? Ao nos depararmos com histórias como a que vimos no início da mensagem, geralmente nos armamos de um sentimento de zelo e julgamos aquela atitude como sendo abominável, e é. Porém, muitos há que estão fazendo a mesma coisa de forma disfarçada. Com aparência de santidade e coração endurecido, lançam as santas verdades da Palavra do SENHOR em “braseiro aceso” (v. 22) trazendo ruína eterna não somente para si, mas para sua família e para muitos que, sob sua influência, têm trilhado pelo mesmo caminho de destruição.

Uma vez mais eu reforço amados: aquelas palavras não foram escritas em livro para serem lidas ao rei da Babilônia e às nações vizinhas, mas “diante do povo” de Deus, “na Casa do SENHOR, no dia de jejum” (v. 6). Vocês percebem a gravidade do que acontecia e do que acontece em nossos dias? Como naquele tempo, Deus está para derramar a Sua ira sobre este mundo, e o que estamos fazendo com Sua Palavra? Sendo por ela reavivados, ou usando-a como nos convém, como o jejum fajuto dos filhos de Judá? O SENHOR tem levantado os Seus atalaias que com poder do alto têm pregado as Suas verdades com intrepidez e ousadia. E, da mesma forma que fez a Baruque e Jeremias, os esconderá da cólera dos ímpios dos últimos dias (v. 26). Mas a estes últimos que escolheram, pela dura cerviz, esquivar-se do ASSIM DIZ O SENHOR, e sem o temor do SENHOR, extravasar a sua ira contra os santos do Altíssimo, a estes aguarda a mesma sorte lançada sobre Jeoaquim (v. 31).

“Ora, TODOS quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (II Timóteo 3:12). Não devemos temer pregar o evangelho! Sejamos, pois, Jeremias e Baruques contemporâneos, e habitaremos “no esconderijo do Altíssimo” (Salmo 91:1), pelos séculos dos séculos.

Bom dia, mensageiros do SENHOR!

Desafio do dia: A confiança em Deus faz parte dos oito remédios que o SENHOR nos deixou para que tenhamos qualidade de vida. Confie no SENHOR! Ele deseja cuidar de você!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias36
#RPSP



JEREMIAS 36 – COMENTARIO PR EVANDRO FAVERO by jquimelli
30 de agosto de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



JEREMIAS 36 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
30 de agosto de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

No quarto ano de Jeoaquim. Isto é, aproximadamente 60 a.C (ver com de Jr 25:1). Depois que Jeremias entregou a direta mensagem registrada no cap. 19, o profeta foi capturado e aprisionado (ver Jr 20). Foi durante e após esse aprisionamento que ocorreram os eventos do cap. 36 (ver PP, 432-437). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 523.

Um rolo. Sem dúvida, ele era feito de couro, algumas vezes chamado popularmente de pergaminho, embora o verdadeiro pergaminho não entrasse em uso até o 2º século a.C. CBASD, vol. 4, p. 523.

Todas as palavras que te falei contra Israel, contra Judá e contra todas as nações. Este versículo apresenta, numa sentença, o conteúdo do cap. 25. CBASD, vol. 4, p. 523.

No dia de jejum. É possível que Jeoaquim, aconselhado por seus sacerdotes apóstatas e falsos profetas, convocou este jejum para despertar no povo o espírito de resistência contra os babilônios. CBASD, vol. 4, p. 524.

10 Gemarias. Seu pai, possivelmente, foi Safã, aquele que tomou parte ativa na reconstrução do templo no reinado de Josias (2Rs 22:3-6) e na proclamação do recém-encontrado “Livro da Lei” (2Rs 22:23). Fica evidente nestes fatos que Safã era um dos líderes no reavivamento da verdadeira adoração a Deus. Não admira que seus filhos defendessem Jeremias. Um deles, Aicão, protegeu o profeta (ver com. de Jr 26:24), e outro, Gemarias, permitiu que Baruque lesse “as palavras de Jeremias” em sua câmara. CBASD, vol. 4, p. 524.

19 Vai, esconde-te. Quando ou como Jeremias foi liberto (ver com. do v. 1), de modo a permitir-lhe se esconder, não é informado. CBASD, vol. 4, p. 524.

20 Terem depositado o rolo. Alguns pensam que isto foi feito para que Jeremias e Baruque pudessem ser julgados legalmente apenas sobre a indiscutível evidência do rolo em si [para que não ocorressem exageros ou falsas acusações]. Evidentemente, os príncipes acolhiam a esperança de que o rei não iria tão longe. No entanto, ficaram desapontados (ver v. 23, 26). CBASD, vol. 4, p. 524.

22 Casa de inverno. Possivelmente, um apartamento especial na parte sul do palácio (ver Am 3:15). CBASD, vol. 4, p. 524.

25 Tinham insistido. Três dos príncipes (ver v. 12), Elnatã, Delaías e Gemarias, tiveram a coragem de argumentar com o rei para que não queimasse o rolo, mas ele não os ouviu. CBASD, vol. 4, p. 524.

26 O SENHOR os havia escondido. Embora Jeremias e Baruque tenham se escondido (ver com. do v. 19), foi a providência divina que impediu o rei de encontrá-los. CBASD, vol. 4, p. 525.

29 Homens e animais. Evidentemente, Jeoaquim se opôs mais vigorosamente a esta etapa da mensagem de Jeremias que predizia que a desolação de Judá pelo rei da Babilônia seria tão completa que a terra se tornaria praticamente desabitada (ver com. de Jr 4:25; 32:43). CBASD, vol. 4, p. 525.

30 Ele não terá quem se assente. A predição divina de condenação a Judá e Jerusalém passou a incidir sobre o próprio Jeoaquim. embora ele tenha sido sucedido no trono por seu filho Joaquim (2Rs 24:6), este governou por apenas três meses (2Rs 24:8). O rei seguinte, Zedequias, era o terceiro filho de Josias (ver 1Cr 3:15; ver com. de 2Rs 24:17), e o último rei a reinar sobre o reino do sul, dos judeus. CBASD, vol. 4, p. 525.




%d blogueiros gostam disto: