Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 32 by jquimelli
26 de agosto de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Quando vamos fazer um importante transação, como comprar uma casa ou uma propriedade, nem sempre recebemos um claro “assim diz o Senhor”, como Jeremias recebeu. Mas é importante lembrar que Deus quer estar envolvido em todos os aspectos de nossa vida, quer sejam grandes ou pequenos.

Portanto, fazemos bem em passar tempo em oração antes de comprar uma casa ou fazer qualquer investimento substancial. Poderá ser necessário investir algum tempo revendo os princípios da Palavra de Deus e como eles se relacionam com o negócio que estamos planejando. Em seguida, com base nestes princípios, podemos considerar os demais fatores envolvidos. Não há dúvida de que quando Jeremias atendeu à ordem de Deus e adquiriu o campo do seu primo em Anatote, ele estava concedendo a Deus o primeiro lugar.

Não fazia muito sentido comprar um terreno numa época em que Jerusalém estava prestes a ser invadida e subjugada pelos babilônios. Mas o profeta obedeceu, mesmo sem entender tudo o que estava envolvido. Através desta ação Jeremias demonstrou a sua confiança na promessa de Deus de que um dia o seu povo voltaria do cativeiro e propriedades voltariam a ser negociadas na terra.

Fazemos bem em obedecer a Deus em todas as coisas, pois suas orientações são seguras e visam apenas o nosso bem.

Michael Sekupa
Diretor Associado Patrimônio Ellen G. White

 

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/jer/32, https://www.revivalandreformation.org/?id=1014 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/32/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/06/02/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Jeremias 32 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



JEREMIAS 32- COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
26 de agosto de 2017, 0:54
Filed under: Sem categoria



JEREMIAS 32 – COMENTARIO PR HEBER TOTH ARMI by jquimelli
26 de agosto de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

JEREMIAS 32 – Agir com fé parece loucura numa cultura incrédula. Depender das promessas de Deus e viver Seus princípios quando tudo conspira contra e quando a lógica circunstancial parece indicar direção oposta é a atitude mais sábia que alguém pode ter.
O exército babilônico acampava ao redor de Jerusalém, a tentativa dos judeus de obterem auxílio por meio de aliança com o Egito resultou em frustração, Jeremias estava preso por parecer favorável ao inimigo, ninguém dava crédito às suas palavras de juízo.
A terra prometida estava comprometida. A sociedade e a religião estavam em caos total. Hanameel, primo de Jeremias, o procurou na prisão e ofereceu-lhe um campo frente ao lugar do acampamento inimigo a fim de preservar a herança familiar. Uma terra sem valor, prestes a ser devastada.
Jeremias comprou a terra por dezessete peças de prata. Loucura? Jeremias seguiu a orientação divina, a qual sempre será vista como loucura numa sociedade incrédula, mesmo religiosa.
O esboço do capítulo auxilia-nos a interpretá-lo sabiamente:
• A introdução trata do contexto da profecia: Vigésimo ano do reinado de Zedequias em Judá e décimo oitavo ano do reinado de Nabucodonosor em Babilônia, cujo exército cercava Jerusalém. O profeta estava preso e era questionado (vs. 1-5).
• Deus revela e orienta ao profeta sobre seu primo Hanameel e suas intenções. Jeremias compra seu campo em Anatote. As escrituras foram devidamente guardadas por Baruque (vs. 6-25).
• Deus responde a perplexa oração do profeta mostrando que, apesar do juízo iminente, Ele restauraria tudo novamente; então, os moradores de Judá poderiam comprar e vender propriedades outra vez (vs. 26-44).
“Comprar um terreno em Anatote era uma forma deliberada de esperança. Todos os atos com base na esperança expõem-se ao ridículo, porque parecem impraticáveis, dissociados da realidade visível. Porém, na verdade, eles são a realidade que está sendo edificada, mas ainda não pode ser vista. A esperança nos leva a atitudes relacionadas às promessas de Deus […]. A esperança age na convicção de que Deus vai completar o trabalho que foi iniciado, mesmo contra todas as evidências, especialmente quando estas são adversas” (Eugene Peterson).
Apesar das circunstâncias, temos razões para reavivar-nos! Deus não conhece problemas insolúveis, nada Lhe é difícil demais. Confiar nEle é a decisão mais sábia, ainda que pareça loucura!
Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JEREMIAS 32, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
26 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Dar-lhes-ei um só coração e um só caminho, para que Me temam todos os dias, para seu bem e bem de seus filhos” (v. 39).


Deus tem várias maneiras de falar com Seus filhos. Sem dúvida alguma, a Sua criatividade nas ilustrações através dos Seus profetas mostram que o Criador bem sabe que o homem melhor compreende algo não somente com palavras, mas também com recursos visuais e com objetos ou costumes que lhe são familiares. Não foi sem razão que a maior parte dos ensinamentos de Cristo foi feita com o uso de parábolas.

Jeremias estava preso por ordem de Zedequias. E mesmo encarcerado e sabendo que mais cedo ou mais tarde Jerusalém seria tomada pelos caldeus, o SENHOR lhe pede que compre certa propriedade. Ainda que não soubesse o motivo para um pedido tão estranho, o profeta conhecia a voz do seu Deus, e entendeu “que isto era a palavra do SENHOR” (v. 8). Então, comprou o campo, assinou a escritura, fechou-a com selo e entregou os documentos a Baruque, para que este os guardasse num vaso de barro como forma de conservá-los.

O interessante é que apesar de Deus já haver revelado o porquê daquele negócio humanamente néscio (v. 15), Jeremias faz uma oração com o fim de compreender melhor o que acabara de fazer. Com palavras de exortação, ele manifesta a sua fé na providência divina através do relato da criação, da história de livramento no êxodo de Israel, além do cumprimento da profecia do cativeiro babilônico. “Contudo” (v. 25), com humildade, reconheceu que não entendeu a finalidade do último pedido de Deus.

A resposta do SENHOR teria sido semelhante a outras que já tinha ouvido se o capítulo tivesse encerrado no versículo 36. Ele poderia simplesmente ter dito: “Apenas confie em Mim, Jeremias. Eu sei o que estou fazendo”. Mas a resposta de Deus a um filho Seu SEMPRE ultrapassa as expectativas. Se Ele tivesse pulado do verso 36 para o 43, já teria respondido o questionamento de Jeremias. Portanto, nos versos 37 a 42 encontramos o “plus” da resposta divina.

Assim como Deus prometeu que o Seu povo iria reaver a terra de Canaã, Jesus prometeu aos cristãos um novo céu e uma nova terra (Ap. 21:1). Condenado a padecer e morrer por pecados que jamais cometeu, Ele deu o Seu sangue para nos comprar não apenas para que desfrutemos de “um campo” da Nova Jerusalém, mas dela toda. Ele poderia simplesmente ter parado na promessa da vida eterna, o que já é demais considerando que não merecemos coisa alguma. Mas Ele foi além, e prometeu nos preparar um lugar (João 14:1-3) que sobrepuja qualquer tentativa humana de imaginar o que lá contém (I Coríntios 2:9).

A primeira mensagem angélica como uma mensagem inaugural do tempo do fim deixa bem claro que o temor do SENHOR é um princípio que deve acompanhar TODAS as gerações: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo” (Ap. 14:7). E temer a Deus inclui amor abnegado, estrita obediência e plena confiança. O SENHOR nos tem chamado para cumprir a última missão na terra: “Trarão todos os vossos irmãos, dentre todas as nações, por oferta ao SENHOR” (Isaías 66:20). Ele espera que o Seu povo, como nos dias da igreja primitiva, conservem “um só coração e um só caminho” para que o Seu temor, todos os dias, lhes conduza para o bem (v. 39). Podemos agora não ter respostas para todas as coisas, mas, certamente, cheios do temor do SENHOR, seguiremos cumprindo a missão com amor, obedecendo aos propósitos divinos, na confiança de que a “aliança eterna” (v. 40) feita por Cristo nos levará para a Casa do Pai, onde teremos todas as respostas.

Bom dia, povo do SENHOR!

Desafio do dia: Participe de forma ativa no projeto “Quebrando o silêncio” em sua comunidade. Para mais informações, acesse o site: http://quebrandoosilencio.org

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias32
#RPSP



JEREMIAS 32 – COMENTARIOS SELECIONADOS by jquimelli
26 de agosto de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

12 Na presenca de todos os judeus que se assentavam no patio da guarda. Isto demonstra que Jeremias nao foi posto em confinamento fechado, mas estava no patio da prisão (ver v. 2). Esta parabola viva, encenada na presença de muitas testemunhas, logo seria conhecida em toda a cidade. Por meio deste ato de aparente loucura, o profeta enfatizou a convicção de sua predicao de sua predicao de que o povo, embora levado cativo pelos babilonios, retornaria para seu proprio pais (ver v. 15). CBASD, vol. 4, p. 512.

14 Vaso de barro. Nao era incomum, para os antigos, colocar os seus tesouros mais preciosos nestes recipientes (ver 2Co 4:7), porque proviam mais proteção contra umidade e deterioração do que os vasos feitos de madeira. Os famosos vasos do Mar Morto foram preservados neste tipo de vaso. CBASD, vol. 4, p. 512.

24 As trincheiras. Isto e, as torres ou rampas que eram usadas nas operações de cerco (ver com. de Jr 6:6). CBASD, vol. 4, p. 513.




%d blogueiros gostam disto: