Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 35, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de agosto de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Por isso, assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Nunca faltará homem a Jonadabe, filho de Recabe, que esteja na Minha presença” (v. 19).


O legado deixado através da educação familiar de fato é, de toda a ciência da educação, o maior formador de valores que existe. Diversas culturas e religiões têm sido preservadas até hoje pelo antigo método “de pai para filho”. O ensino do lar sempre foi o mais eficaz em seus efeitos e o mais terrível quando mal estabelecido. De uma forma bem clara e didática, o SENHOR nos deixou o passo a passo da educação cristã quando Moisés recitou as seguintes palavras:

“Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.
Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.
Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levanta-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos.
E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas”
(Deuteronômio 6:4-9).

Jonadabe, filho de Recabe, compreendeu bem esta ordem e com diligência a cumpriu. Em meio a uma geração corrompida de falsos adoradores, permaneceu fiel a Deus entre os “sete mil joelhos” que não se prostraram diante de Baal (1 Reis 19:18). E, cheio de zelo pela causa do SENHOR, teve participação ativa na destruição da casa de Baal (2 Reis 10:23). A Bíblia não relata como ele fez para que, muitos anos depois seus descendentes ainda permanecessem fiéis aos princípios que ele estabeleceu, porém, certamente, ele utilizou o método divino de ensino que vimos no livro de Deuteronômio. E este é infalível!

O pedido feito por Deus a Jeremias testaria os princípios dos recabitas, que, mediante a sua fidelidade, seriam um testemunho vivo de que o Seu método, quando diligente e humildemente aplicado, produz gerações que cultura alguma consegue corromper. Jonadabe teve a difícil missão de educar a sua família no reinado de Acabe e de Jezabel. Inseridos em uma sociedade de moral corrompida e de valores distorcidos, procurou ensinar seus filhos a sábia lição da abstinência. O não consumo do vinho os manteria longe de confusões e livres de uma mente entorpecida pelo álcool. A peregrinação os livraria das más associações e da contemplação do mal entre seus conterrâneos idólatras e imorais. Mas, acima de tudo, seu patriarca os ensinou a serem fiéis às palavras do SENHOR, amando-Lhe e obedecendo-Lhe. O que, infelizmente, não era feito pelos filhos de Deus com relação aos Seus mandamentos (v. 14).

Será que estamos distantes da realidade que viveu Jonadabe? Vivemos em uma geração que chama o amargo de doce e o doce de amargo. Que não sabe mais fazer diferença entre o certo e o errado, muito menos entre o santo e o profano. Que, à semelhança dos dias do profeta Elias, vive coxeando entre dois senhores. Que diz adorar a Deus, mas que não está disposta a fazer como os recabitas e renunciar tudo aquilo que possa corromper os princípios bíblicos. Com a mente entorpecida pelos encantos de Babilônia e “com o vinho de sua devassidão” (Apocalipse 17:2), multidões têm construído casas já condenadas a ruir. E, terrivelmente, o povo de Deus não está livre desta desgraça espiritual.

Enquanto um grupo ergue a bandeira do “nada a ver”, outro grupo marcha com o ardente desejo de defender o legalismo. E, numa guerra “santa” sem sentido, Satanás exulta ao ver os seus desígnios sendo estrategicamente cumpridos e o verdadeiro evangelho sendo deixado de lado. Oh, quão triunfante seria a vitória da igreja e quão grande seria a derrota do maligno se cada família despertasse para o tempo solene no qual estamos inseridos! Se cada pai e cada mãe compreendesse a responsabilidade que lhes pesa na educação do lar! Os princípios estabelecidos por Deus seriam difundidos, o evangelho seria pregado com a eficácia dos tempos apostólicos e veríamos todos, ainda em vida, o cumprimento da grandiosa promessa do retorno do nosso SENHOR Jesus Cristo!

Eis o chamado de Deus para o Seu povo, AGORA: “Convertei-vos, AGORA, cada um do seu mau caminho, fazei boas as vossas ações e não sigais a outros deuses para servi-los” (v. 15). Que de nossa casa proceda a geração de verdadeiros adoradores, e, em verdade, “nunca faltará” descendência a __________, filho do Altíssimo, que esteja na Sua presença para sempre (v. 19)!

Bom dia, recabitas atuais!

Desafio do dia: Estabeleça um horário especial de oração da família onde, todos os dias, vocês possam estar unidos em oração.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Jeremias35
#RPSP


1 Comentário so far
Deixe um comentário

SHALLON ; minha irmã, me veio água nos olhos ao ver tão grande indiferença para com Aquele quenos chama de filhos.

Livre de vírus. http://www.avast.com .

Comentário por Elias Rodrigues




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: