Reavivados por Sua Palavra


OSEIAS 4 by jquimelli
23 de novembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Deus presenciou a prosperidade sem piedade e justiça não trazer benefício algum para as pessoas (4:3). A idolatria foi progressiva: inicialmente o primeiro rei de Israel do Norte fez bezerros de ouro para supostamente adorar o Deus de Israel. Depois, o rei Acabe e sua esposa Jezabel introduziram a adoração de Baal em Israel. Na época de Jeroboão II iniciou-se a adoração ao bezerro de ouro e a Baal dos sidônios.

Os falsos sacerdotes certamente conheciam a vontade de Deus mais do que o povo de Israel. Mas esses sacerdotes não se preocupavam com Deus. Eles não eram levitas, haviam sido escolhidos de qualquer tribo por Jeroboão I, o primeiro rei (1 Reis 12:31).

Deus permitiu a prosperidade do reino. Mas à medida que prosperaram também aumentou o pecado (4:7). Oseias 4:10-14 destaca o mal do culto a Baal. A prostituição religiosa era realizada durante esses cultos na esperança de estimular Baal a abençoá-los e aumentar o seu gado e a produção agrícola. No entanto, Deus iria interromper sua prosperidade crescente, na esperança de que se arrependessem dos seus pecados e parassem o que estavam fazendo (4:10).

Deus se preocupava também com a outra parte do seu povo, isto é, o reino do sul. Ele queria manter Judá o mais distante possível do culto ao bezerro de ouro e da adoração de Baal e de ser influenciado por aquela nação fraterna, Israel (4:15). Gilgal, Betel e Dã eram centros de culto religioso no norte de Israel. Qualquer um desses templos era nada mais do que um “templo de problemas”, como era Betel (também chamado Bete-Aven, “Templo de problemas” ou “Casa de impiedade.”)

Deus não suportava chamar essas pessoas idólatras e adúlteros de Seu povo. Eles prosperaram sem arrependimento. Eles amavam os cultos de prostituição de fertilidade. Viria sobre eles o julgamento divino representado pela palavra “redemoinho” (4:19 NVI).

Que possamos entender mais plenamente a paciência de Deus. Acima de tudo que possamos amá-Lo e obedecê-Lo.

Yoshitaka Kobayashi
Japão

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/hos/4 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1112
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/hos/4
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/08/29/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Oseias 4 NVI
Ouça online: Bíblia NVI em áudio
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



OSEIAS 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
23 de novembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

Ouvi a palavra. Parece evidente, a partir de seu conteúdo, que as mensagens dos cap. 4 a 14 ocorreram muito mais tarde que o tempo de Jeroboão II (ver Os 1:1). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 988.

O Senhor tem uma contenda. Oseias apresenta o caso contra Israel, vindicando a justiça divina ao lidar com a nação. CBASD, vol. 4, p. 988.

3 Com os animais do campo. Devido ao seu pecado, o homem trouxe sofrimento ao mundo animal. CBASD, vol. 4, p. 989.

4-10 Esta seção mostra a profundidade do problema que Deus abordou por meio do profeta Oseias. As instituições que ele havia estabelecido em meio a seu povo com o objetivo de mediar sua liderança careciam do componente essencial que justificava sua existência: o conhecimento de Deus. Bíblia de Estudo Andrews.

4 Como os sacerdotes. Aqueles que se recusam a obedecer e reverenciar os verdadeiros sacerdotes de Deus merecem a severa condenação de Oseias. CBASD, vol. 4, p. 989.

Destruirei a tua mãe. Ou seja, a nação de Israel. CBASD, vol. 4, p. 989.

Porque lhe falta o entendimento. O conhecimento específico que lhes faltava era o de Deus, o mais essencial de todos os saberes. Isaías atribuiu o cativeiro a essa falta (ver com. de Is 5:13). Embora Deus possa relevar certos tipos de ignorância (ver At 17:30), Ele não tolera em Seu povo eleito a ignorância das coisas espirituais (ver com de Êx 4:21). … Os homens são responsáveis não só pelo que eles sabem (Jo 9:41; 15:22, 24; Tg 4:17), mas também por aquilo que poderiam ter conhecido se tivessem se aplicado a conhecer os conhecimentos essenciais (cf. 2Pe 3:5). Muitos temem um investigação mais profunda da verdade porque isso pode exigir uma mudança de conduta, algo que o coração amante do pecado não está disposto a realizar. … Deus não pode desculpar essa ignorância voluntária. CBASD, vol. 4, p. 989.

Não sejas sacerdote. Isso indica que, possivelmente, a causa principal dessa ignorância por parte das pessoas estava na porta dos sacerdotes infiéis, que rejeitaram o conhecimento do verdadeiro Deus e de Sua lei, que deveriam ter ensinado ao povo (Dt 33:10; Ml 2:1-9, ver com. de 2Cr 15:3). CBASD, vol. 4, p. 989.

Diante de Mim. Ou seja, para Deus. Os sacerdotes que Jeroboão nomeou quando ele separou o reino de Israel de Judá (ver 1Rs 12:25-33) não eram servos do Senhor, mas dos bezerros de ouro. CBASD, vol. 4, p. 989.

Pecado. Esta passagem descreve provavelmente os sacerdotes gananciosos que incentivavam o pecado, exortando o povo a fazer mais e mais ofertas pelo pecado, já que comiam a carne desses sacrifícios (Lv 6:26) e, sem dúvida, montaram um esquema de tráfico de carnes (ver com. de 1Sm 2:12). Mais pecados, mais sacrifícios e, assim, mais lucro e prazer. CBASD, vol. 4, p. 990.

Assim é o povo, assim é o sacerdote. O povo e seus sacerdotes se uniram em pecado. Os sacerdotes apóstatas se envolveram nas próprias iniquidades que deveriam ter repreendido. Por sua vez, o povo, observando o mundanismo e a autoindulgência dos sacerdotes, se escondeu atrás de seu exemplo. CBASD, vol. 4, p. 990.

10 Não se multiplicarão. Apesar da adoração à deusa da fertilidade, a população não iria aumentar, pois a bênção do Céu havia sido removida de Israel. CBASD, vol. 4, p. 990.

12, 13 Estes versículos especificam ritos idólatras. O espírito de prostituição fizera o povo se voltar para adivinhação e sacrifícios nos altos. Bíblia de Estudo Andrews.

12 Pedaço de madeira. isto é, imagens de madeira. CBASD, vol. 4, p. 990.

A sua vara lhe dá resposta. Provavelmente, uma haste empregada para adivinhação. CBASD, vol. 4, p. 990.

Espírito de prostituição. Oseias compara ao adultério espiritual esse irreprimível e enfeitiçante desejo de adorar ídolos. CBASD, vol. 4, p. 990.

13 A sua sombra. Nesses locais, as vítimas de sacrifício eram mortas e o incenso era queimado em honra aos deuses (ver com. de Jr 7:31). CBASD, vol. 4, p. 991.

14 Meretrizes. Isto é, prostitutas cultuais. Eram mulheres que se dedicavam à prática de sexo no culto aos deuses. CBASD, vol. 4, p. 991.

15 Não se faça culpado Judá. Oseias, como que sem esperança por mudança na atitude ímpia de Israel, faz apelos de advertência ao reino de Judá, no sul (v. 15-17). CBASD, vol. 4, p. 991.

Nem venhais. Aqui temos uma acusação específica proibindo peregrinações aos centros de idolatria, como Gilgal e Bete-Áven. CBASD, vol. 4, p. 991.

Nem jureis. A confissão hipócrita de adoração ao Senhor não deve ser feita por aqueles envolvidos em idolatria (ver 1Rs 12:28). CBASD, vol. 4, p. 991.

17 Efraim. Efraim era a principal tribo do reino do norte, e seu nome era frequentemente aplicado a todo o reino (ver com. de Jr 7:15). Da mesma forma, o nome de Judá era aplicado ao reino do sul. CBASD, vol. 4, p. 991.

É deixá-lo. As dez tribos [do norte] foram tão longe na idolatria que não lhes foi feita nenhuma promessa de restauração completa (ver PR, 298). Evidentemente apenas alguns membros dispersos das dez tribos no exílio, mais tarde, se juntaram a Judá para voltar à Palestina depois do cativeiro. CBASD, vol. 4, p. 992.

19 O vento os envolveu. Talvez uma metáfora, referindo-se à tempestade do juízo divino que dispersaria Efraim, varrendo-o para o cativeiro. CBASD, vol. 4, p. 992.



OSEIAS 4 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
23 de novembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



OSEIAS 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
23 de novembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

Quando entendemos mais de novelas do que do evangelho, quando sabemos mais de jogos eletrônicos do que da Bíblia, quando estamos mais informados do mundo dos esportes (ou dos artistas) que do reino de Deus ou mais preocupamos com a bateria do celular do que exercitar a fé… ou seja, quando as coisas espirituais não recebem prioridades…

Isso significa tirar Deus do trono do nosso coração e colocar coisas insignificantes no lugar; a partir daí nossa existência torna-se sem sentido e, a religião torna-se vazia de propósitos.

• Colocar qualquer coisa no lugar de Deus é prostituição ou adultério espiritual.
• Infidelidade espiritual é mais trágica e pior que infidelidade conjugal.
• Há mais de 20 referências à prostituta ou prostituição nos 14 capítulos do profeta Oseias (1:2; 2:2, 4; 3:3; 4:10-15, 18; 5:3-4; 6:10; 9:1), além de outras palavras associadas elas (2:2; 3:1; 4:2, 13-14; 7:4).
• É certo que o infiel e o imoral não vão entrar no Céu (Apocalipse 18:1-24; 21:8, 27).

Leia mais sobre a prostituição espiritual do povo de Deus (Ezequiel 16:8-26) e depois observe atentamente o esboço do capítulo em análise:

• A falta de espiritualidade genuína promove uma existência de pecaminosidade intensa (vs. 1-3);
• A ignorância da Palavra de Deus é notável na falta de discernimento até mesmo do líder religioso, por isso aumenta a sensualidade, a imoralidade, a perversidade e a desvalorização da espiritualidade bíblica entre o povo em geral (vs. 4-11).
• A insensatez espiritual gera corrupção religiosa, ilude o coração e atrai o julgamento divino (vs. 12-14).
• A rebeldia e a infidelidade espiritual exige uma reação radical e sobrenatural da parte de um Deus moral que anseia salvar pecadores condenados pelos seus maus atos (vs. 15-19).

Onde não há verdadeiro conhecimento de Deus não há verdadeiro amor nem fidelidade genuína. Os pecados se proliferam abundantemente. Sensualidade e bebedeiras, idolatria e prostituição ocupam o lugar do verdadeiro culto a Deus.

Onde os líderes religiosos são indiferentes às revelações divinas o povo descamba para prazeres baixos, a superstição ganha força, e surgem as aberrações religiosas.

Onde a apostasia encontra a porta aberta, com ela entra junto a arrogância, a rebeldia, a sensualidade e a idolatria; somente uma disciplina divina poderá colocar uma igreja assim em harmonia com os princípios de vida revelados na Bíblia.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



OSEIAS 4, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
23 de novembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“O Meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (v.6).


Se colocássemos os versos dois e três como um texto comum em nossas redes sociais, certamente muitos concordariam com o que ali está escrito e nem se dariam conta de que trata-se de uma porção das Escrituras, pois parece bem um resumo da situação atual do planeta.

Rompimento com a fé, mentiras, homicídios, furtos, adultérios, arrombamentos, pessoas desfalecendo, a natureza em colapso e todas as misérias são os resultados de uma terra onde “não há verdade, nem amor, nem conhecimento de Deus” (v.1). Ou seja, um completo caos. O homem vive dando “murro em ponta de faca”, buscando a solução para os problemas do globo pautado em seus próprios e finitos conhecimentos. E, dia após o outro, os noticiários nos mantém informados que os planos humanos são falíveis e fadados ao fracasso.

A resposta para o porquê de tanta destruição é apresentada por Deus, no verso seis: falta de conhecimento. Em palavras bem compreensíveis, ignorância quanto ao que realmente devemos conhecer. Mas o que “os habitantes da terra” têm ignorado? O Senhor também nos responde no mesmo verso: “visto que te esqueceste da lei do teu Deus”. As futuras gerações sofreriam os danos recorrentes da desobediência à lei que foi promulgada para libertar (Tg 2:12) “porque ao SENHOR deixaram de adorar” (v.10).

Este capítulo é uma séria repreensão dada pelo Pai aos Seus filhos terrestres de todas as gerações, e tem juízo todo aquele que a considera. Na sentença, “A sensualidade, o vinho e o mosto tiram o entendimento” (v.11), há mais do século vinte e um do que se possa imaginar. Nunca houve uma geração tão erotizada quanto esta. Bem como nunca houve uma tão embriagada. Geração que consulta a tudo e a todos, menos ao Senhor, pois “abandonaram o seu Deus” (v.12). Geração que busca a própria desgraça, “pois o povo que não tem entendimento corre para a sua perdição” (v.14). Geração que consome “lixo” como se fosse “caviar” e ama “apaixonadamente a desonra” (v.18).

Eu não estou me excluindo desta realidade. Por muitos anos eu fui consumista deste “cardápio” maligno e andei cega e sem entendimento. Mesmo dentro da igreja, e atuando como líder, permitia que meus sentidos fossem embriagados com as finas iguarias e com o vinho da mesa do inimigo como “mosto” (v.11) inofensivo. Até que o amor incondicional me alcançou e me mostrou um caminho sobremodo excelente. Entristeço-me ao me lembrar do tempo em que me perdi como dracma, mas me alegro profundamente pela longanimidade do Senhor que me esperou, me ergueu bem alto e bradou: Achei! “Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido!” (Lc 15:9).

Como não me emocionar com tão imenso amor? Meus amados irmãos, já temos examinado as Escrituras por um bom tempo. Tempo suficiente para compreendermos que a única razão pela qual Deus deixou escrito a Sua Palavra em linguagem humana foi para nos salvar. Para mostrar que, mesmo diante de nossa vergonhosa condição, os Seus braços ainda estão abertos para nos receber, não importa quão longe tenhamos ido. “Eis, agora, o tempo sobremodo oportuno” (1Co 6:2) para que você escolha a vida, “amando o SENHOR, teu Deus, dando ouvidos à Sua voz e apegando-se a Ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade” (Dt 30:20). “Escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Dt 30:19), para sempre!

Bom dia, alvos do Amor incondicional!

Desafio do dia 7/21: Oremos para que o Espírito Santo continue nos guiando ao verdadeiro conhecimento de Deus e Sua Lei.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Oseias4
#RPSP



OSEIAS 4 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
23 de novembro de 2017, 0:10
Filed under: Sem categoria

 




%d blogueiros gostam disto: