Reavivados por Sua Palavra


HABACUQUE 1  – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
31 de dezembro de 2017, 12:02
Filed under: Sem categoria


HABACUQUE 1 by jquimelli
31 de dezembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

O livro de Habacuque é único porque mais do que um livro de profecias, ele registra um diálogo entre o profeta e Deus. Habacuque está tentando entender o que ele vê e Deus responde ao seu sofrimento. No entanto, isto não deve ser considerado apenas como um diário pessoal. Habacuque verbaliza as preocupações das pessoas piedosas de Judá que estão tentando compreender e conciliar o que elas veem acontecendo ao seu redor com o seu conhecimento de Deus como o Soberano que está no controle de todas as coisas.

Nos versos 2-4 Habacuque expressa indignação com a violência e a injustiça existente ao seu redor em Judá. Ele não está falando sobre as nações vizinhas, mas acerca do que ele vê entre o povo de Deus, onde estas coisas não deveriam acontecer.

Ao nos aproximarmos do fim da história da Terra, as perguntas feitas por Habacuque são semelhantes às que nos fazemos hoje. À semelhança do profeta, temos orado a Deus para que Ele intervenha e ponha fim à dor, ao sofrimento e ao mal que nos sobrevêm de todos os lados.

Da mesma forma que Deus não estava indiferente ou inativo na época de Habacuque, Ele não está indiferente ou passivo hoje. Depositemos nEle toda a nossa confiança.

Audrey Andersson
Secretária Executiva da Divisão Trans Europeia

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/hab/1 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1150
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/10/07/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Habacuque 1 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



HABACUQUE 1 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
31 de dezembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



HABACUQUE 1, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
31 de dezembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Não és Tu desde a eternidade, ó SENHOR, meu Deus, ó meu Santo? Não morreremos. Ó SENHOR, para executar juízo, puseste aquele povo; Tu, ó Rocha, o fundaste para servir de disciplina” (v.12).


Acusada de cometer injustiças, Judá tornou-se culpada perante Deus. A nação que deveria ser um exemplo de retidão diante das demais nações, mostrou-se perversa e violenta, cercando os justos com contendas e atitudes opressoras. O que sucedeu a Judá foi tão terrível, uma obra tão pavorosa, que seria difícil de acreditar sendo apenas contada (v.5).

Apesar de não se tratar de um nome hebraico, alguns sugerem que o significado do nome do profeta está relacionado com uma palavra hebraica que denota “abraço”. Habacuque, portanto, não foi enviado para declarar um desfecho, mas para comunicar uma saída. A disciplina viria, mas seria para correção e não para destruição. O Pai desejava abraçar novamente o Seu filho.

Como um filho rebelde, Judá escolheu andar por caminhos tortuosos e aprender a duras penas que longe do Senhor a vida não faz sentido. Fundada “para servir de disciplina” (v.12), Babilônia seria para o povo de Deus a prova de que não há lugar melhor do que aquele em que o Pai está.

Semelhante à parábola do filho pródigo, Judá desejava andar longe do Pai. Seguindo os desejos de seu próprio coração corrupto, acabou em terra distante, perdeu tudo o que tinha e trocou as delícias de Canaã pela porção de “alfarrobas” dos caldeus. Julgando-se ser rico o bastante, tornou-se miserável ao extremo. O clamor apavorado do profeta (v.2) revela o caos que a nação enfrentava e o desejo sincero de um filho de Deus de entender o propósito divino para tal litígio.

Quando decidimos seguir os desejos de nosso próprio coração enganoso, estamos declarando a Deus que não queremos viver debaixo de Seu abrigo, mas gozar do que Ele mesmo nos dá de forma dissoluta, em “terra distante” (Lc 15:13). Como um Pai amoroso, Deus não nos impede de partir, mas nunca Se cansa de nos esperar.

A resposta para os questionamentos do profeta está neles mesmos. Deus é Eterno, Ele sabe o fim desde o princípio. Deus é Santo, não pode comungar com a impiedade. Deus é Rocha, a Sua justiça é imutável e perfeita. Deus têm olhos puros, não habita onde reina a iniquidade. Assim como o pai do pródigo permitiu que ele partisse, Deus permitiu que Seu povo seguisse o caminho que ele mesmo escolheu e experimentasse o quão terrível é estar longe do Pai.

Muitos estão a consumir tudo o que Deus lhes deu até que, sobrevindo as dificuldades da vida, se vêem sem nada. Então, ao invés de voltar para a casa do Pai, vão atrás de pessoas que os colocam em situação ainda pior. Mas, aquele que cai em si e reconhece a sua inanição espiritual, volta para o lugar do qual jamais deveria ter saído. E, semelhante ao provável significado do nome do profeta, Deus não espera que Seus pródigos façam todo o trajeto de volta sozinhos. Ele corre ao seu encontro e lhes abraça!

Assim como a disciplina de Deus para Judá não foi para morte (v.12), os infortúnios da vida também não o são. Suas escolhas podem ter lhe levado para uma terra distante do Pai, mas saiba que Ele espera o seu retorno para correr ao seu encontro com abraços e beijos de um amor que é eterno (Jr 31:3). Você ainda se encontra sob as mazelas de Babilônia? Aceite hoje o convite do Pai: “Fugi do meio de Babilônia, e cada um salve a sua vida; não pereçais na sua maldade; porque é tempo da vingança do SENHOR: Ele lhe dará a sua paga” (Jr 51:6). “Sai dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos” (Ap 18:4).

Volta, amado (a) irmão (a), e inicia este novo ano na casa de teu Pai! Volta, para a nossa alegria e regozijo! Porquanto, “era preciso que nos regozijássemos e nos alegrássemos, porque esse teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado” (Lc 15:32). Aleluia!

Bom dia, filhos do Pai de amor, feliz 2018!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Habacuque1
#RPSP



NAUM 3 by jquimelli
30 de dezembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Embora as palavras de Naum trouxessem esperança a Israel, elas não foram bem recebidas pelos assírios como as de Jonas. Este obteve mais êxito em levar, em sua época, Nínive ao arrependimento e reforma, adiando assim a condenação deles por um tempo. Os assírios, no entanto, retornaram aos seus hábitos de pecado e crueldade e agora receberam uma mensagem de condenação apresentada pelo profeta Naum.

Várias lições espirituais se destacam neste livro profético:

1. Deus controla o seu universo; nações são comissionadas a serem ministros Seus realizando os Seus desígnios.

2. Deus graciosamente concede liberdade a todas as pessoas para que cooperem com a Seus santos princípios e vivam uma vida correta.

3 A maldade colhe o que plantou; a justiça prevalece ao final.

4. Deus nos surpreende com Suas “reversões sagradas” – num mundo onde os erros parecem tão corretos, Ele retorna as coisas como elas deveriam ser.

Durante os dias mais sombrios, muitas vezes o Senhor tranquiliza Seu povo através da voz de um profeta pouco conhecido. A mensagem pode ser curta, direta e falar de mudanças aparentemente impossíveis, mas é a verdade e renova a esperança.

Considere o que o Senhor fez em 1884 em favor de um grupo de cristãos desapontados, através da fraca voz de uma adolescente.

Gary Councell
Capelão aposentado

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/nah/3 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1149
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/10/06/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Naum 3 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



NAUM 3 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
30 de dezembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



NAUM 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
30 de dezembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

NAUM 3 – Quando o mal parece não ter fim, está cada vez mais perto de seu fim. Quando o mal parece ganhar proporção com força e poder, nos fazendo crer que é invencível, confiemos na revelação divina; pois, sua destruição se aproxima: Certamente o bem vencerá o mal!

O livro de Naum “é um clássico da poesia hebraica, absolutamente refinado e vívido em suas descrições”, destaca Merrill F. Unger.

C. H. Wright confirma que “o livro está classificado, com merecimento, como uma das melhores obras literárias do AT”. Entretanto, entre cristãos, pouca atenção se dá a esses três capítulos.

Sobre seu último capítulo, Naum “prossegue com a descrição da derrota de Nínive e ressalta a humilhação da cidade. O juízo de Deus acontece porque Nínive está cheia de mentiras, violência e opressão [v. 1]. Nínive escraviza outros [v. 4] e é cruel [v. 19]. Por esse motivo Deus está contra os assírios e exporá a nudez deles [v. 5], cobri-los-á com imundícia [v. 6], fará deles objeto de desprezo [v. 6] e mostrará que a cidade é fraca [vs. 8-9]. O comércio e a atividade governamental serão interrompidos [vs. 16-19]” (Paul R. House).

Reflita nestas verdades:

• É evidente na mensagem de Naum que Deus não gosta de feitiçaria (benzedeiras, magia branca, tarôs, búzios, etc.), nem de idolatria (santos, imagens de esculturas, outros deuses, etc.).

• Deus não suporta a prostituição (imoralidade sexual, pornografia, sexo sem compromisso, etc.), nem mentiras, roubos e violências. Estes pecados atraem Sua santa ira contra a Terra.

A destruição do pecado está retratada na destruição de Nínive: “Rei da Assíria! Seus pastores-líderes, que têm a responsabilidade de cuidar do povo, estão ocupados fazendo tudo, menos isso. Não estão fazendo seu trabalho, e o povo está espalhado, perdido, e ninguém se dispõe a ir atrás deles. Vocês passaram do ponto de retorno. Sua ferida é fatal. Quando a história do seu destino se espalhar por aí, o mundo inteiro vai aplaudir e pedir: ‘Bis’…” (vs. 18-19).

“Nínive foi destruída em 612 a.C.” (William MacDonald). Nínive reflete nossa sociedade! Então, aguardemos o fim do mundo do ponto-de-vista bíblico e exultaremos alegremente diante do Deus vivo.

O fim do mundo é novo começo de uma nova fase para o cristão! (Apocalipse 20-21). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

O que você destaca do livro do profeta Naum?




%d blogueiros gostam disto: