Reavivados por Sua Palavra


QUARTA-FEIRA COMEÇAREMOS A LER DANIEL! by Jeferson Quimelli
5 de novembro de 2017, 17:00
Filed under: Sem categoria

Na quarta-feira, dia 8 de novembro, começaremos a ler o livro de Daniel. Um livro com luz para os últimos dias!

Que tal tomar um minuto agora para compartilhar este email para ao menos um amigo e convidá-lo a participar da leitura?



ROMANOS 5 by Jeferson Quimelli
5 de novembro de 2017, 12:00
Filed under: Sem categoria

A você, que está neste trimestre estudando a carta de Paulo aos Romanos, sugerimos nesta semana os comentários sobre Romanos 5 postados neste blog em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/03/03/ .



EZEQUIEL 46 by Jeferson Quimelli
5 de novembro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Ezequiel 46 continua a descrição do templo restaurado e enfatiza o modo como a adoração deveria ocorrer e as ofertas deveriam ser preparadas. A partir das orientações dadas chegamos a diversas conclusões importantes. Em primeiro lugar, a adoração deve ocorrer de maneira ordenada. Em segundo lugar, observamos como o sábado e a adoração estão intimamente ligados. O sábado ocupa um lugar de destaque no Templo renovado de Israel. Sacrifícios especiais deveriam ser oferecidos nesse dia. Em terceiro lugar, destaca-se a importância dos detalhes e da sua observância. Todos estes princípios podem e devem ser seguidos até hoje.

Isto significa que aos sábados e nos dias das festas religiosas, havia festividades e maravilhosa comunhão. Depois do solene sacrifício dos animais em expiação pelo pecado, acontecia um momento de celebração. O príncipe e as pessoas em geral alegremente compartilhariam do alimento na presença de Deus. Na cultura hebraica e bíblica, comer juntos faz parte da verdadeira adoração e comunhão. Devemos manter esta tradição e separar dias para comermos juntos como irmãos em Cristo.

Jon Dybdahl
Universidade Walla Walla, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/eze/46 e https://www.revivalandreformation.org/?id=1094
Também disponível no blog mundial RPSP/BHP da IASD, em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/eze/46
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/08/12/
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ezequiel 46 NVI
Ouça online: Bíblia NVI em áudio
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



EZEQUIEL 46 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
5 de novembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 46 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
5 de novembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 46 – A filosofia do servo de Deus não faz da vida um móvel com gavetas, uma para o trabalho, outra para a família, outra para o lazer, etc.

Na vida do cristão, tudo deve estar consagrado a Deus, a família, os estudos, o trabalho, o lazer, inclusive … o comer e beber (1Cor 10:31)!

Tudo pertence a Deus. Portanto, nada deve estar desvinculado dEle – absolutamente!

Desde o capítulo 45 versículo 9 o profeta vem especificando as atribuições dos príncipes. Em Ezequiel 46:1-18 o profeta apresenta mais responsabilidades que caberiam aos príncipes:

• Quando e como o príncipe deveria entrar pelas portas do Novo Templo, para apresentar as ofertas no sábado e na lua nova, no início do mês;
• Havia limites para a entrada e atuação do príncipe. O povo permanecerá atrás do príncipe para adorar enquanto o sacerdote oferece os sacrifícios;
• O príncipe ofereceria sacrifícios como representante legal do povo, entregando-os aos sacerdotes para serem oferecidos no altar;
• Assim como a entrada e saída do povo no átrio exterior, seriam também as do príncipe: Uma porta para entrar e outra para sair, sempre opostas (v. 10);
• O príncipe deveria oferecer ofertas voluntárias;
• Os sacrifícios deveriam ser diários.
• A legislação sobre propriedade evita que o príncipe a perca em caráter permanente ou a expanda injustamente.

O final do capítulo revela que o novo Templo deveria conter cozinhas para os sacerdotes e também para o povo (vs. 19-24).

Tewoldemedhin Habtu comenta: “A presença dessas cozinhas nos lembra que o templo não era apenas um lugar de oração, mas também um local onde se preparavam e se consumiam refeições comunitárias. Observamos, portanto, no templo de Ezequiel, uma fusão de atividades espirituais e sociais. ‘A igreja cristã sofreu uma grande perda quando traçou uma linha divisória entre a vida espiritual e as atividades sociais’ (TOT)”.

Aplicações:

1. A despeito da negligência do povo, para Deus o sábado sempre foi considerado especial.
2. A dedicação total a Deus se nota naquilo que fazemos voluntariamente seguindo a Sua vontade e revelação.
3. A dedicação de um indivíduo a Deus se nota em suas ofertas de gratidão. Sua filosofia é: Conforme as possibilidades são as suas responsabilidades.
4. A adoração e a vida cotidiana estão intimamente ligadas no entendimento daquele que pensa biblicamente.

Senhor, molda nossa mente! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 46, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
5 de novembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Assim prepararão o cordeiro, e a oferta de manjares, e o azeite, manhã após manhã, em holocausto contínuo” (v.15).


As orientações dadas pelo anjo não eram revelações inéditas, mas a descrição dos procedimentos que envolviam o funcionamento do santuário. “No cerimonial religioso hebreu, a Festa da Lua Nova ocorria no início de cada mês, sendo celebrada ‘todos os meses do ano’ (Nm 28:11 e 14). Como ocasião especial de adoração (Ez 46:1-8), nesse dia tocavam-se as trombetas sagradas e ofereciam-se holocaustos e ofertas de manjares ao Senhor (Nm 10:10; 28:11-15; Sl 81:3); o povo abstinha-se de atividades comerciais e seculares (Am 8:5); realizavam-se também banquetes especiais (1Sm 20:5, 18, 24, 27 e 34); e pelo menos algumas pessoas costumavam visitar os profetas (2Rs 4:22 e 23)” (Alberto R. Timm).

Diante de Ezequiel foi apresentada a importância da contínua adoração. Mês a mês, sábado a sábado e “manhã após manhã” (v. 13, 14 e 15), o povo deveria preparar a sua oferta e “holocausto ao SENHOR” (v.13). E isto “é estatuto perpétuo e contínuo” (v.14). A perpetuidade não está no ritual, já que hoje não oferecemos mais sacrifícios ao Senhor, sendo que “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1:29) já cumpriu o sacrifício único e perfeito (Hb 10:14). A perpetuidade está na adoração, como revelado ao profeta Isaías, referindo-se aos remidos na Nova Terra: “E será que, de uma Festa da Lua Nova à outra e de um sábado a outro, virá toda carne a adorar perante Mim, diz o SENHOR” (Is 66:23).

A verdadeira adoração deve ser o constante caminhar do cristão. Todos os meses, todos os sábados e todos os dias do ano representam um contínuo processo de avanço para habitar “na Casa do SENHOR para todo o sempre” (Sl 23:6). Corremos o sério risco de perder este privilégio quando negligenciamos o processo “manhã após manhã”. Vivemos no tempo em que ser cristão virou moda. Não obstante, temos estudado e aprendido nas Escrituras que apenas o título de cristão não basta. Mas, “os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para Seus adoradores” (Jo 4:23).

Percebam que Jesus utilizou a expressão “Pai” para designar a Deus nesta passagem. Porque todo verdadeiro adorador torna-se um filho de Deus. E, “a seus filhos, somente a eles, pertencerá a herança” (v.17). “Manhã após manhã” o Pai procura os filhos que O buscam com inteireza de coração e renova as suas forças na abundância diária de Suas misericórdias (Lm 3:23). São estes que herdarão “os novos céus e a nova terra” (Is 66:22; Ap 21:1), porque, à semelhança de Elias, restauraram “o altar do SENHOR, que estava em ruínas” (1Rs 18:30).

Amado e amada, o mesmo amor que o Senhor tem colocado em meu coração por Sua Palavra é o que eu desejo e oro que você também esteja desfrutando. O Reavivados e todos os recursos disponíveis são para te ajudar neste processo, mas não podem e não devem, de maneira alguma, substituir o teu encontro pessoal com as Escrituras e com o Senhor das Escrituras. “Manhã após manhã”, Deus te chama para uma audiência particular com Ele. Se você O buscar “em espírito e em verdade”, Ele falará direto ao teu coração a partir do momento em que os teus olhos repousarem sobre a Sua Palavra. Não perca as bênçãos deste privilégio contínuo. Clame ao Espírito Santo que te conduza à verdadeira adoração e, como filho de Deus, muito em breve, receberás a possessão eterna!

Feliz semana, filhos do Pai Celeste!

Jornada espiritualChuva Serôdia. Chegou a hora!“, 21° dia: Espero que esta jornada tenha sido um divisor de águas em sua vida, assim como foi na minha. Ela não termina aqui, mas continua. Estamos vivendo em momentos decisivos, os últimos instantes da história desta terra de pecado. Continue vivendo “manhã após manhã” na presença de Deus. “O que determina de que lado nos encontramos hoje, são as nossas escolhas e atitudes. Atenda ao chamado, aceite o convite do Espírito Santo, levante-se e caminhe em direção ao Céu!” (Manassés Queiroz, Chuva Serôdia. Chegou a hora!, p. 119).

Deixe aqui seu testemunho. O que esta jornada proporcionou à sua vida?

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel46
#RPSP



EZEQUIEL 46 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
5 de novembro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 46 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
5 de novembro de 2017, 0:20
Filed under: Sem categoria

1-15 Ezequiel continua a descrever vários aspectos da adoração diária. Enquanto permitia diversidade na adoração, Deus prescreve aqui ordem e continuidade. Esta continuidade visava um ritmo saudável à vida espiritual de Seu povo. Life Application Study Bible Kingsway.

porta do pátio interno (NVI). Uma santidade especial era atribuída à porta leste interior (p. 789, H; ver os regulamentos concernentes à porta leste exterior, em Ez 44:1-3). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 808.

Enquanto a porta leste do pátio externo ficava fechada de modo permanente (44.2), a porta leste do pátio interno podia ser aberta nos dias de festa. Bíblia de Estudo NVI Vida.

lua nova. a lua nova inicia um mês novo, cujo primeiro dia é festa. Bíblia Shedd.

ficará junto ao batente. A partir daí, o príncipe podia observar os sacrifícios sendo oferecidos no grande altar no pátio interno, mas não lhe era permitido entrar no pátio interno propriamente dito. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Na entrada. As pessoas que estivessem presentes nos sábados e nas luas novas deviam prestar adoração no pátio exterior [letra C, no diagrama], próximo à porta interior. Não podiam entrar na estrutura da porta, como o príncipe, mas eram obrigadas a ficar só na entrada. CBASD, vol. 4, p. 808.

um him de azeite. É a sexta parte do bato, e dá 3,66 litros. Não há equivalente para as medidas secas, de maneira que a medida de 3,66 kg chama-se “a sexta parte de um efa”, v. 14. Bíblia Shedd.

o povo da terra. A expressão refere-se [aqui] a todos os que não eram sacerdotes, levitas, profetas ou anciãos. Só mais tarde [o termo] veio a indicar os judeus que tinham permanecido no território nacional, misturando-se com os pagãos, enquanto Ezequiel estava pastoreando os cativos na Babilônia (Ed 9.1-2). Bíblia Shedd.

todo aquele que entrar pela porta norte … sairá pela porta sul. Parece tratar-se de medidas para o controle das multidões. Nesse caso, nessa era futura haveria o povo em massa apinhado no santuário no dia festivo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Provavelmente para manter a ordem e também para evitar que as pessoas tivessem que se virar, pois elas foram instruídas a entrar pela porta norte ou sul, mas a sair pela porta do lado oposto ao que haviam entrado. CBASD, vol. 4, p. 808.

10 no meio deles. O significado parece ser que, nas festividades anuais, o príncipe devia se misturar com o povo, unindo-se a este no culto. CBASD, vol. 4, p. 808.

12 oferta voluntária. Uma dádiva não exigida pela lei. O ato de dar graciosamente é algo que Deus ensina pelo exemplo supremo de conceder-nos com Cristo todas as coisas (Rm 8.32). Bíblia Shedd.

16 Der um presente. Os v. 6 e 18 apresentam regulamentos quanto às terras que pertenciam ao príncipe. Duas seções seriam designadas, uma de cada lado da santa porção  (Ez 45:7, 8). CBASD, vol. 4, p. 808.

17 até o ano da liberdade. É o ano do jubileu descrito em Lv 25.8-34. A terra e suas riquezas pertencem irrevogavelmente a Deus, e quem fizer uso destas, fá-lo-á como peregrino e hóspede na terra. Os homens, mordomos das bênçãos divinas, poderão fazer contratos de empréstimo dos terrenos, por um período máximo de 50 anos, mas nunca haveria um latifundiário, pois que tudo volta à tribo e à família beneficiária, a quem o proprietário, Deus, o cedeu. Bíblia Shedd.

19 Nos cantos do átrio interior estão os cômodos para serem queimadas as ofertas prescritas pela lei, e os cantos do átrio exterior (ver diagrama, p. 789, U] são as “cozinhas” para as ofertas do povo (21-24), as quais o próprio povo consome numa solenidade também festiva (Dt 112.27). Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: