Reavivados por Sua Palavra


CANTARES 8 by jquimelli
20 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O Cântico dos Cânticos nos apresenta um retrato poderoso da maravilhosa relação matrimonial  que Deus deseja que todos os casais casados desfrutem: um verdadeiro retorno ao paraíso!

Tal relação de amor pode parecer impossível levando em conta toda a nossa bagagem pecaminosa. Então um casamento conforme descrito em Cantares é apenas um sonho? O auge de Cantares, 8:6, nos dá a resposta. Sob inspiração, a Sulamita diz que o amor descrito em Cantares é nada menos que “fogo ardente, … labaredas do SENHOR [Yahweh]” (NVI). A promessa implícita é que tal amor é uma chama que se origina com o próprio Deus. É uma faísca da Chama Sagrada! O amor entre homem e mulher é um amor santo aceso pelo próprio Senhor!

Podemos, eventualmente, optar por rejeitar tal amor, como Salomão fez em seus últimos anos. Mas, se estivermos dispostos, Deus continuamente encherá nossos corações e nossos lares com um amor que “nem muitas águas conseguem apagar” (v. 7 NVI)! Além disso, se o amor humano é a própria Chama do Senhor, então este amor humano refinado e puro, como descrito em Cantares – aponta para o próprio Senhor do amor.

O amor humano santificado tipifica o divino. A relação conjugal entre marido e mulher em Cantares é, portanto, um tipo da relação de amor entre Deus e o Seu povo. Podemos, então, ler o Cântico dos Cânticos e ver não só um retrato de Salomão e da Sulamita, mas de Jesus Cristo, o grande Salomão, e seu relacionamento com sua noiva, a Igreja.

Ao contemplar o íntimo, permanente e exclusivo relacionamento de amor descrito em Cantares, pode-se ter um vislumbre do santo amor divino que Jesus quer compartilhar conosco. E, ao experimentarmos nós mesmos tal casamento com Cristo, pregaremos para o mundo acerca do amor incrível de Deus!

O Cântico dos Cânticos é a suprema declaração bíblica sobre a teologia do amor e do casamento. Nós realmente alcançamos o Santo dos Santos, e nos tornamos inflamados com a Chama do Senhor!

Querido Senhor, convido que faças meu coração e minha casa brilharem cada vez mais forte com o Teu amor. Amém.

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento
Seminário Teológico da Universidade Andrews



CANTARES 8 – COMENTÁRIO PR. EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
20 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



CANTARES 8 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
20 de maio de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 Como meu irmāo. A noiva parece recordar do tempo anterior à remoção dos obstáculos de sua união. Como nāo podia se declarar a ele como uma mulher apaixonada, ela desejava que seu relacionamento fosse como de irmão e irmā. CBASD – Comentário Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1271.

Desprezariam. Isto é, a família e os amigos dela nāo a reprovariam. CBASD, vol. 3, p. 1271.

2 E tu me ensinarias. Conforme a tradução, a instrutora é a māe. … As māes dāo sensatos conselhos às filhas sobre o casamento. CBASD, vol. 3, p. 1271.

5 Debaixo da macieira de despertei. Salomāo sugere que eles devem voltar ao local onde ele conquistou o amor de sua noiva. CBASD, vol. 3, p. 1271.

Tua māe. Eles retornaram à casa em que a noiva nasceu. CBASD, vol. 3, p. 1271.

6 Põe-me como selo. No hebraico, … fica evidente que é a noiva quem fala. A palavra hebraica para “selo”, chotham, significa sinete (ver Êxodo 28:11, 21; Jó 38:14; 41:15; Jr 22:24). Algumas vezes, os hebreus usavam o sinete pendurado sobre o peito. A noiva de Salomāo desejava que seu esposo a visse como um sinete. CBASD, vol. 3, p. 1271.

7 Nāo poderiam apagar o amor. O amor puro é de tal natureza que nada pode destruí-lo. Nāo pode ser comprado. A proposta mais alta seria totalmente desprezada. Esta passagem, que fala da regularidade, durabilidade e invencibilidade do poder do amor nāo possui paralelo na literatura devido à força da expressão. CBASD, vol. 3, p. 1271.

8 Irmāzinha. Esta declaração parece ter sido feita pelos irmãos da Sulamita, ao recordar a infância dela. É possível que estivessem preocupados quanto à maneira de tratar sua irmãzinha quando fosse feita uma oferta de casamento a ela. CBASD, vol. 3, p. 1271.

12 A vinha. A noiva renova seus votos para com seu esposo. Ela fala de si mesma como a proprietária de sua própria vinha, mas ela transfere esses direitos e privilégios a seu esposo. CBASD, vol. 3, p. 1271.

13 Faze-me, pois, também ouvi-la. Ao cair das cortinas, Salomāo pede para ouvir uma vez mais a voz de sua amada, talvez um refrão que ele a ouviu repetir no namoro. CBASD, vol. 3, p. 1272.

14 Vem depressa, amado meu. Assim termina o poema, com dois versos curtos que compactam em si tudo que foi repetido várias vezes sob diferentes imagens: o namoro e o casamento de duas pessoas felizes. CBASD, vol. 3, p. 1271.



CANTARES 8 – Comentário Pr. Heber Toth Armí by jquimelli
20 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

CÂNTICO DOS CÂNTICOS 8 – Na visão do céu o casamento é uma instituição tão séria que ao Deus entregar a Moisés os Dez Mandamentos escritos por Seu próprio dedo, um deles dizia: “Não adulterarás”.

Sim, é tão sério tal assunto do ponto de vista divino, que um dos 66 livros da Bíblia foi completamente dedicado a ele em forma de música poética.

Os últimos cinco poemas dos 23 do livro estão no último capítulo, segundo Tremper Longman:

· Poema 19: Anelo amoroso (vs. 1-4);

· Poema 20: Como um selo (vs. 5-7);

· Poema 21: Proteger à irmã (vs. 8-10);

· Poema 22: A quem pertence a vinha? (vs. 11-12);

· Poema 23: Seja como uma gazela (vs. 13-14).

Esta é uma das 1005 músicas do sábio Salomão. Ela é complexa, profunda, de alta qualidade literária. Dos últimos 14 versículos do livro, destaco:

· O amor é tão bom e prazeroso que dá vontade ter conhecido o cônjuge já na infância e ter vivido muitos momentos extasiantes.

· Relembrar momentos de namoro, início do romantismo, a história do casal, a espera do casamento para a intimidade sexual, é útil para nutrir o casamento.

· A declaração pública do compromisso faz parte do amor verdadeiro e intenso, o qual deve ser cultivado para que seja duradouro.

· Os versos 6-7 “é a representação de 1Co 13.1-8 no AT. Quatro qualidades do amor aparecem: 1) O amor faz parte do casamento, como a morte faz parte da vida; 2) o amor é intenso como a chama mais brilhante quanto a glória do Senhor; 3) o amor é insuperável e indestrutível, mesmo quando inundado por dificuldades; e 4) o amor é tão precioso que não pode ser comprado, apenas doado” (John MacArthur).

· A família dos noivos é essencial para a formação do caráter do relacionamento conjugal. “Até os irmãos desempenhavam uma parte importante no namoro e casamento da irmã (Gên. 24:29, 50, 55 e 60) e na proteção da castidade (Gên. 34:6-17; II Sam. 13:20 e 32)” (Marvin Pope).

· A pureza no namoro deve ser preservada no casamento (Hebreus 12:4) para que o casal viva em paz, tranquilidade e contentamento.

· O amor deve ser para além da vida toda… “Eterno”…

· O verdadeiro amor vem de Deus…

“Senhor, faça reavivar a chama do amor em meu coração!” – Heber Toth Armí.

Conte-nos como estes 8 capítulo de Cânticos te impressionaram…



CANTARES 8 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
20 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios, afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens da sua casa pelo amor, seria de todo desprezado” (v. 7).


Afinal de contas, o que é o amor? Além de deixar bem claro o propósito divino para o casamento, vimos que este livro também é considerado uma ilustração do amor entre Cristo e Sua Igreja. A Bíblia utiliza a figura do casamento para ilustrar este amor cuja existência rompe todas as barreiras. Portanto, quando marido e mulher vivem o matrimônio dentro dos princípios estabelecidos por Deus em Sua Palavra, tornam-se um testemunho do mais perfeito amor.

Hoje lhe convido a sair um pouco do contexto terreno e meditar sobre o amor que é mais forte do que a morte. O apóstolo Paulo recebeu uma inspiração privilegiada a respeito desse assunto. Ele quem compara o amor de Cristo por Sua Igreja ao amor de um marido por sua esposa (Efésios 5:22-33). Foi ele também quem exaltou o amor de Deus, em Cristo, à plataforma maior do que a morte (Romanos 8:38-39). E foi Paulo quem traduziu em linguagem humana a essência do maior dos dons: “Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver AMOR, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine” (I Coríntios 13:1). O amor não é sentimento. O amor não é humano. O AMOR É DIVINO! Pois só “Deus é AMOR!” (I João 4:8).

Assim como não podemos produzir por nós mesmos as demais variedades de dons (I Coríntios 12:7-11), como poderíamos ter capacidade de produzir o maior deles? O amor é um dom de Deus e deve reger os demais. Imagine uma orquestra. Cada instrumentista desempenha a sua parte conforme o instrumento que tem em mãos. Mas o que seria da orquestra sem um maestro? O amor deve ser o maestro do dom ou dos dons que o Espírito Santo lhe outorgou. Se a sua vida não for regida por ele, “nada disso” lhe “aproveitará” (I Coríntios 13:3), “seria de todo desprezado” (v. 7).

Precisamos firmar a cada dia, uma aliança firme com o SENHOR. O selo do AMOR precisa estar “sobre o teu coração” e “sobre o teu braço” (v. 6). O compromisso que um dia fizestes com Deus deve ser manifestado de dentro para fora. Este é o amor que “jamais acaba” (I Coríntios 13:8). Este é o amor que habita no coração e é revelado nas atitudes. Quando o ser humano tenta inverter esta verdade, o resultado é um amor fajuto que não tem utilidade (I Co. 1:1), que não é nada (I Co. 13:2) e que não serve para nada (I Co. 13:3). É como um casamento sem amor. Existe o marido, a mulher, a aliança feita, ambos cumprem suas obrigações, mas vivem de aparência. Jesus mesmo reprovou a aparência de piedade ao repreender os escribas e fariseus: “Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-Me com os lábios, mas o seu CORAÇÃO está longe de Mim” (Mateus 15:7-8).

De forma poética e inspirada por Deus (II Timóteo 3:16) recebemos de Cantares uma sabedoria que não se pode medir. O amor que brotou das Escrituras renovou o amor conjugal e deu um novo norte àqueles que ainda estão à procura deste amor excelente. Em breve, o Noivo virá buscar a Sua amada, aquela que O ama (João 14:15; Ap. 12:17) e que será “tida por digna da confiança do” seu Amado (v. 10). Assim como o casamento deve ser por toda a vida, a aliança que Cristo fez com Sua Igreja é para sempre! Eis que Ele está à porta e bate (Ap. 3:20). Todo aquele que abrir a porta do coração e permitir que o AMOR seja o seu regente, suas obras manifestarão a saudade que não cabe no peito: “Vem depressa, Amado meu” (v. 14). Cumprirá a missão que lhe foi confiada (Mateus 28:19-20), e como atalaia chamará o AMOR pelo nome: “Vem, SENHOR Jesus!” (Ap. 22:20).

Feliz sábado, Igreja “digna da confiança” (v. 10) do AMOR!

Desafio do dia: “Entregue um bilhete para seu cônjuge reafirmando a decisão de manter-se casado com ele(a) por toda a vida!” (Guia de Estudos de capítulos selecionados do livro Conduta Sexual de Ellen G. White, p. 6).
Em oração, reafirme a decisão de manter-se “casado” com Cristo até o fim!

Rosana Garcia Barros


#RPSP
#Cantares8
#PrimeiroDeus
#CânticodosCânticos8




%d blogueiros gostam disto: