Reavivados por Sua Palavra


CANTARES 7 by jquimelli
19 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Este capítulo contém várias expressões com aplicações duplas. Aqui e em outros lugares na última metade de Cantares, o inspirado escritor Salomão fala com delicadeza e bom gosto acerca da intimidade sexual com sua esposa (p. ex., ver 7:7-8, 12-13; cf 5:2-5; 8:2, 14). O verso 10 indica que o “desejo” do homem pela mulher foi observado com satisfação pela mulher.

Como desenvolvi em meu livro, Flame of Yahweh: Sexuality in the Old Testament [“A chama de Deus: a sexualidade no Velho Testamento”], Cantares revela com muita propriedade a beleza e a alegria do amor conjugal como vivenciados no paraíso edênico, ao saírem Adão e Eva das mãos de Deus, ainda em harmonia com Ele. Deste modo, o amor do casal original, no Éden, teria sido:
(1) belíssimo (1:15-16; etc),
(2) experimentado de maneira maravilhosa,
(3) uma celebração exuberante (5:1, etc.),
(4) uma aventura emocionante (1:4, 2:8, etc.),
(5) um prazer requintado (2:3-4, etc.),
(6) plenamente satisfatório (ver os versos acima, além de inúmeras outras passagens com duplas aplicações),
(7) sem pudor e desinibido (ver as descrições de 4:1-5; 5:9 – 7:10 );
(8) contido e de bom gosto – a relação íntima do casal é descrita de modo não ofensivo (2:7; 3:5; 8:4),
(9) uma interação alegre e despreocupada (1:7-8; 7:9),
(10) um caso de amor romântico (7:11-12, etc,),
(11) poderosamente apaixonado (2:5; 4:9; 5:4; 7:4) e
(12) um mistério inspirador (6:4, 10; 8:6).

Estas são as qualidades do casamento que Deus anseia que todos os casais desfrutem, sem medo ou vergonha, em harmonia com Sua intenção amorosa! Mesmo em um mundo decaído, podemos ter casamentos que são um retorno ao Éden.

Senhor Deus, muito obrigado pelo extraordinário, multifacetado dom da sexualidade e companheirismo do amor conjugal que criastes para que desfrutássemos. Ajude-nos a valorizar e proteger este presente! Amém.

Richard M. Davidson
Professor de interpretação do Antigo Testamento
Seminário de Teologia da Universidade de Andrews, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/son/7, https://www.revivalandreformation.org/?id=924 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/son/7/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/02/23
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Cantares 7 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



CANTARES 7 – COMENTÁRIO EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
19 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



CANTARES 7 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
19 de maio de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria

1-8. O esposo enaltece de maneira oriental as belezas e qualidades da esposa. Bíblia Shedd.

4 Piscinas. Literalmente, “açudes”, como a mesma palavra foi traduzida em 2 Samuel 2:13. CBASD, vol. 3, p. 1270.

5 Carmelo. Uma cadeia de montanhas com elevação de cerca de 600 m, formando a fronteira sudoeste da planície de Esdraelom e a Baía de Jope. CBASD, vol. 3, p. 1270.

7 Palmeira. Do heb tamar. A alta e elegante palmeira era uma imagem adequada para a beleza feminina. Várias mulheres tiveram o nome Tamar (Gn 38:6; 2Sm 13:1). CBASD, vol. 3, p. 1270.

13 Madrágoras. Cria-se que era um afrodisíaco e que favorecia a procriação (ver Gn 30:14-16). CBASD, vol. 3, p. 1270.



CANTARES 7 – COMENTÁRIO HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
19 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

CÂNTICO DOS CÂNTICOS 7 – O Deus que celebrou o casamento do primeiro casal incentivando-o e abençoando-o para que fosse feliz, quer que sejamos felizes e abençoados com o estudo deste livro romântico, erótico e sensual.

Mais do que nunca, nós do século XXI precisamos de instruções tão elevadas como essas, pois nossa sociedade está em baixa em questões de relacionamentos conjugais.

Mesmo após a entrada do pecado que a tudo degenera, estraga e oblitera, Deus sonha que o casamento seja uma bênção, com o mesmo propósito que Ele projetou.

O poema dezessete, iniciado em 6:13 culmina em 7:10. Desta forma, temos o poema dezoito nos versículos 11 a 13, intitulado por Tremper Longman de “Te darei meus amores”.

O marido contempla a esposa, elogia seus pés, seu andar, suas pernas, seu corpo escultural, sua pele macia e sedosa, seus seios avantajados, seu pescoço, seus olhos cheios de mistérios, suas curvas, seu cabelo, seu encanto, sua beleza. Depois ele expressa:

Como você é linda! […]
Eu a desejo mais que tudo!
Seu encanto é como o de uma palmeira,
E seus seios são como doces cachos de tâmaras.
Eu digo: “vou subir àquela palmeira!
Vou acariciar seu tão aprazíveis frutos!”
Oh, Sim! Seus seios
São como cachos de doces frutos para mim… (vs. 1-8).

A esposa, encharcada de amor, responde apaixonadamente ao marido, falando do sabor de seus lábios, dos seus beijos, de seus desejos e após apreciarem bons momentos em meio à lugares românticos, celebrando a vida e o amor, lhe diz:

Em meio a tantos aromas e cores
Que celebram a vida que exala do amor,
Eu lhe segredo: tenho comigo o mais precioso fruto
Que guardei só para você, amor da minha vida! (vs. 9-12).

Segundo Eugene H. Peterson, devemos entender duas coisas do livro em análise para interpretá-lo corretamente. “Primeira: o livro contém requintados poemas de amor. Segunda: os poemas são de conteúdo explicitamente sexual”.

Do capítulo supracitado, destacamos:

1. Beleza se põe na mesa – deve ser apreciada e valorizada pelo cônjuge.
2. Romantismo e prazeres sexuais no casamento são bíblicos.
3. Toda pessoa que verdadeiramente ama é romântica.
4. Quem ama se entrega plenamente.
5. Prazer sexual coloca brilho e colorido vivo na vida.

Portanto, deixe-se moldar pelos propósitos divinos! – Heber Toth Armí.



CANTARES 7 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
19 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Quão formosa e quão aprazível és, ó amor em delícias” (v. 6).


Uma das consequências que o pecado impôs ao ser humano foi manifestada na primeira percepção do homem e da mulher após a queda: “… percebendo que estavam nus…” (Gênesis 3:7). A vergonha da nudez impactou o coração do casal edênico, que acabara de perder as gloriosas vestes da luz divina. A partir daí, a corrupção do coração do homem deturpou o que o Criador havia feito para ser uma bênção. O sexo dentro do casamento foi estabelecido por Deus tanto para a procriação, quanto para o deleite do casal. Marido e mulher devem ter por privilégio a intimidade que os une como “uma só carne” (Gênesis 3:24).

O esposo praticamente desenhou a sua amada com palavras. O corpo de sua esposa lhe era um tesouro particular e ele conhecia cada parte dele com riqueza de detalhes. Ele a amava e a desejava. Perceba que antes de subir “à palmeira” (v. 8), ou seja, antes de desfrutar do “amor em delícias” (v. 6) de sua amada esposa, ele a admira desde a sua forma de andar (v. 1), ELE A CONQUISTA. O desejo sexual pode não ser o fator principal no casamento, mas com certeza é essencial. Diante de um mundo onde o apelo sensual tem sido tão explorado, onde a pornografia tem arruinado casamentos, ter uma vida sexual saudável, dentro dos limites estabelecidos por Deus, é realmente um privilégio.

O inimigo transformou o sexo em algo sujo e repugnante. Por isso que muitos casais casados têm sofrido com uma intimidade fria e com uma culpa infundada. As relações sexuais ilícitas são aquelas que ultrapassam os limites impostos pelo SENHOR em Sua Palavra (LEIA Romanos 1:26-27; Atos 15:28-29; Levítico 18). Admirar o corpo do cônjuge e desejá-lo não é pecado, mas faz parte do propósito de Deus para o casamento. Portanto, não leve em pouca consideração o cuidado com a aparência, com a saúde e com a higiene. A partir do momento em que você contraiu matrimônio com o seu cônjuge, o seu corpo foi entregue a ele e o dele a você: “A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, SEMELHANTEMENTE, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher” (I Coríntios 7:4). Em outras palavras: Casou? Então assuma o compromisso: “Eu sou do meu amado e o meu amado é meu” (Ct. 6:3).

A Bíblia nos diz que o matrimônio, bem como o leito sem mácula é digno de honra (Hebreus 13:4). O que precisamos cultivar no casamento são pensamentos puros e respeitáveis, tornando a intimidade um momento onde não tenhamos vergonha da presença de Deus. O quarto do casal, mais do que qualquer outro cômodo da casa, deve ser o mais espiritual. Não permita que a condescendência com a imoralidade do mundo invada o lugar que deve ser imaculado. 
Nessa fase de nossa história, os votos matrimoniais são, muitas vezes, desconsiderados. Deus jamais quis que o casamento escondesse a multidão de pecados que são praticados. Sensualidade e práticas vulgares no relacionamento matrimonial estão educando a mente e o gosto moral para as práticas imorais fora da relação conjugal” (EGW, Conduta Sexual, p. 63).

Aos casados: Amem o cônjuge dos pés à cabeça e o valorize desta forma, com amor, respeito, fidelidade e pureza.
Aos solteiros: Encarem o estudo deste livro como uma preparação para um casamento feliz e abençoado.

Bom dia, reservados (v. 13) para o “amor em delícias” (v. 6)!

Desafio do dia: “Ore a Deus em particular, e peça ao Espírito Santo que lhe revele que tipo de amizades, entretenimento ou outra influência impura pode estar separando você de Deus” (Guia de Estudos de capítulos selecionados do livro Conduta Sexual de Ellen G. White, p. 24) e de ter um relacionamento dentro dos limites que Ele estabeleceu.
Desafio “plus” [aos casados]: Como Salomão, façam um poema descrevendo o (a) seu (sua) amado (a) e declamem um para o outro.

Rosana Garcia Barros

#RPSP
#Cantares7
#PrimeiroDeus
#CânticodosCânticos7




%d blogueiros gostam disto: