Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 5 by jquimelli
5 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O capítulo de hoje apresenta algumas advertências a respeito do gerenciamento dos bens materiais.

A primeira advertência, “Guarda o teu pé…”, é sobre a adoração na igreja. Em outras palavras, seja cuidadoso, preste atenção na sua atitude diante de Deus. Muitas pessoas, nos dias de Salomão, estavam louvando a Deus e dando suas ofertas sem sinceridade de coração, tornando sua adoração superficial, hipócrita e presunçosa.

A segunda advertência está relacionada com a atenção aos pobres. Segundo o texto, eles estavam sendo oprimidos justamente por aqueles que deveriam ajudá-los. Como vemos, o problema da corrupção está enraizado na natureza pecaminosa do ser humano pois como naqueles dias hoje também há um clamor por justiça social.

A terceira advertência diz respeito aos mitos e futilidades dos recursos materiais. Muitas pessoas pensam que o dinheiro é capaz de fazer qualquer coisa, que resolve qualquer problema e que traz paz de espírito. O dinheiro não é capaz de trazer satisfação plena, por que o coração humano foi criado para ser satisfeito apenas pela presença de Deus no coração (Ecl. 3:11).  Deus quer encher seu coração de alegria (v. 20)!

Pr Cicero Ferreira Gama
Brasil

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/Ecc/5, https://www.revivalandreformation.org/?id=910 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Ecc/5/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/02/09
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Eclesiastes 5 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ECLESIASTES 5 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
5 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO ECLESIASTES 5 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
5 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ECLESIASTES 5 – Qualquer religião sem intimidade com Deus é tão ruim quanto a busca ambiciosa por riquezas. Religião hipócrita e ávida ambição materialista não satisfazem intimamente a nenhum coração.

O Comentário Bíblico Adventista destaca estes tópicos:

1. Vaidades:

a) No culto a Deus (vs. 1-7);
b) Em murmurar contra a opressão (v. 8);
c) Nas riquezas (vs. 9-17).

2. Regozijar-se nos bens é o dom de Deus (vs. 18-20).

Sobre o versículo 6, o comentário da Bíblia de Jerusalém analisa: “O temor de Deus é recomendado pelo Eclesiastes (3:14; 7:18; cf. 8:12b-13 e 12:13…): não é ele o princípio do saber e da verdadeira sabedoria (Prov. 1:7)?”.

Ellen G. White declara: “As riquezas e as honras mundanas não podem satisfazer a alma. Muitos dentre ricos anseiam por alguma divina certeza, alguma esperança espiritual. Muitos, anelam alguma coisa que lhes venha pôr termo à monotonia de uma vida sem objetivo. Muitos, em sua vida profissional, sentem a necessidade de alguma coisa que não possuem”.

Sobre o versículo 9, a Bíblia de Jerusalém comenta: “Sátira, não contra o rico prepotente (como nos profetas), mas contra o próprio dinheiro, quer adquirido por meios lícitos ou ilícitos, quer empregado bem ou mal. Não é garantia para a vida, nem fonte de felicidade. Esta [análise] prepara o ensinamento evangélico sobre o desprendimento (cf. Mat. 6:16-21, 24-34). – Esta, portanto, é a sequência das ideias”: O dinheiro é…

• …mal repartido (vs. 7-9);
• …desperdiçado – na maioria das vezes (v. 10);
• …custoso ganhar (v. 11);
• …penoso ao perder (vs. 12-16).

Fica evidente a insatisfação oriunda das riquezas, como demonstra White: “Entre as vítimas da necessidade e do pecado encontram-se aqueles que já possuíram fortuna outrora. Homens de várias carreiras e posições diversas na vida foram vencidos pela corrupção do mundo, pelo uso da bebida forte, por se entregaram às concupiscências, e caírem sob a tentação”.

Fiquemos atentamente em alerta:

• Hipócritas idolatram sua religião, crenças, até Bíblias e a igreja, mas não servem nem adoram a Deus genuinamente.
• Gananciosos, avarentos, ambiciosos materialistas adoram coisas, dinheiro e riquezas em vez de servirem e adorarem ao Deus verdadeiro.
• Adoradores humildes sinceramente comprometidos com Deus, que Lhe são fieis em todas as circunstâncias, experimentam o melhor da vida neste mundo corrompido.

Portanto, entreguemo-nos inteiramente a Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



ECLESIASTES 5 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
5 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu, na terra; portanto, sejam poucas as tuas palavras” (v. 2).


No santuário, tanto o móvel no deserto, quanto a suntuosa construção de Jerusalém, havia três compartimentos: o pátio, o lugar Santo e o lugar Santíssimo. O acesso ao lugar Santo era permitido apenas aos sacerdotes e ao sumo sacerdote. No lugar Santíssimo só poderia entrar o sumo sacerdote, uma vez ao ano. E o pátio era o único compartimento onde o povo de Israel poderia ter acesso. E, mesmo assim, o pátio era um lugar de extrema solenidade, onde o povo levava seus sacrifícios e fazia suas orações. Por isso que Jesus reagiu energicamente quando viu o lugar de oração transformado em “um covil de salteadores” (Mateus 21:13). A reverência descrita no verso 1 diz respeito não apenas à forma de adoração, mas à intenção. Não é o sacrifício que agrada a Deus, e sim se o que há por trás do sacrifício for um coração que agrada ao SENHOR.
 
Quando Saul descumpriu as ordens de Deus e usou os sacrifícios como desculpa, a resposta do profeta Samuel lançou por terra as suas obras: “Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender a Deus, melhor do que a gordura de carneiros” (I Samuel 15:22). Apesar de não termos mais a prática de sacrificar animais, pois o verdadeiro Cordeiro de Deus pagou o preço de forma perfeita e completa (Hebreus 10:14), os “sacrifícios” ganharam uma nova roupagem, e muitas vezes têm tirado o foco do principal: “atender a Deus“. Se você chegar hoje em minha casa, para que eu possa abrir a porta, você precisa antes apertar a campainha, ou bater à porta, ou pelo menos me chamar. Mas de alguma forma se você quiser ser atendido, precisará que eu o ouça ou ficará em frente à porta até que alguém apareça.
 
Jesus está sempre à porta do nosso coração, porém, Ele não entra se não for convidado. Ele diz que está à porta e bate. Mas se a nossa atenção estiver voltada para “sacrifícios de tolos” (v. 1) ou “palavras néscias” (v. 3), abafamos a Sua voz com os ecos de uma adoração vazia. Então, não sentindo preenchido o coração com o Único capaz de saciá-lo, fazemos votos na tentativa de angariar pontos com Deus. E diante de um deslize quanto ao voto feito, nós mesmos nos sentenciamos culpados. Lembrem-se de Pedro. Tão impetuoso e tão rápido com as palavras. Diante da possibilidade de ver o seu Salvador sentenciado à morte, prontamente Lhe fez um voto: “Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo Te negarei” (Mateus 26:35). Porém, na prática, as suas palavras não se consumaram, e, ao se dar conta do que havia feito, “saindo dali, chorou amargamente” (Mateus 26:75).
 
A conclusão do verso 7 resume em uma frase qual deve ser a minha e a sua atitude:
“Tu, porém, teme a Deus”.
Toda a Bíblia confirma o fato de que usar mais os ouvidos e menos a boca é sinônimo de sabedoria e de discernimento espiritual:
“OUVE, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR” (Dt. 6:4).
“Amando o SENHOR, teu Deus, dando OUVIDOS à Sua voz” (Dt. 30:20).
“… e todo o povo tinha os OUVIDOS atentos ao Livro da Lei” (Ne. 8:3).
“Hoje, se OUVIRDES a Sua voz, não endureçais o coração” (Sl. 95:7).
“Quem tem OUVIDOS para OUVIR, OUÇA” (Mc. 4:9).
“Bem-aventurados aqueles… que OUVEM as palavras da profecia” (Ap. 1:3).
De Gênesis a Apocalipse encontramos a confirmação das Escrituras a este respeito. Precisamos nos calar mais e permitir que o SENHOR fale. É quando calamos o nosso eu, que percebemos com clareza a voz de Deus.
 
Sejamos, pois, comedidos no falar. Entretanto, se tivermos de falar, que sigamos o conselho do próprio Pedro, após compreender esta verdade: “Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus” (I Pedro 4:11)… a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (I Pedro 2:9).
 
Bom dia, ouvintes do SENHOR e proclamadores de Suas virtudes!
 
Desafio do dia: Separe três momentos especiais no dia para orar e ouvir a voz de Deus através de Sua Palavra. Se possível, faça disso um hábito.
 
Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus #Eclesiastes5 #RPSP



%d blogueiros gostam disto: