Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 1 by jquimelli
21 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Em Isaías 1, Deus é mostrado ao profeta falando com Seu povo que havia quebrado a promessa da aliança feita com Ele. É como uma cena de tribunal: Deus é o juiz e o céu e a terra são as testemunhas (v. 2). As maldades das pessoas são a razão dos julgamentos horríveis. Mas existe uma razão para Deus não desistir de vez do povo: existe um pequeno remanescente que é fiel a Ele (v. 9).

Muda-se a cena e nos é mostrado que as mesmas pessoas que são descritas como estando enfermas da cabeça aos pés com “machucados, vergões e ferimentos abertos” ( v. 6, NVI) continuam cegamente participando de orações e atos exteriores de adoração (vs. 13 – 15), sem perceber a sua necessidade de um Salvador!

Quando estamos a ponto de declarar que não existe esperança para a situação israelita daquela época e que seu julgamento deve ser a destruição, nossas mentes se voltam para nós mesmos e para nossa situação. Oh não, Senhor! Estamos nós também quebrando a nossa aliança conTigo de sermos exclusivamente Teus filhos? Estamos seguindo os “deuses” dos nossos dias? Seguimos apenas formalidades em nossa adoração, sem nenhum relacionamento pessoal com o Deus com quem fizemos aliança?

Quando nossos corações estão quebrantados, Deus entra em cena com uma mensagem de amor e misericórdia. Nos emociona ler os versos 16-20. Essa mensagem é para pessoas do 8o. século antes de Cristo ou é para nós? Oh, obrigado Jesus, é para pessoas de todos os tempos!

Oração:
Senhor, purifica-nos! Por favor cubra o registro de nossos pecados e nos torne limpos! Nós queremos lhe dar todo o nosso coração! Ajude-nos a compartilhar Seu amor com aqueles que nos rodeiam – buscando a justiça e defendendo os indefesos (v. 17). Capacita-nos a sermos Teus filhos obedientes (v. 19), para que possamos estar entre os remidos (v. 27) e não entre aqueles que receberão a condenação no Teu julgamento final (v. 31).

A resposta do Céu:
“À medida que dEle vos aproximardes, em arrependimento e confissão, Ele Se aproximará de vós, com misericórdia e perdão.” (Caminho a Cristo, p. 55) .

Pr Lloyd e Sheila Schomburg
Casal pastoral
Associação de Kentucky – Tennessee, EUA.



ISAÍAS 1 – COMENTÁRIO PR. EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
21 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 1 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
21 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 1 – O profeta da qual este livro recebe o título é grande visionário, culto, inteligente e consagrado. Ele oferece-nos um livro muito bem elaborado.

Isaías “é o grande profeta messiânico e príncipe dos profetas do AT. Não tem rival em esplendor de dicção, brilhantismo de símiles, versatilidade e beleza de estilo, profundidade e amplidão de visão profética. Era filho de Amoz (1.1), e tido tradicionalmente como de ascendência real – irmão do rei Amazias, neto do rei Joás” (Merril F. Unger).

Se estudarmos com afinco e mergulhados em oração a este livro profético messiânico, experimentaríamos um reavivamento pela Palavra de Deus.

Comece com entusiasmo no primeiro capítulo. O contexto “refere-se à devastação do território e ao cerco de Jerusalém no tempo de Senaquerib em 701 (cf. 36,1s; 2Rs 18,13s), ou por ocasião da guerra siro-efraimita em 735 (vf. 7,1-2 e 2Rs 16,5-9)” (Comentário da Bíblia de Jerusalém).

O povo de Deus, embora religioso, era alheio a Deus. Vivia na igreja, mas longe de Deus. Praticava rituais, mas não havia profundidade em seu relacionamento com Deus. O profeta de Deus mostra o perigo dessa religiosidade vazia, de aparência, hipócrita.

“Este capítulo descreve uma cena em um tribunal”, diz Warren W. Wiersbe. E então acrescenta:

1. Deus convocou o tribunal e declarou as acusações (vs. 2-4);
2. Deus apresentou seu caso e declarou a nação culpada (vs. 5-15);
3. Deus, porém, ofereceu aos acusados a oportunidade de se arrependerem e de serem perdoados (vs. 16-31).

A avaliação de Deus é perfeita, real. Deus não é negativista, muito menos pessimista, mas realista. Sua conclusão é exata. Consequentemente, quando Deus diz que Seu povo merece ser castigado, Ele não está exagerando, muito menos inventando.

O que fica claro para nós, é que Deus é intolerante ao envolvimento com a religião verdadeira possuindo uma espiritualidade superficial. Diante de uma religiosidade só de forma, Ele exige uma radical reforma. Ele confronta uma espiritualidade morta, porque deseja um reavivamento sobrenatural.

O anseio de Deus por arrependimento por uma vida religiosa hipócrita, vazia e superficial é visto em seu oferecimento de perdão, graça e restauração. Uma renovação do compromisso com Deus resulta em atitudes perceptíveis: Abandono daquilo que para Deus é intolerante, para abraçar ao estilo de vida que Deus preza!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 1 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
21 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, ó terra, porque o SENHOR é Quem fala…” (v. 2).


Considerado uma bíblia dentro da Bíblia, o livro de Isaías possui 66 capítulos, onde os primeiros 39 se referem ao juízo sobre o povo de Deus e os últimos 27, à esperança da redenção e de um futuro glorioso. De uma forma didática e usando de ilustrações pertinentes e comuns à época, o profeta revela a vontade do SENHOR, deixando bem claro, já no início de sua fala, que era apenas um mensageiro das palavras de Deus (v. 2). Israel havia se corrompido a tal ponto que animais de carga foram considerados mais sãos (v. 3). Tornaram-se ignorantes. “Abandonaram o SENHOR… voltaram para trás” (v. 4). Este retrocesso lhes causou enfermidade espiritual. Primeiro, na mente e no coração (v. 5). E, por consequência, em todo o corpo (v. 6). O povo escolhido para revelar a glória do Criador, transformou-se em uma ferida ambulante. E tudo isso porque lhe faltava o conhecimento.

Ora, mas os versos 10 a 15 relatam a tristeza de Deus contra um povo que conhecia bem a forma de culto e tudo o que regia a Casa do SENHOR. Então, a que tipo de conhecimento Isaías se referiu? Ao único conhecimento que salva! Os filhos de Israel conheciam bem os ritos e continuavam seguindo com uma vida “religiosa” debaixo de suas leis e tradições, mas suas vidas não comungavam com o Assim diz o SENHOR. A aparência de piedade os levou a esquecer do Deus que, antes de instituir os ritos do santuário, deixou bem claro o motivo pelo qual mandou que o fizessem: “E Me farão um santuário, para que Eu possa habitar no meio deles” (Êxodo 25:8). O desejo de Deus é de estar no centro de nossa vida. Se Ele for o primeiro em nosso coração, com certeza tudo o que fizermos revelará que há um Deus nos governando, e que O conhecemos de fato.

É tão fácil hoje em dia declarar-se cristão. Basta confessar a Cristo como Senhor e frequentar uma igreja… e pronto, eis um crente. Há mais de dezessete anos que fui batizada, mas somente há pouco mais de três conheci o meu SENHOR. Com muita paciência e misericórdia, Deus me esperou e iniciou em minha vida um processo de mudanças que só alcançará o “dia perfeito” (Pv. 4:18) quando Ele vier me buscar. Foi o começo de um grande desafio para mim. Quanto mais me aproximava de Cristo e quanto mais procurava conhecê-Lo, mais me deparava com minha natureza pecaminosa e com a minha incapacidade de vencê-la. Percebi que eu andava na Casa dEle, trabalhava para Ele, orava a Ele, mas não O conhecia. Em seu livro, “Conhecer Jesus é tudo”, na página 41, o pastor Bullón diz o seguinte: “A humanidade está ficando louca porque fala de ‘autodisciplina’, de ‘energia interna’, de ‘força mental’. Ela se esqueceu de olhar para Cristo e está olhando para dentro de si em busca de solução e só acha fracasso e frustração. Nada disso! Olhemos para Cristo e falemos: ‘Ah, Senhor, já tentei de tudo e não consegui! Carrego dentro de mim uma natureza estranha que me leva para o pecado. Por favor, ajuda-me, porque eu não posso”.

Foi só quando eu decidi fazer uma entrega como essa que descobri a verdadeira fonte do conhecimento: Jesus. Entenda, amado(a), não é o que você faz que vai salvá-lo(a), é o que Ele já fez! “Vinde, pois e arrazoemos” (v. 18) é o convite dAquele que é o único capaz de lhe purificar de seus pecados. A religião prática (v. 17) deve ser a consequência desta purificação, e não o contrário. Precisamos buscar o conhecimento que salva, todos os dias. A experiência que tive com Cristo há mais de três anos não tem o poder de me sustentar hoje. Hoje preciso renovar a minha vida com Ele e dEle conhecer, através do estudo de Sua Palavra e da oração. A comunhão diária nos sustenta e nos conduz à vida eterna: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a Quem enviaste” (João 17:3). Busque conhecer ao SENHOR! Não se apoie em obras! Mas que as tuas obras sejam o resultado do agir de Deus em sua vida! Lembre-se: você não pode apresentar aquele que você não conhece!

Bom dia, lavados e purificados por Cristo!

Desafio do dia: Apesar da degradação de Israel, o SENHOR possuía “alguns sobreviventes” (v. 9). Nestes últimos dias, o SENHOR também possui um remanescente. Clame a Ele para fazer parte deste pequeno povo que O conhece e Lhe segue a voz!

Rosana Garcia Barros

#RPSP
#Isaías1
#PrimeiroDeus




%d blogueiros gostam disto: