Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 8 by jquimelli
8 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Depois de falar sobre a injustiça e perplexidades da vida, Salomão nos ensina como nos mantermos firmes em tempos difíceis.

Ele começa afirmando que a sabedoria é superior a qualquer coisa que possamos ter. Um homem sábio sabe interpretar as experiências da vida e conhece bem a diferença entre maldade e a bondade e entre os valores da cultura atual e as boas virtudes cristãs.

O homem sábio sabe quando falar e quando calar. Ele conhece os métodos e procedimentos corretos e os segue. Ele reconhece as oportunidades e as aproveita; há um tempo e lugar para tudo. Ele sabe, porém, que uma das limitações humanas que mais causa ansiedade é não poder prever o que acontecerá a seguir.

Querido Deus, preciso de Tua presença para me guiar a fazer o que é certo e para aprender a não depender de mim mesmo. Por favor, mantenha-me sempre junto de Ti. Amém.

Hugo Valda
Secretário Executivo da União Boliviana da IASD

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/Ecc/8, https://www.revivalandreformation.org/?id=913 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Ecc/8/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/02/12
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Eclesiastes 8 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ECLESIASTES 8 – COMENTÁRIO PR. EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
8 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO ECLESIASTES 8 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
8 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ECLESIASTES 8 – Olhe ao redor. Analise o comportamento humano. Compare com a revelação deste capítulo. Note: Parece que Salomão escreveu em nossos dias; ou melhor, o ser humano não melhorou nestes 3000 anos – de Salomão até os dias atuais.

• Observamos em nossa sociedade pessoas que se agridem mutuamente, onde uma quer dominar a outra, e praticamente todas querem explorar e arruinar o próximo para beneficiar-se.

• Os desonestos, imorais, caloteiros, corruptos e mentirosos parecem morrer com maior honra que piedosos crentes dedicados, que fazem seu melhor pelo próximo e pela sociedade perversa.

• Julgamentos que deveriam ser rápidos, justos e imparciais objetivando impedir o avanço do crime são adiados, criminosos são superprotegidos (ainda recebem salários) incentivando assim a criminalidade e o desprezo às leis; assim, ladrões e corruptos percebem que podem sair ilesos de suas malandragens.

• Os bons cidadãos geralmente parecem sofrer punição como se fossem corrutos e criminosos; por outro lado, os corruptos são, geralmente, tratados como cidadãos dignos de receberem grandes recompensas.

Que vida miserável! Tais coisas dão um nó em nossa cabeça! Que nojo de uma sociedade desse tipo! Será que foi assim somente no passado, porém, atualmente com estudos mais acessíveis, as pessoas se tornaram mais cultas, e, consequentemente melhores?

Se fizermos como Salomão, determinarmos a estudar antropologia, sociologia, psicologia, filosofia, teologia, etc. visando interpretar a essência das ações humanas, concluiremos que não lograremos obter sucesso, ainda teremos mais perguntas do que respostas. O ser humano é complicado. As pessoas são extremamente complexas.

Aprofunde-se mais neste capítulo, certamente cada um dos seus 17 versículos te será muito útil. Tremper Longman III, os sintetizou em 4 tópicos:

1. Ninguém é como o sábio! (v. 1);
2. A palavra do rei/governo é soberana (vs. 2-9);
3. Os perversos são castigados realmente? (vs. 10-15);
4. Nem sequer o sábio sabe (vs. 16-17).

“O sábio sabe como se comportar com discrição e tato diante daqueles que estão no poder (8.2-6), mas as incertezas da vida tornam difícil a permanência no caminho certo (8.7-8). Muitos dos que têm poder usam-no sem piedade para obter vantagens pessoais. O fato de parecer que eles com frequência ficam impunes agrava a situação (8.9-15). Talvez seja esse o problema mais sério da vida (8.16-17)” (Duane A. Garrett).

Avance nos próximos capítulos! – Heber Toth Armí.



ECLESIASTES 8 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
8 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Quem guarda o mandamento não experimenta nenhum mal; e o coração do sábio conhece o tempo e o modo” (v. 5).

O tema da submissão na Bíblia nunca foi visto como um princípio de fácil compreensão. O texto mais conhecido e mais polêmico a este respeito, encontra-se em Efésios 5:22: “As mulheres sejam SUBMISSAS ao seu próprio marido, como ao SENHOR”. Este verso tem sido interpretado como machista e fora do contexto atual, o que não é verdade. Já o texto de hoje indica uma submissão suprema (v. 4). Ou seja, o que o rei (governante) falar, cumpre-nos obedecer.

Talvez, se as pessoas soubessem simplesmente qual é o significado de submissão, não a considerassem tão absurda. SUBMISSÃO é a circunstância em que se DEVE obedecer. Guarde bem esta palavra: DEVE (voltaremos a destacá-la no capítulo 12). O problema é que a maioria confunde submissão com subserviência. Este último significa aquele que obedece de forma humilhante. Com certeza não é isto que pedem as Escrituras. A obediência nunca foi requisito para a salvação, mas DEVE ser resultado dela. Se Jesus não tivesse sido obediente até a morte, a morte seria o nosso destino eterno. Ele mesmo nos deixou exemplo quando declarou: “Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e no Seu amor permaneço” (João 15:10).

A submissão bíblica é, sem dúvidas, uma forma de tirarmos o foco de nós mesmos e de nossos propósitos egoístas e permitirmos que Deus faça resplandecer o Seu rosto sobre nós (v. 1). Não adianta ficarmos cogitando desculpas para a desobediência, mas precisamos buscar na Palavra como fugir da rebeldia. O limite das ordens de um rei ou governante foi muito bem definido por Pedro e os demais apóstolos: “Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:29). O nosso dever cívico não deve ultrapassar o nosso dever cristão.

Estamos cercados de cenas que retratam a grande desigualdade social que há em nosso país e na grande maioria dos países do globo. Mesmo sendo, em grande parte, consequências da corrupção e má gestão pública, isto não nos autoriza a deixarmos de obedecer às autoridades. Assim também funciona no sentido espiritual. Muitos têm julgado que os perversos gozam privilégios ao passo que os cristãos têm sofrido apesar de fazer o bem (v. 10 e 14). Entretanto, a Bíblia diz que “o perverso não irá bem” (v. 13) e que, com certeza, o bem que “sucede aos que temem a Deus” (v. 12) é a promessa de um Reino onde o Rei é eternamente Justo. Portanto, o que DEVEMOS fazer não nos torna escravos de um Deus tirano, mas libertos pelo Rei dos reis. Tiremos, pois, o foco deste mundo e das obras que se fazem debaixo do sol, as quais não podemos compreender (v. 17), e busquemos viver aqui a nossa verdadeira cidadania: “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus” (Efésios 2:19).

Bom dia, filhos do Rei dos reis!

Desafio do dia: Escreva o nome de cinco governantes e ore por eles. Coloque esta folha em um lugar estratégico para que você sempre lembre de orar.

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus #Eclesiastes8 #RPSP




%d blogueiros gostam disto: