Reavivados por Sua Palavra


Contexto histórico e espiritual de Isaías 7 a 11 by jquimelli
28 de maio de 2017, 19:01
Filed under: Sem categoria

Isaías 7 a 11 tem como contexto histórico a ameaça iminente de invasão do Reino do Sul pelo Reino do Norte, aliado à Síria (Isaías 7:1).

* O Reino do Sul, do rei Acaz, é também chamado de Reino de Judá (que também reunia as tribos de Benjamim e Simeão) ou Casa de Davi, e tinha por capital Jerusalém.

* O Reino do Norte, que tinha por rei Remalias, é também chamado de Israel, simbolizado pela sua tribo mais forte, Efraim, e tinha por capital a cidade de Samaria.

* A Síria tinha como rei Rezim, e também era chamada de Aram (ou Harã, cf. Gn 11:26-32, de onde saiu Abrão para Canaã), e sua capital era (e ainda é) Damasco.

Isaías, então, é enviado por Deus a garantir a Acaz que antes que esta invasão tivesse sucesso, a Síria e o Reino do Norte, Israel, seriam invadidos pela Assíria, mais ao leste, cuja capital era Nínive.

O contexto espiritual é que o Reino do Norte seria destruído por sua sua rebeldia e maldade, provocadas pelo afastamento irreversível de Deus, por sua idolatria. O mesmo aconteceria com Judá, se não se desviasse do mesmo caminho pelo qual o Reino do Norte se enveredara.

Mas, mesmo que isso ocorresse, um remanescente retornaria (7:3) e seria restaurado. O sinal disso seria o nascimento de Emanuel (14:3 – o qual nasceria de uma virgem), através de quem, o povo que andava em trevas (especialmente a Galileia, do Reino do Norte) veria grande luz (9:1, 2). Através dEle viria o governo eterno de paz e justiça ao trono de Davi (9:6, 7).

O Senhor quer nos usar, assim como quis usar Israel e Judá, para sermos embaixadores de Seu reino eterno. Se procedermos como Seus embaixadores obedientes, receberemos as bênçãos da aliança. Caso contrário, Deus não poderá nos proteger das consequências de nossas próprias más escolhas.



Isaías 8 by jquimelli
28 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Isaías 8:20 enfatiza a importância de confiar inteiramente nas promessas de Deus. Vale muito memorizá-las:
– “Deus está conosco” (v.10);
– Para aqueles que confiam no Senhor, Ele será “um santuário”, mas para aqueles que não confiam, Ele lhes será como uma “pedra de tropeço” (v.14 NVI);
– Aqueles que esperam no Senhor ansiosamente porão a sua esperança Nele (v. 17). Mas aqueles que não dedicam o seu coração inteiramente para Cristo são vulneráveis a ser seduzido por “espíritos” (v.19), impressionados por falsas predições e emoções não fundamentadas em verdades bíblicas. A Bíblia deixa claro que os mortos não sabem nada (Ecl. 9:5-6).

Senhor, ajude-nos a Te obedecer e a depositarmos nossa confiança e nossa força somente em Ti, para que sejamos dignos de Teu nome. Amém.

Pr. Lloyd e Sheila Schomburg
Casal pastoral, Associação Kentucky-Tennessee, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/8, https://www.revivalandreformation.org/?id=933 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/8/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/03/04
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 8 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 8 – COMENTÁRIO PR. EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
28 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 8 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
28 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 8 – As profecias divinas são incríveis. A didática divina é perfeita. Contudo, os seres humanos falham diante das mensagens reveladoras e desafiadoras oriundas de um Deus amoroso.

O esboço realizado por Merril F. Unger do capítulo em pauta ajuda-nos a ter um vislumbre maior de sua mensagem:

• A prefiguração da queda de Damasco e Samaria (vs. 1-4);
• A escolha da descrença e suas consequências (vs. 5-8);
• O desafio da graça de Deus (vs. 9-15);
• O desafio de confiar somente na graça de Deus (vs. 16-20);
• A opção de não confiar em Deus traria a indescritível angústia e aflição da invasão e deportação assíria (vs. 21-22).

Neste capítulo podemos observar três situações que geram três verdades ensinadas por três nações:

1. Damasco, uma nação pagã, que tendo a permissão de Deus, puniu as duas partes do povo de Deus: Israel do Norte e Israel do Sul. Porém, seu poder seria retirado e um juízo levaria esta nação a perceber que a força e a habilidade humanas não valem de nada.
2. Efraim, representando dez das doze tribos de Israel, enveredou-se para a direção da idolatria, e despencou-se da posição de povo de Deus. Assim, cavou a própria sepultura, preparou o próprio caixão e, tomou o veneno mortal: Preferir o pecado antes que a graça que livra do pecado.
3. Judá, embora rebelde, capengava entre confiar em Deus e desconfiar dEle. Eram relapsos na espiritualidade, mornos e frouxos no compromisso com Deus. Destes, por um julgamento que traria purificação, resultaria na formação de um remanescente fiel.

Podemos estar em um dos três grupos, a única segurança é depender única e constantemente de Deus e de Sua Palavra. Deus anseia o melhor de cada um de nós. Contudo, rejeitar Sua Lei e Seus testemunhos significa rejeitá-lO também. Quem assim fizer…

• …Jamais verá a alva (salvação);
• …Passará pela terra oprimido e faminto;
• …Será insaciável;
• …Se enfurecerá;
• …Amaldiçoará inclusive a Deus;
• …Será tomado pela angústia;
• …Viverá em trevas de incerteza e imoralidade;
• …Sofrerá ansiedade terrível;
• …Será lançado às trevas mortais.

Este só não será o destino daqueles que vivem para Deus! Apesar de todo empenho, didática, pedagogia, sinais, profecias, mensagens, apelos de Deus para arrependimento, os pecadores preferem seguir seus próprios caminhos.

Ouça a Deus, renda-se a Ele! – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 8 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
28 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva” (v. 20).

Quanto mais avanço em minha carreira cristã, tanto mais percebo a minha miserabilidade. Minha natureza pecaminosa me acusa e mais aumenta a minha certeza de que não seria nada não fosse Jesus. A promessa de que “Deus é conosco” (v. 10) em nossa caminhada é a nossa única salvaguarda. O reino de Judá havia rejeitado o cuidado divino do Príncipe “Emanuel” (v. 8) e o medo derretia seus corações (v. 6) diante da expectativa de uma violenta investida. O segundo filho de Isaías, semelhante ao primogênito, também era um anúncio vivo do que aconteceria com o povo como resultado de sua rebeldia (v. 3).

Isaías foi fortemente advertido pelo SENHOR (v. 11) a depositar a sua esperança tão somente nEle, não tendo associação com o povo e nem compartilhando de seu medo (v. 12). Deus lhe seria santuário, enquanto as duas casas de Israel seria “pedra de tropeço” (v. 14). A escolha feita em temer a Deus ou temer a homens define o nosso futuro eterno, habilitando-nos para a salvação ou para perdição. Diante de nós há dois caminhos, e ambos envolvem condições. Deus requer de nós obediência à Sua Palavra, por preceito e por exemplo: “sela a lei no coração dos Meus discípulos” (v. 16). Por sua vez, uma vida avessa à vontade de Deus também requer algo: desobediência à lei de Deus.

As práticas da necromancia, adivinhação e mediunidade são abominações diante de Deus (v. 19) e o povo havia se corrompido com estas “densas trevas” (v. 22). Trocavam o assim diz o SENHOR por agouros de homens e eram levados à “escuridão e sombras de ansiedade” (v. 22). Não há lugar para abominações no coração que sob o selo da aliança eterna é guardado por Emanuel. Todo aquele que espera no SENHOR (v. 17), e oferece a sua família no “santuário” (v. 14) todos os dias, muito em breve terá a grande alegria em dizer-Lhe: “Eis-me aqui, e os filhos que o SENHOR me deu” (v. 18). Que esta seja a minha e a sua esperança!

Diante da proximidade de avistarmos “a alva” (v. 20), precisamos erguer a bandeira da verdade sem temer a reação de homens. “Quando vos disserem” (v. 19) que não precisam mais obedecer aos mandamentos do SENHOR, não se deixem ser enganados! “Acaso, não consultará o povo ao seu Deus?” (v. 19). Continue estudando a Palavra de Deus e a Ele santificando (v. 13; João 17:17), e o Espírito Santo continuará lhe guiando “a toda a verdade” (João 16:13).

Bom dia, discípulos do SENHOR!

Desafio do dia: Escreva ou imprima os dez mandamentos (Êxodo 20:3-17) e coloque-os em um lugar visível em seu quarto.

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus 
#Isaías8
#RPSP




%d blogueiros gostam disto: