Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 6 by jquimelli
6 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Deus dá aos homens a possibilidade de conseguir o que desejam, lhes dá a capacidade de criar, desenvolver e gerenciar.

Contudo, quando os homens deixam a Deus em segundo plano, a vida passa a ser apenas uma corrida desgastante para adquirir bens materiais. Quando alcançam seu objetivo, estabelecem novos objetivos, e assim seguem indefinidamente. Não percebem que a vida é finita e muito curta.

Como filhos e filhas de Deus devemos ser cuidadosos para que tudo que conseguimos, tendo elas vindo ou não de nossa família, não se tornem a motivação da nossa vida. Nossa esperança deve estar centrada em Deus, que é a fonte de toda bênção.

Portanto, eu quero convidar você a viver de forma feliz e agradecida com tudo o que Deus lhe deu. Sempre que você estiver exercendo uma atividade, cada vez que disser alguma coisa, reconheça que em tudo isto existe a assinatura de Deus, o autor e projetista da sua vida.

Gilberto Urcia Alberca
Secretário Executivo da União Sul-Peruana da IASD

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/Ecc/6, https://www.revivalandreformation.org/?id=911 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Ecc/6/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/02/10
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Eclesiastes 6 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ECLESIASTES 6 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
6 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO ECLESIASTES 6 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
6 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ECLESIASTES 6 – Alguém contabilizou que no Novo Testamento existem:

• 215 versos que tratam de fé;
• 218 versos que tratam sobre salvação;
• 2.084 versos que tratam de administração financeira e contabilidade de dinheiro;
• Das 38 parábolas de Jesus, 16 tratam de dinheiro.

O livro de Eclesiastes trata mais de dinheiro do que de salvação. Por que tantos textos sobre dinheiro? Dinheiro é ilusão e obstáculo quando o assunto é fé e salvação. A Bíblia de Jerusalém destaca estes pontos do capítulo em apreço:

• A riqueza que passa de um a outro (vs. 1-2);
• O rico sem sepultura (vs. 3-6);
• O pobre que toma ares de rico (vs. 7-11);
• Conclusão (v. 12).

A maneira que relacionamos com o dinheiro revela a condição do coração (Mateus 6:21, 24; I Timóteo 6:10). A religião de muita gente é o dinheiro, o qual sempre é ilusão à plena felicidade da alma.

Eclesiastes, diz J. I. Packer é “o livro da Bíblia escrito especialmente para fazer de nós realistas”. Sim, pois estamos iludidos com coisas fúteis, estamos investindo tempo em coisas inúteis; não estamos dedicando tempo e habilidades para buscar a Deus, que importa muito mais que riquezas.

• Aqueles que fazem das bênçãos de Deus um fim e não um meio para alcançar um propósito nobre e espiritual, ao morrerem deixarão tudo sem terem aproveitado nada. Trabalharam demais para deixar bens aos demais que colocarão fora em pouco tempo (vs. 1-2).

• Um casal com filhos formando grande, próspera e bonita família, que vive para enriquecer-se, ainda que tenha um funeral de primeira, muito luxuoso e chique, o bebê que nasce morto tem mais sorte que este casal; pois, nasceu, viveu e morreu sem sentido (vs. 3-5).

• Viver sem aproveitar nada não significa nada ainda que tenha muitos anos de vida. Trabalhar intensamente para satisfazer o apetite nunca satisfará a inerente necessidade de Deus dentro do coração (vs. 6-7, 10).

• Nossa existência é como neblina neste mundo, que não passa de um mar de ilusões. Eclesiastes quer tornar-nos realistas nos mostrando o único caminho que satisfaz. Não perca nenhum capítulo deste livro, nem se desvie do caminho (vs. 8-9, 11-12).

A única forma de fugir da ilusão deste mundo é abdicar do preconceito que temos quanto a Deus satisfazer nossa alma! – Heber Toth Armí.



ECLESIASTES 6 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
6 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“É certo que há muitas coisas que só aumentam a vaidade, mas que aproveita isto ao homem?” (v. 11).


Propositadamente, não incluí no texto de ontem a vaidade das riquezas porque o capítulo de hoje é uma continuação acerca deste assunto. A abundância de riquezas e a falta delas sempre foram motivos de contendas entre os homens. O ser humano é insaciável (v. 7) e a ganância tem trazido tantos males para o mundo quanto os trágicos efeitos de uma epidemia. “O proveito da terra é para todos” (Ec. 5:9), mas nem todos têm usufruído desta dádiva divina. Muitos têm depositado sua segurança em algo que é inseguro e incerto e privado a si mesmos e ao próximo das bênçãos da caridade.

Cresci em uma família que sempre foi bem estruturada financeiramente. Meu pai tinha um comércio e levávamos uma tranquila vida de classe média. Até que o comércio entrou em falência e nossa situação mudou completamente. Precisei enfrentar um ensino público defasado e, não fosse a generosidade de um irmão na fé que me concedeu uma bolsa de estudos em seu colégio, não teria concluído com êxito o ensino médio. Sempre gostei muito de estudar, mas precisei ir trabalhar ao invés de ingressar numa faculdade. Me entristeceu o tempo em que tive que ficar afastada dos livros, porém, hoje olho para trás e percebo o quanto aquela experiência me fez crescer. No pouco que tínhamos, o SENHOR jamais permitiu que nos faltasse o básico. E com minha mãe, aprendi e tenho aprendido lições de economia e de altruísmo que escola alguma pode superar.

“Quem ama o dinheiro jamais dele se farta” (Ec. 5:10) é uma verdade tão real quanto o fato de você estar lendo este texto neste exato momento. Quem ama ter muito, nunca se sentirá satisfeito com o que tem. Mas aquele que experimenta compartilhar o que possui, quanto mais distribui, mais tem. Na matemática de Deus, o subtrair equivale ao multiplicar. Experimente abrir as portas do seu guarda-roupa, e verá que quanto mais roupas dá, mais roupas tem. Experimente abrir as portas da sua dispensa, e perceberá que a feira que não durava um mês renderá muito mais. Isto é barganha? Não, amados. Isto é cumprimento de uma promessa divina: “O que dá ao pobre não terá falta” (Pv. 28:27).

Deus, sendo o dono do ouro e da prata (Ageu 2:8), deseja dar o melhor para os Seus filhos. Mas Ele nunca dará para um justo além ou aquém do que ele possa administrar. Muito mais do que riquezas terrestres, Ele deseja nos dar tesouros celestes. Este foi o propósito de Jesus no pedido feito ao jovem rico. A versão deste relato, aos olhos de Marcos, descortinou a real intenção de tal pedido: “E, Jesus, fitando-o, O AMOU” (Marcos 10:21). “Vai, vende tudo o que tens”, atingiu no alvo o pecado que não o deixava dormir em paz (Ec. 5:12). “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mateus 16:26). “Não podeis servir a Deus e às riquezas” (Mateus 6:24).

Ter riquezas não é pecado. O perigo está em não conseguir viver sem elas. Precisamos buscar no SENHOR, a mesma alegria e contentamento que descobriu o apóstolo Paulo: “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE” (Filipenses 4:11-13).
Os pedidos de Jesus para nós sempre vêm acompanhados de um mesmo propósito: SALVAÇÃO. Não faça a escolha do jovem rico. Escolha crer que o melhor para a sua vida é seguir Aquele que deu tudo por você e que hoje, fitando-o com amor, te chama:
“Vem e segue-Me” (Marcos 10:21).

Feliz sábado, herdeiros das riquezas eternas!

Desafio do dia: Não tem dia melhor para nos desapegarmos das coisas como no sábado. Siga o exemplo de Jesus. Faça o bem. Compartilhe com quem precisa as dádivas que Deus têm lhe confiado.

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus
#Eclesiastes6
#RPSP




%d blogueiros gostam disto: