Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 5 by jquimelli
25 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Sheila: Neste capítulo, a “vinha do Senhor” é um símbolo da “casa” ou nação de Israel (v.7). Os dois tipos de uvas no versículo 2 – “boas” e “azedas” (NVI) – me lembram o evangelista Kenneth Cox nos orientando sobre como nos relacionarmos com os diferentes tipos de pessoas que vêm à esse tipo de reuniões.

Lloyd: Seu conselho era para sermos sábios no relacionamento com as uvas verdes, azedas. Em outras palavras, se uma pessoa era problemática ou hostil, deveríamos apenas ser amigáveis e orar por ela, aguardando que o Espírito Santo as transformasse em uvas maduras.

Sheila: Isaías era um pregador talentoso que sabia como usar ilustrações brilhantes como a da vinha (v. 1-7). No verso 4 ele inclui a pergunta divina: “Que mais se poderia fazer por ela que eu não tenha feito?”.

Lloyd: Sim, Jesus também lamentou a desobediência do povo, que o levou a rejeitá-Lo (Mateus 23:37-38). De igual modo, o nosso Pai celestial se entristece com o procedimento das pessoas nesses últimos dias da história do mundo (II Ped. 3:9). Apocalipse 3:19 nos diz que Deus repreende e castiga aqueles a quem Ele ama. Até os sete “ais” mencionados em Isaías 5 podem ser vistos como apelos amorosos do céu mostrando como não agir!

Pr. Lloyd e Sheila Schomburg
Casal pastoral, Associação de Kentucky-Tennessee, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/5, https://www.revivalandreformation.org/?id=930 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/5/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/02/29
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 5 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 5 – COMENTÁRIO PR. EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
25 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



Isaías 5 – O pecado, buscar a Deus, a Bíblia by jquimelli
25 de maio de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria

Amigos,

vejam que pensamentos significativos a respeito de três passagens de Isaías 5:

sobre 5:11-13
Estas pessoas passavam muitas horas bebendo e festejando, mas Isaías previu que muitos deles morreriam de fome e sede. Ironicamente, nossos prazeres – se eles não tem a bênção de Deus – podem nos destruir. Deixar Deus de fora de nossas vidas permite que o pecado entre nelas. Deus quer que desfrutemos a vida (1 Timóteo 6:17), mas que evitemos aquelas atividades que possam nos afastar dEle.

sobre 5:20
Quando procuramos desculpas para nossos atos, logo perderemos a distinção entre o certo e o errado. se não fazemos da palavra de Deus, a Bíblia, nosso padrão de vida, logo nossas escolhas morais se tornarão obscurecidas. Sem Deus, estamos fadados a um colapso e muito sofrimento.

sobre 5:24
O povo sofria porque havia rejeitado a lei de Deus. Tristemente, muitas pessoas hoje buscam um sentido para a vida enquanto rejeitam a Palavra de Deus. Podemos evitar o erro de Israel e Judá ao fazer a leitura da Bília uma alta prioridade em nossas vidas.

Fonte: Life Application Study Bible Kingsway



ISAÍAS 5 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
25 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 5 – Deus requer de nós uma auto avaliação com base em Sua Palavra. Ele quer renovar-nos e restaurar-nos. Antes, porém, devemos auto avaliarmo-nos!

A auto avaliação é fundamental em cada área da vida, principalmente nas questões mais essenciais. Que dirá da questão vital, como é a salvação?

Auto avaliar espiritualmente é de suma importância para melhorar o desempenho na jornada cristã; pois, tem alguns que se perdem no caminho; outros param; e, tem muitos que retrocedem, voltando ao pecado.

Usando sua bagagem cultural, o profeta Isaías investe profundamente numa mensagem ricamente espiritual. Ele se utiliza ao máximo de sua habilidade com a retórica visando enfatizar uma avaliação que Deus fará em breve ao Seu povo: O julgamento. Tal avaliação teria resultados…

John N. Oswalt dá o seguinte título ao capítulo: “Colheitas de uvas”. E, então, o sintetiza:
1. O cantar da vinha (vs. 1-7);
2. Ais pela vinha:
a) Avareza e indulgência (vs. 8-17);
b) Cinismo e perversão (vs. 18-25)
3. Destruição iminente (vs. 26-30).

Deus é o Lavrador que preparou a terra e plantou uma vinha para si. Apesar de todo preparo e cuidado, a videira produziu uvas de péssima qualidade. A vinha representa Seu povo, que produz frutos imprestáveis.

Para nossa avaliação, Deus condenou, por intermédio de Isaías, vários pecados que Ele não quer ver em nós; tais como:
1. Injustiça socioeconômica;
2. Corrupção do sistema legal;
3. Bebedeiras;
4. Instabilidade espiritual dos ricos.

Didaticamente, Isaías propôs: AQUELES QUE…
• acumulam bens materiais à custa dos pobres, não enriquecem;
• vivem promiscuamente no luxo com requintadas comidas, morre de fome;
• achavam que Deus deveria Se apressar porque demorava para agir, perceberiam as tropas assírias avançando apressadamente contra Jerusalém;
• fazem da luz da verdade trevas em questões morais e éticas serão obscurecidos pelas densas nuvens do juízo divino.

O capítulo começa com cântico de amor, mas termina com notas amargas objetivando levar-nos avaliar os frutos que produzimos!

Nós, geralmente, retribuímos as melhores intenções de Deus, Seu terno cuidado e bênçãos, com atos indignos, perversos, injustos, malévolos. Tal vinha imprestável deve ser destruída. Para que serve? Não só ocupa espaço, ela produz os piores frutos: É uma maldição, quando deveria ser bênção.

Precisamos permitir que o Espírito Santo produza Seu fruto em nós (Gálatas 5:22-23) – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 5 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
25 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz e da luz, escuridade; põem o amargo por doce e o doce, por amargo!” (v. 20).


Você já foi decepcionado alguma vez? Fez o bem e foi retribuído com o mal?
A parábola da vinha má trata-se de um retrato acerca da situação dos filhos de Jerusalém e de Judá. O uso da alegoria em forma de um cântico de amor demonstra a grande afeição de Deus por Seu povo. O SENHOR fez por eles tudo o que poderia lhes proporcionar uma vida feliz e próspera, mas não foi correspondido (v. 2). Israel deu as costas ao seu Amado e o resultado foi desastroso (v. 5-6). Jesus utilizou a mesma comparação ao contar a parábola dos lavradores maus (Mateus 21:33; Marcos 12:1; Lucas 20:9). No discurso relatado por Mateus, Cristo conta esta parábola e mais adiante termina o discurso com uma sequência de “Ais” contra os escribas e fariseus da época (Mateus 23), onde condena a religião hipócrita e seus frutos de injustiça.

A expressão “Ai” está relacionada à maldição, mas também possui conotação de desespero e de tristeza. No livro de Deuteronômio, Moisés chama o povo a tomar uma decisão a favor da bênção, ou da maldição (Dt. 30:19). Josué também propôs ao povo uma escolha: “… escolhei, hoje, a quem sirvais…” (Josué 24:15). As advertências dadas de igual forma pelo profeta Isaías, só confirmam o que a Bíblia toda adverte: SÓ EXISTEM DOIS CAMINHOS. O povo havia se embriagado com a maldição (v. 11), desconsiderado tudo o que o SENHOR havia feito por eles (v. 12) e foram levados cativos “por falta de entendimento” (v. 13). A ruína moral e ética levou àquela gente ao abate e humilhação (v. 15), “porquanto rejeitaram a lei do SENHOR dos Exércitos e desprezaram a palavra do Santo de Israel” (v. 24).

A grande preocupação de Deus, desde o princípio, tem sido com a forma como o pecado nos levou a lidar com o presente do livre arbítrio. Acabamos por confundir liberdade com libertinagem e deturpamos o ideal de Deus com relação a nossa livre escolha. Sobre isto, nos advertiu o apóstolo Paulo: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne” (Gálatas 5:13).

Os “Ais” atuais têm entrado nos lares por meio da mídia e sua influência, arrebatando principalmente a atenção dos filhos. Crianças e adolescentes têm crescido assistindo, no conforto de suas casas, mediante a aprovação dos pais, a “formosura” do pecado. Desenhos, vídeos de “youtubers”, filmes e novelas ocupam o tempo e a mente daqueles que deveriam se chamar pelo nome do SENHOR. E sob o satânico ponto de vista “acaso, sou eu tutor de meu irmão?” (Gênesis 4:9), esses lares pensam estar agindo somente para malefício próprio, enquanto se tornam uma má influência para aqueles que deveriam estar fazendo de tudo para salvar.

Eis a proposta do SENHOR para mim e para você: “Vê que proponho, HOJE, a vida e o bem, a morte e o mal” (Dt. 30:15). Qual será a tua decisão? “Uvas boas” ou “uvas bravas” (v. 2)? Escolha fazer parte da “vinha do SENHOR dos Exércitos” (v. 7) e aceite ser cuidado por Ele. Continuemos sendo REAVIVADOS POR SUA PALAVRA!

Bom dia, uvas boas do SENHOR dos Exércitos!

Desafio do dia: Escreva ou imprima a frase:
“EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR”, e ponha na porta de sua casa.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías5
#RPSP




%d blogueiros gostam disto: