Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 1 by jquimelli
1 de maio de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Salomão, cheio de sabedoria, inicia este capítulo com questionamentos e preocupações, mas deixa-nos algumas verdades a ponderar.

Primeira verdade: a vida diária tem suas rotinas. O sol vai e vem, as gerações nascem e desaparecem. O perigo da rotina constante é que corremos o risco de perder a motivação para aquilo que é santo e eterno. Devemos olhar para o Senhor diariamente como se hoje fosse o nosso único dia de existência.

Segunda verdade: adquirir conhecimento de todas as coisas debaixo do sol não é tão importante assim. Para a nossa vida espiritual, o mais importante é o estudo das coisas eternas.

Terceira verdade: o conhecimento do mundo nem sempre soluciona os problemas da alma. Somente a sabedoria celestial, derivada de um relacionamento íntimo com Deus, irá trazer a paz completa ao coração do homem.

Por fim, “… a sabedoria de Deus é prometida aos que dela sentem necessidade e a pedem. Deus pode levar as pessoas aonde hão de receber a verdade. “(Testemunhos para a Igreja, vol. 9, p.181).

Pr. André Dantas
Secretário da União Leste Brasileira da IASD

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/Ecc/1 e https://www.revivalandreformation.org/?id=906 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Ecc/1/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/02/05
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Eclesiastes 1 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ECLESIASTES 01 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
1 de maio de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



ECLESIASTES 1 – Comentário Pr Heber Toth Armí by Ivan Barros
1 de maio de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

Este livro é uma convocação universal da parte do filósofo Salomão que anseia nossa reflexão mais íntima e profunda sobre a vida e o sentido da nossa existência. São apenas doze capítulos, mas poderão alterar tua vida inteira para melhor, bem melhor!

Qoheleth, como é chamado em hebraico o livro “Eclesiastes”, pode significar um mestre, pregador ou filósofo que reúne uma assembleia objetivando apresentar a verdade ou elevados conceitos de vida. O livro era usado em leituras na festa judaica das cabanas – ou dos tabernáculos!

“A Bíblia contém simples e completo sistema de teologia e filosofia… Usada como compêndio em nossas escolas, a Bíblia fará em favor do espírito e da moral o que não pode ser feito por livros de ciência e de filosofia. Como um livro para disciplinar, e refinar o caráter, não tem rival… Não há posição social, nenhum aspecto da experiência humana, para que o estudo da Bíblia não seja prepara essencial” (Ellen G. White).

Eclesiastes é um sarcástico irônico da vida desprovida da revelação sábia procedente de Deus à humanidade. Até o capítulo 11 o sábio nos desafia a crer que uma existência sem Deus não tem verdadeiro e real sentido.

O primeiro capítulo nos introduz ao livro… vamos mergulhar fundo nessa filosofia espiritual?

Warren W. Wiersbe oferece estes pontos, que valem à pena considerar:

1. Nada muda:a) A terra (v. 4);

b) O sol (v. 5);

c) O vento (v. 6);

d) O mar (v. 7).

2. Nada é novo:

a) O ser humano deseja algo novo (v. 8);

b) O mundo não oferece nada de novo (vs. 9-10);

c) Por que pensamos que as coisas são novas? (v. 11).

3. Nada é compreensível:

a) A vida é difícil, mas é uma dádiva de Deus (v. 13);

b) Tentar fugir da vida não a torna mais fácil (v. 14);

c) Nem tudo pode ser mudado (v. 15);

d) A sabedoria e a experiência não resolvem problema algum (vs. 16-18).

Sem rumo, a vida é um constante andar em círculos, é correr atrás do vento. Tudo trará sensação de vazio à alma. “Tudo é um tédio só”; “Tudo é um vazio só – como nadar contra a maré”.

Só Deus dá real sentido à vida! “Senhor, aviva-nos!” – Heber Toth Armí.



ECLESIASTES 1 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
1 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade” (v. 2).


Apesar de não haver a citação específica da autoria deste livro, ele próprio corrobora para atribuir a Salomão o título de autor. “Qoheleth”, título hebraico do livro, significa “O Pregador” e define bem o seu objetivo: uma pregação que não possui prazo de validade. O início do livro parece mais um desfecho. O verso 2 já expõe a que conclusão chegou o pregador: “tudo é vaidade”. Então, a partir desta suma, Salomão explica a razão de sua teoria.
 
Por mais que avancemos no tempo e que a história nos confirme de que a cada geração o mundo se torna palco de novas descobertas e de novas conquistas, o sábio rei afirma que “Geração vai e geração vem” (v. 4) e “nada há, pois, novo debaixo do sol” (v. 9). Ou seja, o homem pode criar inovações tecnológicas, pode avançar em descobertas científicas, pode até inventar coisas que as gerações passadas nunca imaginaram que pudessem existir, porém, como o vento, tudo isso um dia passa.
 
A palavra hebraica usada para vaidade é “hebel” que quer dizer “vapor ou sopro”. O que tanto valorizamos ontem, amanhã pode não ter mais utilidade e assim sucessivamente.
Um dia, quando o meu filho mais velho tinha por volta dos sete anos de idade, eu estava fazendo uma arrumação em meu guarda-roupa e encontrei uma fita K7. Imediatamente ele começou a puxar a fita enquanto perguntava: “Mãe, o que é isso?” Eu ri muito na hora e percebi que aquele “estranho” objeto que já havia sido uma “sensação”, agora não passa de uma peça de museu.
 
A nossa vida não tem sentido se for resumida apenas aos louros desta Terra. Como a fita K7, “Já não há lembrança das coisas que precederam” (v. 11). Tudo aqui passa. E com o passado foram as conquistas, as derrotas e todas as vaidades que fizeram de alguns, nomes que marcaram a história. Enquanto as “novidades” desta Terra ocuparem o espaço que só Deus pode preencher, as pessoas continuarão enfadadas e iludidas por algo cujos resultados só faz aumentar a tristeza (v. 18). Quem entende que a “novidade de vida” (Romanos 6:4) só pode vir por meio de Cristo, viverá aplicando “o coração a esquadrinhar” (v. 13) como caminhar até encontrá-Lo face a face.
 
Portanto, amados, não apliquemos o coração em coisas que têm prazo de vencimento, “onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no Céu… porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mateus 6:19-21).
 
Bom dia, aplicadores da “Bolsa de Valores” eternos!
 
Desafio do dia: Reflita sobre onde você tem aplicado o seu coração ultimamente. Isto tem lhe aproximado ou lhe afastado do SENHOR? Ore para que Deus afaste de sua vida tudo o que possa tirar a sua parte nos depósitos celestes.
 
Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus
#Eclesiastes1
#RPSP



%d blogueiros gostam disto: