Reavivados por Sua Palavra


DEZ DIAS DE ORAÇÃO – DIA 9 (Mundial) by jquimelli
21 de fevereiro de 2019, 16:46
Filed under: Sem categoria

Uma Experiência Mais Profunda

DIA 9 – UMA FORÇA MAIOR QUE A DÚVIDA

“Porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia” (2 Tim. 1:12).

————————————————————————————————

“O teste é positivo; você está grávida!” Eu mal podia esperar para compartilhar esta boa notícia com meu marido. Nossa filha tinha quase dois anos, e essa gravidez espaçaria perfeitamente as crianças. Nossa alegria se transformou em tristeza, no entanto, não uma vez, mas duas vezes. Mais tarde, naquele mesmo dia, senti uma dor no abdômen e acabei no hospital. Os testes provaram a suspeita do médico – uma gravidez ectópica [fora do útero]. Uma das minhas trompas de Falópio se rompeu, causando sangramento interno com risco de vida. Uma cirurgia reparou o dano físico, mas não meu coração decepcionado.

Depois de muitos anos de tentativas mal sucedidas de engravidar, meu médico me disse que isto seria impossível devido ao dano causado ao tecido pela hemorragia. E eu estava determinada a provar que ele estava errado! Em meu coração eu disse: “Eu sirvo um grande Deus; Ele realizou um milagre para Sara, permitindo que ela engravidasse contra todas as probabilidades, e Ele é capaz de realizar um milagre para mim.” Coloquei toda a minha fé nas mãos de Deus, e não demorou muito para que eu me encontrasse grávida novamente. Deus respondeu minha oração! Nós estávamos muito animados. Nossa fé nas promessas de Deus e nosso amor por Ele aumentaram.

Meu marido e eu estávamos caminhando ao longo de um rio tranquilo em uma tarde ensolarada de sábado, quando senti uma dor familiar ao meu lado. Eu me sentira assim antes, mas rapidamente descartei a hipótese. Naquela noite, a dor se intensificou e, novamente, acabei no hospital. Testes confirmaram meus medos – era uma segunda gravidez ectópica e eu precisava de uma cirurgia de emergência.

O que acontece quando um cristão coloca toda a sua fé nas promessas de Deus, apenas para ficar desapontado? Onde está o “bem” mencionado em Rom. 8:28? Nuvens de dúvida me cobriram. Eu me perguntei: Por que, Deus? Eu não entendi! Por que respondestes a minha oração e depois a levou embora? Por que me decepcionastes?

Deitei-me na cama do hospital sentindo-me muito desanimada. Eu sentia dor física e esgotamento emocional. Eu não queria ver ninguém! Minha enfermeira me garantiu que água quente me ajudaria a me sentir melhor e me ajudou a tomar banho. Lágrimas escorriam pelo meu rosto. Eu pensei que deveria rezar, mas não podia. Eu me senti totalmente abandonada por Deus. O vapor do chuveiro era como as nuvens escuras de uma tempestade. O demônio chegou bem na hora, me sugerindo: “É assim que Deus recompensa aqueles que depositam sua confiança nEle? É assim que Ele mostra seu amor?

Mas Deus não me abandonou. Fiquei impressionado ao repetir as seguintes palavras em voz alta: “Deus me ama.” Eu não tinha certeza se poderia – ou mesmo queria. Mas fui impressionada a repetir pela segunda vez com grande intensidade, então eu disse: “Deus me ama”. Repeti a mesma frase três vezes, cada vez enfatizando uma palavra diferente. “DEUS me ama.” “Deus ME ama.” “Deus me AMA!” Após a terceira declaração, a escuridão me deixou! Voltei para a minha cama totalmente exausta e queria ficar sozinho.

Quando o capelão do hospital entrou no meu quarto, ela olhou para o meu prontuário e perguntou: “Sra. Genson? ”Quando eu respondi, ela veio para o meu lado e pegou minha mão na dela, dizendo:“ É difícil perder um bebê, não é?” As nuvens voltaram! Não querendo chorar em sua presença, cobri a cabeça com o cobertor e disse em voz alta: “Deus me ama! Eu sei em quem tenho acreditado! Eu entreguei minha vida a Cristo, e o que Ele decidir fazer comigo está bem, porque minha vida está escondida em Cristo”. Com isso, as nuvens mais uma vez me abandonaram. 

Estas palavras que Jesus falou a Pedro trouxeram conforto ao meu coração mais tarde: “O que eu faço não o sabes agora; compreendê-lo-ás depois” (João 13:7). Eu lutei com Deus pela minha perda. Eu não conseguia entender por que isso acontecera, especialmente quando exerci fé. Levaria dez anos para entender que Deus queria que eu experimentasse que a fé deve ir além das nuvens, para o que não é visto, que Sua graça é aperfeiçoada em nossa fraqueza. Eu orei por um milagre e Deus me deu um. Mas eu aprendi que o verdadeiro milagre era que a força de Deus era maior que a minha dúvida e que Ele poderia me suster através de qualquer dificuldade. Como Jó, posso dizer: “Embora Ele me mate, ainda assim confiarei Nele”. “Mas ele sabe o meu caminho; se ele me provasse, sairia eu como o ouro”(Jó 13:15; 23:10).

“Deus nos dá lições de confiança. Ele deseja ensinar-nos onde buscar auxílio e forças em tempo de necessidade. Assim obtemos conhecimento prático de Sua divina vontade, de que muito carecemos em nossa experiência de vida. A fé se fortalece através do sério conflito com a dúvida e o temor” {T4 116.3}. “Na vida futura, os mistérios que aqui nos inquietaram e desapontaram serão esclarecidos. Veremos que as orações na aparência desatendidas e as esperanças frustradas têm lugar entre as nossas maiores bênçãos” {CBVc 210.7}.

Jodi Genson

 

FORMATO SUGERIDO PARA O MOMENTO DE ORAÇÃO

Louvor 

  • Senhor, nós Te louvamos porque tu és o Pai de toda a compaixão, o Deus de todo o consolo (2Co 1:3-7).
  • Nós Te louvamos por curar nossos corações partidos e nossas feridas.
  • Nós te louvamos por nos deixar depositar nossos fardos em Ti. Nos sustentarás em nossa hora de dor, pois experimentastes a dor.

Confissão e Reivindicação da Vitória sobre o Pecado 

  • Pedimos ao Teu Espírito Santo para que nos mostre quaisquer pecados que estão nos separando de Ti.
  • Perdoa-nos, Pai, quando nossas dúvidas sobrecarregam nossa capacidade de confiar em Ti.
  • Obrigado pelo perdão que ofereces tão maravilhosamente.

Súplica e Intercessão 

  • Senhor, nós oramos por sabedoria e graça para aceitar nossas decepções, sabendo que nos ama e irás trabalhar todas as coisas para o bem, embora possamos não entendê-lo agora.
  • Pedimos que nossa fé seja fortalecida ao enfrentarmos a dúvida e o medo.
  • Por favor, que nossas famílias revelem amor em nossos lares e comunidades. 
  • Pedimos que tragas harmonia às casas, cure relacionamentos quebrados, proteja os vulneráveis do abuso e revele Seu poder santificador em situações aparentemente sem esperança.
  • Que nossos membros da igreja, pastores e líderes de todo o mundo se alimentem da Palavra de Deus todos os dias. 
  • Que possamos também Te buscar diariamente em oração pessoal. Lembre-nos de que sem Ti não podemos fazer nada.
  • Pedimos que levantes enfermeiras e médicos para plantar novas igrejas entre os 1.978 grupos de pessoas nos 22 países da Divisão da África Centro-Ocidental.
  • Oramos pelos 49 milhões de pessoas nas 19 cidades menos atingidas da Divisão Trans-Européia.
  • Nós oramos pelas sete pessoas em nossas listas de oração. Dê-lhes corações para conhecê-Lo como Sua palavra diz em Jeremias 24:7.

Ação de graças 

  • Pai, obrigado porque Cristo está intercedendo por nós – assim temos uma esperança e um futuro.
  • Obrigado por nos consolar em todos os nossos problemas, para que possamos confortar os outros.
  • Obrigado, Senhor, porque Sua força é aperfeiçoada em nossa fraqueza.

—————————————————————————————————

CANÇÕES SUGERIDAS

“Eu Sei em Quem Tenho Crido” (HASD 259); “Cada Momento” (HASD 370); “Sou Feliz com Jesus” (HASD 230) [Sem versão para o português: “My Faith Looks Up to Thee” (SDA Hymnal #517)].

PROMESSAS A REIVINDICAR EM ORAÇÃO

  • “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” (Mat. 11:28).
  • “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel” (Isa. 41:10).
  • “Confia os teus cuidados ao SENHOR, e ele te susterá; jamais permitirá que o justo seja abalado.” (Sl. 55:22).

 

Fonte: https://www.tendaysofprayer.org, da Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Trad J.A.Q.



NÚMEROS 15 by jquimelli
21 de fevereiro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/numeros/nm-capitulo-15/

Este capítulo menciona o incidente do transgressor do Sábado que foi encontrado juntando madeira neste dia e foi apedrejado até a morte. A Bíblia nem sempre explica o “porquê” de um castigo aparentemente exagerado, e é aí que aparece a necessidade da confiança: nós confiamos que Deus é justo e ainda misericordioso em todos os seus relacionamentos? Esse é o verdadeiro questionamento do grande conflito entre Cristo e Satanás: o amor e a justiça de Deus.

Neste caso, no entanto, encontramos esclarecimento nos escritos de Ellen G. White: Este homem, “irado por ter sido excluído de Canaã, e determinado a mostrar seu desafio à lei de Deus, atreveu-se a uma transgressão declarada do quarto mandamento” (PP 297). Acender um fogo no clima frio de Canaã era muitas vezes necessário no Sábado, mas não no deserto. Apesar de serem lembrados do Sábado toda semana pelo milagre do maná, toda a congregação teria manifestado desprezo aberto pela autoridade de Deus se tivesse sido permitido ao homem continuar em seu desafio a Deus.

Como está a nossa guarda do Sábado? Esquecemos às vezes que Deus está interessado tanto nas pequenas coisas assim como nas grandes e não aceitará um culto descuidado?

Nancy Costa
It Is Written Television [Programa Está Escrito]
Fonte: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/15
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



NÚMEROS 15 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
21 de fevereiro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



NÚMEROS 15 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
21 de fevereiro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



NÚMEROS 15 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
21 de fevereiro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Para introduzir este comentário, cito um pensamento que Jaime Chilón publicou no Facebook:

“As coisas boas chegam aos que sabem esperar.
As melhores aos que não se rendem, e lutam;
E as grandes bênçãos aos que creem”.

Esperança ou batalhas sem Deus resultam em maldições (14:40-45). Após meditar nos estragos resultantes da incredulidade nos capítulos anteriores, Números 15 revela-nos graça, misericórdia e fidelidade infinitas de Deus.

“Não sabemos quanto tempo se passou entre os capítulos 14 e 15, mas observe o contraste entre as frases ‘nenhum deles verá a terra’ (14:23) e ‘quando entrares na terra’ (15:2). Embora odiados por causa do pecado, os propósitos de Deus nunca serão frustrados. O Senhor prometeu entregar Canaã aos descendentes de Abraão. Por isso, mesmo se uma geração fosse muito infiel para recebê-la, Deus favoreceria a próxima” (William MacDonald).

Durante 38 anos os filhos dos rebeldes poderiam aprender que Deus entrega o que prometeu aos que, primeiramente entregam-se a Ele integralmente. Tal tempo de permanência no deserto formaria o caráter da nova geração. Por isso, as LEIS…

1. …relacionadas às ofertas da terra (vs. 1-16);
2. …acerca dos primeiros frutos (vs. 17-21);
3. …acerca dos pecados voluntários e involuntários e violação do sagrado sábado (vs. 22-36);
4. …sobre bordas azuis nos cantos das roupas (vs. 37-41).

Do Egito à Canaã deve haver um processo chamado santificação. Não basta ser liberto do pecado, é preciso santificar-se para adentrar a Canaã Celestial. Muitos resgatados do pecado estão entre o povo de Deus, todavia, a maioria não entrará no reino dos Céus: “Sem santificação, ninguém verá ao Senhor” (Hebreus 12:14).

Crer, confiar e aceitar que Deus ocupe o coração para santificá-lo implica que…

• Todo nosso recurso pertence exclusivamente a Ele, portanto o dedicamos ao avanço do evangelho;
• Nossa entrega e submissão a Sua vontade devem ser evidentes em cada atitude;
• Em nossa agenda os dias de cultos e adoração são prioridades a qualquer programação;
• Jamais transgrediremos as horas sagradas com atividades seculares.

Deus não quer pessoas que meramente esperam pelas bênçãos ou mesmo lutam bravamente por elas; Ele quer pessoas que confiem totalmente nEle para agir em qualquer situação. Insubordinação não gera santificação. Entrega pela metade é uma mera religiosidade hipócrita.

Absolutamente, irreverência não produz bênção. Consagremo-nos urgentissimamente! – Heber Toth Armí.



NÚMEROS 15 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
21 de fevereiro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“A mesma lei e o mesmo rito haverá para vós outros e para o estrangeiro que mora convosco” (v.16).


Em cada registro sobre as ofertas que deveriam ser dadas ao Senhor, há uma nova descoberta, uma nova percepção acerca dos propósitos divinos. Além de usar do método de repetição a fim de impactar a mente humana com as coisas sagradas, Deus também acrescenta novas informações que ampliam nossos horizontes para a compreensão de verdades e princípios eternos. Não era desejo do Senhor que Israel tomasse apenas para si o privilégio de tê-Lo como Deus, mas que fosse uma nação receptiva a todo o estrangeiro que quisesse conhecer e servir ao único Deus verdadeiro: “como vós, assim será o estrangeiro perante o Senhor” (v.15).

As mesmas leis, os mesmos ritos cerimoniais deveriam ser observados pelos naturais e estrangeiros. Todos eram iguais perante o Senhor. E se todos, por ignorância, errassem e não cumprissem “todos estes mandamentos” (v.22), tinham de assumir o erro levando uma oferta pelo pecado e “um novilho, para holocausto” (v.24). O sacerdote faria expiação por toda a congregação e seriam perdoados. O mesmo critério era usado de forma individual, tanto para o natural quanto para o estrangeiro. A pessoa, porém, que fizesse “alguma coisa atrevidamente”, (v.30), injuriando ao Senhor e desprezando a Sua Palavra, seria eliminada do meio do povo e levaria sobre si a sua iniquidade.

Antes mesmo de proferir os dez mandamentos no monte Sinai, o Senhor provou o Seu povo quanto à observância do sábado. O quarto mandamento já inicia declarando a sua pré-existência: “Lembra-te do dia de sábado para o santificar” (Êx.20:8). Ao recolherem o maná em dobro na sexta-feira, estavam lançando um firme alicerce espiritual de confiança na provisão de Deus. A morte do homem que colhera lenha no sábado não fora um ato sanguinário e cruel, não tinha o objetivo de vingança. Também não fora um pecado por ignorância, mas, atrevidamente, o homem desprezara a santidade daquele dia, assumindo as consequências de seu pecado: “porque o salário do pecado é a morte” (Rm.6:23).

As borlas eram franjas na parte inferior das vestes e serviam como um símbolo, uma lembrança dos mandamentos do Senhor. Foi na borla da veste de Cristo que a mulher com o fluxo de sangue tocou e foi curada (Lc.8:44). Até mesmo na vestimenta, Israel deveria reproduzir a vontade de Deus. Ao contrário do que o mundo tem pregado, o Senhor nos diz: “não seguireis os desejos do vosso coração, nem dos vossos olhos, após os quais andais adulterando” (v.39). O mundo está sendo tomado por um cristianismo emocional sustentado pelo fundamento arenoso e instável da vontade humana. O princípio estabelecido por Deus em Sua Palavra de que todos devem participar da verdadeira adoração não inclui, em parte alguma, o desejo do coração humano. Aquele que detalhadamente definiu como deveria ser adorado pelo antigo Israel é O mesmo que concedeu à Sua igreja militante o conhecimento profético para os últimos dias.

Segundo Ellen White, o mesmo princípio é aplicado na igreja de Deus, hoje:

“A igreja é o instrumento de Deus para a proclamação da verdade, por Ele dotada de poder para fazer uma obra especial; e se ela for leal ao Senhor, obediente a todos os Seus mandamentos, nela habitará a excelência da graça divina. Se for fiel a sua missão, se honrar ao Senhor Deus de Israel, não haverá poder capaz de a ela se opor” (Minha Consagração Hoje, p.249).

Para cada indivíduo há um chamado. Para cada embaixador de Deus na Terra há um ou mais dons a serem multiplicados. Mães, assumi vossa sagrada obra; vasculhai os Testemunhos como em busca de um tesouro perdido; praticai os ensinos ali contidos na certeza de que o Senhor lutará por vós e salvará os teus filhos (Is.49:25). Pais, há uma vasta coleção de conhecimento à vossa disposição; tendes uma grandiosa obra a executar como sacerdotes do lar; desviai-vos do exemplo de Eli (1Sm.2:29). Filhos, vosso dever constitui em honrar a Deus e a sua família; procurai dominar vossas paixões buscando ao Senhor como Daniel, que três vezes ao dia punha-se de joelhos em meio à ímpia Babilônia (Dn.6:10); procurai fugir das tentações à semelhança de José, que fugiu da oferta sensual da mulher de Potifar (Gn.39:12).

Depositemos, hoje, a nossa vida no altar do Senhor!

“Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1Co.10:31).

Bom dia, santos do Altíssimo!

Dez dias de oração, 8° dia: Oremos em favor de pessoas que precisam voltar para Deus e para a igreja e por nossos amigos especiais de oração.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Números15 #RPSP

Comentário em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100



NÚMEROS 15 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
21 de fevereiro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: