Reavivados por Sua Palavra


NÚMEROS 20 by jquimelli
26 de fevereiro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/numeros/nm-capitulo-20/

A palavra para “deserto” em hebraico é “midbar“. Ela pretende transmitir a ideia de um lugar de ordem, arranjo, harmonia. Aqui é onde YAHWEH trouxe Israel para ensiná-los a viver. No entanto, no versículo 5, Israel está amaldiçoando a Deus por trazê-los para esse lugar “maligno”. As circunstâncias são proibitivas. Há pouca comida ou água. Eles querem voltar para o Egito, o lugar da escravidão. Pois lá, gritaram, ao menos suas barrigas estavam cheias.

Deuteronômio 8:2-3 detalha seu vaguear pelo deserto a partir da perspectiva de Deus. Nós vemos que Deus permitiu que eles padecessem de fome. Por que o Criador e Sustentador do Universo quer fazer isso? É para “para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do SENHOR”. (Dt 8:3 NVI).

Deus está nos guiando, se escolhermos ser guiados, em circunstâncias semelhantes. Podemos ter pouco em termos de bênçãos físicas. Em nosso deserto espiritual, podemos ter pouco/nenhum alimento, água, abrigo, companheirismo, etc. Este lugar deserto destina-se a nos ensinar dependência, não independência, harmonia, não caos. Deus está querendo que percebamos que não vivemos apenas por essas coisas temporais, mas por toda Palavra que vem do Ser Auto-Existente. Faça dele uma prioridade e tudo o mais será fornecido.

Nicholas Arroyave Howling-Crane
Auxiliar dos Ministérios da Saúde e Evangelista de Literatura
Beaufort, Carolina do Sul, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/20
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



NÚMEROS 20 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
26 de fevereiro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



NÚMEROS 20 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
26 de fevereiro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

A Bíblia responde nossas maiores inquietações; porém, pecadores têm medo da verdade. A verdade divina revelada expõe a ruindade humana; consequentemente, muitos desprezam a Bíblia, outros fogem da igreja.

Moisés e Arão tiveram que lidar com a verdade da parte de Deus: Eles não entrariam na Terra Prometida. Deus, graciosamente, deu satisfação, explicando-lhes a razão: “Já que vocês não confiaram em mim, não me trataram com reverência diante do povo de Israel, os dois estarão impedidos de conduzir a comunidade para a terra que estou dando a eles” (v. 12).

Que triste! Moisés que deixara o sossego do trabalho pastoril, família; que enfrentara o irredutível Faraó; guiara o povo; sofrera rebelião do povo; permanecera manso frente à acusação infundada sobre sua esposa…

Nesse contexto Moisés estava muito indignado pela atitude do povo pela falta de água (vs. 2-13), triste pela morte de sua irmã (v. 1). Em seguida recebeu resposta negativa à solicitação para passar nas terras de Edom (vs. 14-21). Logo depois lidou com a morte de seu irmão Arão (vs. 22-29). No mesmo capítulo, seus dois irmãos morrem. Parece injusto?

Parece justo chorar um mês por Arão e nenhum dia por Miriã (vs. 1, 29)?

Neste mundo…

1. A vida é injusta: sofremos pressões, reclamações, críticas, acusações…;
2. Somos pecadores: Estragamos tudo;
3. Liderar é complexo: Lidar com pessoas é difícil;
4. Grandes homens: Cometem erros.

O problema é que endeusamos nossas opiniões e desprezamos a Deus. Questionamos e reclamamos, mas Moisés não resmungou. Não ficou depressivo/fugindo. Ele submeteu-se a Deus humildemente.

Amplie tua visão:

• “Os filhos de Israel nunca foram afeiçoados ou fieis a seus líderes. Moisés não constituiu a prova disso? Seus contemporâneos lhe causaram tanto sofrimento que poderíamos nos perguntar se a decisão divina de barrar-lhe o acesso à terra prometida não foi um prêmio em vez de castigo. Só depois de sua morte sua gente entendeu sua singular grandeza” (Elie Wiezel).

• “Não houvesse a vida de Moisés sido mareada por aquele único pecado, deixando de dar a Deus a glória de tirar água da rocha, em Cades, e teria entrado na Terra Prometida, e seria transladado para o Céu sem ver a morte” (Ellen G. White).

Deus sabe o que faz! Nós, não sabemos! Daremos-Lhe glória? – Heber Toth Armí.



NÚMEROS 20 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
26 de fevereiro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Mas o Senhor disse a Moisés e a Arão: Visto que não crestes em Mim, para Me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso, não fareis entrar este povo na terra que lhe dei” (v.12).


O capítulo de hoje narra episódios muito tristes e desanimadores para Israel, mas, principalmente, para o seu líder. Enlutado pela morte de sua irmã Miriã, Moisés ainda teve de enfrentar a dureza de coração dos filhos de Israel novamente manifestada pela falta de água. Cegos pela incredulidade, exigiam que suas necessidades fossem atendidas com urgência. Como de costume, em situações como esta, Moisés e Arão “se foram de diante do povo para a porta da tenda da congregação e se lançaram sobre o seu rosto; e a glória do Senhor lhes apareceu” (v.6). A ordem do Senhor foi bem clara: “Toma o bordão, ajunta o povo, tu e Arão, teu irmão, e, diante dele, falai à rocha, e dará a sua água” (v.7).

Em toda a sua trajetória como líder, Moisés se mostrara manso e apaziguador. Cheio do Espírito do Senhor, sempre buscara fazer tudo como Deus lhe ordenara. As murmurações de Israel e os desafios do deserto foram provas que lhe constituíram o caráter humilde e dependente de Deus. Como porta-voz do Senhor, importava que buscasse viver de conformidade com o seu chamado. A sua intimidade com Deus, no entanto, não o autorizava a tomar para si, ou dividir com Deus, os méritos de obra alguma. O instrumento humano jamais poderá reclamar para si a glória que só pertence a Deus sem sofrer as consequências por isso.

Cansado de lidar com um povo deveras rebelde, ignorou a ordem do Senhor e, ao invés de falar à rocha, “feriu a rocha duas vezes com seu bordão” (v.11). A sua exaltação diante de Israel lhe custou a mesma condição de incredulidade do povo: “Visto que não crestes em Mim” (v.12), disse o Senhor a Moisés. Ele e Arão, que foi conivente com a ação do irmão, não entrariam na terra prometida. Quão decepcionado não deve ter ficado Moisés consigo mesmo! E qual não deve ter sido a sua decepção ao ver negado o seu pedido de passagem pacífica pelo reino de Edom. Desolado por sua atitude impensada, pela morte de Miriã e pela negativa de Edom, ainda teve de lidar com a morte de Arão e o luto de 30 dias de Israel.

Moisés fora um grande líder, mas também era um ser humano tendente a falhar como você e eu. A lição que deveria ter dado ao povo através do falar à rocha simbolizava o ministério de Cristo. Uma vez ferido, não havia necessidade de ser ferido segunda vez. Por Suas feridas recebemos o acesso ao Pai e o privilégio de apenas pedir: “Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede” (Jo.4:15). Quando agimos segundo os nossos próprios impulsos o prejuízo não recai apenas sobre nós, mas também interfere na vida de outros. As atitudes de um líder, porém, têm um impacto ainda maior.

É certo que vivemos em um mundo repleto de desafios e, especificamente em nossos dias, vivemos em um mundo onde a sobrevivência em si é um desafio. E nos entristecemos, nos magoamos, nos decepcionamos, e somos marcados por situações e pessoas que ameaçam a nossa fé e a nossa alegria de viver. É fácil julgar a atitude de Moisés. É fácil julgar a atitude dos nossos semelhantes. Difícil é admitir que somos tão pecadores e falhos quanto qualquer um deles. O Senhor não chamou um homem capaz de liderar as hostes de Israel, Ele chamou um homem tímido e pesado de língua, e o elevou à estatura de um líder ousado e fluente. Jesus não chamou os doutores da lei, mas pescadores, homens leigos, desprezados pela sociedade, e os elevou à estatura de discípulos Seus.

Como líder na educação dos seus filhos, você pode ter falhado muito como mãe. Como líder do lar, você pode ter errado muito como pai. Como líder da igreja de Deus, você pode ter decepcionado muito como pastor. Mas há um Deus que se importa com você, e que pode até te disciplinar aqui na Terra, mas sempre com o objetivo de levar você e sua casa para o Céu. Moisés pode ter perdido o direito de entrar na Canaã terrestre, mas recebeu a recompensa da ressurreição para desfrutar da Canaã celeste. E esta promessa foi estendida para mim e para você. Um dia estaremos em um lugar onde Deus nos “enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Ap.21:4). Pela graça de Deus eu quero estar lá. E você?

Bom dia, alvos das misericórdias de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Números20 #RPSP

Comentário em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100



NÚMEROS 20 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
26 de fevereiro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

730 palavras

1 primeiro mês. O ano não é citado, mas uma comparação entre os vs. 22-29 com 33.38 leva à conclusão de que esse capítulo começa no quadragésimo ano depois do êxodo. A maioria do povo que tinha 20 anos ou mais na ocasião da rebelião de Cades (caps. 13, 14) já teria morrido [os mais velhos do povo teriam, portanto, 60 anos]. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Cades. Esta seca Cades não é provavelmente o fértil oásis de Cades Barnéia (chamado hoje de Ein el-Qudeirat), onde os israelitas acamparam quando enviaram os espias (13:26). Andrews Study Bible.

morreu Miriã. A irmã de Moisés era uma mulher piedosa. Quando Moisés era ainda um bebê, ela ajudou a salvá-lo da morte (Êx 2.4-10). Após o livramento às margens do mar Vermelho, ela liderou o povo na celebração pela vitória (Êx 15.20-21). Contudo, 12.5-15 mostra-nos seu grave pecado e o castigo resultante. Bíblia de Genebra.

não havia água … se ajuntaram contra Moisés. Fica claro que a água proporcionada desde o milagre em Horebe [Sinai] (Êx 17:1-7), cerca de 40 anos antes, fora interrompida. Com isso, Deus queria provar a fé da nova geração que crescera no deserto (ver PP, 411). CBASD-Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 968.

Os filhos da nação rebelde desejam, agora, morrer com seus pais; as queixas contra o pão dos céus são repetidas pelos filhos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

o povo contendeu. A palavra [em heb] “contender” significa “opor-se de forma barulhenta”, às vezes, até mesmo com violência física. CBASD, vol. 1, p. 968.

8 A rocha aqui é uma figura de Cristo (1 Co 10.4). Foi ferido uma vez para nós, e agora só resta a oração da fé, pela qual entramos em contato com Ele. A rocha já tinha sido ferida uma vez (Êx 17.6), e daí o significado especial de apenas falar para a Rocha. Bíblia Shedd.

De acordo com Paulo, a rocha simbolizava Cristo (1 Co 10:4), que foi ferido pela morte apenas uma vez para trazer a “água vivificadora” (Jo 4:10; 19:34; Hb 9:26-28; 1 Jo 5:6). Andrews Study Bible.

10 rebeldes. A mesma linguagem usada por Deus a respeito dos pais daquela geração (Nm 17:10). CBASD, vol. 1, p. 969.

12 não crestes em Mim. Foi neste ponto que Moisés errou. CBASD, vol. 1, p. 969.

A palavra de condenação divina foi dirigida tanto a Moisés quanto a Arão, pois Arão tinha acompanhado Moisés e estava envolvido na precipitação do ato de seu irmão. O ministério de ambos estava chegando ao fim. Bíblia de Genebra.

não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel. A falta de fé impediu a exibição de santidade de Deus por meio de Moisés e Arão. CBASD, vol. 1, p. 969.

Líderes tem uma grande responsabilidade de sustentar a santa reputação de Deus (comparar Lv 10:3). Se eles falham, Deus deve se distanciar deles para que a comunidade da fé não seja desviada por interpretações erradas. Andrews Study Bible.

13 águas de Meribá. Meribá quer dizer “Contenda”. Bíblia Shedd.

Significa rebelião.  Nota textual NVI.

O mesmo nome foi empregado 40 anos antes, na primeira ocasião de tirar água da rocha (Êx 17.7, em que também é chamado Massá, “teste”). Sl 95.8 lamenta a rebelião em Massá e Meribá. Bíblia de Estudo NVI Vida.

17 estrada do rei. A principal rota comercial norte-sul na Transjordânia [terras a leste do rio Jordão], que ligava Damasco com a Arábia. Bíblia de Estudo NVI Vida.

20 não passarás. Os edomitas temeram permitir a passagem de Israel por seu território. No entanto, venderam para eles as provisões necessárias à jornada (Dt 2:28, 29). CBASD, vol. 1, p. 970.

21 Israel se desviou. O próprio Deus ordenou que Israel se desviasse, mas instruiu a compra das provisões necessárias das mãos dos edomitas (Dt 2:5, 6). CBASD, vol. 1, p. 970.

Às vezes, o conflito é inevitável; às vezes, entretanto, não compensa por conta das consequências. O conflito aberto pode parecer heroico, corajoso e mesmo correto, mas não é sempre a melhor escolha. Devemos considerar o exemplo de Moisés e encontrar outro modo de resolver nossos problemas, mesmo que isto seja difícil de fazer. Life Application Study Bible Kingsway.

22 monte Hor. Nada de certo se sabe a respeito da sua localização, a não ser sua proximidade com a fronteira de Edom (v. 23). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Eleazar sucedeu a seu pai como sumo sacerdote. Arão teve a alegria de ver seu trabalho levado adiante por seu filho; Moisés, cujo ministério como mediador da aliança no Sinai, era sem igual (12.8; Êx 18-1-24-18), não teve igual ventura. Bíblia de Genebra.

24 reunido aos seus antepassados. Eufemismo da morte (v. eg., Gn 25.8, 17; 35:29). Bíblia de Estudo NVI Vida.



NÚMEROS 20 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
26 de fevereiro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: