Reavivados por Sua Palavra


DEUTERONÔMIO 9 by jquimelli
23 de março de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/deuteronomio/dt-capitulo-9/

Deus advertiu Israel de que eles iriam obter a vitória sobre seus inimigos não porque eles eram justos, mas porque os seus inimigos eram maus. No tempo do fim, o moderno Israel de Deus não levará o crédito por sua vitória contra o gigante pronto a exterminá-los (Ap 13:15), mas glorificará a Deus pela vitória. Eles cantarão o cântico de Moisés e do Cordeiro: “Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações. Quem não te temerá, ó Senhor? Quem não glorificará o teu nome? Pois tu somente és santo. Todas as nações virão à tua presença e te adorarão, pois os teus atos de justiças e tornaram manifestos”(Ap 15:3-4).

Deus será vindicado! Que enorme privilégio é para nós viver neste tempo do fim, e ver uma libertação mundial, muito maior do que a libertação do Mar Vermelho. No fim dos tempos, o Israel moderno será como Cristo (1 João 3:2b) e dependeremos Dele nesta luta final. Dependamos Dele hoje, para que também dependamos Dele na crise vindoura.

Norman Gulley
Southern Adventist University

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=408
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



DEUTERONÔMIO 9 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
23 de março de 2019, 0:58
Filed under: Sem categoria



DEUTERONÔMIO 9 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
23 de março de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Nossa geração precisa viver em santidade, rejeitando completamente filosofias daqueles que rejeitam valores celestiais. Precisamos aplicar na prática a essência da santidade, lembrando diariamente os valores morais instituídos por Deus.

Quando o povo é propriedade de Deus, e o povo tem a Deus como prioridade, grandes coisas acontecem.

1. Deus escolheu um povo insignificante para vencer grandes e poderosas nações fortificadas. Quem está com Deus não perde a guerra, ainda que os inimigos sejam gigantes, fortes e hábeis guerreiros (vs. 1-3). “Deus garantiu ao Seu povo que não havia necessidade de temer o futuro, pois o Senhor iria adiante deles ajudá-los a derrotar os inimigos” (Warren Wiersbe).

2. Deus preza por um povo desprezível. Israel não era nação exemplar, perfeita e fiel aos princípios divinos. Não praticava justiça. Justiça existia somente em Deus (vs. 4-5).

3. Deus é gracioso não apenas com os israelitas, mas também com os canaanitas. Embora Deus usasse os israelitas para destruir os canaanitas, mais de 400 anos de misericórdia foram dados a estas pessoas (Gênesis 15:13-16). Contudo, o pecado deles ultrapassaram os limites, e, Deus é fiel (v. 5).

4. Deus não ignora o pecado nos povos pagãos nem mesmo em Seu próprio povo, embora Sua graça seja estendida a ambos (vs. 6-24). Israel provocara a ira de Deus, a rebeldia era a marca registrada deste povo; embora Deus preservasse a existência dos israelitas, Seu juízo se manifestou em várias situações em que eles, como os canaanitas, ultrapassaram os limites de Sua graça.

5. Deus não esconde a perversidade de Seu povo, assim Ele evidencia a Sua maravilhosa graça. Moisés intercedeu pelos rebeldes; introduzi-los na Terra Prometida era um ato baseado na Palavra de Deus (vs. 25-29).

A graça de Deus não surge com a morte de Cristo, existiu desde a entrada do pecado no mundo. A graça não se torna atributo de Deus somente no Novo Testamento, este atributo é real e notável também no Antigo Testamento.

Quanto mais Deus Se manifestar, mais evidente fica nossa pecaminosidade. Ao mesmo tempo, mais nítida se torna Sua graça. Aproximemo-nos dEle com humildade!

Deus cumpre o que promete mesmo quando tudo conspira contra Suas promessas.

Reconhecer a graça divina torna-nos humildes! Cada vitória resulta da graça divina!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



DEUTERONÔMIO 9 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
23 de março de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Sabe, pois, que não é por causa da tua justiça que o Senhor, teu Deus, te dá esta boa terra para possuí-la, pois tu és povo de dura cerviz” (v.6).


Prestes a se deparar com “cidades grandes e amuralhadas até aos céus” (v.1) e a enfrentar um “povo grande e alto” (v.2), os filhos de Israel precisavam confiar que no tempo em que atravessassem o Jordão, o Senhor passaria adiante deles para destruir e subjugar aquelas nações. Contudo, a sua confiança deveria ser fruto de fé, e não de autoconfiança. Pela fidelidade da aliança feita a “Abraão, Isaque e Jacó” (v.5) e pela maldade das ímpias nações era que Israel entraria na “terra para a possuir” (v.4).

A arrogância e o orgulho agem como entorpecentes que paralisam pouco a pouco a vida espiritual. Um coração cativo pelo orgulho corre o sério risco de fechar de vez qualquer acesso à voz de Deus, e incorrer no pecado contra o Espírito Santo. A advertência de Moisés era para que Israel não chegasse justamente ao patamar dos judeus legalistas que instigariam os romanos a crucificar o próprio Cristo.

O sentimento de justiça própria deve ser rejeitado tanto quanto o pecado mais hediondo. O Senhor não prometeu a vida eterna aos que se julgam merecedores, mas aos “humildes de coração” (Mt.5:3). Ou seja, aos que reconhecem que nunca conseguirão ali entrar se não for pelos méritos de Cristo Jesus. Será a justiça de Cristo vista sobre nós que nos livrará “do corpo desta morte” (Rm.7:24). Somente com as vestes da justiça de Cristo não será exposta a nossa nudez. “Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha” (Ap.16:15).

O Testemunho que o Senhor gravou em “duas tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus” (v.10), logo foi quebrado pela idolatria de um povo de duro coração. Não tem sido diferente hoje. A rebelião continua, e a menos que nos apresentemos diante do Senhor com a mesma disposição de Moisés, teremos de enfrentar a ira e o furor de um Deus santo que ama o pecador, mas que odeia o pecado. Moisés não foi só o maior líder que Israel já teve, mas também o maior intercessor.

Moisés fora um tipo que apontava para o Antítipo. Hoje, Jesus ministra no Santíssimo do santuário celeste intercedendo ao Pai em nosso favor. E nós, como Seus embaixadores na Terra, precisamos fazer mais uso deste instrumento capaz de mover o coração de Deus: a oração. A oração sincera nos protege da justiça própria e nos leva ao constante reconhecimento de nossa total dependência do cuidado divino. Em tempos de grande crise, oremos uns pelos outros através das palavras do compassivo líder:

“Ó, Senhor Deus! Não destruas o Teu povo e a Tua herança, que resgataste com a Tua grandeza… não atentes para a dureza deste povo, nem para a sua maldade, nem para o seu pecado… Todavia, são eles o Teu povo e a Tua herança, que tiraste com a Tua grande força e com o braço estendido” (v.26-29).

Feliz sábado, povo do Senhor, vigiemos e oremos!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Deuteronômio9 #RPSP

Comentário em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100



DEUTERONÔMIO 9 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
23 de março de 2019, 0:06
Filed under: Sem categoria



DEUTERONÔMIO 9 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
23 de março de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1323 palavras

Moisés encoraja a Israel com a promessa que Deus lhe outorgará a vitória (1-3). Afirma a razão por que Deus lhes dará a vitória (4, 5), e lembra o povo de sua própria inutilidade, comprovada por seu pecado em Horebe (6-29; 10.1-11). Bíblia Shedd.

1 hoje. O tempo apontado para a posse de Canaã estava próximo. Israel devia se preparar para cruzar o Jordão num futuro imediato. Antes, porém, Moisés morreria, e Israel choraria sua morte por um mês. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 1077.2, 3

anaquins. Literalmente, “os de pescoço longo”. Podem ser descendentes de Enaque. … Após a conquista israelita, nenhum dos anaquins permaneceu em Judá, mas um pequeno remanescente sobreviveu na Filístia (Js 11:22; 2Sm 21;16; 1Cr 20:4). CBASD, vol. 1, p. 1077.

Os anaquins eram pessoas enormes, alguns de 2,10 a 2,7 metros de altura. Golias, um descendente desta raça, tinha mais de 2,70 m de altura (1Sm 17:4-7). Infelizmente, estes grandes homens utilizavam sua estatura como meio de intimidação em vez de para causas nobres. Sua aparência, isoladamente, causou intimidação aos espias israelitas (Números 13:28) e sua má reputação pode ter sido o fator decisivo para manter os israelitas fora da terra 40 anos antes (Nm 13, 14). Moisés utilizou todo seu poder de persuasão para convencer seu povo de que Deus poderia lidar com estes valentões. Ele usou a ilustração de Deus como um fogo devorador, perante Quem nem um gigante poderia ficar em pé. Life Application Study Bible.

Ele os exterminará (NVI). A conquista de Canaã se daria pelo poder dEle … A glória seria de Deus, não deles (ver Js 3:1-11; 11:21-23).

Por causa da minha justiça. Note a tríplice ênfase desta seção (vc 4-6) de que a vitória não foi por causa da bondade de Israel, mas foi inteiramente obra da graça de Deus. A repetição era uma das características da literatura dos hebreus e ajudava o aprendizado e a memorização. Gn 21.1[-17] é um excelente exemplo dessa característica, mal compreendida pelos críticos que insistem que a literatura do antigo Oriente Próximo devia assemelhar-se à forma de narração objetiva (“texto enxuto”), que caracteriza o moderno jornalismo ocidental. Essa opinião preconcebida tem levado à conclusão sem base de que o Pentateuco deve ser o produto de documentos editados provenientes de diferentes autores. Bíblia de Genebra.

pelas maldades destas nações. Esses pecados [as práticas pecaminosas dos cananeus] poderiam ter contaminado e envenenado a humanidade toda; tinham, portanto, de ser extirpados. Comentário Bíblico Devocional – Velho Testamento, F.B.Meyer, Editora Betânia.

Quando Abraão habitava em Canaã, a medida “da iniquidade dos amorreus” ainda não havia se enchido (Gn 15.16). Por 215 anos, Abraão e seus descendentes foram testemunhas fiéis do Deus verdadeiro, para que os habitantes dessa terra tivessem oportunidade de se converterem de seus maus caminhos. Somente quando as nações de Canaã tinham enchido de modo irreversível a taça de iniquidade e seu tempo de graça tinha se acabado é que Deus os expulsou de sua terra (ver Lv 18:24-28; 1Rs 14:23, 24; 21:26). CBASD, vol. 1, p. 1077.

o Senhor … as lança de diante de ti. Originalmente Deus havia dado a terra de Canaã aos amorreus e às outras tribos que os israelitas encontraram ali (Dt 32:8; At 17:26), mas por causa do mau procedimento, eles perderam o direito de permanecer nela. Se israel imitasse a conduta dessas nações, também seria expulso. Isso aconteceu afinal (ver Êx 34:24; Dt 4:38; 11:23; Js 23:5, 9). CBASD, vol. 1, p. 1077.

de dura cerviz (ARA; NVI: “obstinado”)[relacionado ao termo “cervical”] . Uma dura cerviz é um “pescoço” que foi endurecido (2Rs 17:14; Ne 9:16, 17, 29; Pv 29:1). … Deus roga a Seu povo que não endureça o coração (Sl 95:8). Porém, Israel fez isso com frequência (Êx 32:9; 33:3, 5; 34:9; ver com de Êx 4:21). CBASD, vol. 1, p. 1078.

A palavra hebraica oreph quer dizer “costas”, “nuca”, “pescoço” … significa rebelião e obstinação. A expressão descreve a pessoa que, ao ser chamada, não vira sua cabeça para atender à voz de quem chamou. Não atende à admoestação, nem às palavras de amor, não se arrepende e não aceita a revelação do amor de Deus. Bíblia Shedd.

9.6 – 10.10 Moisés deixa claro que Israel não tinha base nenhuma para pensar que sua própria justiça poderia servir de lastro para o triunfo. De fato, Israel só fora preservada da destruição através da renovação misericordiosa do pacto quebrado, em uma resposta de Deus à intercessão de Moisés. Bíblia Shedd.

fiquei no monte quarenta dias e quarenta noites; não comi nem pão, nem bebi água. O jejum com frequência acompanhava períodos devotados à meditação sobre assuntos sagrados, pois ele tende a clarear a visão espiritual. CBASD, vol. 1, p. 1078.

14 Deixa-Me que o destrua. A separação intencional dos israelitas da vontade revelada de Deus os deixou sem desculpas diante dEle; eles não mais mereciam Sua bondade. O pecado deliberado, premeditado, pode acabar repentinamente com o tempo da graça. Deve haver um novo começo, uma reforma genuína para se evitar a hora do juízo (ver Êx 32:10). CBASD, vol. 1, p. 1078.

faça a ti nação mais forte e numerosa. Se Deus tivesse destruído a Israel, ainda assim poderia cumprir Sua promessa aos patriarcas (5), fazendo dos descendentes de Moisés uma nova nação com Ele compactuada [comprometida] (Êx 32.10). Moisés, porém, cumpriu fielmente seu ofício mediador em favor de Israel, em vez de aproveitar-se da oportunidade de ser um segundo Abraão. Bíblia Shedd.

17 as quebrei. O despedaçamento das tábuas simbolizou o rompimento do pacto. Deus renovou o pacto e mais duas tábuas foram preparadas (10.1). Bíblia Shedd.

As tábuas de pedra quebradas tipificavam a lei e a aliança rompidas (Êx 32:19). Deus cortou relações com Israel, e a aliança, ratificada um mês antes, foi anulada. Foi somente pela intercessão de Moisés que Israel foi readmitido ao favor divino, mas de forma condicional e mediante provas (Êx 32:10-14, 32-34). CBASD, vol. 1, p. 1078.

18 Do registro deste evento em Êx 32, somos levados a entender que Moisés, transformando o bezerro de ouro em pó e forçando o povo a beber água misturada com ele. Mas, evidentemente, Moisés gastou 40 dias e noites intercedendo pelo povo. Life Application Study Bible.

Prostrado estive. Em intercessão pelo povo. Nos países orientais, ainda hoje, o ato de prostrar-se é uma postura de completa submissão. CBASD, vol. 1, p. 1078.

19 mas de novo o Senhor me escutou (NVI; ARA: “ainda esta vez o SENHOR me ouviu”). A oração intercessória de Moisés nessa ocasião (v. 26-29) consta entre as grandes orações a favor da sobrevivência nacional de Israel (ver 1Sm 7.5, 8, 9; Jr 15.1). Bíblia de Estudo NVI Vida.

20 também orei por Arão. Registrado apenas aqui. É assombroso/maravilhoso [amazing, no original] que Deus não apenas perdoou Arão, mas o autorizou como o primeiro sumo sacerdote (Lv 8-9). Andrews Study Bible.

Arão. Ele considerava Moisés excessivamente severo com o povo e pensou que seria melhor ser mais conciliatório e, em parte, satisfazer os desejos deles. Mas essa transigência com o pecado era trágica. Não é de se surpreender que Deus estivesse pronto a destruí-lo; A culpa de arão era maior do que a do povo. Não se sabe por que Deus não fez isso. O fato de que lhe foi permitido viver e se tornar sumo sacerdote testifica da misericórdia e da paciência divina. CBASD, vol. 1, p. 1078.

21 e o queimei. Como registrado em Êxodo 32:20. Uma vez que o bezerro tinha saído do fogo (v. 24), foi, portanto, entregue às chamas outra vez. CBASD, vol. 1, p. 1078.

lancei no ribeiro que descia do monte. Isto é, o riacho que fluiu da rocha em Horebe [Sinai], a qual Moisés tinha golpeado com seu cajado (Êx 17:6) e que se constituiu em suprimento de água. CBASD, vol. 1, p. 1078.

Atualmente, nenhum ribeiro desce de Jebel Musa, o pico que tem sido identificado como o monte Sinai (Êx 16.1 e nota). Bíblia de Genebra.

23 Moisés estava lembrando ao povo da descrença da nação 40 anos atrás, quando eles tiveram medo de entrar em Canaã. Os israelitas não acreditaram que Deus seria capaz de ajudá-los, a despeito de tudo que Ele já havia feito. Eles recusaram a seguir porque eles olharam somente para seus próprios recursos, em vez de olhar para Deus. A descrença é a raiz de muitos pecados e problemas. Quando você se sente perdido, pode ser que você está buscando ajuda e orientação em todos os lugares, menos em Deus (veja Sl 81:6-12; 95:8; 106:13-20; Hb 3.)  Life Application Study Bible.



DEUTERONÔMIO 8 by jquimelli
22 de março de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/deuteronomio/dt-capitulo-8/

A geração que aceitou como verdadeiro o relatório dos dez espias, que dizia que a terra prometida estava cheia de gigantes e que eles morreriam se obedecessem a Deus e nela entrassem, perecera no deserto. Dando excessiva importância ao tamanho dos gigantes, eles perderam de vista a grandeza de Deus. Deus, então, permitiu a Israel a experiência do deserto para fazer que a nova geração fosse mais dependente dEle e não em si mesmos. Ele queria que confiassem nEle e fossem abençoados.

No final dos tempos, antes da entrada na Canaã celestial, Deus diz: Felizes os que guardam Meus mandamentos, “os que lavam as suas vestes, e assim têm direito à árvore da vida e podem entrar na cidade pelas portas.” (Ap 22:14 NVI). Deus convida: ”Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida “(Apocalipse 22:17).

Aqueles que beberam profundamente da água que Cristo transmite através da Sua Palavra, terão prazer em guardar os Seus mandamentos (João 14:15). Entrarão alegres na cidade e desfrutarão de maior abundância que em qualquer Canaã terrestre (1 Coríntios. 2:9). Não há nada de que se orgulhar; eles foram resgatados de si mesmos e vivem agora para louvar a Deus para sempre.

Ele deseja recebê-lo em casa. Então, gaste tempo em Sua Palavra a cada dia, para que você possa passar a eternidade com Ele no paraíso.

Norman Gulley
Southern Adventist University

Fonte: http://revivedbyhisword.org/en/bible/deut/8/ e https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/12/19/deuteronomio-8/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli




%d blogueiros gostam disto: