Reavivados por Sua Palavra


DEZ DIAS DE ORAÇÃO – VÍDEO CONVITE by jquimelli
10 de fevereiro de 2019, 12:00
Filed under: Sem categoria

Você participará?



NÚMEROS 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
10 de fevereiro de 2019, 7:36
Filed under: Sem categoria

“Segundo o mandado do Senhor, por Moisés, foram designados, cada um para o seu serviço e a sua carga; e deles foram contados, como o Senhor ordenara a Moisés” (v.49).


Como vimos no capítulo anterior, não bastava ser um levita para assumir a obra de Deus no santuário. Havia uma hierarquia e divisão de cargos e funções que designava cada um em um serviço determinado. Havia também condições para que este serviço pudesse ser realizado a fim de preservar a vida dos próprios levitas. Certos objetos do tabernáculo precisavam ser preparados por Arão e seus filhos antes que os levitas tivessem acesso a eles para os transportar. A arca da aliança, por exemplo, além dos objetos e móveis utilizados no lugar Santo, precisavam ser cuidadosamente cobertos antes que os filhos de Coate tivessem acesso a qualquer deles, para que não morressem.

Através destas regras acerca do transporte do santuário, tanto os levitas quanto os demais filhos de Israel recebiam preciosas lições sobre santidade, reverência e temor do Senhor. Cada vez que precisavam levantar acampamento e marchar, todo o povo podia ver com que ordem e decência os levitas carregavam as coisas sagradas. Era um trabalho que lhes exigia grande responsabilidade e cuidado para com as “coisas santíssimas” (v.19). Enquanto permanecessem fiéis ao mandado do Senhor, Ele os abençoaria e protegeria em todas as suas viagens. Engana-se quem pensa que Deus não requer mais de Seu povo o mesmo cuidado e zelo para com a Sua obra. Cada discípulo de Jesus é chamado a realizar um serviço específico na grande obra final, e precisamos permitir que o Senhor nos indique este exato dever.

Após o Pentecostes, os discípulos foram capacitados para uma obra mundial, de proclamar as boas-novas de salvação em Cristo Jesus. O Espírito Santo falou a Filipe para ir ao encontro de um eunuco etíope e lhe ensinar as Escrituras (At.8:29). O apóstolo Pedro recebeu instruções do Espírito Santo, após uma visão, de ir pregar também aos gentios (At.10:20). Paulo foi impedido pelo Espírito Santo de ir a determinado lugar, e, através de uma visão, entendeu para onde deveria ir naquele momento (At.16:7-10). O mesmo Espírito permanece guiando os filhos de Deus hoje, e nosso papel é tão somente estar atentos para ouvir a Sua voz: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap.2:7).

Não podemos lidar com a sagrada obra do Senhor conforme nos apraz, mas precisamos entender qual seja a vontade de Deus em nossa lida nesta terra. Ele não exigiu que os sacerdotes tomassem para si todos os encargos do templo, mas designou uma tribo inteira para auxiliá-los. Também não colocou sobre os ombros de uns poucos o peso de carregar o santuário, mas dividiu as funções a fim de que não fossem sobrecarregados. O primeiro convite que Jesus nos faz é o de ir até Ele depondo a Seus pés todo o nosso cansaço e sobrecarga, e trocarmos pelo Seu jugo suave e Seu fardo leve (Mt.11:28-30). Só então estaremos aptos para realizar a obra que Ele nos designou conforme o Espírito nos for guiando. Entender isto é crucial para que o Reino de Deus avance em seus propósitos e o Senhor nos acrescente, dia a dia, os que vão sendo salvos (At.2:47).

Há um inimigo que conhece muito bem a ordem e disciplina celestial, que já compôs o cenário do Céu na perfeita obra dos anjos, mas cuja rebelião o expulsou do lugar de Deus. E ele faz de tudo para distrair o povo de Deus e impedi-lo de avançar ordenadamente aproveitando-se da fragilidade de professos cristãos para isso. Ellen White escreveu:

“Satanás bem sabe que o sucesso apenas pode acompanhar a ação ordenada e harmoniosa. Bem sabe que tudo que se relaciona com o Céu se acha em perfeita ordem, e que sujeição e disciplina perfeita caracterizam os movimentos da hoste angélica. Ele estuda e faz esforços para levar os cristãos professos o mais longe possível da disposição ordenada por Deus; portanto, engana até o povo professo de Deus, e faz-lhes crer que a ordem e a disciplina são inimigas da espiritualidade” (A Igreja Remanescente, p.24).

Precisamos estar atentos para ouvir o Espírito do Senhor a nos indicar cada passo que devemos dar no sagrado dever missionário e no cuidado para com a Sua Casa de Oração. Se atendermos ao primeiro chamado de Cristo: “Vinde a Mim” (Mt.11:28), certamente seremos habilitados a cumprir a Sua ordem: “Ide” (Mt.28:19). E eis que Ele estará conosco, “todos os dias, até à consumação do século” (Mt.28:20).

Feliz semana, igreja ordenada do Deus vivo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Números4 #RPSP

Comentário em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100
https://www.youtube.com/channel/UCzzqtmGdF4UqBopc6CRiqLA



NÚMEROS 4 by jquimelli
10 de fevereiro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/numeros/nm-capitulo-4/

Pessoas seculares – e até mesmo alguns cristãos – vêem o sistema de culto israelita como o retrato de um Deus exigente. Os pecadores devem “andar na ponta dos pés” quando perto dEle ou serão fulminados. Números 4 descreve o cuidado supremo tomado pelos levitas na manipulação de objetos sagrados, que não deviam ser tocados por qualquer pessoa não autorizada. Para algumas pessoas, “temer” ao Senhor significa estar apavorado com Seu poder. Mas a Bíblia deixa claro que o cuidado de Deus, sobre as coisas sagradas, implica muito mais do que castigo divino.

A história de Abraão e do rei Abimeleque (Gn 20) é muito útil a este respeito. Abraão esconde de Abimeleque o fato de Sara ser sua esposa, então Abimeleque a leva para sua casa. Mas Deus adverte a Abimeleque a não tocá-la. O casamento é sagrado, e a lei de Deus é uma defesa daquilo que é sagrado. Assassinar é “tocar” a alma humana, que tem valor infinito. Cobiçar é tocar ilegalmente com o pensamento algo que pertence a outro. Mentir é tocar o vínculo de confiança.

Quando alguém falha em reconhecer que Deus e as coisas que O representam são santos, está, na verdade, destruindo a si mesmo e aos outros. Que Deus abra os nossos olhos para discernir o que é sagrado.

Mark Sheffield
Southern Adventist University

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/4
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



NÚMEROS 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
10 de fevereiro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



NÚMEROS 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
10 de fevereiro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Este quarto livro da Bíblia visa incutir em nossa mente que não estamos neste mundo como turistas, mas como peregrinos. Apenas focados nas sublimes mensagens espirituais, atentos aos verdadeiros líderes espirituais e consagrada dedicação à congregação dirigida por Deus viveremos como peregrinos, não como turistas neste mundo de pecado.

Um futuro promissor depende de nossa dependência ao Senhor no presente! Santifique-se para o serviço de Deus hoje a fim de que estejas preparado para estar em Sua presença futuramente.

O capítulo em apreço mostra que nem todo levita era sacerdote, mas todo sacerdote teria de ser levita para servir ao Senhor em Seu santuário. Deveres sagrados cumpridos fielmente distanciam-nos do pecado.

Na obra de Deus cada um tem deveres específicos. Leia em tua Bíblia e conheça os deveres dos…

1. Coatitas (vs. 1-20);
2. Gersonitas (vs. 21-28);
3. Meraritas (vs. 29-33).

Somente filhos de Arão atuariam nos rituais sagrados do Santuário; os coatitas, gersonitas e meraritas teriam outras responsabilidades. É preciso aprender que na obra de Deus deve-se respeitar os deveres pelos quais cada um foi designado.

1. Os filhos de Coate (coatitas) de 30 anos para cima até 50 eram 1.750 (vs. 34-37);
2. Os filhos de Gérson (gersonitas) de 30 anos para cima até 50 eram 2.630 (vs. 38-41);
3. Os filhos de Merari (meraritas) de 30 anos para cima até 50 eram 3.200 (vs. 42-45).

O livro de Números não economiza em dizer que Moisés e Arão contaram cada um dos que entrariam no sagrado ministério do Santuário (vs. 37, 41, 45, etc.). Após especificar o número destas famílias levíticas com idade própria para ministrar, juntando todos contou 8.580 servidores (vs. 46-49).

“Assim como os levitas, nós, os cristãos, também somos para o Senhor um reino de sacerdotes. Nossa principal função e preocupação devem ser adorar a Deus em todos os aspectos de nossa vida. Quer comamos ou bebamos, ou façamos outra coisa qualquer, tudo deve ser feito para a honra e glória de Deus” (Kay Arthur).

Temos que aprender com os levitas a…

• …Não ser indiferente, preguiçoso ou omisso à obra de Deus no mundo;
• …Viver em santidade ministrando a verdade de Deus ao mundo.

Deus nos quer como instrumentos que O represente aos descrentes!

“Senhor, usa-me! Reaviva-me!” – Heber Toth Armí.



NÚMEROS 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
10 de fevereiro de 2019, 0:06
Filed under: Sem categoria



NÚMEROS 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
10 de fevereiro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1113 palavras

O quarto capítulo nos lembra de: 1) A variedade dos dons e de deveres na igreja de Deus, Ef 4.7-12; 1 Co 12. Há trabalho para todos, e por isso devemos nos animar ao serviço, e há um serviço especial para cada um, o que deve nos tornar humildes com respeito à nossa posição na obra; 2) O caráter de Deus a Quem servimos (para que não morram, v 20), Hb 12.28-29. Bíblia Shedd.

2 Os coatitas, gersonitas (4:21) e meraritas (4:29) eram famílias dos levitas a quem eram designadas tarefas especiais na adoração de Israel. Para desempenhar os trabalhos descritos neste capítulo, um levita deveria ter entre 30 e 50 anos de idade. Esperava-se que desempenhasse suas tarefas como descritos em detalhes aqui. De fato, falhar nisso poderia significar morte (4:20). A adoração ao santo Deus não deve ser realizada relaxadamente.  Life Application Study Bible.

da idade de trinta anos para cima (tb. v. 23, 30, 35, 39, 43, 47). Estes homens estariam no auge da forma física e bem capacitados para a obra de transportar o tabernáculo e seus equipamentos. … os trinta anos marcavam a idade na qual um judeu era considerado maduro e preparado para assumir todas as responsabilidades de seus direitos e privilégios (ver Lc 3:23). Após os 50 anos, um levita não era obrigado a prestar serviços, mas devia apenas ajudar no tabernáculo, de acordo com sua capacidade (Nm 8:25, 26). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 909.

Ficamos sabendo em 8.24 que a idade inicial para o começo do serviço era 25 anos; talvez os 5 primeiros anos fossem algo como um estágio. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Deve se notar que a idade é de 30 anos para cima. Essa é a idade em que Jesus começou Seu ministério. CBASD, vol. 1. p. 912.

neste serviço (ARA; ARC: “neste exército”. Tb. no v. 23). O hebraico pode significar “combater este combate” que nos faz lembrar as palavras que Paulo aplicou à vida de um missionário, a luta contra as obras de Satanás, 2 Tm 4.6-8, as quais Cristo veio para destruir, 1 Jo 3.8. Bíblia Shedd.

A expressão provém de uma palavra hebraica que designa um exército em formação organizada, e é assim empregada vez após vez nas Escrituras. Também pode ser traduzida por “batalha”, numa referência às operações de combate de que recrutas e oficiais deviam participar. Neste versículo, refere-se aos deveres sagrados de um soldado de Deus. O cristão de hoje compreende isso como o serviço de um soldado da cruz. CBASD, vol. 1. p. 909.

4 É este o serviço. Os coatitas carregavam os móveis sagrados e outros itens, depois que os sacerdotes os cobriam. Os gersonitas transportavam as cortinas (exceto o véu interior; v. 5) e outros objetos e coberturas do santuário. Os meraritas transportavam todo o restante, incluindo os elementos sólidos da estrutura do santuário (tábuas, barras, pilares, bases, etc.). Andrews Study Bible.

coisas santíssimas. A despeito do fato de o cuidado principal dessas coisas santas ter sido entregue aos coatitas, eram proibidos de tocar nelas (v. 15) ou até mesmo olhas para elas (v. 20), sob pena de morte. Todo o trabalho dos coatitas devia ser rigorosamente supervisionado por Arão e seus filhos, e somente os sacerdotes podiam tocar nas coisas santas e olhar para elas, quando não estavam cobertas. Bíblia de Estudo NVI Vida.

véu de cobrir. Ver Êx 35:12; 39:34 e Lc 23:34. Aqui se faz referência ao véu que dividia o lugar santo do santíssimo (Êx 26:31-33). CBASD, vol. 1. p. 909.

todo azul. A arca era o único item do mobiliário sagrado a ser coberto com um pano azul (ou violeta), quando carregada de um lugar para outro, para ser diferenciada. CBASD, vol. 1. p. 910.

11 altar de ouro. O altar de incenso, coberto de outro. CBASD, vol. 1. p. 910.

13 um pano de púrpura. O pano de púrpura ou vermelho escuro devia ser usado como uma marca distintiva, pois esse era o altar dos holocaustos que ficava no átrio, e não no lugar santo. CBASD, vol. 1. p. 910.

15 então. Os levitas só tinham permissão de tocar as coisas santas depois de elas serem cobertas e embaladas por Arão e pelos sacerdotes; os coatitas apenas levantavam a carga e a levavam (v. 12-14). CBASD, vol. 1. p. 910.

para levá-lo. Os levitas eram os carregadores costumeiros (2Sm 15:24). Somente em duas ocasiões incomuns outros arranjos foram feitos (1Sm 6:8; 2Sm 6:3). CBASD, vol. 1. p. 910.

16 Eleazarficará encarregado. O sumo sacerdote podia aproximar-se das coisas santíssimas a favor do povo. Se ele não pudesse fazer isso, não poderia haver nenhuma adoração por parte da comunidade. Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 Não deixareis que a tribo das famílias dos coatitas seja eliminada. Não deixe que os coatitas sejam mortos por negligenciar o dever de supervisão. Se os sacerdotes fossem descuidados, os coatitas provavelmente seguiriam o exemplo deles e seriam condenados. CBASD, vol. 1. p. 911.

Isto significa que Moisés e Arão devem evitar que estas famílias caiam em pecado, impedindo-as de terem contato com as coisas sagradas; semelhantemente, o crente deve estar pronto a evitar ocasiões de tropeço aos seus semelhantes, Mc 9.2. Bíblia Shedd.

19 para que vivam. A recompensa dos fiéis, conforme prometida hoje, é a imortalidade, cuja origem se encontra em Jesus Cristo (Mt 19:17, 29; Jo 1:4; 6:47; Ap 21:27). CBASD, vol. 1. p. 911.

25 peles finas. A cobertura mais exterior (Êx 26:14; ver com de Êx 25:5). CBASD, vol. 1. p. 911.

27, 28 Os gersonitas poderiam receber instruções de qualquer dos filhos de Arão, mas eram diretamente responsáveis somente perante Itamar. As linhas de autoridade e prestação de contas eram claramente estabelecidas para todos. Ao você trabalhar com outros do serviço de Deus, esteja claro que as linhas de autoridade entre você e aqueles com quem você trabalha estejam claramente entendidas. Boas comunicações contróem bons relacionamentos. Life Application Study Bible.

28 Itamar. Este filho de Arão era o superintendente de todas as coisas físicas do tabernáculo, assim como o outro filho sobrevivente, Eleazar, era o herdeiro da parte espiritual do serviço religioso, o sacerdócio das ofertas, v 16. Bíblia Shedd.

31 obrigação. O dever dos meraritas era transportara estrutura do tabernáculo em si. Eles também usavam carros (Nm 7:8). Seus fardos deviam ser muito mais pesados do que os carregados pelos coatitas, pois consistiam de todas as partes sólidas da estrutura, com seus acessórios. CBASD, vol. 1. p. 911.

32 nome por nome. Ou seja, atribuição individual de um objeto em particular para determinada pessoa. CBASD, vol. 1. p. 912.

38 Os que foram contados. Esteato constante de numerar enfatiza o fato de que Deus conhece cada indivíduo do Seu rebanho, e tem cuidado dele. Também nos ensina que a obra de Deus se calcula e se planeja com grande exatidão, Lc 14.28. Bíblia Shedd.

48 O número dos levitas foi de 8.580, aparentemente muita gente para o serviço religioso; entretanto, cabia-lhes o cultivo espiritual de todas as tribos. Sua grande missão era servir ao Senhor no meio do Seu povo. Nota-se aqui a distribuição criteriosa do serviço da casa de Deus. No NT também se vê esta preocupação no serviço do Senhor, Ef 4.11, 12; 1 Co 12.28. Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: