Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 8 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
8 de maio de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Quem guarda o mandamento não experimenta nenhum mal; e o coração do sábio conhece o tempo e o modo” (v. 5).

O tema da submissão na Bíblia nunca foi visto como um princípio de fácil compreensão. O texto mais conhecido e mais polêmico a este respeito, encontra-se em Efésios 5:22: “As mulheres sejam SUBMISSAS ao seu próprio marido, como ao SENHOR”. Este verso tem sido interpretado como machista e fora do contexto atual, o que não é verdade. Já o texto de hoje indica uma submissão suprema (v. 4). Ou seja, o que o rei (governante) falar, cumpre-nos obedecer.

Talvez, se as pessoas soubessem simplesmente qual é o significado de submissão, não a considerassem tão absurda. SUBMISSÃO é a circunstância em que se DEVE obedecer. Guarde bem esta palavra: DEVE (voltaremos a destacá-la no capítulo 12). O problema é que a maioria confunde submissão com subserviência. Este último significa aquele que obedece de forma humilhante. Com certeza não é isto que pedem as Escrituras. A obediência nunca foi requisito para a salvação, mas DEVE ser resultado dela. Se Jesus não tivesse sido obediente até a morte, a morte seria o nosso destino eterno. Ele mesmo nos deixou exemplo quando declarou: “Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e no Seu amor permaneço” (João 15:10).

A submissão bíblica é, sem dúvidas, uma forma de tirarmos o foco de nós mesmos e de nossos propósitos egoístas e permitirmos que Deus faça resplandecer o Seu rosto sobre nós (v. 1). Não adianta ficarmos cogitando desculpas para a desobediência, mas precisamos buscar na Palavra como fugir da rebeldia. O limite das ordens de um rei ou governante foi muito bem definido por Pedro e os demais apóstolos: “Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:29). O nosso dever cívico não deve ultrapassar o nosso dever cristão.

Estamos cercados de cenas que retratam a grande desigualdade social que há em nosso país e na grande maioria dos países do globo. Mesmo sendo, em grande parte, consequências da corrupção e má gestão pública, isto não nos autoriza a deixarmos de obedecer às autoridades. Assim também funciona no sentido espiritual. Muitos têm julgado que os perversos gozam privilégios ao passo que os cristãos têm sofrido apesar de fazer o bem (v. 10 e 14). Entretanto, a Bíblia diz que “o perverso não irá bem” (v. 13) e que, com certeza, o bem que “sucede aos que temem a Deus” (v. 12) é a promessa de um Reino onde o Rei é eternamente Justo. Portanto, o que DEVEMOS fazer não nos torna escravos de um Deus tirano, mas libertos pelo Rei dos reis. Tiremos, pois, o foco deste mundo e das obras que se fazem debaixo do sol, as quais não podemos compreender (v. 17), e busquemos viver aqui a nossa verdadeira cidadania: “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus” (Efésios 2:19).

Bom dia, filhos do Rei dos reis!

Desafio do dia: Escreva o nome de cinco governantes e ore por eles. Coloque esta folha em um lugar estratégico para que você sempre lembre de orar.

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus #Eclesiastes8 #RPSP

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: