Reavivados por Sua Palavra


Jó 3 by jquimelli
22 de setembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

A partir deste capítulo, Jó começa a refletir sobre sua condição. Satanás utilizou os amigos de Jó para continuar seu ataque.  Embora não culpe a Deus, Jó se pergunta por que Ele não impediu o mal.

Na Grécia antiga, os palcos para peças eram construídos com três pisos de madeira em três níveis simbólicos: o superior para o céu, embaixo para o submundo e no meio para a vida cotidiana. O espectador tinha uma perspectiva completa do contexto, uma vez que podia ver as influências espirituais superiores e inferiores sobre o que se encenava e os resultados sobre a vida cotidiana.

O livro de Jó foi escrito para que tivéssemos uma visão dos níveis superior e inferior sobre a vida cotidiana. A agonia de Jó era a sua falta de conhecimento sobre o plano do líder da rebelião no Céu. Mas nós, os leitores, estamos bem informados e podemos ver tudo.

Querido Deus,

Vivemos com tragédias diárias e turbulências nos rodeando e nos afetando. Te agradecemos pelo relato histórico que Moisés fez sobre a vida de Jó, nos informando como lidar com sofrimento e dor em nossas vidas. Amém.

 

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coreia do Sul

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/job/3 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/job/3
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/06/29/
Tradução Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico: Jó 3
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/54-55 e https://credeemseusprofetas.org/



Jó 3 – Comentários selecionados by jquimelli
22 de setembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

Jó rompe o silêncio com uma lamentação fortemente emocional. Ele expressa o mesmo tipo de depressão que tomou conta do salmista (Sl 88)e também de Jeremias (Jr 20.14-15), cujos amargos lamentos foram, quanto à linguagem, semelhantes aos de Jó. Bíblia de Genebra.

1-9 O grito que escutamos provém de uma alma torturada. Os sete dias de silêncio acumularam uma angústia que se transborda em uma torrente de rebelião contra o dia de seu nascimento, 3.3. … Jó deseja que o dia do seu nascimento e a noite da sua concepção sejam apagados da história. Bíblia Shedd.

8 monstro marinho (ARA; NVI: Leviatã). Jó, empregando linguagem vívida e figurada, desejou que “os que amaldiçoam os dias” atiçassem Leviatã, o monstro marinho …, a engolir o dia-noite de seu nascimento. Bíblia de Estudo NVI Vida.

10-12 Já que não há possibilidade de remover-se aquele dia do calendário, Jó desejou que Deus não tivesse permitido seu nascimento e sobrevivência. Bíblia Shedd.

11-26 Enquanto os vs. 3-10 tem a forma de maldições, estes dezesseis versículos são perguntas retóricas. Jó dá vazão à sua frustração, perguntando porque não tinha sido um natimorto (vs. 11-26). Visto que isso não aconteceu, ele prossegue perguntando retoricamente por que não teria experimentado morte prematura (vs. 20, 23). Bíblia de Genebra.

13-26 Aqui, Jó contrasta entre as tribulações da vida e o plácido sono da morte. Jó antevê a paz só no túmulo, e esta é a única esperança que lhe resta agora. Em Jó vemos o homem para quem a morte já perdeu o seu terror e ainda se tornou no mais alto e cobiçado tesouro. Jó diz que os seus lamentos são como gritos de quem sofre em alívio, Sl 22.1; 32.4. Bíblia Shedd.

14 Jó acha que a morte o teria colocado em pé de igualdade com os próprios faraós que, apesar de suas pirâmides e os tesouros que cada faraó mandava enterrar consigo (v.15), não passavam agora de simples defuntos. Bíblia Shedd.

16 Como, na realidade, seu nascimento já ocorrera, ainda sobraria (segundo o desejo dele) a possibilidade de ter sido natimorto. … Tal situação seria muito melhor que a condição intolerável de estão, na qual não consegue paz nem descanso. Bíblia de Estudo NVI Vida.

21, 22 Para Jó, a morte tornou-se desejável. Bíblia de Estudo NVI Vida.

23 A vida perdera o valor para Jó, privado de bens, família, saúde e amigos. Só depois de muito debater consigo mesmo é que chegará a vislumbrar a vida eterna, onde desfrutará da comunhão com Deus como seu eterno quinhão. Bíblia Shedd.



JÓ 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
22 de setembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

JÓ 3 – Muitos desconsideram a maior parte do livro de Jó. Ele não é literatura simples. De tão complexo, muitos conhecem apenas os relatos dos capítulos 1, 2 e 42 deste livro!

“Por lidar com o tema do sofrimento humano, o livro de Jó é um dos mais difíceis de ser interpretado. Ao mesmo tempo, este livro de sabedoria tem sido considerado uma das maiores obras-primas literárias do mundo. Usa linguagem altamente poética, com uma série de palavras que só ocorrem uma vez em toda a Bíblia. O livro de Jó tem personagens e discursos, mas não se restringe ao drama. Envolve também argumentos. Desse modo, seria mais bem definido como um tratado filosófico” (Bíblia Andrews).

Por cerca de 40 anos, Moisés recebeu a mais elevada instrução educacional no mais desenvolvido império de seu tempo. Como escritor culto e ainda inspirado por Deus, ele escreveu seu primeiro livro com maestria.

Antes de avançar, é preciso considerar que os primeiros capítulos devem ser lembrados. Ali está a base para nossa interpretação. Nos dois primeiros capítulos temos o credo de Satanás, o qual em outras palavras reza:

“Será que Jó serve a Deus em troca de nada? Auto sacrifício, sofrimento pela justiça, compromisso com a verdade até à morte… isso não passa de romantismo e sentimentalismo juvenil; ou, na melhor das hipóteses, hipocrisia. Esse negócio de entrega de vida inferior, mundana, por uma vida superior, segundo o padrão dos princípios divinos, não existe, é ilusão. A religião é uma fachada, todos os seres humanos são egoístas de coração e têm seu preço. Alguns podem resistir mais tempo do que outros, mas no fim todo ser humano preferirá suas próprias coisas em vez das coisas de Deus”.

Embora muitos cristãos sejam provas deste credo diabólico, Jó provou que Deus tem a última palavra. Do capítulo em questão, destacam-se estas lições: Aqueles que…

• …mantiveram comunhão genuína e intensa com Deus não trocam o certo pelo duvidoso.

• …realmente confiam em Deus podem até amaldiçoar o dia de seu nascimento diante de indescritível sofrimento, entretanto não desprezarão o dia de sua conversão a Deus.

• …tiveram verdadeira experiência com Deus renunciam até a si mesmos/vida, mas não a fé.

Os justos e fieis ainda hoje provam que Deus está correto! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

JÓ 3 – Muitos desconsideram a maior parte do livro de Jó. Ele não é literatura simples. De tão complexo, muitos conhecem apenas os relatos dos capítulos 1, 2 e 42 deste livro!

“Por lidar com o tema do sofrimento humano, o livro de Jó é um dos mais difíceis de ser interpretado. Ao mesmo tempo, este livro de sabedoria tem sido considerado uma das maiores obras-primas literárias do mundo. Usa linguagem altamente poética, com uma série de palavras que só ocorrem uma vez em toda a Bíblia. O livro de Jó tem personagens e discursos, mas não se restringe ao drama. Envolve também argumentos. Desse modo, seria mais bem definido como um tratado filosófico” (Bíblia Andrews).

Por cerca de 40 anos, Moisés recebeu a mais elevada instrução educacional no mais desenvolvido império de seu tempo. Como escritor culto e ainda inspirado por Deus, ele escreveu seu primeiro livro com maestria.

Antes de avançar, é preciso considerar que os primeiros capítulos devem ser lembrados. Ali está a base para nossa interpretação. Nos dois primeiros capítulos temos o credo de Satanás, o qual em outras palavras reza:

“Será que Jó serve a Deus em troca de nada? Auto sacrifício, sofrimento pela justiça, compromisso com a verdade até à morte… isso não passa de romantismo e sentimentalismo juvenil; ou, na melhor das hipóteses, hipocrisia. Esse negócio de entrega de vida inferior, mundana, por uma vida superior, segundo o padrão dos princípios divinos, não existe, é ilusão. A religião é uma fachada, todos os seres humanos são egoístas de coração e têm seu preço. Alguns podem resistir mais tempo do que outros, mas no fim todo ser humano preferirá suas próprias coisas em vez das coisas de Deus”.

Embora muitos cristãos sejam provas deste credo diabólico, Jó provou que Deus tem a última palavra. Do capítulo em questão, destacam-se estas lições: Aqueles que…

• …mantiveram comunhão genuína e intensa com Deus não trocam o certo pelo duvidoso.

• …realmente confiam em Deus podem até amaldiçoar o dia de seu nascimento diante de indescritível sofrimento, entretanto não desprezarão o dia de sua conversão a Deus.

• …tiveram verdadeira experiência com Deus renunciam até a si mesmos/vida, mas não a fé.

Os justos e fieis ainda hoje provam que Deus está correto! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



JÓ 3 – #RPSP – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
22 de setembro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Por que não morri eu na madre? Por que não expirei ao sair dela?” (v. 11).

Ontem estava estudando o capítulo onze do livro de Hebreus com meu filho mais velho, quando ele me perguntou:

— Mamãe, porque as pessoas sabem que precisam de Deus e ainda assim não O aceitam?

Fiquei olhando para ele por um momento pensando em como responder, quando ele me disse logo em seguida:

— Se eu tivesse nascido e logo depois morrido, eu já estaria salvo, não é mamãe?

As palavras de meu filho não me saíram da cabeça. Percebi o porquê ao estudar o capítulo de hoje…

A aflição de Jó foi tão tremenda que ele lamentou o dia em que nasceu. Após sete dias sem dizer palavra, Jó quebra o silêncio com uma lamentação. Ele derrama diante de Deus a sua profunda tristeza; abre o seu coração e expressa os seus sentimentos ao SENHOR. Estamos diante de uma verdadeira oração. A oração nada mais é do que falar com Deus como quem fala com um amigo. E não há ninguém mais interessado em nos ouvir do que Aquele que nos criou. Quantas vezes estamos sofrendo e, ao invés de sermos sinceros com Deus, oramos de forma mecânica e perdemos a oportunidade de abrir o coração ao Único capaz de curá-lo. Podemos encontrar nas palavras de Jó sintomas de depressão. Se fosse para continuar daquele jeito, a morte lhe seria um descanso. Estudamos outro caso parecido com este, quando o profeta Elias pede para morrer, temendo a perseguição de Jezabel (I Reis 19). Jó não temia a morte, pois bem sabia que a morte não era o fim, mas um descanso: “Porque já agora repousaria tranquilo; DORMIRIA, e, então, haveria para mim descanso” (v. 13). Assim como ele comparou a morte com o sono, Jesus também fez o mesmo: “Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo” (João 11:11). Em nenhum momento Jó revela pensamentos suicidas, mas que compreendia que a morte não era o fim, mas um período de repouso. Ele estava certo de que estava bem com Deus e que poderia descansar na certeza de que seria despertado no grande Dia da ressurreição (Vide I Tessalonicenses 4:16).

Qual é a tua angústia? Você já a confessou perante Deus? Amados, até Jesus passou por este terrível sentimento: “Ditas estas coisas, angustiou-Se Jesus em espírito” (João 13:21). O fato de Jesus ter Se angustiado em espírito, revela que a angústia tomou conta de todo o Seu ser. Ele já sentiu angústia, ou seja, Ele já sentiu o que você pode estar sentindo agora. Em seguida, Jesus conforta os Seus discípulos, ora por eles, vai até o Seu lugar especial de oração e pede oração aqueles em Quem confiava. Eis os passos que não prometem fazer cessar a nossa angústia, mas que certamente nos conduzem a fazer a vontade do Pai e ir estar junto dEle. Jó podia não compreender naquele momento o porquê de estar passando tão “grande perturbação” (v. 26), mas veremos que ele bem sabia em Quem acreditava e que, no final de tudo, o SENHOR se levantaria para conceder-lhe a vitória. E eu não me refiro à expectativa por conquistas terrenas, mas “a concretização da promessa, por haver Deus provido coisa superior” (Hebreus 11:39-40). Por mais angustiante que seja a minha ou a tua situação aqui, Deus nos convida HOJE a aceitar a promessa que Jó tanto almejava: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em Mim. Na casa de Meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, Eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando Eu for e vos preparar lugar, VOLTAREI e vos receberei para Mim mesmo, para que, onde Eu estou, estejais vós também” (João 14:1-3). Apesar de estas palavras terem sido ditas por Jesus centenas de anos depois, o estudo da vida de Jó confirmará que ele já conhecia tão maravilhosa promessa. Como Jó, aceite esta promessa de Cristo pela fé (Vide Hebreus 11:1) e muito em breve tua angústia será convertida em eterna alegria!

Bom dia, homens e mulheres de fé!

Desafio do dia: Coloque em um envelope todos os nomes de sua lista de oração, deixe o envelope em um lugar visível e sorteie um nome da lista para orar em especial durante todo o dia. Faça este sorteio especial todas as manhãs. Seja um intercessor. Você descobrirá como isto fez toda a diferença na vida de Jó.

*Leiam #Jó3

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: