Reavivados por Sua Palavra


ESTER 5 by jquimelli
14 de setembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Hamã saiu do banquete alegre. Mas, ao passar pelas portas do palácio, sua indignação se inflamou. Mordecai estava no seu posto e, destemido, não se levantou para ele. O orgulho de Hamã foi ferido e toda a alegria se desfez.

Hamã era um homem orgulhoso, e sua maior fraqueza era a sua incapacidade de apreciar as coisas boas da vida por causa de uma única pessoa que o irritava: Mordecai.

Quantas vezes nos parecemos com Hamã! A maioria de nós somos imensamente abençoados, e ainda assim, permitimos que fatos isolados, grandes ou pequenos, nos impeçam de sermos felizes. Pensamos assim: serei feliz quando…  …concluir esta tarefa…; encontrar a minha alma gêmea;;;; o câncer da minha irmã estive curado…; eu ganhar dinheiro suficiente…; a minha saúde melhorar…

As dificuldades da vida não deveriam nos impedir de sermos felizes e apaixonados por Deus agora. Uma vida unida a Cristo pode fazer-nos felizes, mesmo em meio a lutas e dificuldades – algo que o orgulho e as circunstâncias favoráveis jamais podem proporcionar.

Jean Boonstra
Voz da Profecia

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/est/5/ e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/est/5/
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/06/21/
Tradução Jeferson Quimelli/Jobson Santos/Cindy Tutsch
Texto bíblico: Ester 5
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/53 e https://credeemseusprofetas.org/



ESTER 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
14 de setembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 terceiro dia. O terceiro dia é geralmente um momento decisivo das histórias bíblicas (Gên 22:4; 31:22; 34:25; Êx 19:11; Jz 20:30; Mt 16:21; Mc 9:31; Lc 9:22, etc.) (Andrews Study Bible).

2 tocou a ponta. Estender o cetro indicava favor real e aceitação; tocar o cetro significava o reconhecimento do favor assim exibido. Ao entrar no pátio interior, Ester já havia violado a lei (Et 4:11; cf. Et 6:4). Assuero deve ter reconhecido que só uma emergência teria levado Ester a se aproximar do trono sem ser convocada (CBASD, vol. 3, p. 530).

3 até metade do reino. Fórmula usual para uma promessa sem limites (Mc 6.23). O rei era facilmente induzido, pelas paixões, a fazer estravagâncias, tanto para o bem como para o mal (Bíblia Shedd).

4 Sabedora do caráter volúvel do rei, Ester quis se assegurar de estar em situação favorável, antes de tocas naquele delicadíssimo assunto. Era este o rei que mandou algemar o oceano que sacudira seus navios! (Bíblia Shedd).

6 qual é a tua petição?. Assuero entendeu, é claro, que não foi pelo simples prazer de agradar a ele e a seu primeiro-ministro num banquete que Ester se arriscou a vida se aproximando do trono sem ser convocada (CBASD, vol. 3, p. 530).

8 Por que Ester não falou naquela mesma hora? Será que ela perdera a coragem? Possivelmente este segundo banquete fazia parte do seu plano. Ela precisava preparar bem o coração do rei porque o seu pedido seria ambicioso. Ela iria pedir ao rei para reverter um decreto irreversível, desistir de uma soma enorme de dinheiro, reconhecer que seu braço direito era um assassino manipulador, e ao mesmo tempo admitir que ela o havia enganado sobre sua origem durante os últimos 5 anos. Uma boa noite de sono e um pouco mais de tempo eram sua única esperança de suavizar o que ela tinha a certeza que seria um duro golpe. (Jean Boonstra, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/06/21/)

Você já convidou o próprio Rei para sua mesa de banquete? (Comentário Bíblico Devocional VT, FBMeyer).

9 não se levantara, nem se movera. Ou, “não se levantara nem tremia” (AA). (CBASD, vol. 3, p. 530).

Hamã enfurece-se tanto com o fato de uma única pessoa não lhe prestar homenagem, que as demais, que lhe tratam com reverência e honra, não lhe servem como consolo algum (cf 13) (Bíblia Shedd).

O ódio e a amargura são como ervas daninhas com raízes profundas que crescem no coração e corrompem toda a vida. Hamã estava tão consumido pelo ódio contra Mordecai que não podia nem mesmo desfrutar a honra de ter sido convidado para o banquete de Ester. Hebreus 12:13 nos adverte que não “haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados.” Não permita que o ódio e sua consequente amargura se estabeleçam em seu coração. Como Hamã você terá este fogo virando-se contra você (ver 6:13; 7:9,10). Se a simples menção do nome de alguém provoca a sua ira, admita que a sua amargura é pecaminosa. Ignorar a amargura, escondê-la de outros ou fazer mudanças de aparência não são suficientes. Se a amargura não é totalmente eliminada, ela voltará a crescer, tornando as coisas ainda piores (Life Application Study Bible).

11 muitos filhos. Hamã tinha dez filhos (9.7-10). Heródoto (1.136) relata que os persas davam mais valor a ter muitos filhos que a qualquer outra coisa, a não ser o heroísmo na batalha; o rei persa mandava presentes ao súdito que tivesse o maior número de filhos (cf. Sl 127.3-5) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

13 tudo isso não me satisfaz. A alegria que este mundo dá está à mercê de circunstâncias desfavoráveis, “aquele, porém, que beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede, para sempre” (Comentário Bíblico Devocional VT, FBMeyer).

14 lhe sugeriram: ”Mande fazer uma forca de mais de 22 metros de altura…” (NVI). Eles queriam que todas as pessoas da cidade vissem a morte de Mordecai e fossem lembradas das consequências de desobedecer a Hamã. Ironicamente, este mesmo cadafalso permitiu que todos vissem a morte de Hamã (Life Application Study Bible).



ESTER 5 – COMENTARIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
14 de setembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

ESTER 5 – Nossos planos em busca de glória, independentes de Deus, leva-nos a terríveis desapontamentos. Contudo, quando nos encrencamos, ou seja, arranjamos problemas por desprezar orientações divinas, podemos encontrar o caminho de volta e novamente clamar ao Salvador.

“A busca por glória é altamente motivadora. Sempre tentamos fazer o máximo ou nos dedicamos um pouco mais quando a glória parece estar ao alcance […]. Queremos que nossa vida seja importante. Queremos ser celebrados por conseguir algo que vale a pena”. Na verdade, “fomos criados para depender de Deus e lhe dar glória. Mas, em vez disso, insistimos em buscar nossa própria glória. Substituímos a vontade de Deus por nossos próprios desejos e nos dedicamos a criar um nome para nós mesmos” (R. C. Sproul).

Reflita, pense, medite: Por que você acha que Ester…

• …quis ter uma experiência sexual com o rei antes dele ser seu marido?
• …almejou o posto de rainha no lugar de Vasti, que foi deposta pelo marido déspota?
• …omitiu sua verdadeira origem judaica, inclusive mudou seu nome judaico?
• …sua família e milhares de judeus não atenderam a vontade de Deus de deixar a Pérsia para retornar a Jerusalém?

A resposta a estas perguntas ajuda-nos a entender muitas situações difíceis que enfrentamos.

Avalie a situação do povo de Deus na Pérsia:

• Correndo perigo; ameaçado de ser extinto (capítulos 3 e 4);
• Ester está tentando uma solução, usando uma estratégia bem elaborada, correndo riscos (4:15-5:1-2, 4-8);
• Ester abriu mão da metade do reino oferecido pelo rei, seu marido; pois, percebeu que essa glória é uma vã glória (v. 3).
• Mardoqueu/Mordecai, primo de Ester, tornou-se alvo de enforcamento por parte de toda a família de Hamã (vs. 9-14).

Desobedecer aos princípios e propósitos divinos acarretam sérios problemas, os quais deixam o coração aflito.

“O pecado nos tenta a achar satisfação em nossa própria fragilidade e não na grandeza de Deus” (Sproul). Isso está claro na atitude de Hamã (vs. 9-13). Por outro lado, Ester e Mardoqueu “sentiam que a menos que Deus operasse poderosamente em seu favor, seus próprios esforços seriam em vão” (Ellen G. White).

Precisamos aprender a…

1. Buscar a Deus.
2. Depender de Deus.
3. Obedecer a Deus.
4. Honrar a Deus.
5. Glorificar a Deus.
6. Confiar em Deus.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



ESTER 5 – #RPSP – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
14 de setembro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Então lhe disse o rei: Que é o que tens, rainha Ester, ou qual é a tua petição? Até metade do reino se te dará” (v. 3).

Após os três dias de jejum, Ester vai ter com o rei. Mas ela não vai de qualquer jeito. “Ester se aprontou com seus trajes reais” (v. 1) e já havia providenciado tudo para o primeiro banquete que ofereceria ao rei e a Hamã (v. 4). Ester entendeu bem o sentido de ORAR[AÇÃO]. Ela orou, mas também agiu sob o risco de perder a própria vida. Será que ela não teve medo? Obviamente. Mas a Bíblia diz que “o perfeito amor lança fora o medo” (I João 4:18). Movida pelo amor de Deus que em três dias alimentou o seu coração e lhe capacitou de forças (Vide Filipenses 4:13), foi ao encontro do desconhecido. Só que, ao mesmo tempo em que Deus fortalecia a Ester, trabalhava no íntimo de Assuero, que, ao avistar a sua bela rainha, foi tomado de uma compaixão e amor tamanho que, de pronto, a favoreceu e estendeu-lhe o cetro real (v. 2). A benevolência emanava de cada palavra que proferia a Ester e seu coração desejava conceder à sua amada qualquer coisa que pudesse fazê-la feliz. Ester poderia ter revelado a sua petição naquele primeiro banquete, contudo, não o fez. Os motivos são desconhecidos, mas o intervalo entre um banquete e outro favoreceu um acontecimento que veremos no estudo de amanhã. Apesar da grande alegria de Hamã em ter sido honrado pela rainha e por todos os favores que até então recebera do rei, ainda o consumia o fato de Mordecai não reverenciá-lo como faziam todos os demais servos: “Porém, tudo isto não me satisfaz” (v. 13). Deus usou um rei ímpio para favorecer Ester e o Seu povo. Porém, o ímpio Hamã continuava na prática da injustiça. O conselho dado por sua mulher e seus amigos define bem que tipo de pessoas fazia parte de seu convívio diário. Enquanto Ester estava unida com os judeus em oração, Hamã estava junto aos seus em perversão. Enquanto o povo de Deus clamava por livramento, Hamã e os seus tramavam o seu banimento.

Amados, em que grupo estaremos quando o Rei vier? Naquele que será levado para participar do banquete no Céu, das bodas do Cordeiro? Ou naquele em que o Rei dirá: “Nunca vos conheci. Apartai-vos de Mim, os que praticais a iniquidade” (Mateus 7:23)? Oh, meus irmãos, a nossa luta não deve ser jamais de uns contra os outros! Aqueles que agem de tal forma, desejando desfavorecer o próximo, JAMAIS alcançarão naquele grande Dia o favor do Rei. A nossa luta é “contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal” (Efésios 6:12). E esta guerra espiritual é pela conquista do nosso coração, ela acontece em nós mesmos. Por isso que Paulo declarou: “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço” (Romanos 7:19). A vontade de Ester não era a de arriscar a própria vida, mas entendeu que não havia sido coroada à toa. Ela entendeu que havia propósito divino de ela estar ali e decidiu confiar no SENHOR que a coroou.

Onde você está? Já perguntou a Deus qual é o propósito de você estar onde está hoje? Ester usou a sua coroa e as vestes reais para abençoar a outros. Hamã usou de seus privilégios para benefício e exaltação própria. Ester ou Hamã? Intercessor ou beneficiador de si mesmo? Orar para salvar, ou tramar para matar? Lembre-se de que, para Deus, matar alguém não se trata apenas de consumação física, mas de intenção, de ódio no coração (Vide Mateus 5:21-22). Que o SENHOR nos livre de vis sentimentos e que seja a nossa oração: “Querido, Salvador, por favor, faça de mim um intercessor sábio pelos meus companheiros humanos, para que o melhor das bênçãos do nosso Pai possa coroar a vida deles, guiando-os à Cidade de Deus” (Respostas Incríveis à Oração, p. 90).

Bom dia, intercessores!

Desafio do dia: Crie um grupo de oração com pessoas que você possa confiar e que fielmente intercedam uns pelos outros. Tenham um dia especial de jejum por semana e momentos em que possam se reunir para orar juntos.

*Leiam #Ester5

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: