Reavivados por Sua Palavra


Jó 1 – Comentários selecionados by jquimelli
20 de setembro de 2016, 17:48
Filed under: Sem categoria

Ao vermos calamidade e sofrimento no livro e Jó, devemos lembrar que vivemos em um mundo caído, onde o bom comportamento nem sempre é recompensado e o mau comportamento nem sempre é punido. Quando vemos um criminoso notório prosperar ou uma criança inocente em sofrimento, dizemos: “Isto está errado”. E está. O pecado distorceu a justiça e tornou nosso mundo imprevisível e feio. O livro de Jó mostra um bom homem sofrendo por nenhuma sua falta aparente. Tristemente, nosso mundo é exatamente assim. Através da vida de Jó podemos ver que fé em Deus é justificável mesmo quando nossa situação parece sem esperança. Fé baseada em recompensas ou prosperidade é vazia. Para ser inamovível, a fé precisa ser construída na confiança de que o propósito final de Deus será realizado. Life Application Study Bible Kingsway.

1 Devemos experimentar a vida como Jó fez – um dia por vez e sem possuir as respostas para todas as questões da vida. Confiaremos nós, como Jó, completamente em Deus, não interessa o que aconteça? Ou cederemos em tentação, dizendo que Deus realmente não se importa? Life Application Study Bible Kingsway.

terra de Uz. Território extenso a leste do Jordão (cf. v. 3), incluía Edom, no sul (v. Gn 36.28; Lm 4.21), e as terras araméias, no norte (v. Gn 10.23; 22.21). Bíblia de Estudo NVI Vida.

íntegro e justo. Espiritual e moralmente reto. Não significa que Jó fosse impecável. Posteriormente, defende sua integridade moral, mas também se reconhece pecador (6.24; 7.21). Bíblia de Estudo NVI Vida.

que se desviava do mal. Rejeitou as oportunidades que tinha para cometer o pecado. Prevenir o mal é a antítese de satisfazer os maus desejos. Pv 13.19. Podemos desviar-nos do mal ao andarmos pelo caminho reto. Jó dedica sua vida a fugir da iniquidade e a aproximar-se de Deus. Bíblia Shedd.

5 oferecia um holocausto. Antes de serem introduzidas as leis cerimoniais de Moisés, o pai de família fazia o papel de sacerdote (v. Gn 15.9, 10). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Jó mostrava profunda preocupação pelo bem estar espiritual de seus filhos. Temeroso de que eles pudessem haver pecado sem o saber [por
ignorância], ele oferecia sacrifícios por eles. Os pais hoje podem mostrar a mesma preocupação por seus filhos. Isto significa “sacrificar” algum tempo todo dia para pedir que Deus os perdoe, ajude-os a crescer, proteja-os e os ajude a agradá-Lo. Life Application Study Bible Kingsway.

6 Satanás [NVI]. Lit., “o acusador”. … Em Jó, a palavra hebraica assim traduzida sempre recebe o artigo definido. No texto hebraico de 1Cr 21.1 o artigo já não é usado, porque na ocasião o nome “Satanás” já era usado como nome próprio. Bíblia de Estudo NVI Vida.

7 ao SENHOR. Nome israelita de Deus [Iavé, Yahweh], segundo a aliança. Bíblia de Estudo NVI Vida.

7-12 Alguns sugerem que esse diálogo foi criado pelo autor desse livro. … Se essa conversação não aconteceu, então as razões para o sofrimento permanecem desconhecidas e o livro de Jó é reduzido a ficção em vez de fato. Life Application Study Bible Kingsway.

9 Debalde. Do heb. chinnam, “por nada”, “para nada”, “sem reservas”, “em vão”. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 557. [Por favor, leia tb o comentário do Pr. Christian Abendroth, que comenta o outro possível sentido de chinnam, “de graça”].

Porventura, Jó debalde teme a Deus? (ARA; NVI: “Será que Jó não tem razões para temer a Deus?”). O “acusador” tem a ousadia de acusar o homem a quem Deus elogia: diz que a justiça de Jó, na qual Deus se deleita, é interesseira – âmago do ataque feito no livro de Jó contra Deus e contra Seu servo fiel. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Satanás insinuou que Jó servia a Deus por motivos egoístas, pelo ganho material que Deus lhe permitia acumular como estímulo e recompensa pelo seu serviço. Ele tentou negar que a verdadeira religião emana do amor e de uma apreciação inteligente do caráter de Deus; [negar que] que os verdadeiros adoradores amam a religião por causa da própria religião e não da recompensa dela; que os que servem a Deus o fazem porque o servir é correto em si mesmo e não meramente porque o Céu é cheio de glória; e que se ama a Deus porque Ele é signo de afeição e confiança, não porque Ele abençoa que o faz. CBASD, vol. 3, p. 557.

15 sabeus. Provavelmente árabes do sul, de Sabá, cujos descendentes vieram a ser comerciantes ricos de especiarias, de ouro e de pedras preciosas. Bíblia de Estudo NVI Vida.

16 fogo de Deus. Raio (v. Nm 11.1; 1Rs 18.38; 2Rs 1.12). Bíblia de Estudo NVI Vida.

17 caldeus. Povo que consistia em beduínos até c. 1000 a.C., quando se estabeleceram no sul da Mesopotâmia e posteriormente se tornaram o núcleo do império de Nabucodonosor. Bíblia de Estudo NVI Vida.

19 vento muito forte. Furacão. Bíblia de Estudo NVI Vida.

20 Ao ouvir isso, Jó levantou-se. Mantém silêncio, até ficar sabendo que seus filhos foram mortos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Rasgou o manto e rapou a cabeça. Em sinal de luto. Bíblia de Estudo NVI Vida.

21 O SENHOR o deu, o SENHOR o levou. Jó, com a fé que tem, enxerga a mão de Deus em operação, e esse fato lhe dá tranquilidade mesmo da presença da calamidade. Bíblia de Estudo NVI Vida.



ESBOÇO DO LIVRO DE JÓ by jquimelli
20 de setembro de 2016, 16:47
Filed under: Sem categoria

A. JÓ É TESTADO

Jó, um homem rico e correto, perde suas posses, seus filhos e suas riquezas. Jó não entende porque está sofrendo. Por que Deus permite que Seus filhos sofram? Apesar de haver uma explicação, talvez não a conheçamos enquanto estamos ainda nesta terra. Neste meio tempo, devemos estar prontos para sermos testados em nossas vidas.

B. OS TRÊS AMIGOS RESPONDEM A JÓ

Os amigos de Jó assumem erroneamente que o sofrimento vem como resultado do pecado. Com isto em mente, eles tentam persuadir Jó a se arrepender de seu pecado. Mas os três amigos estão errados. O sofrimento não é sempre um resultado direto do pecado pessoal. Quando experimentamos severo sofrimento, isto pode não ser nossa falta. Portanto, não precisamos adicionar este sentimento de culpa de que algum pecado oculto está causando nosso problema.

C. UM JOVEM RESPONDE A JÓ

Um jovem chamado Eliú, que ouvira toda a conversação, critica os três amigos por serem incapazes de responder a Jó. Ele diz que Jó, apesar de ser um bom homem, se permitiu se tornar um homem orgulhoso e Deus o estava punindo para humilhá-lo. Esta resposta era parcialmente correta porque o sofrimento purifica nossa fé. Mas Deus está além de nossa compreensão e não podemos saber por que Ele permite que cada momento de sofrimento venha à nossa vida. Nossa parte é simplesmente permanecer fiel.

D. DEUS RESPONDE A JÓ

Deus finalmente responde a Jó. Deus está no controle do mundo e somente Ele entende porque é permitido que o justo sofra. Isto somente se torna claro quando vemos Deus pelo que Ele é. Devemos corajosamente aceitar o que Deus permite que aconteça em nossas vidas e permanecer firmemente comprometidos com Ele.

E. JÓ É RESTAURADO

Jó finalmente percebe que quando nada mais resta, ele tinha a Deus. E isto era suficiente. Através do sofrimento aprendemos que Deus é o suficiente para nossas vidas e nosso futuro. Devemos amar a Deus independentemente se recebemos bênçãos ou sofrimento. O teste é difícil, mas o resultado é sempre um relacionamento mais profundo com Deus. Aqueles que resistem ao teste de sua fé experimentarão grandes recompensas de Deus ao final.

Fonte: Life Application Study Bible Kingsway



JÓ 1 by jquimelli
20 de setembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Satanás tinha acesso a Cristo até a cruz, mas não depois (ver História da Redenção, p. 26). No livro de Jó, o objetivo de Satanás era questionar o mérito e culpa das criaturas de Deus. Quando o Filho de Deus perguntou a Satanás se ele havia visto Jó e quão íntegro e reto ele era (v. 8), a resposta foi negativa.

Satanás não presta atenção às coisas boas. Ele acusou Jó de ser fiel somente porque Deus o estava abençoando e exaltando (v. 10) e pediu uma chance para derrubá-lo.

Satanás concluiu que Jó iria se voltar contra Deus se as coisas fossem na direção oposta. Após quatro grandes desastres, em choque, Jó fez seis coisas: ele se levantou, rasgou as suas roupas, raspou a cabeça, caiu no chão, adorou a Deus, e discursou, louvando a Deus. Deus se agradou disso, mas Satanás não. Jó não pecou e não culpou a Deus.

Querido Deus,
Dá-nos a força para que, como Jó, “não caiamos quando em tentação”. E que possamos dizer, tanto nos bons quanto nos maus momentos: “Bendito é o meu Deus”. Em nome de Jesus, amém.

 

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coreia do Sul

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/job/1 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/job/1
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/06/27/
Tradução Jeferson Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico: Jó 1
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/54-55 e https://credeemseusprofetas.org/



JÓ 1 – COMENTARIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
20 de setembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

JÓ 1 – Grandes nomes de personagens intelectuais como Tomas Carlyle e Victor Hugo tem o livro de Jó em alta estima alegando que o mesmo foi considerado “a obra prima da literatura humana”.

Este foi o primeiro livro bíblico a ser escrito. Seu autor é Deus, mas o escritor é Moisés – o qual pastoreava ovelhas do sogro (Jetro), um não-israelita, quando soube da história de Jó, outro não-israelita.

Jó viveu na parte leste do rio Jordão, conhecido atualmente como Jordânia. Ele era rico e respeitado na região. Mesmo não sendo descendente de Abraão, servia o mesmo Deus e tinha a mesma atitude de adoração que o patriarca que se tornou o pai da fé.

Enquanto que Abraão fosse oriundo de uma família pagã, politeísta e idólatra conforme revelado por Deus em Josué 24:2-3, e seus netos fossem avessos à piedade (Gênesis 34-38), os filhos de Jó tinham um pai exemplar, que, conforme revelado por Deus, era íntegro, reto, temente/fervoroso/piedoso e desviava-se do mal.

Além de estruturada espiritualmente, a família em questão era estruturada financeiramente. Entretanto, sua vida passou por uma reviravolta negativa. O capítulo foi assim sintetizado por John E. Hartley:

• Fé e prosperidade de Jó (vs. 1-5);
• Primeira cena diante de Yahweh (vs. 6-12);
• Infortúnio trágico de Jó (vs. Vs. 13-22).

As cenas alternam entre o céu e a terra. Deus provoca Satanás e Satanás provoca a Deus infernizando a vida de Seu servo Jó. Satanás tem acesso ao Céu e a Terra; contudo, não tem poder para ultrapassar os limites instituídos por Deus.

• Deus é soberano; Satanás não pode fazer nada sem Sua permissão!

Jó era homem de oração; todavia, tragicamente perdeu tudo o que tinha. Ele, que orava pelos filhos, os perdeu num só dia! Satanás é um ser real, mau, cruel e destruidor; sem a interferência divina sua periculosidade aumentaria descomedidamente.

Jó, embora seja o livro bíblico mais antigo, escrito décadas antes da composição de Gênesis, contando de uma época cerca de 2000 anos antes de Cristo, não apresenta assuntos elementares e/ou desatualizado.

Jó ficou falido num só dia, fez o funeral dos dez filhos e, depois, adorou a Deus (vs. 20-22). Portanto, pare de reclamar para que tenhas mais tempo de adorar ao Senhor.

Observaste o servo Jó? Reaviva-te! – Heber Toth Armí.



JÓ 1 – #RPSP – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
20 de setembro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal” (v. 1).

Estamos dando início ao livro cujos estudiosos datam como o primeiro livro a ser escrito para a composição das Escrituras Sagradas. O livro de Jó, sem dúvida, tem sido uma incógnita para muitas pessoas, inclusive para muitos cristãos. A descrição do sofrimento deste personagem é a pior possível. Porém, o que mais causa estranheza não é o fato de Jó ter passado pelo que passou, mas ter sofrido tudo aquilo sendo um homem cuja vida carregava características notáveis e santas. Porque, pois, o SENHOR permitiu que Jó sofresse tanto se ele era um homem tão íntegro? Pela primeira vez, lemos na Bíblia um diálogo entre Deus e Satanás. Este diálogo com certeza não se deu no Céu, até porque foi de lá que Lúcifer foi expulso. Em algum lugar do Universo, Deus reuniu os Seus seres criados, representantes de mundos não caídos, e Satanás achou no direito de comparecer como representante e príncipe deste mundo. E foi hábil em responder à pergunta do SENHOR; pois a função do inimigo é a de destruir a humanidade, e, para isso, “rodear a terra e passear por ela” (v. 8) lhe dá uma visão geral do que pode delegar aos demônios para que executem suas ordens de acordo com as melhores formas de destruir pessoas, famílias e até comunidades inteiras. Mas apesar de entitular-se representante deste mundo caído, sabe que não pode ter total controle sobre todas as pessoas. A vida de Jó e o cuidado de Deus sobre Jó e sobre sua família certamente eram uma ofensa ao inimigo das almas e a chance de lançar toda aquela família feliz na desgraça nos deixa bem claro as suas reais intenções: roubar (v. 15, 17), matar (v. 16, 19) e destruir (v. 19) (Vide João 10:10).

Notem que o que a Bíblia diz a respeito de Jó é que ele tinha uma vida totalmente regrada (v. 1) e completamente diferente de todos na terra: “NINGUÉM há na terra semelhante a ele” (v. 8). E esta última informação veio da boca do próprio Deus. Além de tudo isso, Jó possuía dez filhos. E TODOS eles eram filhos exemplares. Aparentemente, homens e mulheres que seguiam os mesmos passos de seu pai. Tanto era assim, que Jó, ao santificá-los, o que fazia “continuamente” (v. 5), também intercedia por eles, “pois dizia: Talvez tenham pecado os meus filhos e blasfemado contra Deus em seu coração” (v. 5). Ou seja, aos olhos de Jó, seus filhos não possuíam pecados aparentes; mas aos olhos de Deus, podia ser que tivessem cometido algum pecado no lugar onde só Deus pode sondar (Vide Salmo 139). Quando o inimigo se viu no poder de destruir aquele tão belo cenário familiar, foi com tanto ímpeto, que nem houve intervalo entre uma desgraça e outra. Satanás tirou de Jó tudo quanto pôde e o fez cair no pó. Contudo, o resultado que esperava não aconteceu. Jó caiu por terra, mas não para praguejar contra Deus, e sim para adorá-Lo (v. 20), e dizer as palavras que confirmam tudo o que foi dito a seu respeito: “… o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR” (v. 21). “Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma” (v. 22). Estamos sempre dispostos a receber as bênçãos de Deus. Mas estamos igualmente dispostos a, mesmo em meio às aflições, adorá-Lo? Percebam que o adversário desafia a Deus e atribui a fidelidade de Jó às bênçãos que o acompanhavam, como se o sucesso de Jó fosse uma prerrogativa à adoração. Satanás acusou a Jó de falso adorador de Deus e supôs que sua vida íntegra fosse uma farsa, além de condicionada a boas condições de vida. Em um dia ele destruiu tudo aquilo que julgava serem os verdadeiros “deuses” de Jó. E em um só dia sua teoria foi lançada por terra. A paciência de Jó, que transformou-se em jargão popular, é refletida em sua atitude diante da aflição e em sua forma de encarar a mais profunda tristeza. Ele não fazia ideia da guerra espiritual que acontecia em torno de sua vida. Deus confirmava a sua fidelidade, enquanto Satanás a desafiava. Da mesma forma nós estamos inseridos neste grande conflito. E a nossa vitória depende do nosso preparo. A integridade, a retidão, o temor a Deus e o afastamento do que era mal prepararam o seu coração para as provações, e não as coisas que ele possuía. Jó não considerou os seus bens ou a sua família acima de Deus, mas em que tudo veio dEle (v. 21). 

Amados, ser fiel a Deus não é sinônimo de uma vida fácil e sem problemas. Mas “Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças… vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (I Coríntios 10:13). Por mais difícil que seja no início enxergar uma saída, Deus sempre transforma maldição em bênção na vida de Seus filhos. Você pode não compreender no momento o porquê de estar passando por esta tribulação, mas, se como Jó escolher confiar na providência divina, no tempo de Deus, alcançará a vitória. Seja um adorador do Deus vivo e fiel à Sua aliança na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na prosperidade e na adversidade, então, como Paulo, no final, afirmarás: “… aprendi a viver contente em toda e qualquer situação… tudo posso nAquele que me fortalece” (Filipenses 4:13).

Bom dia, servos do SENHOR!

Desafio do dia: Apresente o projeto  Reavivados por Sua Palavra (#rpsp) a alguém. Convide-o(a) a estudar junto conosco o livro de Jó. 

*Leiam #Jó1

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: