Reavivados por Sua Palavra


CONVITE À LEITURA DO LIVRO DE JÓ – Prof. Edgard Luz by jquimelli
19 de setembro de 2016, 20:57
Filed under: Sem categoria



Contexto do livro de Jó by jquimelli
19 de setembro de 2016, 18:00
Filed under: Sem categoria

Jó foi, provavelmente, um contemporâneo de Abraão que nasceu por volta de 2.000 anos a.C. e também estava familiarizado com o sistema de sacrifícios ligados ao culto, com os conceitos da salvação e o papel da expiação. Jó é descrito por Moisés neste épico histórico como um grande fazendeiro. Ele tinha 7.000 ovelhas e 3.000 camelos, bem como 500 bois e 500 jumentas, o que era, realmente, um grande negócio.

Seus filhos e filhas estavam acostumados a jantar na casa uns dos outros. Sabemos que eles não estavam bebendo álcool ou comendo carne de porco nestes eventos, uma vez que Jó não estava ciente de que eles haviam pecado. No entanto, ele orou por eles no início da manhã (ulay hatheu), porque “talvez os meus filhos tenham, lá no íntimo, pecado ” (v. 5 NVI). Observe que quando o “vinho” (v. 13) é usado no sentido bíblico negativo, isto inclui o álcool; mas quando não se fala dele negativamente se está referindo ao “fruto da videira” puro, suco de uva sem fermentação.

Sabemos que todas as ações de Deus são dirigidas a partir do Santuário e é aí que os “filhos de Deus” e também Satanás iam falar com Deus (v. 6).

Koot van Wyk

Kyungpook National University

Sangju, Coreia do Sul

https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/06/27/



ESTER 10 by jquimelli
19 de setembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O curto último capítulo do livro de Ester começa com um claro sinal de que, apesar da crise e da guerra posterior, algumas coisas na Pérsia continuavam as mesmas. O rei Assuero impôs aumentos de impostos sobre a terra e sobre as ilhas. Teria sido este um esforço para compensar os fundos que Hamã havia proposto ao planejar o decreto de morte dos judeus e expoliação de seus bens? Talvez, mas o mais provável é que isto mostrasse o rei simplesmente olhando para o seu personagem favorito: ele mesmo.

Mordecai é confirmado como primeiro ministro [ou grão vizir] e somos lembrados de que tudo foi registrado nas crônicas oficiais dos medos e persas. Mordecai não buscou poder e não permitiu que o poder ou posição envenenassem sua mente com orgulho, como aconteceu com Hamã, seu antecessor. Deus colocou um homem bom em uma posição de influência e abençoou não só o povo judeu através deste ato, mas também todo o Império Persa.

O capítulo final não menciona o nome de Ester. Só nos resta supor que o resto de seu tempo como rainha foi muito parecido com os primeiros cinco anos. Após evitar uma crise terrível, ela continuava casada com o mesmo homem. Mordecai ainda cuidava dela, protegendo-a. Só que agora, ele poderia fazer isso de dentro da corte, em vez de a partir do pátio do palácio. Não sabemos se Ester teve filhos, envelheceu ou morreu feliz. Só conhecemos um momento de sua vida, talvez o de maior bravura e mais difícil e, quem sabe, o seu momento mais brilhante.

Que a nossa vida, também, possa ser reconhecida pela nossa fé. Que a nossa superação dos momentos de dificuldade possam revelar a atuação soberana de Deus em nossa vida, mesmo que o nome dele não seja mencionado, como no livro de Ester.

Jean Boonstra
Voz da Profecia

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/est/10/ e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/est/10/
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/06/25/
Tradução Jeferson Quimelli/Jobson Santos
Texto bíblico: Ester 10
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/54-55 e https://credeemseusprofetas.org/



ESTER 10 – Comentários selecionados by jquimelli
19 de setembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 tributo sobre a terra. Dario Histaspes foi o primeiro monarca a cobrar impostos universais, mas Xerxes (Assuero) se distinguiu como um grande arrecadador de tributos (ver Dan 11:2). O tributo teria que ser ajustado ao longo do tempo, e Xerxes estaria em extrema necessidade de aumentar os impostos depois de retornar da desastrosa campanha contra a Grécia (CBASD, vol. 3, p. 544).

A guerra contra os gregos prolongou-se na Ásia Menor durante muitos anos depois da batalha de Salamina. Havia necessidade desses tributos, para que o império arcasse com as enormes despesas havidas (Bíblia Shedd).

A referência a esses impostos talvez diga respeito a um material presente na fonte utilizada pelo autor, a qual ele recomenda aos leitores que quiserem mais informações e confirmação (Bíblia de Estudo NVI Vida).

as ilhas (ARC). Ou “terras do mar” (ARA), neste caso, as províncias marítimas na fronteira com o Mediterrâneo e o mar Egeu. Estas foram ocupadas por um tempo considerável por guarnições persas, mesmo após a derrota na Grécia, e estariam incluídas em qualquer tributações feitas por Xerxes (CBASD, vol. 3, p. 544 e 545)

Note que o rei e Mordecai são mencionados duas vezes nos últimos três versos do livro. Este não é um livro sobre um imprevisível rei persa, mas sobre um povo cuja sobrevivência se articulou na coragem no comprometimento de duas pessoas (Andrews Study Bible).

2 estão escritos. Esta frase usa as mesmas forma e linguagem utilizadas pelo(s) editor(es) dos livros de Reis e Crônicas para concluir os registros dos reis de Judá e Israel (1Rs 14:29; ver tb 1Rs 15:23; 16:14; 2Cr 25:26). O propósito é claro: apesar de Israel estar disperso por toda a terra, seus líderes compartilham status similar aos reis dos séculos passados (Andrews Study Bible).

livro da história. As Crônicas do império persa, cf 2.23; 6.1. Essas Crônicas devem ter sido estudadas na composição do Livro de Ester (Bíblia Shedd).

3 segundo depois do rei Assuero. Mordecai tinha galgado à posição oficial de Hamã (3.2 e 8.15). Os registros históricos mostram que no ano 465 a.C., aquela posição pertencia a Artabano, que naquele ano assassinou o rei Assuero (Xerxes I). Se os acontecimentos narrados nestes capítulos pertencem ao ano 474 a.C., então é provável que entre 474 e 465 a.c., tanto Ester como Mordecai teriam morrido ou caído do poder; naquele intervalo Vasti recuperou sua posição, apesar dos esforços dos nobres para isso evitar. No caso de Ester ter caído do poder, podemos frisar a expressão de 4.14 “Quem sabe se para tal conjuntura como essa é que foste elevada a rainha?”. A mensagem da sua vida é “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito”, (Rm 8.28) (Bíblia Shedd).

Não foram descobertos registros arqueológicos de Mordecai sendo o segundo em comando, mas durante este tempo existe uma estranha falha nos registros persas. […] Foi descoberto um tablete com o nomeMardukaya como sendo um oficial nos primeiros anos do reinado deAssuero; alguns acreditam que este seja Mordecai (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

Mordecai é avaliado como um estadista judeu ideal. A importância dele como modelo para os judeus e no estabelecimento da Festa de Purim foi reconhecida no livro apócrifo dos Macabeus, em que a Festa de Purim é chamada de “o dia de Mordecai” (2Macabeus 15.35) (Bíblia de Genebra).

Percebe-se claramente a providência divina em todos os incidentes aqui registrados. Em todos os governos humanos e todos os acontecimentos há sempre um propósito divino; e, assim como Deus exaltou Mordecai com honra e glória, de igual modo poderá agir em favor dos que O amam, e, desse modo, por fim, porá todos os inimigos sob os pés (Comentário Bíblico Devocional-VT, FBMeyer).

No livro de Ester podemos ver claramente Deus trabalhando na vida de indivíduos e nos assuntos de uma nação. Mesmo quando parece que todo o mundo está nas mãos de pessoas perversas, Deus ainda está no controle protegendo aqueles que são Seus. Apesar de não entendermos tudo o que acontece ao nosso redor, devemos confiar na proteção de Deus e manter nossa integridade, fazendo o que sabemos que é correto. Ester, que arriscou sua vida ao comparecer diante do rei, tornou-se heroína. Mordecai, que estava efetivamente condenado à morte, não só sobreviveu, como chegou a se tornar a segunda mais alta autoridade na nação. Não importa quão sem esperança é a nossa condição ou o quanto queiramos desistir, não precisamos nos desesperar. Deus está no controle de nosso mundo (Life Application Study Bible Kingsway NIV).



ESTER 10 – COMENTARIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
19 de setembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

ESTER 10 – Fim do túnel, beco sem saída, desgraça iminente, suspense, e, por fim emoção, satisfação e alegria. A história bíblica do livro de Ester é fantástica, extraordinária.

“Enquanto a trama dá reviravoltas, o autor desenvolve uma história subjacente sobre o caráter de Deus. A narrativa demonstra a providência e a soberania divinas em uma situação que parecia sem saída. Os israelitas estavam vivendo entre estrangeiros que não se importavam com eles […]. Mas numa época em que Deus parecia estar distante, Ele na verdade se preparava para libertar Seu o povo […]. Na capital persa, Deus demonstrou Sua lealdade ao pacto com os israelitas. Muito tempo antes, Ele prometera a Abraão que amaldiçoaria qualquer pessoa que amaldiçoasse os israelitas (Gn 12.2,3). A queda de Hamã ilustrou de forma dramática a fidelidade de Deus a essa promessa. Até com relação aos israelitas que permaneceram em terras estranhas Ele manteve Sua palavra, pois, apesar disso, considerou-os Seu povo. Assim, o autor de Ester ilustra claramente o que os israelitas estavam festejando no Purim: a fiel proteção que Deus provê a Seu povo” (Earl D. Radmacher, Ronald B. Allen e H. Wayne House).

O último capítulo de Ester é bem curtinho, contém somente três versículos. Ester não é mencionada na conclusão de seu livro como não foi mencionada no primeiro capítulo. Mordecai tornou-se o segundo maior do reino persa, teve o prestígio do povo; isso tudo, porém, foi pela reviravolta que Deus fez na Pérsia em seus dias.

O Comentário Bíblico Adventista destaca o caráter religioso e o ensino moral do livro de Ester:

• Embora o nome de Deus não seja mencionado, Sua providência é manifestada no livro todo.

• O livro de Ester fornece um relato da origem de um importante festival nacional judaico, a Festa de Purim, que ainda é observada com alegria a cada ano.

• Uma lição moral vital permeia a narrativa. Com o decorrer do breve dia de popularidade de Hamã, a natureza transitória da prosperidade e do poder terrestre se torna dolorosamente evidente. Deus humilha os soberbos e exalta aqueles que confiam nEle.

• A providência de Deus é impressionantemente apresentada. O poder divino está unido ao esforço humano. Os meios utilizados são humanos, mas a libertação, em si, é divina.

Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

Atenção! Escreva tua reação ao livro de Ester:



ESTER 10 – #RPSP – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
19 de setembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Pois o judeu Mordecai foi o segundo depois do rei Assuero… tendo procurado o bem-estar do seu povo e trabalhado pela prosperidade de todo o povo da sua raça” (v. 3).

A despeito de ser um dos menores capítulos da Bíblia, Ester dez tem uma das mais belas lições de superação, fé e altruísmo. A “grandeza de Mordecai, a quem o rei exaltou” (v. 2), alcançou o patamar de Daniel e de José. Como estes personagens, Mordecai também chegou à posição mais nobre do reino após o rei. Em nenhum momento percebemos no texto sagrado que Mordecai alcançou favor pela cobiça, nem tampouco por falsas gentilezas, ou por motivos egoístas. Muito pelo contrário, ele era estimado entre seus irmãos, procurava o bem-estar e a prosperidade de seu povo (v. 3). Ou seja, a vida de Mordecai e os propósitos que Deus colocou em seu coração foram tão nobres que as últimas palavras do livro de Ester não foram dedicadas à rainha, mas a ele. Assim como Daniel e como José, Mordecai confiou no SENHOR e a Ele permaneceu sendo fiel. Ele pisou nas pegadas que o SENHOR havia traçado para ele e tratou de conduzir Ester pelo mesmo caminho. Se ambos não tivessem sonhado os sonhos de Deus, quão diferente teria sido a história não somente deles, mas de todo o povo judeu. Quando o Egito tinha o poder nas mãos de matar ou deixar viver, Deus suscitou José. Quando o mesmo se deu com Babilônia, Deus levantou Daniel. Não seria diferente no reino persa, então, Deus suscita Mordecai, mostrando que, em nenhum momento, Deus permite que Seus filhos fiquem a mercê da impiedade. Mesmo em meio à perversidade, o SENHOR não permite que o Seu povo pereça.

A recuperação de um povo que estava condenado à morte certa, já é uma prova inequívoca de que Deus está no controle de tudo e que Ele conhece bem o coração humano. Ainda havia uma “multidão” (v. 3) de judeus que não regressara a Jerusalém, mas, no meio da multidão, Deus enxergou dois corações; dois corações dispostos a ser-Lhe fiéis. Ester e Mordecai arriscaram suas vidas em favor da vontade de Deus.  Quanto vale a sua vida? Você daria a sua vida por alguém?Aquele que não poupou a Sua vida nos deixou o que deve ser a nossa resposta a estes questionamentos: “Quem quiser, pois, salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por causa de Mim e do evangelho salvá-la-á” (Marcos 8:35).

Jesus não estava falando de uma escolha qualquer, mas de algo que envolve vida ou morte, eternidade ou perdição. Buscar o bem-estar do próximo em detrimento do seu é andar sobre as pegadas que Jesus deixou para você. Imagine se Ester desse de ombros ao decreto de morte de seu povo; ou se Mordecai simplesmente tivesse se prostrado diante de Hamã. A coragem da rainha e a fidelidade de Mordecai, para que alcançassem êxito aos olhos humanos, antes tiveram que alcançar êxito aos olhos de Deus. Percebam que a Bíblia não diz que Mordecai se exaltou, mas que o rei o exaltou (v. 2). Ester não se valeu de nada para alcançar o favor do rei, mas o rei a amou (2:15 e 17).

Os verdadeiros filhos de Deus não conquistam destaque neste mundo por méritos próprios, mas pela vivência da verdadeira grandeza. A grandeza de Mordecai, assim como a de José e a de Daniel, não foi para favorecimento próprio, mas de seus irmãos na fé. Ele desconsiderou a sua vida se não fosse para viver para a glória do SENHOR. De que valeria dizer que era um judeu, que adorava o Deus dos céus e da terra, se curvando diante da perversidade? Mordecai sabia a Quem servia. A quem você serve? Cristo disse que quem desse a vida por Ele a encontraria. Ele é o Dono da vida. E não somente esta vida que agora existe e daqui a um minuto pode acabar, mas a vida ETERNA.

O desejo do SENHOR é de engrandecer o Seu povo. A verdadeira grandeza não está em conquistas pessoais, mas em conquistas dadas por Deus. Ele não engrandece, nem jamais engrandecerá quem deseja ser maior e melhor do que os outros, mas quem é humilde o suficiente para reconhecer que tudo vem do SENHOR e tudo é para o SENHOR, para a Sua glória e para a prosperidade e bem-estar dos que O amam. O livro de Ester nos trouxe muitas lições, mas creio que a maior delas tenha sido a FIDELIDADE. Pois assim como dela dependeu a coroa de Ester e a posição privilegiada de Mordecai; da fidelidade, depende a nossa coroação: “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10).

Não ame a sua vida e nem os seus traços de personalidade, mas ame o que a vida de Cristo pode ser em você e clame ao SENHOR que imprima em sua vida a personalidade de Seu Filho. Só experimentaremos a verdadeira grandeza quando todos os que nos cercam possam ver Jesus em nós. Seja fiel, meu irmão! Escolha ser fiel, minha irmã! E, certamente, serás grande aos olhos do SENHOR, e a grandeza terrena será apenas uma consequência.

Bom dia, fiéis ao SENHOR!

Desafio do dia: Faça algo que promova o bem-estar de alguém. Você verá como o maior bem-estar será o seu. Pois “mais bem-aventurado é dar que receber” (Atos 20:35).

*Leiam #Ester10

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: