Reavivados por Sua Palavra


NEEMIAS 7 by jquimelli
3 de setembro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional: 

Mesmo entre as pessoas tementes a Deus, há aqueles que se destacam como grandes exemplos de fé. Assim era Hananias, uma das duas pessoas a quem Neemias tornou responsáveis por Jerusalém. Dele é dito que “ele era um homem fiel e temente a Deus, mais do que muitos.” Deus concede funções de liderança para muitos daqueles que O honram e vivem uma vida exemplar de fé.

Neemias reconhece no verso 5 que: “Meu Deus colocou em meu coração.” Depois de concluída a construção dos muros de Jerusalém e as portas colocadas, a cidade precisava ser povoada porque poucas pessoas estavam vivendo nela. Deus continuou a dar sabedoria para Neemias quanto ao que fazer, a fim de prestar serviço e segurança necessários no templo de Deus e cuidados a Jerusalém.

A sabedoria que Neemias precisava para fazer estas coisas veio de Deus e Neemias não deixou de reconhecer isso. Todos aqueles que adoram a Deus sempre reconhecem que todas as coisas boas, incluindo pensamentos sábios, vêm dEle. A verdadeira humildade atribui todo o sucesso e sabedoria a Deus.

Pardon Mwanza
Vice Reitor da Universidade Rusangu, Zambia
Ex Vice-Presidente Geral Da Conferência Geral da IASD

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/neh/7/ e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra/
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/neh/7/
Publicação anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/06/09/
Tradução Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Neemias 7
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/49-50 e https://credeemseusprofetas.org/



NEEMIAS 7 – Comentários selecionados by jquimelli
3 de setembro de 2016, 0:50
Filed under: Sem categoria

2 Integridade e temor a Deus eram os traços característicos de caráter que qualificaram estes homens [Hanani e Hananias] para governarem Jerusalém. Pessoas de integridade são confiáveis para desempenhar seu trabalho; pessoas tementes a Deus farão seu trabalho de acordo com as prioridades divinas. Estes homens tinham estas duas qualidades. Se você está em posição de selecionar líderes, busque por integridade e reverência como duas das mais importantes qualificações. Embora algumas outras qualidades possam impressionar mais, integridade e reverência passam pelo teste do tempo. Life Application Study Bible Kingsway.

até que o sol aqueça (ARA; NVI: “enquanto o sol não estiver alto”). Normalmente, as portas seriam abertas ao raiar do dia, mas agora sua abertura devia ser adiada até que o sol estivesse bem acima do horizonte, para impedir que o inimigo fizesse um ataque surpresa antes que a maioria do povo se levantasse. Bíblia de Estudo NVI Vida.

64, 65 O Urim e o Tumim eram os meios de conhecer a vontade de Deus (Êx 28:30). Se o nome de alguém não estava na genealogia, ele ainda poderia ser admitido como sacerdote se o Urim e o Tumim comprovavam que ele era um judeu e um levita.Não está claro se o Urim e o Tumim eram os originais que sobreviveram à destruição de Jerusalém ou se eram novos. As coisas [comidas] sagradas eram carnes dedicadas a Deus como parte do sacrifício, Somente verdadeiros sacerdotes podiam comê-las. Life Application Study Bible Kingsway.



NEEMIAS 7 – Comentário pr Heber Toth Armí by jquimelli
3 de setembro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

NEEMIAS 7 – Em 52 dias o muro de Jerusalém foi concluído. Tal reconstrução foi rápida e próspera “por causa da ajuda do Senhor. Por ironia, as nações ficaram intimidadas com o sucesso dos judeus, percebendo que eles tinham cumprido uma tarefa impossível” (Kenneth A. Mathews).

Após a conclusão do muro vista no capítulo 6, no capítulo em questão não se abordará mais a reconstrução física, mas a reconstrução social. De nada adianta ter construções se a sociedade está um caos. Uma sociedade reorganizada passa por uma espiritualidade renovada.

• Para que a cidade seja habitada é necessário que invista num sistema de segurança: Neemias põe guardas nas portas para proteger contra os perigos externos, e põe guardas espalhados nas diversas regiões da cidade, 24 horas por dia, para proteger dos perigos internos. O líder, Hananias, “era honesto e temia a Deus mais do que qualquer outra pessoa” (vs. 1-4).

• Uma boa cidade precisa ser bem planejada, seus moradores precisam ser bem organizados e distribuídos conforme uma ordem: Neemias declarou que isso não era invenção sua: “Deus pôs em meu coração reunir os nobres, os oficiais e toda a população para que todos fossem registrados”, conforme o registro genealógico. Foi feito um censo antes de a cidade ser organizada (vs. 5-65).

• O recenseamento é bíblico; em toda cidade deveria ser feito um censo: Registra-se o número total dos ex-exilados e as doações realizadas para a execução da obra (vs. 66-73).

Havia muito cuidado da parte de Neemias no repovoamento de Jerusalém. Por quê? “Esses judeus foram os ‘elos vivos’ que ligaram o passado histórico ao futuro profético e tornaram possível a vinda de Jesus Cristo ao mundo” – diz Warren W. Wiersbe.

As cidades seriam melhores se fossem mais controladas; se até a cidade do povo de Deus precisava de guardas para proteger de perigos externos e internos, quanto mais as cidades onde têm uma multidão que não quer nada com princípios divinos!

As cidades seriam bem melhores se tivessem regras rígidas contra tudo o que a prejudica: Como drogas, bebidas alcoólicas, cigarro, bar, danceteria, boates, etc.

O que mais me chama a atenção no capítulo em análise é que cargos políticos deveriam ser preenchidos por pessoas altamente consagradas a Deus, quanto mais a liderança da igreja! – Heber Toth Armí.



NEEMIAS 7 – #RPSP – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
3 de setembro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

“A cidade era espaçosa e grande, mas havia pouca gente nela, e as casas não estavam edificadas ainda” (v. 4).

E nos deparamos com mais uma genealogia na maior parte deste capítulo. A relação daqueles que voltaram para Jerusalém, dos cabeças das famílias indicando “o número dos homens do povo de Israel” (v. 7). Apesar de não serem contadas na genealogia as mulheres e as crianças, a Bíblia deixa claro que ainda foi pouca a quantidade de pessoas que vieram habitar em Jerusalém. Nem todos aceitaram o convite de retornar à terra prometida. Muitos permaneceram em Babilônia, rejeitando assim o chamado do SENHOR através de Seus servos, os profetas.

Notem que Neemias só registrou esta genealogia porque Deus colocou isto em seu coração (v. 5). Mais uma prova de que ele mantinha um relacionamento íntimo com o SENHOR e por Ele era guiado em todas as coisas. Mas porque Deus fez com que Neemias deixasse registrada esta genealogia? Certa vez ouvi um sermão onde o pregador dizia que Deus tem uma ligação especial com números. Não se sabe o porquê, mas indubitavelmente há muita lógica nesta afirmação. Em toda a Bíblia percebemos que Deus faz muito o uso de datas, contagens, períodos proféticos, e números que possuem significados específicos, como o número sete, por exemplo, que significa perfeição, completude. E no capítulo de hoje, Deus faz questão de enumerar os homens de cada família que regressou para Jerusalém, totalizando “quarenta e dois mil trezentos e sessenta” (v. 66), fora os servos e os cantores e as cantoras (v. 67). Era um número realmente muito aquém do que já havia sido a multidão de Israel. E em comparação com os demais povos inimigos, aquele pequeno povo não teria chance frente à uma investida de guerra. Além de terem acabado de reerguer os muros e de recolocar as portas, o povo não estava pronto para enfrentar uma batalha, por isso que Neemias ordenou que ao invés de abrirem os portões da cidade ao amanhecer, como de costume, só abrissem depois da troca de turnos dos guardas (v. 3). Também ordenou que os chefes das famílias também montassem guarda, “cada um no seu posto diante de sua casa” (v. 3).

Amados, me acompanhem agora numa analogia acerca da reconstrução de Jerusalém. O que foi que eles reconstruíram primeiro antes de qualquer outra coisa? A Casa do SENHOR; como vimos de um modo tão específico no livro de Esdras. Depois eles reconstruíram os muros. Então, recolocaram as portas. Notem que “as casas não estavam edificadas ainda” (v. 4). E Neemias incentiva que cada chefe de família monte guarda em frente de sua própria casa. Nada disso foi sem motivo e nem sem planejamento divino. Há toda uma lógica maior neste processo. Quando vamos ao encontro do SENHOR e a Ele entregamos o nosso coração, começa um processo de reforma em nossa vida (Que é templo do Espírito Santo, morada de Deus. Lembram? Vide I Coríntios 6:19). Então, vamos permitindo que Deus construa ao nosso redor os muros da fé, que nos servem como um escudo para nos proteger dos dardos inflamados do maligno (Vide Efésios 6:16), até ao ponto de fecharmos as portas para os seus ataques. Escondidos atrás da porta principal, que é Cristo (Vide João 10:9), estaremos sempre seguros. Mas lembrando de que mesmo cercados pelos muros da fé e atrás da porta que é Cristo, não devemos JAMAIS achar que já estamos salvos, já que ainda não estamos na Jerusalém celeste. Devemos estar como Cristo nos advertiu: vigilantes, montando guarda em nosso lar. A família tem sido o principal alvo do inimigo e ele tem percebido ao decorrer de toda existência da humanidade que a destruição das famílias é o melhor método para alcançar o seu objetivo principal, que é levar com ele quantos ele puder para a destruição final. Assim como a cidade de Jerusalém “era espaçosa e grande” (v. 4), a Nova Jerusalém, a Cidade Santa, terá proporções gigantescas e que os nossos olhos mortais não podem compreender. Ou seja, há lugar para todos, mas nem todos aceitarão ao convite de Jesus. Como muitos judeus preferiram permanecer em Babilônia, uma quantidade terrível, creio que a numeração mais dolorosa para o coração de Deus, escolherá permanecer na Babilônia dos últimos dias. E sabem que numeração é esta? É aquela que não se pode contar. Porque Deus não sabe o número? Não, amados, porque Ele não fez questão de contar mesmo (até para evitar que nós façamos cálculos humanos falíveis): “O número dessas é como a areia do mar” (Apocalipse 20:8).

Chegou a hora, meus irmãos! Chegada é a hora de escolhermos permanecer como Hananias, fiéis e tementes a Deus (v. 2) e atendermos ao convite do Salvador que tem pressa de nos tirar do cativeiro que é esta Babilônia atual: “Sai dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos” (Apocalipse 18:4). Façamos parte do número daqueles que Deus, simbolicamente, chamou de 144 mil, e que muito em breve estarão em pé diante do Cordeiro, clamando em grande voz: “Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação” (Apocalipse 7:10).

Feliz sábado, santos do Altíssimo!

Desafio do dia: Tendo como base Efésios 6:10-18, ore para que o SENHOR lhe revista com a Sua armadura, faça isto todas as manhãs até tornar-se um hábito!

*Leiam #Neemias7

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: