Reavivados por Sua Palavra


As épocas de Esdras, Neemias e Ester by jquimelli
29 de novembro de 2019, 15:21
Filed under: Sem categoria

Eventos Esdras, Neemias, EsterFonte: Bíblia de Estudo de Genebra



O LIVRO DE NEEMIAS by jquimelli
29 de novembro de 2019, 15:11
Filed under: Sem categoria



ESDRAS 10 by jquimelli
29 de novembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ed/10

Se existe algo a sublinhar no capítulo 10, seria no versículo 2: “. . . agora agora há esperança em Israel.” Embora Israel tenha pecado muito, eles serviam a um Deus misericordioso. Nisto podemos nos alegrar: “Se confessarmos nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9). Mas o que se seguiu é mais desafiador.

A triste confissão de Esdras abriu os corações das pessoas. Eles choraram lágrimas amargas. Lágrimas, não apenas pelo reconhecimento do pecado, mas por encontrar uma solução. Isso é doloroso. Mais de 100 homens se divorciaram de suas esposas – algumas delas com filhos. Que triste.

Mas pecado e tristeza andam de mãos dadas. Algo pode parecer inofensivo. Mas cresce. Mais pessoas se envolvem. Logo, o que antes estava errado, não é mais – é comum. Então um dia a convicção chega. Existe a necessidade de confessar a Deus. Mas a confissão geralmente requer mudanças. Desculpas.Correção. Consequências.

Sim, regozije-se por Deus ser misericordioso e perdoador. Mas não esqueça de ouvir e seguir as advertências do Espírito Santo. . . não importa o quão doloroso isso possa ser.

Merle Poirier
Gerente de Operações
Revistas Adventist Review / Adventist World

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=659
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



ESDRAS 10 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
29 de novembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



ESDRAS 10 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
29 de novembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Carecemos de pessoas verdadeiramente consagradas que estejam realmente interessadas em nossa salvação. Precisamos aprender dos grandes ícones espirituais a fim de experimentar o reavivamento que estes líderes contemplaram.

Esdras, no versículo 1…
1. Chorou,
2. Curvou-se,
3. Orou, e
4. Confessou.

Consequentemente, o povo em pecado, nos versículos 2-3…
1. Aproximou-se,
2. Confessou os pecados,
3. Dispôs-se a abandonar o pecado: Dispensar as esposas pagãs.

Influenciados pela oração e exemplo de contrição de Esdras, o povo reconheceu seus pecados e pediu-lhe que liderasse uma reforma; então, ele continuou…
* Jejuando, e
* Chorando por causa do povo (vs. 4-6).

“Os propósitos de Esdras eram altos e santos; em tudo o que fizera fora movido por um profundo amor pelas almas. A compaixão e bondade que revelava para com os que haviam pecado, fosse em plena função da vontade, fosse por ignorância, deveria ser uma lição objetiva a todos os que procurassem promover reformas. Os servos de Deus devem ser tão firmes como a rocha onde retos princípios estiverem envolvidos; mas do mesmo modo devem manifestar simpatia e longanimidade” (Ellen G. White).

O povo deu a sugestão, não foi imposição de Esdras. Os transgressores abandonariam radicalmente seus pecados de jugo desigual, despediriam a esposa pagã. Um tribunal ficou responsável por resolver essa questão de forma legal mesmo em época de chuva. Foram três meses de burocracia, mas os princípios bíblicos prevaleceram (vs. 7-14).

Um número insignificante opôs-se à solução ao problema (vs. 15-17). Tem gente que não larga o problema, ainda quer que os outros se apeguem também a ele. Porém, a democracia, às vezes, é positiva.

O livro termina com um tom negativo, falando dos casamentos mistos, a razão da depravação do povo de Deus. Desta forma, o livro mostra o quanto o remanescente ainda precisa amadurecer espiritualmente (vs. 18-44).

“O livro de Esdras é um estudo sobre reavivamento. Quando as pessoas aplicarem a verdade da Palavra de Deus em sua vida, quando os santos orarem, intercederem e houver confissão seguida do afastamento de pecados reconhecidos, a igreja receberá poder para realizar coisas grandiosas para Deus” (William MacDonald).

A Palavra de Deus precisa ser central na vida de todo povo de Deus – creio ser essa a ênfase do livro de Esdras para nós. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

Escreva abaixo o que você achou do livro de Esdras…



ESDRAS 10 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de novembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Enquanto Esdras orava e fazia confissão, chorando prostrado diante da Casa de Deus, ajuntou-se a ele de Israel mui grande congregação de homens, de mulheres e de crianças; pois o povo chorava com grande choro” (v.1).

Provavelmente, Esdras não esperava tamanha comoção por parte de seus irmãos e uma resposta tão rápida às suas orações. Angustiado e chorando muito, ele viu naquela transgressão a grande possibilidade da decadência de seu povo. Ultrapassados os limites por Deus estabelecidos, os filhos de Israel romperam as fronteiras da nação, “casando com mulheres estrangeiras, dos povos de outras terras” (v.2). Desses matrimônios foram gerados filhos que, por sua vez, recebiam toda a influência pagã de suas mães idólatras.

Esdras foi levado a olhar para os resultados desastrosos da desobediência. Quando cativo em Babilônia, pôde ver de perto a corrupção em todas as suas formas, e como o simples assentimento com os costumes seculares abre uma porta para a total apostasia. O fato da maioria dos judeus ter permanecido em Babilônia explica o encanto difícil de ser quebrado que o pecado causa no homem. E entre ter o que deseja e fazer a vontade de Deus, o impenitente sempre vai escolher a primeira opção.

Num casamento em jugo desigual não havia apenas a diferença religiosa, mas também costumes e práticas abomináveis que eram levados para dentro do lar. Idolatria e sexo deturpado eram os principais pecados cometidos nessas uniões mistas. Na igreja apostólica, quando os recém-conversos estavam sendo perseguidos pelos cristãos judeus a respeito de tradições, foi tomado um voto entre os apóstolos para que não fosse cobrado deles nada além da abstenção “das coisas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas” (At.15:29).

Esdras demonstrou um genuíno espírito de compaixão ao prantear por seus irmãos, e seu livro foi concluído regado com suas lágrimas. As palavras de Secanias lhe deram a força que precisava para agir e exigir dos cabeças das famílias de Israel que tomassem uma atitude urgente. A forma radical de resolver a situação mandando embora suas mulheres e filhos estrangeiros foi, sem dúvida, um dos piores momentos pós-exílio. Mas mesmo havendo oposição (v.15), “toda a congregação disse em altas vozes: Assim seja… assim nos convém fazer” (v.12).

Assim como a obediência gera bênção, a desobediência gera maldição. Esdras precisou submeter o povo a uma atitude extrema a fim de evitar um mal pior. Hoje, existem muitos casamentos enfrentando situações desafiadoras. O plano de Deus para o casamento é o mesmo desde o princípio (Gn.2:24). Infelizmente, a humanidade vem deturpando o plano original do Criador trocando a bênção pela maldição. E até mesmo em lares cristãos, muitos casais têm maculado o leito e o lar com licenciosidade julgando ser lícito fazer o que quiser entre quatro paredes.

É um assunto que tem rendido muitas discussões e polêmicas. Mas uma coisa é certa: todo aquele que busca ao Senhor de todo o coração, procura fazer “o que é do Seu agrado” (v.11). Quando a vontade própria é subjugada, o Espírito Santo muda os nossos gostos, refina os nossos apetites e purifica a nossa mente. É claro que sempre existirão os Jônatas, Jazeías, Mesulão e Sabetai (v.15) se opondo ao “assim diz o Senhor”. No fim das contas, contudo, a decisão em ser fiel ou não sempre será individual.

Os conselhos deixados pelos apóstolos Paulo e Pedro, em 1Co.7:12-16 e em 1Pe.3:1-7, respectivamente, não requer do cristão o afastamento de seu cônjuge incrédulo, mas uma vida de nobre procedimento de modo que seja um instrumento do Espírito Santo para a conversão do companheiro descrente. E a todos nós, amados, os casados (e aqueles que estão se preparando para o casamento), busquemos do alto o conhecimento e a sabedoria tão necessários para que desfrutemos de um “leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros” (Hb.13:4). Vigiemos e oremos!

Bom dia, fiéis servos de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Esdras10 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ESDRAS 10 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
29 de novembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: