Reavivados por Sua Palavra


ESDRAS 8 by jquimelli
27 de novembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/ed/8

Eu trabalho para a Adventist Review [Revista Adventista]. Cada sessão da Conferência Geral preparamos uma revista por dia. É preciso esforço e nossos dias começam cedo. Meu marido declinou do quarto de hotel próximos ao escritório onde trabalharia, aceitando um a cerca de seis quarteirões da cidade. Não conhecendo bem a cidade, não parecia ser um problema. Caminhar nos faria bem.

Chegando ao hotel, mapeei a rota para o meu escritório. Na manhã seguinte às 6:00, quando ainda estava escuro, saí em minha caminhada. De repente, isso não pareceu uma boa ideia. Embora não estivéssemos em uma parte “ruim” da cidade, isto não foi uma coisa muito boa. Uma mulher sozinha andando pelas ruas escuras não era o melhor dos planos. Mas eu sirvo a um Deus com milhares de anjos. Todas as manhãs eu orava por proteção e imaginava meus companheiros de anjo me cercando em segurança.

Esdras enfrentou uma situação semelhante, mas muito pior. Seu grupo carregou ouro e prata valiosíssimos por uma longa jornada. Ele reivindicou a promessa: “A mão de nosso Deus está sobre todos aqueles que o buscam pelo bem.” E, assim como eu, Deus respondeu. Eles chegaram a Jerusalém sãos, seguros e prontos para trabalhar para ele.

Merle Poirier
Gerente de Operações
Revistas Adventist Review / Adventist World

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=657
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



ESDRAS 8 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
27 de novembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



ESDRAS 8 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
27 de novembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

ESDRAS 8 – A pregação hoje é diferente da pregação do século XIX. Antigamente pregava-se a um público conhecedor das Escrituras, atualmente prega-se a um público analfabeto nas Escrituras. No passado, os sermões duravam aproximadamente uma hora; no presente, passar de meia hora torna-se enfadonho…

A pregação do capítulo anterior levou a uma reforma na comunidade dos exilados que retornaram a Jerusalém. A pregação da Palavra de Deus é essencial para colocar as coisas em ordem. O impacto dessa Palavra quando proclamada corretamente é nítido: Ela rege o pregador e o ouvinte!

Warren Wiersbe observa que Esdras:
1. Mostrou-se sábio ao reunir dezoito chefes de família do povo, sabendo que esses homens poderiam influenciar seus parentes, o que de fato aconteceu (vs. 1-20).
2. Mostrou sua confiança em Deus. A abordagem dele em relação à viagem foi espiritual, pois, se a boa mão do Senhor não tivesse estado com ele, tudo teria dado errado (vs. 21-23).
3. Mostrou autoridade em chamar os líderes espirituais a assumirem compromissos de cuidarem dos tesouros do Senhor (vs. 24-30).
4. Mostrou como foi difícil a jornada de Babilônia até ali em Jerusalém:
• Chegada (v. 31);
• Descanso (v. 32);
• Levantamento (vs. 33-34);
• Adoração (v. 35);
• Autorização (v. 36).

Esdras está contando num sermão sua experiência desde a saída de Babilônia até chegar em Jerusalém. Além de preservar Seu povo, Deus estava protegendo Sua Palavra. Observe esse histórico:
“Moisés escreveu aquilo que Deus lhe disse (Êx 24:4, 12; Dt 28:58; 29:21; 30:10; 31:9, 19, 24) e também manteve um registro das jornadas de Israel (Nm 33:2). Deixou para Josué o ‘Livro da Lei’ (Js 1:8), ao qual Josué acrescentou seu próprio registro (23:6). Samuel escreveu nesse livro (1 Sm 10:25), e outros também fizeram acréscimos (1 Cr 29:29). Ao que parece, o Livro da Lei ‘perdeu-se’ no lugar menos provável de todos – o templo – e foi recuperado no tempo de Josias (2 Cr 34-35). Os escribas judeus copiaram as Escrituras com cuidado e precisão extremos, a fim de guardá-las da corrupção textual. Graças a fidelidade desses homens e à providência de Deus, temos as Escrituras nos dias de hoje” (Wiersbe).

Esdras andou cerca de quatro meses (1500 km) para pregar a Palavra! Então… vamos valorizar mais a Bíblia?

Reavivemo-nos pela Palavra! – Heber Toth Armí.



ESDRAS 8 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
27 de novembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Nós, pois, jejuamos e pedimos isto ao nosso Deus, e Ele nos atendeu” (v.23).

O segundo grupo de exilados, que voltou com Esdras para Jerusalém, correspondeu a aproximadamente dez por cento do total do primeiro grupo. Mas ainda que fosse um pequeno grupo, essas famílias foram corajosas em abandonar o conforto de suas vidas bem estabelecidas em Babilônia para seguir a Esdras numa viagem perigosa para um lugar onde teriam que recomeçar a vida. Mas ao analisar a lista dos que subiram com ele, Esdras percebeu que não havia entre eles “nenhum dos filhos de Levi” (v.15).

Segundo “a boa mão de Deus” (v.18), uniram-se a eles mais um grupo, desta vez, de levitas que ministrariam no templo, “todos eles mencionados pelo nome” (v.20). O grupo estava então completo. Todos atenderam ao chamado divino e Esdras foi despertado para uni-los num só propósito: jejum e oração. Após um firme testemunho acerca do poder de Deus, Esdras teve “vergonha de pedir ao rei exército e cavaleiros” (v.22) para os defender. Sendo assim, ele e o povo clamaram para que o Senhor lhes desse “jornada feliz” (v.21) para eles, seus filhos e seus pertences.

Montando uma guarda especial para os tesouros consagrados a Deus, a boa mão do Senhor estava sobre eles, livrando-os dos inimigos e das “ciladas pelo caminho” (v.31), de forma que chegaram em Jerusalém e ali repousaram por “três dias” (v.32). “No quarto dia” (v.33), a “oferta voluntária” (v.28) foi pesada e os “exilados que vieram do cativeiro ofereceram holocaustos ao Deus de Israel” (v.35), e “ajudaram o povo na reconstrução da Casa de Deus” (v.36).

Podemos dizer que Esdras buscou pessoas que o Senhor havia separado para ministrar em Sua Casa, liderou um reavivamento no meio dos exilados, promoveu a fidelidade e a confiança em Deus e inspirou o seu grupo a unir-se aos demais na edificação do templo. Precisamos desesperadamente de Esdras modernos! Homens e mulheres que se permitam ser usados por Deus de uma forma tão íntegra, que não restem dúvidas quanto ao seu caráter divinamente lapidado.

Enfrentamos, dia a dia, uma jornada perigosa repleta de inimigos e de “ciladas pelo caminho” (v.31). Muitas vezes somos tentados a buscar auxílio inútil quando ao nosso lado está o Senhor dos Exércitos pronto para nos atender. Porque a “boa mão do nosso Deus é sobre todos os que O buscam, para o bem deles; mas a Sua força e a Sua ira, contra todos os que O abandonam” (v.22). Neste dia da semana que dedicamos ao jejum e à oração, como Esdras, confiemos que depois do deserto perigoso, há uma terra de repouso à nossa espera.

Com toda a convicção, proclamemos, hoje: “Nós, pois, jejuamos e pedimos isto ao nosso Deus, e Ele nos atendeu” (v.23). Jejuemos, vigiemos e oremos!

Bom dia, exilados a caminho do Lar!

• Deixe nos comentários o seu pedido de oração. #euoroporvocê 

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Esdras8 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ESDRAS 8 – COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
27 de novembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



ESDRAS 8 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
27 de novembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1158 palavras

1-14 Nem todos os exilados retornaram em resposta ao decreto de Ciro em 538 a.C. Um segundo grupo, significativamente menor, retornou com Esdras cerca de oitenta anos após o primeiro retorno. Bíblia Shedd.

1 Naquele momento, os judeus tinham permanecido na terra do exílio por quase um século e meio. Escavações em Nippur trouxeram à luz vários documentos que mostram a riqueza de muitos judeus que viviam na região da Mesopotâmia durante o reinado de Artaxerxes I. Portanto, deve ter sido uma tarefa difícil para Esdras convencer muitos deles a retornar em sua companhia. Os colonos que voltaram podiam esperar apenas um árduo pioneirismo na antiga pátria, com muito menos conforto do que tinham em Babilônia. m vista dessas considerações, é surpreendente que Esdras tenha sido bem-sucedido em convencer quase 2 mil famílias a retornar ao seu país de origem com seus irmãos. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 408.

15 O retorno de Esdras a Jerusalém foi prejudicado quando ele tentou recrutar levitas. Deus havia chamado estes homens para um serviço especial, mas poucos se voluntariaram quando seus serviços foram necessários. Deus presenteou a cada um de nós com habilidades com as quais podemos contribuir para o trabalho do Seu reino (Rm 12:4-8). Não espere ser recrutado, mas busque oportunidades para se voluntariar. Não atrapalhe o trabalho de Deus ao se deter. “Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas” (1Pd 4:10). Life Application Study Bible Kingsway.

16 enviei. O texto parece indicar que Esdras não apenas se surpreendeu, mas também se perturbou quando nenhum levita respondeu ao seu apelo. Sem eles, a caravana parecia incompleta, particularmente à vista do seu desejo de operar um reavivamento (ver Ed 7:10, 14-28; cf. Ed 9, 10). CBASD, vol. 3, p. 409.

Esdras selecionou um grupo de homens influentes para persuadir alguns levitas a retornarem em sua companhia. Bíblia Shedd.

Joiaribe… Elnatã. Joiaribe e Elnatã, embora não tivessem título ou posição oficial foram especialmente eloquentes e persuasivos ou ainda foram considerados excepcionalmente qualificados para a tarefa que tinham diante de si. CBASD, vol. 3, p. 409.

21 bens (NVI). Os vastos tesouros que levavam consigo seria uma presa tentadora para assaltantes. Bíblia de Estudo NVI Vida.

jornada feliz. Literalmente “caminho reto”, ecoando Is 40:3. Em Is 52:12 o novo êxodo após o exílio é reminiscente da proteção de Deus durante o êxodo original. Andrews Study Bible.

Esdras e o povo viajaram aproximadamente 900 milhas [aprox. 1450 km] a pé. A viagem os levou através de territórios perigosos e difíceis e durou em torno de 4 meses. Eles oraram para que Deus lhes concedesse uma viagem segura. Nossas jornadas podem não ser tão difíceis e perigosas quanto as de Esdras, mas devemos reconhecer nossa necessidade de pedir a guia e proteção de Deus. Life Application Study Bible Kingsway.

22 Tive vergonha (NVI). As Escrituras falam muitas vezes de uma vergonha ímpia (Jr 48.13; 49.23; Mq 3.7) e, às vezes, assim como aqui, de uma vergonha santa. … Tendo proclamado sua fé na capacidade de Deus de proteger a caravana, sentia vergonha de pedir a proteção humana. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Não é recomendável falar-se em confiança na providência divina e, depois, quando no aperto, apelar para a débil força humana (cf Sl 20.7; 2Cr 14.11). Para não ser hipócrita, Esdras recusou-se a pedir proteção do exército e recomendou sua viagem ao Senhor. Deus honrou àquela fé (32). Bíblia Shedd.

inimigo. O v. 31 conclui que o v. 22 não se refere a nenhum inimigo imaginário. Pode ser que Esdras soubesse que os samaritanos estivessem esperando para interceptar a caravana, ou que algumas das tribos árabes, que não deviam lealdade à Pérsia, poderiam saber da passagem da caravana e planejassem um ataque de emboscada e pilhagem. CBASD, vol. 3, p. 410.

23 jejuamos. O jejum era considerado pelos judeus a maneira de humilhar-se perante Deus, e Jesus aprovou essa prática (Mc 2.18-22). Bíblia Shedd.

Muitas vezes oramos leviana e superficialmente. A oração séria, por contraste, requer concentração. Ela nos coloca em contato com a vontade de Deus e pode realmente nos mudar. Sem oração séria, reduzimos Deus a um farmacêutico com analgésicos para as dores que sentimos. Life Application Study Bible Kingsway.

25 ofereceram o rei… e todo o Israel. A contribuição total alistada no v. 26 é enorme, de tal modo que os críticos tem duvidado da autenticidade da lista. Todavia, os reis persas eram conhecidos por suas grandes riquezas e generosidade para com as religiões de povos conquistados. Também havia famílias judaicas ricas na Babilônia daquele tempo. Bíblia Shedd.

26 vinte e dois mil e setecentos e cinquenta quilos de prata (NVI; ARA: “seiscentos e cinquenta talentos de prata”) ….  três toneladas e meia de ouro (NVI; ARA: “cem talentos de ouro”). Um talento equivalia a 35 quilos. Nota textual NVI.

Embora uma parte considerável desse tesouro possa ter saído da bolsa real, boa porção dele foi doada por judeus ricos da Pérsia e de Babilônia e por alguns simpatizantes gentios (ver Ed 7:15, 16). Embora o tesouro levado para a Judeia pareça valioso, não se deve esquecer que a riqueza da Pérsia naquele tempo era imensa (ver Dn 11:2). CBASD, vol. 3, p. 411.

31 no dia doze. De acordo com 7.9, a partida se deu no primeiro dia. A diferença se deve ao atraso sofrido com a finalidade de encontrar os levitas necessários. Bíblia Shedd.

a boa mão do nosso Deus. A referência dá continuidade a um dos maiores motivos dos capítulos anteriores: o segundo êxodo de Israel da Babilônia à terra prometida não é dependente do planejamento humano (apesar de ter havido planejamento), mas é realizado pelo poder da poderosa mão de Deus, como durante o primeiro êxodo (Êx 9:3). Andrews Study Bible.

estava sobre nós. Os receios de Esdras se justificavam e os perigos eram reais, mas a fé na proteção divina foi recompensada. CBASD, vol. 3, p. 411.

34 o peso total … imediatamente registrado. Não apenas os lingotes e os objetos foram contados e pesados, mas um inventário foi feito pelos sacerdotes do templo e o peso de cada objeto foi anotado, tal era o cuidado tomado para evitar desvios nas propriedades do templo. Isso também aliviou Esdras de responsabilidades adicionais e o protegeu contra possíveis acusações posteriores. Na Mesopotâmia, até os pequenos negócios eram documentados, e, sem dúvida, seria exigido que Esdras enviasse um recibo, como evidência de que as provisões do decreto haviam sido cumpridas. CBASD, vol. 3, p. 412.

O servo de Deus deve estar apto a manter uma contabilidade dos seus bens e dos seus atos, perante Deus e os homens. Bíblia Shedd.

35 holocaustos. Sacrifícios queimados, simbolizando real dedicação a Deus (ver Lv 1). A oferta pelo pecado sempre precedeu a oferta queimada, pois não há dedicação sem primeiro haver confissão e perdão. Bíblia Shedd.

36 Então, deram as ordens do rei aos seus sátrapas e aos governadores deste lado do Eufrates. Depois de chegar a Jerusalém, Esdras deve ter informado ao governador local a respeito de sua incumbência e entregou aos tesoureiros o decreto do rei sobre as finanças (Ed 7:21, 22). Esdras declara que esses oficiais colaboraram com ele. Raramente os persas se opunham aos interesses dos judeus. CBASD, vol. 3, p. 412.




%d blogueiros gostam disto: