Reavivados por Sua Palavra


II CRÔNICAS 23 by jquimelli
6 de novembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/2cr/23

A história da entronização de Joás em 2 Crônicas 23 é um microcosmo do grande conflito. Como descendente de Davi e herdeiro do trono, Joás tipificava Cristo, o verdadeiro Rei que se assentaria, por causa do Seu sacrifício, no trono do universo (Ap 4-5). Atalia usurpara o trono de Judá num golpe de estado, mas o sacerdote Joiada preservou Joás para que, no momento certo, ele fosse proclamado rei. Da mesma maneira, Satanás usurpou o domínio desse mundo das mãos de Adão, mas Deus preservou o conhecimento da salvação e preparou um povo para que, através dele, Cristo viesse para reaver a soberania perdida por nossos primeiros pais (Gn 3).

Com o verdadeiro rei entronizado, Joiada renovou a aliança entre o sacerdócio, o rei e todo o povo. 2 Crônicas 23:18 resume o teor dessa aliança renovada: ser o povo do Senhor. Hoje, o sumo-sacerdote e rei Jesus também coloca diante de cada um de nós a oportunidade de decidirmos fazer parte do povo do Senhor, tirando de nosso meio ídolos falsos, quaisquer que sejam, e reestabelecendo uma adoração verdadeira e autêntica ao único Deus vivo, santo e verdadeiro. Que aproveitemos este dia para renovarmos nosso compromisso com o Senhor.

Clacir Virmes Junior
Professor do Seminário Latino Americano de Teologia, Bahia, Brasil

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=636
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



II CRÔNICAS 23 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
6 de novembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



II CRÔNICAS 23 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
6 de novembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

II CRÔNICAS 23 – Quem permanece ao lado de Deus experimentará a vitória apesar das ameaças e ambientes de risco; porém, quem se opõe a Deus verá que “se ficar o bicho come, se correr o bicho pega”.

Baseando-se em I e II Samuel e também em I e II Reis o cronista vai além da história; ele oferece ao leitor a interpretação da história. As tribos do reino do Norte não foram enfatizadas em Crônicas porque seu objetivo primário não era recontar ou reconstruir a história, mas destacar a atuação divina.

A história de Joás e Atalia acha-se em II Reis 11. No capítulo em estudo não há reiteração, mas interpretação dos fatos. O cronista está fazendo teologia, e teologia acessível ao leitor leigo.

1. Existiram desafios para preservar a dinastia davídica entre o remanescente do povo de Deus; Joás foi rigidamente preservado e, aos sete anos coroado rei, sendo o único remanescente da casa de Davi (vs. 1-11).

2. A conspiração contra a promessa de Deus era grande, mas quem se opõe a Deus não verá vingar seus planos maquiavélicos; a traidora Atalia planejou sua traição à causa de Deus, mas foi assassinada para não mais interferir no avanço da promessa divina (vs. 12-15).

3. Ao seguir à risca as instruções bíblicas da aliança, a igreja de Deus (aqui representada pela nação de Judá) experimenta reavivamento, paz e alegria; é exatamente o reatar da aliança com Deus que o cronista destaca da história de Israel após a morte de Atalia (vs. 16-21).

Há no texto uma ênfase ao templo, um cuidado e uma reverência com as especificações dadas por Deus. A liderança levítica também é destaque. Mas, o que mais importa é a aliança, que é fundamentada na Palavra de Deus.

• Quando a Bíblia rege a nossa vida, o resultado será sempre positivo.
• Quando nosso alvo é fazer a vontade de Deus, não titubearemos em fazê-lo, ainda que corramos riscos.
• Quando Deus planeja alcançar um objetivo, ninguém conseguirá impedi-lO.
• Quando a salvação está em jogo, Deus tem Seus meios de abrir caminhos onde está cheio de entulhos e obstáculos.

O Messias viria mesmo que as hostes do mal intentasse impedir. Reavivemo-nos: Deus visava nossa salvação!

Deus sempre vence! – Heber Toth Armí.



2CRÔNICAS 23 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de novembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Joiada fez aliança entre si mesmo, o povo e o rei, para serem eles o povo do Senhor” (v.16).

O capítulo de hoje inicia dizendo que “Joiada se animou” (v.1). A palavra ânimo vem do latim animus, que significa “alma, desejo, mente, espírito”. Isto quer dizer que Joiada empregou todo o seu ser na decisão que tomou. Ele não se animou simplesmente no sentido de se alegrar, mas de tomar uma firme decisão em que nada o faria retroceder. Este é o verdadeiro sentido de seu animus. Ele decidiu firmemente sair do jugo de Atalia e levar todo o povo a guardar fielmente “o preceito do Senhor” (v.6).

O reinado de Joás seria um recomeço para o povo, e a aliança feita entre este e o rei representava a sua anuência em aceitar os planos de Deus “a respeito dos filhos de Davi” (v.3). A Casa do Senhor tinha se transformado em casa de qualquer um, de forma que os preceitos de Deus para a sua ministração não eram mais levados em conta. O Senhor havia separado para o serviço de Sua casa os sacerdotes e os levitas, conforme estudamos no livro de Levítico, mas isto não era mais observado, de forma que o povo não sabia mais fazer distinção entre o santo e o profano. Mas a atitude do sacerdote Joiada fez com que esta deturpação fosse dissipada, e a consagração foi tamanha, que todo o povo anuiu à sua decisão. De armas na mão, todo o povo rodeava o pequeno rei (v.10), em uma felicidade unânime. E Joiada cuidou em providenciar a coroação de Joás, contudo, não foi-lhe dada somente a coroa, mas também o motivo de tão grande celebração: o Livro do Testemunho. O resgate da Lei do Senhor significava liberdade da escravidão do pecaminoso reinado de Atalia.

A traição da rainha má se voltou para ela mesma (v.13) e se alguém decidisse segui-la receberia a sua mesma sentença (v.14). Então, Atalia foi morta; todos se voltaram para Deus tornando-se um só povo de um só Senhor; destruíram a casa de Baal e todas as imagens e altares pagãos; e “com alegria e com canto” (v.18) obedeciam ao “assim diz O Senhor”.

Costumamos nos animar para fazer tantas coisas banais. Empregamos todo o nosso ser em projetos corruptíveis e, por vezes, eles não tem nada a ver com os projetos de Deus para nós. A decisão de Joiada teve a ver com vida. E não apenas a dele, mas do futuro rei, de todo o povo e das gerações que se seguiriam. Joiada não iniciou algo novo, nem tampouco algo temporário. Ele reiniciou um projeto divino, portanto,  eterno. Tudo o que ele resgatou emanava e emana vida. Mas não esta vida que hoje existe e amanhã pode não existir. Mas da vida que procede da Palavra de Deus. Pois “os caminhos de Deus são eternos” (Hc.3:6). Todo o povo se uniu como um só exército, “de armas na mão” (v.10) porque compreendeu que aquele momento não se tratava de mais um arroubo religioso, e sim de uma questão de vida ou morte eterna. Seguir ao Senhor significa vida. Seguir Atalia e seus caminhos maus significa morte (v.14). Ponto.

Cabe a nós a escolha de que caminho seguir. O salmista entendeu bem quando definiu essas escolhas no Salmo um: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer [o seu ânimo] está na Lei do Senhor, e na Sua Lei medita de dia e de noite” (Sl.1:1-2). Mais do que feliz é aquele que tem prazer na Palavra do Senhor e nela busca refúgio para se manter no mundo, porém, não ser do mundo. E o salmista continua, dizendo: “… os perversos não prevalecerão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos” (Sl.1:5).

Ó, amados, assim como Atalia não prevaleceu na congregação do povo do Senhor, ninguém prevalecerá nos últimos dias se não fizer parte do remanescente de Deus: “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap.14:12). É tempo de fazermos como fez Joiada. É tempo de animus para buscarmos ao Senhor de todo o nosso coração. É tempo de examinarmos a Bíblia e tomarmos a firme decisão de obedecê-la. É tempo de destruir todos os ídolos que ainda infestam a nossa vida. É tempo de termos prazer na Palavra e nela meditarmos durante todo o dia.

Quando o Rei dos reis se revelar, ninguém poderá declarar: “Traição! Traição!” (v.13), mas até os ímpios terão de reconhecer um dia: “verdadeiros e justos são os Teus juízos” (Ap.16:7). Que no grande Dia do Senhor, você e eu estejamos no meio do povo remanescente que exclamará “com alegria e com canto” (v.18): Viva o Rei! (v.11).

Bom dia, remanescente do Senhor!

Rosana Garcia Barros

Deixe nos comentários o seu pedido de oração! #EuOroPorVocê

#PrimeiroDeus #2Crônicas23 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



II CRÔNICAS 23 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
6 de novembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



II CRÔNICAS 23 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
6 de novembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

733 palavras

1-21 V. 2Rs 11.4-20. O cronista seguiu sua origem literária bastante de perto, mas introduziu matérias que refletem seus propósitos em três áreas: 1. O relato em Reis tem mais para dizer a respeito dos militares no golpe; o cronista acrescenta matéria que ressalta a presença dos oficiais do templo e o papel deles (v. 2, 6, 8, 13, 18, 19). 2. O cronista ressalta o apoio popular generalizado ao golpe, ao mencionar a presença de grupos grandes de pessoas, como, e.g.: “toda a assembleia” ou “todo o povo” (v. 3, 5, 6, 8, 10, 16, 17). 3. O cronista demonstra mais solicitude pela santidade da área do templo, ao inserir notas que demonstram as providências tomadas para garantir que somente pessoas qualificadas entrassem no recinto do templo (v. 5, 6, 19). Bíblia de Estudo NVI Vida.

1 Joiada se animou. Criou coragem e se fortaleceu para a penosa experiência com Atalia. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 286.

os capitães de cem. Os cinco homens eram provavelmente capitães dos 500 soldados que compunham a guarda pessoal de Atalia. … A passagem paralela de 2 Reis 11:4 acrescenta o interessante detalhe de que Joiada os fez “jurar no templo do SENHOR. Então lhes mostrou o filho do rei” (NVI). Tendo visto o verdadeiro rei, os capitães da guarda real entraram então numa aliança com Joiada de que dali em diante sua lealdade seria dedicada a ele. CBASD, vol. 3, p. 287.

levitas de todas as cidades de Judá. Um grande número de levitas e outros indivíduos de confiança foram trazidos a Jerusalém, provavelmente sob o pretexto de alguma festa religiosa, quando poderiam apoiar o sumo sacerdote no teste de força com a rainha que em breve ocorreria. CBASD, vol. 3, p. 287.

Tudo foi feito com sigilo; a rainha nada percebeu. Bíblia Shedd.

3 Toda essa congregação. Isto é, toda a assembleia dos levitas, os principais homens da nação e os capitães da guarda real (2Rs 11:4). CBASD, vol. 3, p. 287.

todo o povo estará nos pátios. Este era o procedimento usual. Exceto as pessoas da máxima confiança, não se devia permitir que ninguém estivesse próximo ao novo rei no momento da coroação. CBASD, vol. 3, p. 287.

no sábado.  Tem sido sugerido que o sábado foi escolhido para a inauguração do novo regime. CBASD, vol. 2, p. 1013.

não despediu os turnos. As turmas de sacerdotes e levitas que completaram seu turno e normalmente seriam dispensadas foram retidas para aquela emergência, a fim de auxiliar os que começavam seu turno. CBASD, vol. 3, p. 287.

Precisou de força dobrada na hora crítica. Bíblia Shedd.

11 A coroa real representava a responsabilidade cívica perante a nação em geral, e o Livro do Testemunho (a Lei de Moisés) representava a responsabilidade religiosa do rei para se dedicar a Deus à Sua Palavra, defendendo-a e fazendo-a cumprir-se na vida nacional. Bíblia Shedd.

Viva o rei! (ARA; NKJV: “Longa vida ao rei!”). Uma expressão de reconhecimento e aclamação do novo rei. Andrews Study Bible,

15 a mataram. Atalia pensava que havia conseguido atingir seus objetivos.Após assumir o trono, matou todos os potenciais postulantes a ele (assim ela pensava). Mas mesmo os melhores planos para o mal desandam. Quando a verdade foi revelada,ela foi destituída do poder e morta imediatamente. É muito mais seguro viver de acordo com a verdade, mesmo que isto signifique não obter tudo o que se quer. Life Application Study Bible Kingsway NIV.

17 a casa de Baal…a derribaram. A tal ponto chegou a filha de Jezabel que, sob seu domínio, foi estabelecido um templo para Baal em Jerusalém ou nas proximidades. Obviamente o propósito era o de tomar o lugar do templo de Deus. Esse templo pagão foi totalmente destruído. CBASD, vol. 2, p. 1015.

a Matã, sacerdote de Baal, mataram. A Lei prescrevia a morte a todos os que promovessem a religião falsa e a apostasia (Dt 13.5-10). Bíblia Shedd.

18 entregou Joiada a superintendência da Casa do SENHOR nas mãos dos sacerdotes levitas. É dada aqui uma descrição da restauração dos serviços regulares do templo que foram negligenciados durante o reinado de Atalia (2Cr 24:7). CBASD, vol. 3, p. 287.

dos sacerdotes levitas. As versões antigas trazem: “dos sacerdotes e dos levitas”. Esta parece ser a construção correta, uma vez que era dever dos sacerdotes oferecer os holocaustos (Nm 18:1-7) e dos músicos levitas louvar ao Senhor com cânticos (1Cr 23:5; 25:1-7). CBASD, vol. 3, p. 288.

20 O alicerce seguro do poder de uma nação acha-se na vida piedosa dos líderes da mesma. A verdadeira coroação foi efetuada no templo, significando que a suprema Autoridade do estado teocrático é Deus, antes de o rei assumir seus deveres cívicos no palácio. Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: