Reavivados por Sua Palavra


ESTER 1 by jquimelli
13 de dezembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/RA/et/1

Apenas três anos após sua coroação, o rei persa desfila a riqueza de seu império diante do mundo. O final de sua extravagante exposição de seis meses é uma festa de uma semana para os nobres de Susã. O vinho flui livremente, e o rei, alimentado por álcool e arrogância, ordena que sete servos busquem a rainha, para que ele possa mostrar sua beleza ao enorme grupo de homens bêbados.

A rainha Vasti está organizando um banquete para as mulheres de Susã. O convite do rei a assusta. Ela entende as implicações perigosas de desfilar diante de uma sala cheia de homens bêbados e desordenados. Em sua sabedoria e modéstia, ela se recusa a obedecer à decisão imprudente e egoísta de seu marido bêbado, esperando que ele entenda sua escolha quando estiver sóbrio.

Vasti não é uma esposa rebelde. Seu exemplo corajoso nos lembra que Deus quer que estabeleçamos limites claros e seguros em nossos relacionamentos, especialmente quando a outra pessoa não é capaz de tomar boas decisões para si e para os outros.

Você precisa estabelecer um limite corajoso em um relacionamento ou refletir sobre o efeito doloroso de suas decisões e desejos sobre aqueles que ama?

Karen Holford
Diretora dos Ministérios da Família
Divisão Transeuropeia dos Adventistas do Sétimo Dia

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=673
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



ESTER 1 – COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
13 de dezembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



ESTER 1 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
13 de dezembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

ESTER 1 – Embora o livro trata Ester como heroína – e de fato ela foi – o livro é intrigante, cheio de aparentes mistérios:

“Como é bem conhecido, Ester e Cântico dos Cânticos [ou Cantares de Salomão] são os únicos dois livros no cânon que nunca mencionam Deus diretamente […]. Nas últimas décadas, a integração desse livro [Ester] ao cânon foi examinada com algum detalhe, em parte por causa de sua natureza aparentemente secular e em parte porque ele é a única obra incluída no AT que não foi atestada pelos manuscritos do mar Morto” (Paul R. House).

Além do que já foi dito acima, nada de Ester é citado no Novo Testamento.

Por não falar de Deus, por ser de natureza secular e, não ser bem visto assim na história teológica, o livro foi (e ainda é) questionado por muitos. Contudo, “a história de Ester desperta nos leitores a compreensão das oportunidades que a providência de Deus pode trazer para o mais fraco dos fracos” (Francis D. Nichol); pois Ester estava em um ambiente puramente secular, pagão e imoral.

Observe como começa o livro:
• 180 dias de festanças nada espirituais (vs. 1-4);
• Mais 7 dias de festa para o público (vs. 5-9);
• Uma recusa digna de nota da esposa do rei Assuero (vs. 10-12);
• Vasti, esposa do rei foi enxotada por não rebaixar-se moralmente (vs. 13-22).

Informação importante: “Os acontecimentos registrados no livro ocorreram entre o sexto e o sétimo capítulo de Esdras, durante o reinado de Assuero (Xerxes), rei da Pérsia” (William MacDonald).

Os judeus deveriam ter voltado para Jerusalém. A libertação do exílio era real; alguns tinham retornado como se vê nos livros de Esdras e Neemias. Mas, houve gente que preferiu criar raízes em terras estrangeiras. A família de Ester é um exemplo disso.

Bebedeiras, autoritarismo, machismo, imoralidade, perversidade, arrogância, orgulho, humilhação, desprezo, etc., – é com isso que abre o livro de Ester.

Vasti, a rainha deposta, é a única ênfase positiva num capítulo de déspotas: rei, conselheiros, etc. “Ela agiu em harmonia com uma consciência pura” – analisa Ellen G. White.

• Aplicação: Enquanto o secularismo despreza a mulher, a Bíblia mostra sua dignidade!

Busquemos reavivamento com dignidade, consciência pura, confiando em Deus! – Heber Toth Armí.



ESTER 1 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
13 de dezembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Bebiam sem constrangimento, como estava prescrito, pois o rei havia ordenado a todos os oficiais da sua casa que fizessem segundo a vontade de cada um” (v.8).

Anterior até mesmo ao período de Esdras, o relato de Ester se deu após o decreto de Ciro, autorizando os judeus a regressarem à sua terra. O rei Assuero, ou Xerxes I, era o líder político mundial da época e gostava de contar vantagem de seu poder, riqueza e domínio. No período de incríveis “cento e oitenta dias”, mostrou a todos “as riquezas da glória do seu reino e o esplendor da sua excelente grandeza” (v.4) e promoveu um grande banquete dando a liberdade de que “sem constrangimento” (v.8), cada um agisse por conta própria.

Após dias de embriaguez sem limites, Assuero decidiu encerrar as festividades com a joia de sua vaidade. O desfile da rainha Vasti, que a Bíblia descreve como “em extremo formosa” (v.11), seria a perfeita conclusão da exposição da prosperidade de seu reino. A recusa da rainha, contudo, causou-lhe o constrangimento que arruinou a sua alegre expectativa. Diante dos nobres e príncipes, sentiu-se desmoralizado e não permitiria que aquele ato ficasse sem punição. No que ouvindo o conselho de um de seus sábios, logo o anuiu. E devido à sua recusa pública, Vasti foi deposta de sua posição de rainha.

A atitude de Vasti foi considerada um mau exemplo a ser eliminado. Os sábios consideraram a afronta da rainha como a ameaça de uma revolução feminina. A sua influência e posição lhe concedia uma exposição de figura pública e muitas mulheres a viam como um modelo a ser seguido. O que deixa claro de que a preocupação de Memucã, portanto, fazia todo o sentido. Não estamos aqui considerando o motivo da desobediência de Vasti, pois ela teria até muitas razões para não aceitar aparecer diante de milhares de homens bêbados. Mas a necessidade de Assuero em expor o que tinha aliado à recusa da rainha, por pouco não se tornou em um problema de ordem pública.

Quando o homem dá lugar à dissolução e às obras da carne, “sem constrangimento” (v.8), o resultado não pode ser outro a não ser estado de embriaguez. Entorpecidos pelo pecado, muitos têm resumido suas vidas ao consumo de bens materiais e à exposição destes. Há uma necessidade quase que irresistível de revelar aos outros as coisas que perecem, e isso, à velocidade de um clique. Beleza, riquezas, luxúria e baixas diversões ganham exposição e destaque como amostras de uma prosperidade que, se pudessem ver o desfecho, se recolheriam em grande vergonha. E assim, o nosso mundo vai sendo moldado pelas aclamadas figuras públicas e seus exemplos que em nada edificam.

Qual tem sido a nossa escolha diante dessa realidade? Se os cristãos estudassem mais a vida de Cristo e contemplassem menos as redes sociais, certamente não haveria tanta incoerência no cristianismo. O teor do conselho de Memucã deveria ser o nosso norte frente à quantidade de “Assueros” e “Vastis” modernos. Não estaremos seguros a menos que nos recusemos a participar desse banquete atual de iniquidades. Se almejamos morar onde Cristo mora, precisamos viver como Ele viveu. Lembremos de que “o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” (1Jo.2:17).

Enquanto a maioria deseja conhecer e contemplar seus ídolos modernos, que o nosso desejo seja conhecer a Jesus para, muito em breve, O contemplarmos face a face. “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a Sua vinda é certa; e Ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra” (Os.6:3). Vigiemos e oremos!

Bom dia, imitadores de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ester1 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ESTER 1 – Comentários selecionados – em edição by jquimelli
13 de dezembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

724 palavras

1 A história de Ester começa em 483 a.C., 103 anos após Nabucodonosor ter levado os judeus ao cativeiro (2Rs 25), 54 anos após Zorobabel liderar o primeiro grupo de exilados de volta a Jerusalém (Ed 1,2) e 25 anos antes de Esdras liderar o segundo grupo a Jerusalém (Ed 7). Ester vivia no reino da Pérsia, o reino dominante no Oriente Médio após a queda de Babilônia em 5339 a.C. Os deviam estar entre aqueles exilados que preferiram não retornar a Jerusalém, apesar de Ciro, o rei persa, ter emitido um decreto permitindo que eles retornassem. Os exilados judeus tinham ampla liberdade na Pérsia e muitos lá ficaram porque haviam se estabelecido ou porque tinham medo da viagem de retorno a sua terra natal (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

Xerxes [Assuero], o Grande, foi o quinto rei da Pérsia (486-465 a.C.). Ele era orgulhoso e impulsivo, como podemos ver nos eventos no cap 1. Seu palácio de inverno era em Susã, onde ele ofereceu o banquete escrito em 1:3-7. Os reis persas geralmente davam grandes banquetes antes de irem à guerra. Em 481, Xerxes lançou um ataque contra a Grécia. Após uma grande vitória nas Termópilas, foi derrotado em Salamis em 480 e teve que retornar à Pérsia. Ester tornou-se rainha em 479 (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

4 A celebração durou 180 dias (cerca de 6 meses) porque seu real propósito era planejar a estratégia de batalha para invadir a Grécia e demonstrar que o rei tinha riqueza suficiente para levá-la a termo. Guerras de invasão não tinham apenas o propósito de sobrevivência; eram um meio de adquirir mais riqueza, território e poder (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

9 Antigos documentos gregos chamam a mulher de Xerxes de Amestris, provavelmente uma forma grega para Vasti. Vasti foi deposta em 484/483 a.C., mas ela é mencionada novamente em registros antigos como a rainha mãe durante o reinado de seu filho, Artaxerxes, que sucedeu Xerxes. Até o final do reinado de Xerxes, ou Ester morreu ou Vasti conseguiu, através de seu filho, recuperar a influência que havia perdido (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

10 Alguns conselheiros e oficiais do governo eram castrados para prevenir que tivessem filhos e, então, se rebelassem, tentando estabelecer sua própria dinastia. O oficial castrado era chamado de eunuco (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

10,11 Xerxes tomou uma decisão apressada, estando meio bêbado, baseado apenas em sentimentos. Seu domínio próprio e sabedoria prática estavam enfraquecidos por vinho em excesso. Más decisões são tomadas quando as pessoas não pensam claramente. Fundamente suas decisões em pensamento cuidadoso, não em emoções do momento. Decisões impulsivas levam a grandes complicações (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

12 A rainha Vasti se recusou a desfilar na festa de homens do rei, provavelmente porque era contra o costume persa que uma mulher aparecesse em uma reunião pública de homens. Este conflito entre costume persa e a ordem do rei colocou-a em uma situação difícil, e ela escolheu recusar seu meio bêbado esposo, esperando que ele readquirisse mais tarde o bom senso. Alguns sugerem que Vasti estivesse grávida de Artaxerxes, que nasceu em 483 a.C., e ela não queria ser vista em público naquele estado. Seja qual tenha sido a situação, sua ação foi uma quebra de protocolo que colocou Xerxes numa situação difícil. Uma vez que ele havia dado a ordem, não podia mais voltar atrás. Por estar se preparando para invadir a Grécia, Xerxes tinha convidado importantes oficiais de todas as partes para conhecer o seu poder, riqueza e autoridade. Se fosse percebido que ele não tinha autoridade sobre sua própria esposa, sua credibilidade militar – o grande critério de sucesso de um rei daquela época – estaria destruída. Além disso, o rei Xerxes estava acostumado a ter o que queria (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

16-21 Talvez o pensamento dos homens estivesse nublado pela bebida. Obviamente esta lei não faria que as mulheres do país respeitassem seus maridos. O respeito entre homens e mulheres nasce da consideração e apreço mútuos como criaturas de Deus e não por uma lei humana. Obediência forçada é um pobre substituto para o amor e respeito que esposas e maridos deveriam ter uns pelos outros (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

19 e não se revogue. Memucã não quer que uma decisão, feita pelo rei num momento de cólera, instigada pela festa, pela atitude da rainha e pelos conselhos dos sábios, venha, depois, a ser revogada, pois a rainha, uma vez restaurada, logo se vingaria (Bíblia Shedd).



EPÍLOGO AOS LIVROS DE ESDRAS E NEEMIAS by jquimelli
12 de dezembro de 2019, 19:02
Filed under: Sem categoria

Neemias foi, provavelmente, o último livro do Antigo Testamento a ser escrito. E daí surge a grande dúvida na mente da maioria dos leitores: “E todos os demais livros à frente, de Jó a Malaquias, quando foram escritos?”

O caso é que os livros da Bíblia não foram arranjados em ordem cronológica, e, sim, por temas. Assim temos primeiro:
1) Os livros de Moisés (o Pentateuco);
2) Os livros históricos;
3) Os livros sapienciais (Jó, Salmos, Provérbios, Lamentações);
4) Os Profetas Maiores (Isaías, Jeremias, Ezequiel – maiores pelo tamanho de seus escritos) e
5) Os Profetas Menores.

Desta forma, muitos dos salmos foram compostos aproximadamente época de Davi e muitas das advertências dos profetas foram emitidas durante a época do reino dividido de Israel e Judá (Norte e Sul).

E o que aconteceu, então, historicamente com Israel, depois que o último livro, Neemias, foi escrito?

“Com a influência de Esdras e Neemias, inspirados pelos profetas Ageu , Zacarias e Malaquias, a nova nação se transforma numa igreja mais do que num Estado: uma igreja que existia com a licença dos persas.

Quando Alexandre Magno, da Macedônia, morreu, depois de fundar seu império entre 331 e 323 a.C., parte deste foi dada ao General Seleuco, que fundara a dinastia dos [gregos] selêucidas, e outra parte, a do Egito, caiu nas mãos do general Ptolomeu, que também formou uma dinastia, a dos [gregos] ptolomeus.

Durante um século, Judá pertenceu, nominalmente ao Egito, embora houvesse sido objeto de várias disputas com a Síria [gregos selêucidas]. Em 198 a.C., os selêucidas tomaram posse da terra, e a tentativa de impor a cultura grega, segundo o antigo plano de Alexandre Magno, desencadeou a perseguição religiosa.

Em 140 a.C., os judeus ganharam a independência, até a época do domínio romano em 63 a.C.” (Bíblia Shedd).



RESUMO HISTÓRICO DO PERÍODO INTERTESTAMENTÁRIO by jquimelli
12 de dezembro de 2019, 17:50
Filed under: Sem categoria

No período, dito “de silêncio profético”, entre o Antigo e o Novo Testamentos (Esdras e Neemias aos Evangelhos) não foram nada silenciosos historicamente, aconteceram muitas coisas que formam o pano de fundo para o nascimento e o ministério de Jesus. Por mais 200 anos, aproximadamente, os judeus gozaram de liberdade religiosa sob o governo persa, até o domínio helenista (de influência grega), iniciado por Alexandre. Mas os tempos se tornaram bem mais agitados a partir de então, conforme o conhecimento profético que o Senhor já havia concedido a Daniel.

Vale destacar que os livros relacionados após Esdras e Neemias se referem a livros poéticos e proféticos escritos antes deles (a época do livro de Ester é referenciada em Esdras 4:6). Eles são colocados no final do AT por conta da organização temática deste (e não estritamente cronológica).

 

Fonte: Bíblia de Estudo NVI Vida.




%d blogueiros gostam disto: