Reavivados por Sua Palavra


I REIS 17 by jquimelli
16 de agosto de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/1rs/17

Este capítulo é o favorito das crianças, mas também um alerta para todos. As crianças são fascinadas pelos milagres que acontecem dentro da história: o súbito desaparecimento de Elias (PR 121), Deus enviando os corvos para o ribeiro de Querite, a provisão interminável de comida em Sarepta e o menino que ressuscitou dos mortos.

Sim, Deus cuida daqueles que O amam (Lam 3:25). Mas Deus também deseja trazer de volta e cuidar daqueles que se desviaram (Ez 33:11). Este é o único propósito do esboço proclamado por Elias neste capítulo. Deus precisa chamar a atenção dos israelitas idólatras antes que Ele possa chamá-los para casa. E isso funciona! Veremos no próximo capítulo que Deus consegue toda a atenção deles!

E você? Para onde sua vida está indo? Você também se desviou em certas áreas de sua vida? E o mais importante, o seu relacionamento com Jesus é vivo e vibrante? Se não, então você está em grande necessidade de um reavivamento espiritual e reforma em sua vida. Que esta história se torne o seu próprio chamado de despertamento pessoal! Hoje, “Manso e Suave Jesus está chamando!”

Denis Lachmann
Paramédico
Lago Constança, Alemanha

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=554
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



I REIS 17 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
16 de agosto de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



I REIS 17 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
16 de agosto de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

De repente ele aparece. Do nada entra no palácio do pomposo rei. Da terra de ninguém, desconhecido, com vestes simples, sem saudar ou dar honras, olha firmemente ao rei e emite retumbantes palavras:

“Assim como vive o Eterno, o Deus de Israel, a quem sirvo, nos próximos anos haverá uma severa seca no país. Não cairá uma gota de orvalho ou uma gota de chuva enquanto eu não ordenar”.

– “Tá doido! Quem é esse maluco?” – Muitos da corte devem ter questionado ao olharem para Elias já de saída, com postura anunciando que sua missão estava cumprida, a sentença dada, e, agora é só ver pra crer…

Neste ano li dois livros extraídos da biografia de Elias:
• Elias: Um modelo de coragem e fé, do professor de teologia Gene Getz, com 216 páginas.
• Elias: Um homem de heroísmo e humildade, de Charles R. Swindoll, pastor e presidente do Seminário Teológico de Dallas, com 201 páginas.

Muitos livros foram escritos sobre esse homem que impactou o reino de Acabe e da rainha Jezabel. Muitas coisas poderiam ser ditas sobre o capítulo em questão; contudo, destacaremos apenas alguns pontos:
• O Deus vivo e verdadeiro é soberano sobre todos os homens, sobre todos os deuses e sobre todas as hostes demoníacas que intentam solapar Seu povo.
• O Deus da Bíblia é o Criador do Céu e da Terra, portanto, Ele pode controlar os fenômenos da natureza tão facilmente como criou as inúmeras leis naturais.
• O Deus de Elias faz parar a chuva quando quer (v. 1), sustenta Seus servos como quiser em épocas de crises (vs. 2-7), multiplica azeite e farinha inexplicavelmente até para pessoas pagãs, idólatras (vs. 8-16) e ainda ressuscita mortos em territórios totalmente pagãos (vs. 17-24).
• A razão de Deus racionar a chuva e agir bondosa e miraculosamente com a viúva de Sarepta é atrair tanto Seu povo como pagãos à verdadeira adoração a Ele, o único Deus verdadeiro.
• Acabe de Israel e Jezabel da Fenícia instituíram cultos a Baal entre o povo de Deus, erradicando assim o testemunho do verdadeiro Deus às nações; Deus, então, entra em cena e revela Sua existência e caráter.
• Deus entra para vencer!

Deus quer impactar o mundo e quer usar-nos como fez com Elias! Permitiremos? – Heber Toth Armí.



1REIS 17 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
16 de agosto de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria | Tags: , , , , , , ,

“Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou, segundo a palavra do Senhor, por intermédio de Elias” (v.16).

Em tempos de uma grave crise espiritual, o Senhor suscitou um grande profeta. Com a autoridade dada pelo Céu, Elias proferiu ao rei Acabe o juízo que sobreviria à nação. E durante três anos e meio, Israel foi afligida por uma terrível seca. Contudo, Deus poupara Seu servo de sofrer os revezes de um reino idólatra. Foi no deserto que Elias provou da bondade e do cuidado de Deus de forma mais concreta, bebendo a água do ribeiro e comendo o alimento que os corvos lhe levavam.

Dia após dia aquele homem de Deus meditava no silêncio de seu refúgio e buscava aproximar-se cada vez mais do Senhor perante cuja face estava. Não sabemos quanto tempo ao certo durou aquele acampamento de um homem só. “Mas, passados dias, a torrente secou” (v.7). Não era, porém, o momento de voltar para casa, e sim de avançar para um novo destino. Sobre a viúva de Sarepta, Jesus declarou: “Na verdade vos digo que muitas viúvas havia em Israel no tempo de Elias… e a nenhuma delas foi Elias enviado, senão a uma viúva de Sarepta de Sidom” (Lc.4:25-26).

Todos os dias, aquela viúva estrangeira contemplava um milagre em sua cozinha. Sua confiança e submissão à vontade de Deus ilustram o que tem ocorrido no tempo do fim, quando o Senhor mesmo tem procurado as Suas ovelhas e as têm buscado (Ez.34:11). Mas uma coisa ainda lhe faltava e era preciso muito mais do que abundância de alimento para convencê-la disso. Foi diante da morte de seu filho que sua verdadeira necessidade foi exposta: “Vieste a mim para trazeres à memória a minha iniquidade…?” (v.18).

Presa a um passado escuro, aquela viúva vivia atormentada pelo peso da culpa. Ela entendeu o infortúnio de seu filho como sendo o castigo pelos seus erros passados. Não havia farinha ou azeite que pudesse satisfazer a sua necessidade de sentir-se perdoada. Ao ver a rubra face do menino que outrora padecia gélido sobre o seu leito, seu coração foi preenchido com a paz que só o Senhor pode dar, reconhecendo ser Elias um homem de Deus e atalaia da verdade.

Jesus declarou: “De fato, Elias virá e restaurará todas as coisas” (Mt.17:11). Como João Batista foi um tipo de Elias do Novo Testamento, Deus suscitou um povo no espírito e poder de Elias para esta última geração. Com fome e sede de ouvir as palavras da vida eterna, muitos têm aceitado o convite da graça, mas nem todos compreendem a sua dimensão, até que lhes seja de fato provada como algo pessoal e intransferível. Eis o maior milagre que pode nos acontecer, amados, o de ouvirmos a nosso respeito: “Nisto conheço agora que tu és homem (és mulher) de Deus e que a palavra do Senhor na tua boca é verdade” (v.24). Avante, Elias modernos! Vigiemos e oremos!

Bom dia, homens e mulheres de Deus!

Rosana Garcia Barros

PrimeiroDeus #1Reis17 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



I REIS 17 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
16 de agosto de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



I REIS 18 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
16 de agosto de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria



I Reis 17 – Comentários selecionados by jquimelli
16 de agosto de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1446 palavras

1 Elias, o tesbita. O nome de Elias (que significa “o SENHOR é meu Deus”) era a essência da sua mensagem (18.21, 39). Bíblia de Estudo NVI Vida.

O nome de Elias quer dizer “Jeová é Deus”. … É por causa da atuação daquele grande profeta e das mensagens que trazia que a Bíblia nos relata mais detalhadamente sobre o rei Acabe do que qualquer outro rei de Israel. Bíblia Shedd.

nem orvalho nem chuva haverá. A seca foi não somente um juízo divino contra uma nação que se voltara à idolatria, mas também uma demonstração de que, embora Baal fosse considerado o deus da fertilidade e o senhor das nuvens de chuva, não tinha a mínima capacidade de outorgar chuva (v. Lv 26.3, 4; Os 2.5, 8). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Baal era cultuado como a fonte de vida e bênção, como o grande deus da tempestade, que dava o orvalho à terra e a fazia produzir. Agora, Israel aprenderia que Baal não era o doador dessas bênçãos. CBASD, vol. 2, p. 894.

A história de Elias começa de forma dramática e súbita. Não há introdução, nada referente ao chamado do profeta, nem às suas experiências anteriores. Seu nome é mencionado como um dos habitantes de Gileade, e, em seguida, ele está perante o rei transmitindo a solene mensagem de juízo vindouro. Na solidão das montanhas de Gileade, Elias ficou profundamente comovido ao pensar na crescente apostasia que inundava o país. Aflito e indignado, orou com fervor para que algo acontecesse que detivesse a maré do mal – que, se necessário, os juízos viessem para fazer com que o povo se despertasse e visse a tolice de se crer em Baal. Sua oração foi ouvida, e o próprio Elias enviado ao rei com a surpreendente mensagem de juízo (ver PR, 119, 120). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 894.

Tão certo como vive o SENHOR. A mensagem de Elias a Acabe foi entregue na forma de um juramento. Como tal, era Deus quem garantia a veracidade das palavras do profeta. O juramento era a maneira mais solene de comprometimento entre duas partes – nesse caso, sancionado por Deus e pronunciado com um desafio a Baal, representado por Acabe. Bíblia de Estudo Arqueológica NVI Vida.

3 Retira-te daqui. Não havia tempo a perder. Antes que o rei pudesse voltar a si e apanhar o profeta para matá-lo, ele partiu. CBASD, vol. 2, p. 894.

4 ordenei aos corvos que … te sustentem. Embora Elias estivesse no deserto, o Senhor podia prover para ele da mesma forma como fizera em favor da nação de Israel, séculos antes, durante o êxodo do Egito (Êx 16.4-36). Ironicamente, Israel estava na Terra Prometida, mas se esquecera de Quem a sustentava. Bíblia de Genebra.

O fato de Elias ser sustentado de modo milagroso sem habitar no meio do povo demonstrava que a palavra de Deus não dependia do povo, mas que o povo dependia da palavra de Deus. Bíblia de Estudo NVI Vida.

9 ordenei a uma mulher. Deus tem o controle do universo em Suas mãos, mas para ensinar a beneficência e solidariedade à raça humana prefere instrumentos humanos; por isso mesmo, colocou a mensagem do evangelho nas mãos dos fracos pregadores humanos para anunciar todas as coisas sobre a obra de Jesus Cristo, o que até anjos anelam perscrutar (1Pe 1.10-12). Bíblia Shedd.

Em uma nação em que era obrigatório por lei que se cuidasse de seus profetas, é irônico que Deus utilizasse corvos (aves impuras) e uma viúva (uma estrangeira do território natal de Jezabel [portanto, uma “impura”]) para cuidar de Elias. Deus envia Seu auxílio de onde menos esperamos. ele providencia ajuda para nós a partir de meios que vão além de nossas definições e expectativas. Não interessa quão amargas nossas dificuldades ou o quanto nossa situação pareça sem esperança, devemos buscar o toque de cuidado de Deus. Podemos encontrar Sua providência nos lugares mais estranhos! Life Applications Study Bible Kingsway.

Sarepta é uma pequena vila conhecida hoje como Tsarafand. CBASD, vol. 2, p. 894.

viúva. “Viúva” é praticamente sinônimo de “pobre”, porquanto, no antigo Oriente Próximo, as viúvas viviam quase desprotegidas pela lei e eram facilmente exploradas (Dt 14.29; 16.11; 24.20; 26.12; Sl 94.6; Is 47.8-9). Bíblia de Genebra.

10 apanhando lenha. É uma das cenas mais comuns no Oriente, onde o combustível é escasso. Mulheres e crianças apanham gravetos ou pasto seco para acender fogo. CBASD, vol. 2, p. 894.

12 tão certo como vive o SENHOR, teu Deus. Essa é uma fórmula de juramento (1.17) feito em nome do Deus de Elias. Bíblia de Genebra.

13-16 Quando a viúva de Sarepta encontrou-se com Elias, ela pensou que iria preparar sua última refeição. Mas um simples ato de fé produziu um milagre. Ela confiou em Elias e deu a ele tudo o que tinha para comer. A fé é o passo entre a promessa e a posse. Milagres parecem muito longe de nossa débil fé. Mas cada milagre, pequeno ou grande, começa com um ato de obediência. Podemos não ver a solução até que demos o primeiro passo de fé. Life Applications Study Bible Kingsway.

13 primeiro faze dele para mim. O pedido era uma prova de fé. CBASD, vol. 2, p. 894.

17 Mesmo quando Deus executa um milagre em nossas vidas ainda podemos enfrentar problemas. … Precisamos depender de Deus em cada nova dificuldade que enfrentamos. Life Applications Study Bible Kingsway.

18 homem de Deus. Num momento em que Israel estava se desviando de Deus para adorar a Baal, uma mulher do país de Baal demonstrava sua fé no Deus de Israel. Sementes lançadas nos lugares mais improváveis podem brotar e produzir sua colheita de graça. CBASD, vol. 2, p. 895.

à memória. As palavras expressam a irracionalidade do coração dolorido. A visita de Elias trouxe vida à viúva, não morte; alegria, não tristeza. Na sua aflição, ela associou seu problema com o profeta e com Deus, e sentiu que estava sendo castigada por causa de algum pecado. A presença do profeta havia despertado nela uma compreensão mais nítida do pecado, e ela considerou seu pesar como punição divina. CBASD, vol. 2, p. 895.

19-24 A oração de Elias não foi pela restauração ou reunificação da “alma” do menino ao seu corpo (a palavra hebraica nephesh indica o fôlego de vida que tanto os animais quanto as pessoas possuem; e.g., Gn 1.20, 21, 24). A vida foi devolvida à criança, demonstrando àquela mãe estrangeira que Elias era verdadeiramente um homem de Deus e que a palavra de Deus operava por meio dele. Bíblia de Estudo Arqueológica NVI Vida.

21 alma. Do heb. nefesh. Esta palavra aparece mais de 700 vezes no AT e é traduzida de diferentes formas,. … De todas [essas] traduções, “vida” seria provavelmente a mais adequada no texto em questão. A tradução “alma” é equivocada e transmite a ideia de uma entidade imortal, capaz de existência consciente separada do corpo. Essa ideia não reside na palavra nefesh. De todas as mais de 700 ocorrências da palavra, nenhuma expressa essa noção, nem mesmo a pressupõe. Nenhuma vez nefesh é tida como algo que é imortal. … Para mais detalhes sobre essa questão, ver. com. [CBASD] de Gn 35:18. CBASD, vol. 2, p. 895.

21 estendendo-se. Isto não significa que o profeta estava recorrendo a algum meio natural para ressuscitar os mortos. Apenas Deus, o doador da vida, pode restaurar a vida. Elias orou a Deus com fervor para que Ele trouxesse a criança de volta à vida. CBASD, vol. 2, p. 895.

22 reviveu. A primeira ocasião de uma ressurreição dentre os mortos registrada nas Escrituras. Essa viúva não-israelita recebeu a suprema bênção segundo a aliança: a dádiva da vida resgatada do poder da morte. Essa bênção veio na pessoa de seu filho, a única esperança para uma viúva na sociedade antiga (v. 2Rs 4.14; Rt 1.1, 12; 4.15-17; Lc 7.12). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Por meio da oração feita com fé, “mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos” (Hb 11:35). CBASD, vol. 2, p. 895. [Citação em Hebreus 11:35 de 1Rs 17.]

Eis algo que Baal jamais poderia fazer. Quando souberam que o filho da viúva havia sido ressuscitado pelo poder de Deus, a popularidade de Baal foi abalada. CBASD, vol. 2, p. 896.

24 Nisto conheço. As promessas do Senhor são sempre certas. Todo filho de Deus deve guardar firme a profissão de sua fé sem vacilar, “pois quem fez a promessa é fiel” (Hb 20.23). Muito embora o Senhor possa não realizar milagres como o que realizou no caso da viúva fenícia, há milhares de maneiras pelas quais cada filho dEle pode concluir que Sua Palavra é fidedigna. Deus é tão bom, tão poderoso e está tão próximo de Seus filhos hoje como esteve da viúva de Sarepta, e interessado em satisfazer cada necessidade (ver Mt 6:25-34). CBASD, vol. 2, p. 896.

a palavra do SENHOR na tua boca é verdade. Deus usou essa experiência para convencer a viúva fenícia de que sua palavra era completamente fidedigna. Ela fez uma confissão que o próprio povo do Senhor em Israel deixara de fazer. Bíblia de Estudo NVI Vida.




%d blogueiros gostam disto: