Reavivados por Sua Palavra


I REIS 9 by jquimelli
8 de agosto de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/1rs/9

Deus apareceu uma segunda vez a Salomão. Que privilégio para um ser humano ter uma conversa aberta com o Todo-Poderoso! Esta foi a aprovação e apreciação do Senhor por aquilo que Salomão havia feito. Deus ouviu a linda oração de Salomão! Ele ficou se agradou com o templo e prometeu estar ali para sempre!

Hirão, rei de Tiro forneceu a maior parte dos materiais para a construção do templo e em gratidão Salomão lhe deu grandes quantidades de produtos da colheita de Israel e lhe ofereceu 20 pequenas cidades na fronteira de Israel. Salomão foi um excelente organizador e planejador e realizou o que deveria ter feito.

Este capítulo nos revela que, na primeira fase do seu reinado, apesar de todas as riquezas e bens materiais que Salomão acumulou, ele nunca se esqueceu de adorar ao Senhor. Ele se entregou a Deus, era agradecido, e continuou a orar por si mesmo e pelo povo. E Deus o ouviu!

Leo Ranzolin
Vice-presidente aposentado da Associação Geral

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=546
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



I REIS 9 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
8 de agosto de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



I REIS 9 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
8 de agosto de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Parafraseando Mark Twain que disse que “O homem que não lê não tem nenhuma vantagem sobre o homem que não sabe ler”, digo, “O cristão que não lê a Bíblia não tem nenhuma vantagem sobre o ateu que não a lê”.

John Piper declarou que “Deus não quer e não aceitará de nós uma religião que consiste em desejos fracos, insípidos e sem vida, que mal conseguem nos afastar da indiferença. Em Sua Palavra, Ele insiste que devemos ser fervorosos de espírito e participar ativamente, de coração, na religião”.

O capítulo demonstra que…

• Da mesma forma graciosa que Deus agiu com Caim diante do que ele poderia fazer se não cuidasse, incentivou Salomão a permanecer firme e ativo espiritualmente para seu próprio bem (vs. 1-9);

• Transações comerciais nos versos 10-21 e 26-28 revelam a riqueza que Salomão conquistou conforme Deus havia-lhe prometido na primeira vez que manifestou-Se em sonho (I Reis 3:4-15). Além disso, “o enriquecimento de Salomão é uma demonstração complementar do cumprimento da promessa de Deus a Davi”, relembra Kenneth A. Mathews.

• As alianças com pagãos como Hirão e com o Egito, de onde obtivera sua mulher, foi o início do declínio do grande sábio, assim como um dia começou o declínio de Sansão, o homem mais forte do mundo (vs. 10-24).

• A predição do profeta Samuel quanto à exigência de um rei faria que este exigisse trabalho forçado e recursos deles (I Samuel 8:11-12, 16). Embora Salomão não escravizasse nenhum conterrâneo, o povo de Deus trabalhava para ele e pagava-lhe pesados impostos (vs. 15, 22-23, 27).

• Salomão ainda preservava suas práticas religiosas apesar de seus intensos compromissos político e econômico do reino, o qual desenvolvia como nunca (v. 25).

“Inteireza de coração” é essencial para combater a superficialidade espiritual; e, “sinceridade” é fundamental para combater a hipocrisia. Sem inteireza de coração e sinceridade perante Deus é impossível viver conforme Seu elevado, nobre e promissor plano para nossa vida.

Deus quer adoradores genuínos, íntegros e fieis mais do que quer uma estrutura para adoração (vs. 6-8). Deus quer compromisso sério e duradouro. Ele quer relacionamento íntimo e contínuo. Não adianta ir à Casa de Deus sem antes tê-lO habitando nosso coração.

Avancemos da mediocridade espiritual para a profundidade espiritual! – Heber Toth Armí.



1REIS 9 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
8 de agosto de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“E o Senhor lhe disse: Ouvi a tua oração e a tua súplica que fizeste perante Mim; santifiquei a casa que edificaste, a fim de pôr ali o Meu nome para sempre; os Meus olhos e o Meu coração estarão ali todos os dias” (v.3).

Em Gibeão, o Senhor falou com Salomão em sonho e o abençoou com sabedoria e inteligência. Provavelmente, Deus tenha aparecido segunda vez a Salomão também em sonho, desta vez para responder à sua oração, confirmar com ele a aliança estabelecida com seu pai Davi, e deixar-lhe uma advertência acerca das terríveis consequências em caso de desobediência e idolatria. A sucessão do trono e a segurança da nação dependiam de um governo estabelecido sobre o firme fundamento do “Assim diz O Senhor”.

Os demais negócios de Salomão consistiam em acordos comerciais e políticos a nível internacional, e na organização da nação e de seus subordinados. Três vezes por ano oferecia sacrifícios e queimava incenso “sobre o altar perante o Senhor” (v.25), e sempre buscava formas diversas de enriquecer cada vez mais o seu reino. Contudo, o seu modo de vida começava a dar os primeiros passos para que fosse perdendo o seu prestígio na parte Norte de Israel, quando pagou o rei de Tiro com vinte de suas cidades.

Há um perigo que pode se tornar fatal por trás da fama e da riqueza. Mesmo cheio de sabedoria e de inteligência, Salomão abriu brechas em seu coração que foram minando todo o conhecimento com baixas paixões. Com as alianças internacionais através de casamentos em jugo desigual, surgiu a idolatria, e com o acúmulo de riquezas e paz nacional, o comodismo. E esses dois vilões quase significaram a morte eterna do homem mais sábio da terra.

Às vezes não se precisa ter muito dinheiro ou uma vida devassa para cair nos mesmos pecados. Basta ter os olhos e o coração nestas coisas para tornar a vida em densas trevas. Deus espera que Seus filhos andem diante dEle “com integridade de coração e com sinceridade” (v.4). Assim como Ele santificou o templo e pôs ali o Seu nome, “esta é a vontade de Deus: a vossa santificação” (1Ts.4:3). Como templos do Espírito Santo, somos chamados a olhar para onde Jesus está hoje, como nosso Sumo Sacerdote, purificando o Santíssimo dos nossos pecados para que possamos viver a ordem divina: “Sede santos, porque Eu sou santo” (1Pe.1:16).

Jesus não vem buscar um povo perfeccionista. Mas ele vem sim buscar um povo santo. Homens e mulheres, jovens e crianças que têm buscado fazer tudo o que o Senhor nos mandou, “os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap.12:17). Que reconhecendo a sua condição de pecador e carente da glória de Deus, permite que o Espírito Santo faça a Sua obra diária até que seja completada no Dia de Cristo Jesus.

Não tem a ver apenas com aparência, amados. Tem a ver com essência. Porque a aparência de santidade precisa gritar para aparecer, mas a essência exala naturalmente “o bom perfume de Cristo” (2Co.2:15). Jesus disse: “Todo aquele que vem a Mim, e ouve as Minhas palavras, e as pratica, Eu vos mostrarei a quem é semelhante” (Lc.6:47). Simples assim! E até que Cristo volte e nos livre deste corpo mortal e corrupto: Vigiemos e oremos!

Bom dia, bom perfume de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Reis9 #RPSP



I Reis 9 – Comentários selecionados by jquimelli
8 de agosto de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

729 palavras

Este capítulo relata o segundo aparecimento de Deus a Salomão e as extraordinárias bênçãos que o rei recebeu por causa das promessas feitas a seu pai Davi. Andrews Study Bible.

santifiquei. Só Deus santifica. Sua presença torna tudo santo. O templo era santo porque Deus estava ali…. O sagrado é perceptível apenas espiritualmente. Pessoas de coração duro podem não perceber a diferença entre o sagrado e o profano. O santo sábado, a Palavra de Deus e a casa de adoração podem não lhes parecer diferentes das coisas comuns. O Céu pode estar bem próximo, mas não o podem perceber. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 849.

esta casa… lançarei longe da Minha presença. O templo em si não era inviolável. Sua permanência dependia da fidelidade de Israel a Deus. Andrews Study Bible.

10 Ao fim de vinte anos… Este versículo nos leva para o fim da primeira metade do reino de Salomão. Seguem-se algumas passagens para mostrar a grandeza que ele galgara naquele abençoado período, relatando, a seguir, como vivera nos vinte anos restantes em que, abusando de sua própria sabedoria, do seu poder e das suas riquezas, transformou-se em um déspota oriental (capítulos 10 a 12). Bíblia Shedd.

11 este lhe deu. Segundo o código mosaico, Salomão não tinha direito de dar essas cidades (Lv 25:223). São assim, porém, as necessidades criadas pela política secular: não raro as disposições da lei [infelizmente] são postas de lado. CBASD, vol. 2, p. 849.

13 irmão. A palavra [em hebraico] designa um sócio igualitário em um acordo/tratado. Andrews Study Bible.

Cabul assemelha-se à palavra hebraica que significa inútil. Nota textual NVI.

11-14 Estaria Salomão sendo injusto com Hirão? Não está claro, nestes versos, se Salomão deu estas cidades para Hirão, ou se foram entregues temporariamente como garantia até que pudesse pagar a Hirão pelo ouro que emprestara. De acordo com 2Cr 8:1, 2, as cidades foram devolvidas a Salomão. Em qualquer caso, Hirão teria preferido um pedaço de terra na costa para negociação (o nome que ele deu a estas cidades, Cabul, soam parecido com a palavra hebraica para “bom-para-nada”). Ao final, Hirão foi recebeu de volta muito mais como pagamento por esta parceria de negócios com Salomão (2Cr 9:10, 21). Tendo em vista que a Fenícia tinha relações amigáveis com Israel e dele dependia para grãos e azeite, o relacionamento de Hirão com Salomão era mais importante do que a dominação feudal sobre algumas cidades. Life Application Study Bible Kingsway.

14 cento e vinte talentos de ouro (ARA; NVI: “quatro mil e duzentos quilos de ouro”).

15 Milo. Ou aterro; também no v. 24. Nota textual NVI.

Conforme a cidade de Jerusalém foi se expandindo para o norte, ao longo da cadeia de Ofel, tornou-se necessário fazer obras de terraplanagem para servir de fortificação para a cidade. “Milo” (lit. “enchimento”) aparentemente foi uma estrutura dessas, construída a leste do palácio para preencher uma depressão (cf. v. 24; 11.27; 2Rs 12.20; 2Cr 32.5). Bíblia de Genebra.

16 Casamentos entre famílias reais eram comuns, mas isto não era endossado [aprovado] por Deus (Dt 17:17). Life Application Study Bible Kingsway.

19 desejou enfim edificar. No orgulho de sua ambição e prosperidade, Salomão se envolveu em vários projetos de construção. Uma descrição de alguns de seus ambiciosos planos está em Eclesiastes 2:4 a 10, que incluíam casas, vinhas, jardins, açudes: “tudo quanto desejaram os meus olhos”. Ansioso para superar as realizações gloriosas de todas as nações que o rodeavam, o ambicioso Salomão ocupou-se em projetos contrários aos propósitos divinos e aos interesses do estado. Os pesados fardos postos sobre o povo logo se tornaram intoleráveis e causaram descontentamento, amargura e, finalmente, revolta.  CBASD, vol. 2, p. 849.

27 marinheiros. Naquela época, os israelitas dependiam da civilização de Tiro para tudo aquilo que não era comércio ou agricultura. Depois de séculos de escravidão no Egito, quarenta anos no deserto e mais quatro séculos de vida insegura, na época dos juízes, a “civilização” os despertara, e, gradativamente, foram assimilando o paganismo dos vizinhos mais “adiantados”. Salomão se entregara, então, à idolatria (11.1-8), e, 60 anos após a morte de Salomão, a rainha Jezabel, vinda de Tiro,  quase extirpou os adoradores de Deus (16.31; 19.14). Bíblia de Genebra.

28 Ofir. A localização de Ofir é debatida (Jó 28.16; Sl 45.9; Is 13.12). As sugestões incluem a parte ocidental da Arábia, o cone da África e a Índia. Bíblia de Genebra.

Mas as viagens de três anos dos navios mercantis de Salomão (10.22) levam a crer que se tratava de uma localidade mais distante que o litoral da Arábia. Bíblia de Estudo NVI Vida.



I REIS 9 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
8 de agosto de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: