Reavivados por Sua Palavra


2 REIS 10 by jquimelli
31 de agosto de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/2rs/10

A reforma de Jeú resultou em punição para o pecado de Acabe e eliminação dos servos de Baal. Como eu gostaria que sua reforma tivesse durado e o povo de Israel se voltasse para seguir a Deus! Infelizmente Jeú, “no entanto, não se afastou dos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, que levou Israel a cometer o pecado de adorar os bezerros de ouro em Betel e Dã” (v. 29). O resultado do esforço de Jeú foi perdido e, mais uma vez, as pessoas se voltaram para a adoração de ídolos.

Por que é tão difícil permanecer no caminho certo? Paulo diz: “Miserável homem que eu sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte? Graças a Deus, por Jesus Cristo, nosso Senhor!” (Rm 7:24-25 NVI). Nós somos fracos e sujeitos à tentação, e se alguém pensa que é inteligente o suficiente para resistir ao ataque das trevas, está absolutamente errado.

A boa notícia é que não temos de enfrentar Satanás sozinho. AquEle que é muito maior do que o diabo está do nosso lado. Mas temos que escolher ficar com Ele.

Daniel Jiao
União Missão Chinesa
Hong Kong

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=569
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



2 REIS 10 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
31 de agosto de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



2 REIS 10 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
31 de agosto de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Infelizmente “há muitos que se alimentam levemente da Bíblia Sagrada, mordiscando aqui e ali aleatoriamente com um interesse apenas passageiro pelas palavras de uma página. Poucos são aqueles que bebem de forma profunda e consistente dos rios de água viva” (Charles R. Swindoll).

Neste mundo de horrores, trevas espirituais e morais, violência e corrupção extremas precisamos mergulhar de cabeça no livro de Deus deixado à humanidade. Referindo-se a Jeú como “um dos homens mais sanguinários da Bíblia”, Harold L. Willmington oferece-nos os seguintes detalhes do capítulo em estudo:

1. Jeú mata a família de Acabe:
· O desafio feito por Jeú aos habitantes de Samaria de que atacaria a qualquer filho de Acabe que se declarasse rei (vs. 1-3);
· A decapitação promovida pelo povo se dispõe a ajudar Jeú, o qual lhes instrui o que fazer (vs. 4-8)
· A destruição dos demais remanescentes e chegados da família de Acabe (vs. 9-11, 15-17).

2. Jeú mata a família de Acazias, sem deixar sequer um para contar a história (vs. 12-14).

3. Jeú mata os sacerdotes de Baal:
· A fraude: Jeú finge querer adorar Baal e reúne todos os sacerdotes no próprio templo deles (vs. 18-24)
· A destruição: Jeú ordena que todos os sacerdotes sejam mortos e destrói o templo de Baal (vs. 18-28).

O objetivo do rei Jeú era eliminar idólatras e promotores da idolatria. Quando a perversão religiosa ganha proporção grandiosa somente uma reação na mesma proporção resolve. O caminho da reforma espiritual é doloroso, por isso muitos o evitam.

Contudo, nem todo líder que mergulha num projeto radical de reforma espiritual age corretamente. “Jeú orgulhava-se de seu ‘zelo para com o Senhor’ (10:16), mas esse ‘zelo’ era uma fachada piedosa para esconder o egotismo e o ódio que, na realidade, motivavam seu serviço. Deus incumbiu Jeú de um trabalho importante, mas Jeú extrapolou essa incumbência e foi longe demais” (Warren Wiersbe).

· É preciso ficar atento à forma que é administrada a reforma espiritual, pode ser que haja ambição ou legalismo por trás das boas intenções.
· É preciso ser humilde e submisso a Deus para operar qualquer reforma em Seu nome.
· O equilíbrio é um desafio para todo líder verdadeiramente espiritual.
· O segredo? Submissão total a Deus!

Peçamos discernimento a Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



2REIS 10 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
31 de agosto de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“… Examinai e vede bem não esteja aqui entre vós algum dos servos do Senhor, mas somente os adoradores de Baal” (v.23).

O extermínio da casa de Acabe teve o seu cumprimento pelas mãos de Jeú. Usando de astúcia, tramou a morte dos setenta filhos de Acabe e dos adoradores de Baal. Ao ajuntar estes últimos “na casa de Baal” (v.21), vimos que Jeú examinou bem o lugar e certificou-se de que entre eles não houvesse “algum dos servos do Senhor” (v.23). Seus homens já estavam a postos para ferir os servidores do deus pagão. A ordem foi clara: “Entrai, feri-os, que nenhum escape” (v.25).

O cuidado que Jeú teve nesse episódio, Deus tem para com os Seus filhos. Eis o clamor divino que rapidamente se avoluma: “Retirai-vos dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos” (Ap.18:4).

Mas retirai-vos de onde? Da “grande Babilônia…morada de demônios” (Ap.18:2). Interessante é que o que Jeú teve o cuidado de não acontecer aos outros, não evitou que ocorresse com ele mesmo. Ele “exterminou de Israel a Baal” (v.28), contudo, “não teve cuidado de andar de todo o seu coração na lei do Senhor” (v.31). O coração de Jeú estava dividido. Ele dizia amar a Deus, mas a lei de Deus não estava em seu coração. Jesus disse: “Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos” (Jo.14:15). Amar a Deus consiste em obediência e fidelidade. Ele não nos criou para guardarmos a Sua Lei. Ele criou a Lei para ser uma bênção para nós. Ela não salva, mas aponta para a nossa necessidade de um Salvador.

Os salvos possuem duas características básicas: “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap.14:12). No Salmo 1, o salmista faz uma diferença entre os justos e os ímpios. Ele enfatiza no primeiro versículo de que os justos não compartilham das ações dos ímpios, e no versículo seguinte diz que o prazer do justo “está na lei do Senhor, e na Sua lei medita de dia e de noite” (Sl.1:2). Meus amados, eu poderia citar inúmeros outros textos a respeito da lei de Deus e o desejo do Senhor de que sejamos fiéis à Sua Palavra para a nossa própria felicidade, mas já temos visto isso desde o livro de Gênesis.

Quando Deus criou Suas leis, foi com o único e exclusivo objetivo de nos fazer felizes. Por isso que o Salmo inaugural diz: “Bem-aventurados”. Um pregador certa vez falou: “Na verdade, nós não guardamos os dez mandamentos, os dez mandamentos que nos guardam”. Porque quem segue o caminho traçado pelo Criador é verdadeiramente feliz. Podemos até realizar obras de Deus, como fez Jeú, mas se nelas não estiver o zelo de andar de todo o coração na lei do Senhor, de nada adianta.

Quando Cristo orou por nós, Ele não pediu que o Pai nos tirasse deste mundo; não disse que precisamos nos afastar de todas as pessoas; mas disse: “Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal” (Jo.17:15). Entendem, meus irmãos? Não temos que nos isolar do mundo, mas fugir do mal.

A Bíblia deixa bem claro que se não sairmos de Babilônia, do templo moderno de Baal, seremos participantes de seus flagelos. Estamos envolvidos em um grande conflito cósmico e necessitamos “fugir do meio da Babilônia, e cada um salve a sua vida” (Jr.51:6). A salvação é individual. “Examinai e vede bem” é um recado a cada um de nós. Que lugares andamos frequentando? Que tipos de amizade estamos cultivando? Que tipo de conversas andamos participando? Que testemunho temos dado?

No meio de tantas mortes e de uma nação que corrompeu os princípios divinos, uma luz apareceu através de Jonadabe. Descendente de Recabe, mostrou-se fiel e foi reconhecido por Jeú como um legítimo adorador de Jeová. Lealdade que seria transmitida de geração em geração e se tornaria em modelo de fidelidade anos mais tarde. Os recabitas tornaram-se um dos maiores e mais fortes exemplos da verdadeira educação, quando um lar é edificado sobre o sólido fundamento das Escrituras (Jr.35:8-10).

Há um abismo de diferença entre justos e ímpios. Se assim não fosse, não existiria pecado. E se não existisse pecado, para que um Salvador? Percebem que o terrível engano em pensar que a Lei de Deus foi revogada, anula o sacrifício de Cristo? A edificação da vida cristã não depende do que fazemos, mas do que permitimos que o Espírito Santo faça em nós. Que o Senhor nos ajude e nos conduza, para que, quando voltar, estejamos fora de Babilônia, e dentro do aprisco do Bom Pastor!

Feliz sábado, justificados por Cristo!

O quarto mandamento do Decálogo é um convite do Criador para que desfrutemos de sua bênção, descanso e santificação (Gn.2:1,2; Êx.20:8-11; Is.58:13-14). Aproveite este dia para fazer um passeio contemplativo em meio à natureza e fazer o bem a quantos o Senhor colocar em seu caminho.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #2Reis10 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



2 REIS 10 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
31 de agosto de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



2 REIS 10 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
31 de agosto de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1254 palavras

Este capítulo descreve a destruição por Jeú da casa de Acabe e de todos que apoiavam a adoração a Baal. Andrews Study Bible.

setenta filhos. Pode parecer muito, mas não seria impossível num país onde a poligamia era praticada. No entanto, a palavra “filhos” é empregada aqui no sentido hebraico: “descendentes”. Acabe havia morrido havia 12 anos e deixara uma posteridade abundante. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 1006.

trouxeram as cabeças dos filhos do rei  à entrada da porta. O objetivo de tal prática era incutir terror a quem quer que pensasse em resistir. CBASD, vol. 2, p. 1007.

10 Sabei, pois, … que da palavra do SENHORnada cairá por terra.Por meio do profeta Elias, o Senhor predisse a completa ruína de Acabe e sua casa (1Rs 21:19, 21, 29).  Jeú se anunciava como o executor dos decretos divinos. De fato, ele foi. No entanto, o registro revela que ele também foi egoísta, impetuoso, insensível e cruel. O fato de Jeú cumprir o decreto do Céu não aplica sanção sobre todos os atos de sua vida.CBASD, vol. 2, p. 1007.

11 O ato de matar até aos amigos da família real foi além da comissão que Jeú recebera quando ungido rei de Israel, 9.7-10. Passou a agir como todos os pretendentes dos tronos: o intuito era garantir a vitória do seu partido pelo método tradicional e cruel de eliminar os partidários dos seus concorrentes. Se Jeú tivesse tido suficiente fé para cumprir somente o que Deus ordenara pelos seus servos, poderia ter formado uma dinastia abençoada, idêntica à de Davi, e mudado por completo os destinos do reino do Norte. Bíblia Shedd.

14 os mataram. Por meio de Atalia, mãe de Acazias e filha de Acabe e Jezabel, esses príncipes de Judá estavam relacionados com a casa real de Israel, sendo assim incluídos na “posteridade” de Acabe que Elias profetizou que pereceria (1Rs 21:21). CBASD, vol. 2, p. 1008.

15 Jonadabe. Jonadabe é o filho de Recabe mencionado em Jeremias 35:6 a 10, que ordenou a seus descendentes se absterem do vinho, construírem casas e plantarem vinhas ou campos. … Os recabitas permaneceram nômades, tendo hábitos parecidos com os dos árabes. O líder deles, Jonadabe, parece ter simpatizado com Jeú e desejava expressar sua aprovação ao novo regime. CBASD, vol. 2, p. 1008.

16 verás o meu zelo. Uma pessoa cujo coração realmente é devotado ao Senhor não precisa fazer muito para demonstrar isso. O zelo manifestado por Jeú parece ter sido tingido com o desejo de promover seus interesses pessoais. CBASD, vol. 2, p. 1009.

Baal. O deus canaanita da tempestade e da fertilidade. Andrews Study Bible.

17 segundo a palavra. Jeú fez o que o Senhor predisse (1Rs 21:21, 22). No entanto, ele evidentemente prosseguiu além do que Deus requereu dele em seu esforço paraerradicar toda a oposição possível. Mais tarde, o Senhor declarou que planejava castigar “pelo sangue de Jezreel, a casa de Jeú” (Os 1:4). CBASD, vol. 2, p. 1009.

19 tenho grande sacrifício. Se o engano e a fraude pudessem  alcançar o objetivo, Jeú empregaria tais dispositivos sem escrúpulos. Sua antipatia por Baal pode não ter surgido da devoção a Deus. Os devotos das falsas religiões geralmente possuem disposição amarga uns com os outros.CBASD, vol. 2, p. 1009.

Para destruir os adoradores de Baal. Por meio dessa artimanha habilmente planejada de antemão, Jeú imaginou que por um ato dramático e ousado acabaria com a religião de Baal em Israel. Infelizmente, ela estava mais enraizada do que ele pensava. CBASD, vol. 2, p. 1009.

21 casa de Baal (ARA; NKJV: “templo de Baal”). Acabe construíra este templo em Samaria para rivalizar com o templo de Salomão, em Jerusalém. Andrews Study Bible.

22 disse ao vestiário (ARA; NVI: “disse ao encarregado das vestes cultuais”).

vestimentas. Eram túnicas e capas de linho branco. É possível que houvesse diferentes tipos de vestimentas para as várias classes de adoradores. A colocação dessas vestes sagradas distinguiria essas essas pessoas como adeptos de Baal. CBASD, vol. 2, p. 1006.

24 responderá pela vida dele. A vida humana era sem valor para um homem como Jeú. Ele desejava que suas ordens fossem obedecidas. Se houvesse qualquer descuido ao realiza-las, seus soldados perderiam a vida. CBASD, vol. 2, p. 1009.

26 colunas (ARA; ARC: “estátuas”). As colunas sagradas eram comuns na Palestina daqueles dias. Acredita-se que eram símbolos masculinos da fertilidade. CBASD, vol. 2, p. 1010.

27 Também quebraram a própria coluna de Baal. A coluna central, de Baal, devia ser de pedra porque foi quebrada, e as outras colunas deveriam ser de madeira, pois foram queimadas (2Rs 10:26). CBASD, vol. 2, p. 1010.

Latrinas Uma “latrina” ou “monturo” [depósito de lixo] (ver Ed 6:11; Dn 2:5; 3:29). CBASD, vol. 2, p. 1010.

28 Jeú exterminou de Israel a Baal. Jeú completou a obra que Elias começara (1 Rs 18.40). Bíblia Shedd.

Embora Jeú tenha destruído as manifestações da adoração a Baal da nação de Israel, com certeza não destruiu o espírito da falsa religião. Ele apenas tocou na superfície da vida religiosa do povo. CBASD, vol. 2, p. 1010.

29 não se apartou Jeú. Aqui é mencionado o pecado da idolatria; Jeroboão tinha colocado um ídolo [bezerro de ouro] bem ao norte de Israel, em Dã, e um bem ao sul, em Betel, para promover a idolatria e afastar Israel do verdadeiro culto a Deus [em Jerusalém, no reino do Sul]. Mas o pecado que o profeta Oséias menciona acima de todos é a violência exagerada de Jeú em eliminar todo e qualquer partidário de Acabe (Os 1.4, comparado com 2Rs 10.6, 11, 14 e 17). Bíblia Shedd.

O novo rei combateu o mal, mas para isso empregou o próprio mal. O pecado nunca pode ser vencido pelo pecado. A maldade, sob uma forma, nunca erradicará a maldade sob outras formas. CBASD, vol. 2, p. 1010. [A maldade só pode ser erradicada mediante o trabalho do Espírito de Deus, trazendo arrependimento e conversão ao coração humano].

30 até a quarta geração. A obra de Jeú foi um misto de bem e mal. De certa forma, ele fez a obra do Senhor, mas também houve muita perversidade em seus métodos, os quais não foram aprovados pelo Céu. … A casa de Jeú governou Israel por um século, mais do que qualquer outra dinastia. A cada de Jeroboão governou 22 anos e a de Onri 44 anos.CBASD, vol. 2, p. 1010, 1011.

31 não teve cuidado. Jeú era a lei para si mesmo. Ele tinha pouca consideração para com os estatutos de justiça estabelecidos por Deus.CBASD, vol. 2, p. 1011.

na lei. A palavra hebraica aqui para “lei” (torah) também significa “ensino” ou “instrução”. É usada para os Dez Mandamentos, mas também para os cinco livros de Moisés. Andrews Study Bible.

32 diminuir os limites de Israel. Foi permitido aos inimigos que hostilizassem as fronteiras, um prenúncio das desgraças que sobreviriam a toda a nação se eles não se voltassem à justiça e a Deus. CBASD, vol. 2, p. 1011.

O clímax das maldições segundo a aliança, enumeradas em Lv 26 e Dt 28, foi a expulsão de Israel de Canaã. Durante o reinado de Jeú o Reino do Norte experimentou o início dessa maldição (v. 17.7-8 para sua plena realização). Bíblia de Estudo NVI Vida.

33 Toda a Transjordânia [terras a leste do rio Jordão] – conquistada por Hazael e pelos sírios de Damasco. Bíblia de Estudo NVI Vida.

As tribos que se fixaram na parte oriental atraídas pela exuberância da terra e foram as primeiras a se estabelecer, também foram as primeiras a sofrer. Aqueles que fazem escolhas visando somente a vida terrena são os primeiros a deteriorar e a perecer. Foi assim com Ló! Comentário Bíblico Devocional Velho Testamento, F. B. Meyer.

34 Os demais acontecimentos do reinado de Jeú (NVI). O “Obelisco Negro” do rei assírio Salmaneser III nos informa que Jeú pagou tributo aos assírios logo depois de subir ao trono do Reino do Norte em 841 a.C.Bíblia de Estudo NVI Vida.




%d blogueiros gostam disto: