Reavivados por Sua Palavra


GÊNESIS 44 by jquimelli
25 de novembro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/genesis/gn-capitulo-44/

O capítulo 44 tem um clímax fascinante do suspense que vem crescendo nos dois últimos capítulos. O desaparecimento de José muitos anos antes trouxera muita dor e culpa à família. Seus irmãos foram cruéis e enganosos.

Agora a mesa estava virada. Benjamin estava em apuros. Judá dera sua palavra para protegê-lo, mas faria ele isso à custa de sua própria vida? O apelo fervoroso de Judá pela liberdade de Benjamim e sua oferta para trocar de lugar com ele é especialmente apreciado. Aquele que uma vez encorajou seus irmãos a vender José à escravidão, agora se oferecia como escravo para manter Benjamin livre e poupar seu pai da dor.

Deus nos deixou um exemplo nesta história da incrível transformação que Ele pode fazer em uma vida dedicada a ele. Os irmãos, outrora egoístas, ciumentos e vingativos, tornaram-se humildes, carinhosos e leais.

Deus tem o mesmo poder hoje para transformar sua vida assim como Ele transformou a vida dos irmãos de José.

Lisa Ward
Funcionária da IASD Country Life
Cleburne, Texas, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=290
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli

Ouça em áudio (voz: Valesca Conty):



GÊNESIS 44 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
25 de novembro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



GÊNESIS 44 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
25 de novembro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

GÊNESIS 44 – Quando Deus age, coisas incríveis acontecem. Quando Ele atua na família situações complexas se resolvem de forma inimaginável.

Assim como Deus usou José para executar Seus planos, agora quer usar você, caso te disponibilizes assim como José. Os irmãos de José revelaram terem sido transformados. Já não eram mais aos mesmos. Eles estavam mudados.

Judá, cerca de 20 anos atrás havia sugerido a venda de José por 20 moedas de pratas. Agora, estava Judá diante de José a suplicar em favor de Benjamim, a ponto de ficar preso em lugar do irmão caçula (vs. 16-34). Judá havia enterrado dois de seus três filhos. Ele sentiu na pele o que fizera a seu pai vendendo José. Ele certamente aprendeu a lição de forma triste, mas aprendeu!

Judá já estava viúvo, tinha tido um caso com a nora viúva, a qual gerou gêmeos dele. Os sofrimentos do pecado fizeram Judá mudar de vida. “O cruel e impiedoso Judá de tempos atrás agora entregaria sua própria liberdade e ficaria como escravo ‘em lugar do jovem’ [Benjamim]” (Arthur J. Ferch).

Isso “era suficiente para José, [agora ele] tinha suficiente evidência de uma transformação radical nos corações de seus irmãos”, observa Ferch. A humildade era uma grande evidência de transformação de caráter. Confessar erros e culpas sem questionar, sem jactância e sem orgulho é o auge de uma conversão:

“Nossa culpa está diante do senhor e estamos dispostos a ser seus escravos. Estamos todos na mesma situação e somos tão culpados quanto àquele que foi encontrado com o cálice” (v. 16, AM).

Reflexão:

1. Toda pessoa deste mundo é pecadora e Deus quer salvar cada uma: Ele lidou com José no Egito e com sua família em Canaã e, agora aproximou José e seus irmãos para se reconciliarem após 20 anos de separação.

2. Deus tem um método especial próprio para cada família: Ele usou José com suas estratégias e testes a fim de despertar a consciência e conduzir seus irmãos ao reconhecimento da culpa e do erro; e, permitiu que Judá perdesse dois filhos para sentir na pele o que seu pai tinha sentido ao perder José.

É melhor sofrer o castigo de nossos pecados e convertermos do que perder a salvação. Deixe Deus te corrigir! – Heber Toth Armí.



Gênesis 44 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
25 de novembro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Então, rasgaram as suas vestes e, carregados de novo os jumentos, tornaram à cidade” (v.13).

Ao expor sua estratégia ao mordomo de sua casa, José tornou a colocar seus irmãos à prova. Aquele copo representava a sua ansiedade por saber se eles continuavam sendo os mesmos que um dia o venderam como escravo. Os filhos de Israel saíram novamente do Egito carregados de mantimentos, porém, diferente da primeira vez, foram despedidos em paz. Seguiam viagem tranquilos, quando avistaram uma comitiva que se apressava por alcancá-los. Os rostos nada amistosos os fizeram perceber que certamente algo de ruim aconteceria. Interrogados acerca do copo de prata do governador, imediatamente apresentaram sua defesa e entregaram seus sacos ao exame da guarda enfurecida. Mas quando o último saco foi aberto e viu-se ali o objeto procurado, seus corações desfaleceram.

Já de volta à casa de José, este percebeu a primeira cena que lhe comoveu o coração: todos os seus irmãos com as vestes rasgadas. Lembrou-se de quando eles lhe rasgaram a túnica. Quão diferente tornou-se aquele símbolo! De uma atitude de violência a um sinal de arrependimento. Mais uma vez lançaram-se ao chão perante José. Só que, desta vez, o mesmo irmão que dantes fora o mentor de sua escravidão, colocou-se na posição de escravo. E, diante da possibilidade de retornar sem Banjamim, tomou o seu lugar, oferecendo-se como servo em lugar dele. José percebeu estar diante de homens cujo sofrimento ensinara a humildade. Não eram mais os mesmos. Os longos anos de convivência com a culpa lhes consumira a paz, mas também lhes forjara o caráter. 

Erros passados podem dar em dois resultados: ou nos afastam de uma vez do Senhor ou nos fazem sentir como nunca o quanto dependemos dEle. Nem todos precisam chegar ao extremo de anos de sentimento de culpa, mas todos nós precisamos percorrer a estrada do arrependimento e rasgar o nosso coração diante dAquele que está sempre disposto a nos perdoar. Este é o apelo do Espírito Santo a nós, hoje: “Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao Senhor, vosso Deus, porque Ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-Se, e grande em benignidade, e Se arrepende do mal” (Jl.2:13). Se houve perdão e mudança de coração na vida daqueles irmãos, a mesma obra pode ser realizada na minha e na sua vida. Uma obra que requer de nós a simplicidade de um “Sim, eu quero, eu preciso, eu aceito”. 

Bom dia, transformados pelo poder de Deus!

Rosana Garcia Barros 

#PrimeiroDeus #Gênesis44 #RPSP



GÊNESIS 44 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
25 de novembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria



GÊNESIS 44 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
25 de novembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria

551 palavras

1-2 A agradável refeição se encerra com mais um teste: A taça de prata de José é escondida no saco de grãos de Benjamim (Andrews Study Bible).

4-5 adivinhações. A acusação de roubo da taça do governador que era utilizada em ritos de adivinhação sem dúvida aumenta a culpa do ofensor. Adivinhação com líquidos (água, óleo, vinho) era comum e, como qualquer forma de adivinhação, era proibida na lei bíblica (Lev. 19:26; Deut. 18:10) (Andrews Study Bible).

6-13 Após reter os irmãos de José, o mordomo os acusa de roubo e uma busca é feita. Um precipitado voto dos irmãos (v. 9) destaca sua convicção de inocência e lembra ao leitor de um precipitado voto similar (também feito na ignorância dos fatos reais) por Jacó (31:32) (Andrews Study Bible).

Se algum dos seus servos for encontrado com ela. Anos antes, Jacó dera a Labão uma resposta igualmente apressada (v. 31.32). Bíblia de Estudo NVI Vida.

10 O administrador abrandou a punição contida na proposta dos irmãos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

13 rasgaram suas vestes. Sinal de aflição e desespero (v. 37.29). Bíblia de Estudo NVI Vida.

44:14 Novamente os irmãos se prostram diante de José (37:7 – 10; 42:6). Esta cena final acaba em 45:15 e é o clímax da história (Andrews Study Bible).

15 A referência de José à adivinhação é outro meio de aumentar a tensão (Andrews Study Bible).

16 A admissão coletiva de culpa, por parte de todos os irmãos, relativamente àquele furto do copo indica que, provavelmente, Judá estava incluindo o pecado cometido contra José naquela confissão. O pecado não confessado ou reparado é uma ferida que não pode ser curada (cf Is 1.6). Bíblia Shedd.

17 Será que se encontra aqui algum indício de que José estivesse desejoso de fazer distinção entre Benjamim, seu irmão por parte de pai e mãe e os demais, com o propósito de mantê-lo consigo no Egito? Ou será uma demonstração de que José estava à busca de uma demonstração cabal da existência ou não de ciúmes e ódio contra benjamim naqueles seus irmãos, por cuja causa ele mesmo se fizera indesejável? Bíblia Shedd.

18-34 Um magistral discurso de Judá, recontando a história da interação do governador com os filhos de Jacó no Egito até este ponto. Destaca-se a transformação de alguém interessado somente em si mesmo e em ganhos pessoais (37:26-27; 38:1-30) em alguém pronto a se envolver, com perda pessoal, na resolução de um problema (vs. 33-34). Na fala José tem conhecimento da tristeza e lamento de seu pai. Interessantemente, esta é a mais longa fala individual de Gênesis, e foca o conceito da substituição (João 15:13) (Andrews Study Bible).

Aqui temos uma das mais comoventes intercessões que a literatura universal registra. É um retrato quase incomparável, no AT, da pessoa de Jesus Cristo pertencente à tribo de Judá, o qual se ofereceu a Si mesmo como nosso substituto no sacrifício do Calvário. Judá exibe, assim, as marcas genuínas da transformação moral. … a operação disciplinadora de Deus em sua vida o tinha transformado de modo completo. Bíblia Shedd.

27 minha mulher me deu dois filhos. Jacó tinha pensado apenas em Raquel como sua verdadeira esposa. Foi isto uma das principais causas dos ciúmes e invejas que permeavam a família. Não era assim que Deus o planejava, visto como, mediante a providência, foi Lia, e não Raquel, que fora sepultada com Jacó na cova de Macpela, contando-se seu nome entre os ancestrais de Jesus. Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: