Reavivados por Sua Palavra


GÊNESIS 23 by jquimelli
4 de novembro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/genesis/gn-capitulo-23/

“Ouve-nos, senhor: Tu és príncipe de Deus entre nós…” (v.6).

Após ter chorado e lamentado a morte de sua amada esposa Sara, Abraão levantou-se e foi ter com o povo de Canaã. Ele pediu aos filhos de Hete que lhe concedessem o direito de comprar o campo de Macpela para sepultar a sua mulher.

É interessante o diálogo entre aquele povo e Abraão. Eles o chamaram de “príncipe de Deus”, tamanho o respeito que tinham por ele. E, não apenas o receberam bem, como também ofereceram de graça o campo que ele pediu. Contudo, Abraão ofereceu pagamento por uma porção da terra que Deus já havia prometido que seria de sua descendência.

Meus irmãos, isto não nos ensina algo? Abraão não se auto-denominou príncipe, mas foi chamado assim. E, como um verdadeiro líder e príncipe de Deus se portou como tal, colocando-se na condição de servo diante daquele povo. Que lindo tipo de Cristo foi Abraão naquele lugar!

Hoje, temos o privilégio de sermos testemunhas de Jesus (At.1:8). Que possamos escolher mais servir do que ser servidos! Eis a atitude de um verdadeiro príncipe de Deus! Decidamos, a partir de hoje, sermos príncipes ou princesas do SENHOR!

Rosana Garcia Barros
Dona de casa e mãe
Maceió, Alagoas, Brasil

Postado no blog mundial em: https://www.revivalandreformation.org/?id=256
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



GÊNESIS 23 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
4 de novembro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO GÊNESIS 23 – PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
4 de novembro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

GÊNESIS 23 – Mais cedo ou mais tarde, a morte chega a cada um dos habitantes deste mundo. A morte é inevitável. Não há como driblá-la. Nem como fugir dela. Contudo, ela é inesperada. Muitos não se preparam para ela, então, os que ficam terão de apressar-se para preparar algo.

Sara morreu com 127 anos. Abraão teve de providenciar um lugar para enterrá-la, pois mesmo velhos não tinham se preparado nada. Na época, havia dinheiro, mas não havia cemitério. Abraão teve de comprar um campo com uma caverna para depositar ali sua morta.

Devido a isso, Abraão criou um tipo de sepultura familiar em Macpela. Após a morte de sua esposa (vs. 1-9), ele negocia com Efrom um campo pelo preço de 400 siclos de prata (vs. 10-20). “A caverna que Abraão comprou para enterrar Sara e para um sepulcro familiar, chegou a ser o primeiro pedaço de terreno que ele possuiu na terra prometida” (Arthur J. Ferch).

Abraão chorou por Sara (v. 2). O choro no velório vai muito mais além da impotência em relação à morte. Embora lágrimas aflorem por não ter mais o que fazer além de enterrar quem morreu, essas mesmas lágrimas estão mescladas com lembranças, saudades, etc. – há uma ausência de alguém que fez a diferença!

Desta forma, ainda que seja por meio de lágrimas de tristezas, o choro por alguém que morreu é uma celebração à vida vivida na companhia desta pessoa. O choro é uma forma de dizer que seu jeito de ser, sua companhia, sua presença será sentida ainda que tenha muitas outras pessoas vivas especiais em volta.

127 anos bem vividos fez com que Abraão não aceitasse de graça um local para colocar o corpo morto de sua esposa em terra estrangeira (vs. 3-11). Ele fez questão de pagar e adquirir um campo e todos os seus familiares seriam ali colocados quando morressem (vs. 12-18). Assim, a primeira propriedade de Abraão em Canaã se deu por causa da morte de sua esposa (vs. 19-20).

1. A morte é inevitável;
2. Chorar nem sempre significa desespero;
3. Uma vida bem vivida será bem sentida após a morte;
4. Um enterro decente é uma forma de valorizar a quem amamos.

Aprendamos a agir corretamente frente à morte! Preparemo-nos! – Heber Toth Armí.



GÊNESIS 23 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
4 de novembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria

724 palavras

1 Sara é a única mulher em toda a Bíblia cuja idade nos é referida. Este interesse especial relativo à sua pessoa pode ser que tenha sua base na posição honrosa que lhe cabe como mãe espiritual dos crentes ( 1 Pe 3.6) (Bíblia Shedd).

A morte é uma lembrança constante de que este mundo não é nosso lar (Comentário Bíblico Devocional – Velho Testamento).

3-16 A maior parte do capítulo descreve as importantes negociações para um lugar de sepultamento. As palavras chave são: “dar” (vs 4, 9, 11, 13)  e “escutar” (vs 6, 8, 13, 15),  que são as palavras normalmente utilizadas naquele tempo em negociações de venda em lugar de “comprar” e “vender”  (Andrews Study Bible).

4 A compra do campo de Macpela, em Hebrom, tem sido objeto de esclarecimento pelas descobertas arqueológicas. Efrom não estava, absolutamente, insistindo por oferecer o campo; a transação toda estava sendo encaminhada sob o intuito de proporcionar-lhe um “bom negócio”. Ele não desejava vender apenas a cova porque, a menos que todo o campo estivesse incluído, algumas obrigações lhe seriam impostas, conforme estabelecia o antigo Código de Leis dos Hititas (v 11). No tempo de Abraão, oito siclos de prata equivaleriam ao salário anual de um trabalhador. O preço dado era exorbitante. A prata foi pesada, visto que a cunhagem de moedas se verificara só no período pós-exílico. Trata-se, então, do único pedaço de terra que Abraão chegara a possuir efetivamente naquela terra toda que Deus lhe havia dado. A cova funerária encontra-se atualmente sob uma mesquita maometana em Hebrom (Bíblia Shedd).

A extensa descrição da negociação e venda da caverna demonstra que Abraão assegurou um direito legal de posse irrestrito ao campo em Macpela. Antecipando o cumprimento maior da promessa da terra (13.15), Abraão torna-se o herdeiro legal de uma pequena porção na Terra Prometida (Bíblia de Genebra).

A insistência de Abraão em comprar esse túmulo, e o cuidado com que as negociações foram encaminhadas mostram que ele estava convencido de que seus descendentes haveriam de vir àquela terra e possuí-la. Era como se sentisse que ele e Sara ficariam ali esperando a volta de seus filhos. Gên 49.29,30). Do mesmo modo, os túmulos dos mártires e missionários que tombaram no cumprimento do dever, constituem os silenciosos postos avançados que mantem a posse daquelas terras para Cristo, assim como os túmulos dos santos esperam o Segundo Advento (Comentário Bíblico Devocional – Velho Testamento).

estrangeiro. Embora Abraão vivesse na Terra Prometida como um estrangeiro (21.34; Hb 11.9,13), ele demonstrou sua fé nas promessas da aliança ao comprar o primeiro pedaço de terra na terra Prometida – uma caverna para servir de sepultura (Bíblia de Genebra).

Como um estrangeiro, Abraão não tinha direito de herança a um campo de sepultamento, mas ele pediu por um. A posse de terras é sagrada em muitas culturas orientais  e é ligada à felicidade familiar e dos ancestrais. O NT toma este tema e o aplica aos cristãos vivendo neste mundo (Heb. 11-9-13) (Andrews Study Bible).

príncipe [poderosode Deus. Embora alguns afirmem que este título fosse uma mera lisonja respeitosa, é possível que os habitantes de Hebrom tenham percebido a bênção de Deus sobre Abraão (Bíblia de Genebra).

10 porta. As transações legais ocorriam nos portões das cidades, no antigo Oriente Próximo (19.1; Rt 4.1-2) (Bíblia de Genebra).

11 dou-te. Como indicado pelo preço excessivo pedido (v. 15) e pelo dinheiro pago por Abraão (v. 13), a oferta de Efrom de dar a caverna e o campo a Abraão fazia parte do ritual de barganha do Oriente Próximo. A aparente generosidade da oferta tinha a intenção de forçar Abraão a corresponder com um presente de valor ainda maior (se aceitasse) ou de desencorajá-lo de continuar a negociar o seu preço (Bíblia de Genebra).

16 Abraão… pesou-lhe. Abraão estava disposto a pagar um preço excessivo para que não viessem a existir problemas futuros quanto ao negócio (Bíblia de Genebra).

17-19 Declaração resumo da transação legal e sua natureza pública. Possuir um lugar de sepultamento para queridos membros da família era significante naquela cultura e marcou a fé de Abraão na promessa de Deus. Ele investe em um futuro que ele não pode ver. Esta caverna posteriormente se tornou o lugar de sepultamento para os patriarcas Abraão (25:9), Isaque (35:27-29; 49:31) e Jacó (49:29-30; 50:13), bem como para suas esposas, com exceção de Raquel (Andrews Study Bible).

19 sepultou… na caverna. Em uma expectativa sincera de que Deus iria cumprir a promessa da aliança com relação à terra (13.15), Abraão procurou ancorar seus descendentes na Terra Prometida (24.6-9; 25.9; 49-30; 50.13) (Bíblia de Genebra).



GÊNESIS 23 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
4 de novembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: