Reavivados por Sua Palavra


Ezequiel 6 by Jobson Santos
26 de setembro de 2017, 1:00
Filed under: apostasia, Sem categoria

Comentário devocional:

Quando lemos sobre o juízo de Deus contra Israel por um pecado similar ao que frequentemente cometemos, podemos facilmente nos desanimar ou ficar com medo. Deus é fiel à Sua promessa de disciplinar e julgar aqueles que se afastam Dele e adoram ídolos.

Este lembretes de Deus em Ezequiel podem nos encher de culpa e vergonha, mas a questão mais importante é: O que nós, você e eu, faremos com a nossa culpa e vergonha? Você pode resistir a Deus e continuar em seu pecado ou você pode se arrepender, afastar-se dos seus pecados e ser reconciliado com Deus através do Espírito Santo.

Assim como Deus é fiel para trazer disciplina e julgamento, Ele é fiel também para estabelecer um povo convertido, um remanescente restaurado. Este remanescente é composto de pessoas que em vez de evitar a culpa, em vez de se esconder de Deus, buscam a Jesus, a Água da Vida.

Deus não quer lhe perder. Você vai retornar para Ele e passar tempo de qualidade com Ele hoje?

Pr. Eric Bates
Diretor dos Ministérios da Família na Associação da Carolina, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=6738  
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/07/02/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico:Ezequiel 6 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/

 



EZEQUIEL 6 – PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
26 de setembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria


EZEQUIEL 6 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
26 de setembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 6 – Quanto mais você gostar de pecar, menos vai gostar das coisas espirituais. Quanto mais você amar a Deus, mais repugnante torna-se o pecado.

O juízo divino contra o pecado, a severa disciplina de Deus para com Seu povo e, a permissão para experimentar desgraças, devem-se pelo fato do pecado não ser irrelevante. Deus o considera como algo terribilíssimo, e quer que o consideremos também.

A indiferença a Deus, a Seus princípios e propósitos nos fará ávidos pelos pecados que arruínam a vida. Por isso, Deus faz tudo para atrair-nos a Ele, oferece-nos oportunidades de perdão e restauração; cabe a nós a decisão e o arrependimento.

Avalie com atenção o capítulo em questão:

• Desde a entrada do pecado, a sentença maior dada por Deus foi sobre a terra (veja o caso de Adão e Caim). Os montes eram lugares de adoração a deuses falsos; consequentemente, Deus enviou Ezequiel a proferir profecias contra os lugares altos. A idolatria do povo faz Deus enviar mensagens que se referem à terra; a qual seria castigada mais do que o povo que cometeu pecado – isso é graça (vs. 1-7).
• Desde que o pecado entrou no planeta, seus habitantes tentaram justificar seus erros; quando, na verdade, Deus queria que tivessem aversão ao pecado, por isso os sacrifícios nojentos de animais – diariamente. O plano divino aqui é que o remanescente, ao se conscientizar de seus erros no exílio, enojassem a si mesmos (vs. 8-10).
• Desde o início da desgraça causada pelo pecado, Deus usou vários recursos para frear sua influência destruidora. Agora o povo indiferente, rebelde e irreverente que traiu seu Deus com deuses prostitutos, ídolos repugnantes e práticas religiosas perversas, veria seus pecados serem castigados com peste, guerra e fome (vs. 11-14).

A transgressão aos mandamentos de Deus é uma distorção de Seu caráter, um péssimo testemunho ao mundo, e um roubo de oportunidades de conversão às nações pagãs.

A frase “para que saibais que Eu Sou o Senhor” citada nos versículos 7, 10, 13-14, se repete aproximadamente 60 vezes em Ezequiel. Conforme Levítico capítulos 18-26 a razão da disciplina é a violação do caráter do Deus que os judeus representavam. Isso não te diz nada?

“Senhor, abra nossos olhos para entendermos Tuas mensagens! Reaviva-nos por Tua Palavra!” – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 6, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
26 de setembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Mas deixarei um resto, porquanto alguns de vós escapareis da espada entre as nações, quando fordes espalhados pelas terras” (v.8).


A Bíblia compara a idolatria com a prostituição e com o adultério. O povo de Israel havia se corrompido com os deuses das nações pagãs, quebrando, portanto, a aliança do SENHOR. A expressão “montes de Israel” (v.2) se refere aos lugares onde eram erguidos altares pagãos e onde eram oferecidos sacrifícios aos ídolos, inclusive sacrifícios humanos. Israel continuava a adorar no templo do SENHOR, mas, ao mesmo tempo, serviam aos seus ídolos.

Não há como servir a Deus e aos ídolos deste mundo. Acerca disso, advertiu-nos Jesus: “Ninguém pode servir a dois senhores…” (Mt 6:24). E ainda disse: “São os olhos a lâmpada do corpo” (Mt 6:22). Israel entrou em completa corrupção “por causa dos seus olhos, que se prostituíram” (v.9). Permitiram que Satanás lhes aguçasse a curiosidade e foram ver a “formosa” estratégia que o maligno arquitetou. Foi através da visão que Eva caiu: “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos… tomou-lhe do fruto e comeu…” (Gn 3:6). Foi pela visão que os antediluvianos tornaram-se de todo corruptos: “…vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhes agradavam” (Gn 6:2).

Nunca houve um tempo tão solene como este. Eu ouso afirmar que já superamos em grande escala a corrupção dos antediluvianos. As advertências da santa Palavra de Deus têm sido negligenciadas e passadas por alto. As pessoas se contentam com belos sermões enlatados que pregam uma falsa piedade. A humanidade é movida pelo que vê, pelo que é “agradável aos olhos” e acaba caindo na mesma ruína que Eva caiu. Ao contrário da vitória de Cristo no deserto, muitos têm sido derrotados ao contemplar a oferta demoníaca: “Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares” (Mt 4:9).

O povo de Israel aceitou a oferta do maligno e caiu em profunda desgraça. Contudo, o SENHOR separou um resto que escaparia e voltaria a lembrar-se dEle. Uns restantes que se voltariam para Deus e que teriam “nojo de si mesmos, por causa dos males que fizeram em todas as suas abominações” (v.9). Quando é dada liberdade ao Espírito Santo de fazer a Sua obra de transformação, o homem passa a ter aversão ao pecado e suas ramificações. E a maior luta que acontece não é travada fora das fronteiras da mente, mas dentro dela.

Creio que a melhor descrição acerca desta batalha interna foi relatada por Paulo, com base em sua própria experiência: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço… Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”, e a resposta vem logo em seguida: “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor” (Rm 7:18-19, 24-25).

Jesus já pagou o “salário do pecado” (Rm 6:23) por nós. Precisamos nos achegar a Ele todos os dias, constantemente, com fome e sede de Sua presença. E para isto, necessitamos do Espírito Santo: “É por meio do Espírito que Cristo habita em nós; e o Espírito de Deus, recebido no coração pela fé, é o princípio da vida eterna” (Ellen G. White, DTN, p. 288). Que o mesmo Espírito que erguia, fortalecia e guiava Ezequiel, seja a nossa constante companhia nos conduzindo ao breve encontro com o nosso SENHOR e Salvador Jesus Cristo!

Bom dia, restantes do SENHOR!

Desafio do dia: Adormecidos, muitos têm ignorado que “terríveis provas e aflições aguardam ao povo de Deus” (Ellen G. White, 9 T, p. 17). Leia o texto de Mateus 26:36-46 e examine com muita atenção o exemplo que Jesus nos deixou como forma de preparação para a crise final. Relate nos comentários o que você descobriu.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel6
#RPSP



EZEQUIEL 6 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
26 de setembro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



%d blogueiros gostam disto: