Reavivados por Sua Palavra


Ezequiel 7 by Jobson Santos
27 de setembro de 2017, 1:00
Filed under: apostasia, Sem categoria | Tags:

Comentário devocional:

Eu estudei o capítulo 7 de Ezequiel à procura de algum vislumbre da graça de Deus, mas tudo o que eu encontrei foi o Seu juízo pessoal e abrangente. Foi então que Deus começou a falar ao meu coração. Foi por causa da minha tendência em ver graça e juízo como se fossem desconectados entre si, e esperar que a intensidade da graça divina fosse muito maior do que a do Seu juízo é que eu não via a graça de Deus em Seu juízo.

Com o tempo passei a compreender como o juízo pode estar cheio de graça. Quando, em minha infância, minha mãe me disciplinava, seu objetivo não era apenas o de me punir. Seu objetivo para comigo era o mesmo que Deus tinha para com Israel – o desenvolvimento do caráter e o crescimento.

A disciplina de Deus é misericordiosa, porque nos alerta para o fato de que Deus leva o pecado a sério. A disciplina severa evita que o pecado se espalhe ainda mais rápido.

O juízo que Ezequiel profetizou acerca de Judá não era o juízo eterno. No meio daquele juízo, eles tiveram a oportunidade de se arrepender e voltar para o único e verdadeiro Deus. Como o juízo divino continua válido também para nós, hoje, pela graça de Deus, temos a oportunidade de nos convertermos dos nossos ídolos e retornarmos para Deus. O Juízo também contém boas novas de graça!

Pr. Eric Bates
Diretor dos Ministérios da Família na Associação da Carolina, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=6739  
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/07/04/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico:Ezequiel 7 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/

 



EZEQUIEL 7 – PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
27 de setembro de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



EZEQUIEL 7 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
27 de setembro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 7 – Deus é paciente; mas também é intolerante ao pecado. Sua misericórdia é imensurável, mas sua santidade põe freio à multiplicação da maldade. Deus não é indiferente à proliferação das influências satânicas sobre Seu amado povo.

“Passaria mais de um século e meio desde que os profetas haviam começado a advertir da destruição de Jerusalém e da nação. (Ver Miq. 3:12; Amós 2:4 e 5). A fim de abalar a presunção do povo, Ezequiel anunciou cinco vezes em três versículos: ‘Vem o fim!’ Ezeq. 7:2, 3 e 6. A terrível disciplina não poderia ser adiada por mais tempo. Dentro de aproximadamente seis anos a dramatizada predição de sua ruína, Jerusalém ficou desolada e seus habitantes estavam mortos ou no cativeiro” (Frank Houbrook).

• No capítulo 4, o profeta dramatizou o cerco de Jerusalém;
• No capítulo 5, Ezequiel raspou a cabeça e a barba com o objetivo de revelar o destino dos judeus;
• No capítulo 6, o profeta falou contra os lugares altos em que se adoravam deuses pagãos;
• No capítulo 7, Ezequiel declarou que o julgamento está às portas.

Parece que Deus está demorando a executar o juízo. O pecado do povo já estava mais que maduro.

“O povo tinha fracassado em sua missão de testemunhar de Deus. Agora, daria testemunho por meio do julgamento. Trata-se de uma questão séria para reflexão. O juízo é completo: Abrange todas as classes e toda a terra. A nação que rejeita o conhecimento de Deus perde sua força moral e não tem como se sustentar quando enfrenta dificuldades. O mesmo princípio se aplica a indivíduos” (William MacDonad).

O que interfere no cumprimento da missão de Deus?

1. A teoria da religião verdadeira não alcançava a vida prática do povo de Deus. Crer em Deus vivendo como ateu caracteriza péssimo testemunho (vs. 1-8);
2. Preferir a prática do pecado antes que a prática da vontade de Deus é o caminho mais certo do fracasso espiritual, o qual impede testemunhar de Deus (vs. 5-9);
3. Orgulho, violência, materialismo, consumismo são empecilhos que impedem testemunhar de Deus (vs. 10-16);
4. Presunção, vaidade, idolatria e hipocrisia não proclamam, mas profanam a verdadeira religião (vs. 19-27).

Fracassar em testemunhar de Deus significa fracassar nos negócios, na vida e na religião. Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



EZEQUIEL 7, Comentado por Rosana Barros. by Ivan Barros
27 de setembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Haverá fim, vem o fim, despertou-se contra ti” (v. 6).


A tônica deste capítulo está na certeza do cumprimento dos juízos preditos pelo SENHOR através de Seus profetas. Ezequiel relatou o fim iminente destacando que ele já tinha data e hora marcadas (v.12). Segundo os caminhos que andaram e as abominações que seguiram, os filhos de Israel seriam julgados (v.3). Negando-se a conhecer o SENHOR em tempo de paz, Israel saberia quem é o SENHOR na Sua ira (v.9).

No verso dezenove encontramos os dois maiores males no meio do povo de Deus: as riquezas e o apetite. Não foi sem razão que a primeira coisa que Satanás usou para tentar a Jesus foi o apetite: “Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães” (Mt 4:3). E a última foi a glória das riquezas: “Tudo isto te darei se, prostrado me adorares” (Mt 4:9). Quando o homem é governado segundo os seus próprios caminhos e vontades, a mente passa a ser controlada pelo corpo e não o corpo pela mente. Porém, “o corpo deve ser dominado pela mente, e não a mente pelo corpo” (Ellen G. White, 1 T, p. 487).

Pouco consideramos o relato do deserto da tentação e muito perdemos em lições de cunho eterno. O ministério público de Jesus foi de um curto período de três anos e meio. Diante dEle estava uma espécie de “tempo do fim”. Após o Seu batismo, Ele foi “levado pelo Espírito ao deserto” (Mt 4:1). Ou seja, não foi Ele que escolheu estar ali, Ele simplesmente aceitou. Muitos têm esquecido ou até mesmo ignorado este episódio na vida do Salvador e desfalecem diante da primeira investida do maligno. Como Cristo foi vitorioso, Ele nos chama a participarmos de Sua vitória. Jejum, oração e “está escrito” (Mt 4:4), eis o tripé que nos livrará da condenação do “dia da turbação” (v.7).

Por outro lado, “ninguém fortalece a sua vida com a sua própria iniquidade” (v.13). O cálice da ira de Deus será derramado sobre todo aquele que tem rejeitado aos apelos constantes do Seu Espírito. Uma vez que aceitaram as ofertas do inimigo, são por elas governados e vencidos. Mas, antes que venha o fim, ainda há tempo de retroceder e aceitar o caminho eterno: “A entrega do próprio eu é a essência dos ensinos de Cristo” (Ellen G. White, DTN, p. 389).

Deus está preparando um povo cujos propósitos excedam e muito aos dos fariseus. Não é um título denominacional que nos torna herdeiros da promessa, mas a posse, pelos méritos de Jesus, do título de filhos do SENHOR da promessa. O título de nação eleita não salvou Israel de sua condição rebelde. O suntuoso templo não lhes garantiu refúgio.

Amados, não há fanatismo em afirmar que “vem a destruição”. O mundo tem clamado por paz, “mas não há nenhuma” (v.25). “Vem o tempo” (v.12) em que os homens “buscarão visões de profetas” (v.26), mas não acharão respostas. Não podemos especular prováveis datas, mas precisamos, “AGORA” (v.8), subir no monte das Oliveiras, entrar no Getsêmani, e angustiar-nos em oração diante do Pai (Mt 26:37). Precisamos, desesperadamente, dar atenção às palavras de Jesus: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação”, porque “o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26:41).

Pedro quase se perdeu por sentar-se no meio da multidão “para ver o fim” (Mt 26:58). Foi só quando os seus olhos encontraram os olhos do seu Salvador (Lc 22:61), só quando ele saiu dali e “chorou amargamente” (Mt 26:75), que a genuína conversão iniciou um reavivamento e reforma na vida do apóstolo. Pela fé, ouça agora Jesus Cristo a lhe falar: “Ainda dormis e repousais! Eis que é chegada a hora… Levantai-vos, vamos!” (Mt 26:45-46). E o Dia do SENHOR não lhe será o fim, mas o começo!

Bom dia, salvos por Jesus!

Desafio do dia: Você tem amigos de oração? Como Jesus, tenha pelo menos três amigos especiais com os quais possa contar e procurem sempre se fortalecer mutuamente.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Ezequiel7
#RPSP



EZEQUIEL 7 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
27 de setembro de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: