Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 9 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
3 de agosto de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria

Prouvera a Deus a minha cabeça se tornasse em águas, e os meus olhos, em fonte de lágrimas! Então eu choraria de dia e de noite os mortos ... do meu povo.  O desesperado sofrimento de Judá tocou profundamente o profeta, e ele chorou amargamente. Este versículo é, sem dúvida, a fonte da designação de Jeremias como o “profeta chorão”. A profundidade de seus sentimentos e a ternura de suas palavras nos lembram Cristo, que chorou pelos pecados e destino de Seu povo condenado, seis séculos mais tarde (ver Lc 19:41-44). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 425.

Prouvera a Deus eu tivesse no deserto uma estalagem de caminhantes. A vida com as pessoas ímpias e corruptas de Judá se tornou tão insuportável que Jeremias desejava a paz e tranquilidade de uma vida retirada, em algum lugar desolado e solitário (ver Sl 55:6-8). CBASD, vol. 4, p. 425.

Curvam. Literalmente, “pisam”. Os arcos de batalha de grande porte eram entesados ao pressionar os pés da extremidade inferior, enquanto a outra extremidade era dobrada para receber a corda de intestino de boi. CBASD, vol. 4, p. 425.

Língua. Sua língua é comparada a um arco com o qual atiram as flechas da mentira contra seus vizinhos (ver Sl 57:4; 58:7; 64:3, 4; cf. Is 59:4). CBASD, vol. 4, p. 425.

Guardai-vos cada um do seu amigo. Jeremias aprendeu por amarga experiência que ninguém era confiável, nem mesmo os da sua própria casa (ver Jr 12:6; cf. Mt 10:36). CBASD, vol. 4, p. 425.

Eu os acrisolarei. Para remoer as impurezas, Deus os colocaria na fornalha da aflição (ver com. de Jr 6:27-30; cf. Is 48:10). O objetivo do juízo era a purificação, não a destruição (ver Zc 13:9; Ml 3:3). CBASD, vol. 4, p. 426.

10 Montes … pastagens. Embora antes cheios de rebanhos, eles se tornariam totalmente destruídos e nem mesmo os pássaros poderiam encontrar subsistência. CBASD, vol. 4, p. 426.

Lamentação. Do heb. qinah, “uma elegia” ou “um lamento”. … As lamentações eram cantadas por pranteadoras profissionais, como mencionado no v. 17. CBASD, vol. 4, p. 426.

12 Quem é o homem sábio … ? O sábio e o profeta são desafiados a explicar a causa das calamidades nacionais(ver Jr 8:8, 9). CBASD, vol. 4, p. 426.

13 Porque. O próprio Yahweh responde a pergunta feita no v. 12. CBASD, vol. 4, p. 426.

Lei. Do heb torah, termo mais amplo do que “lei”. Torah significa “ensino”, “instrução” e “direção”, e pode ser utilizada também para os ensinamentos dos profetas (ver Jr 18:18; 26:4, 5; ver com. de Dt 31:9; Pv 3:1). CBASD, vol. 4, p. 426.

17 Carpideiras. “As mulheres que cantam um qinhah [hino fúnebre]” (ver com. do v. 10). Quando a morte afetava uma família, carpideiras eram contratadas para lamentar a perda. Elas enfatizavam a lamentação ao usar os cabelos despenteados, rasgar as roupas, etc. … Jeremias retrata a catástrofe da nação como se já houvesse ocorrido, e sugere sejam feitas as honras habituais aos mortos. CBASD, vol. 4, p. 427.

19 Deixamos a terra. Não foi uma partida voluntária. CBASD, vol. 4, p. 427.

20 Ensinai o pranto. Devido ao enorme aumento na quantidade de mortes (v. 21), o número de carpideiras seria insuficiente. Seria necessário que elas transmitissem suas habilidades para suas filhas e vizinhas. CBASD, vol. 4, p. 427.

22 Gavela atrás do segador (ARA; NVI: “como o trigo deixado para trás pelo ceifeiro”). Como a fileira de grãos recém-colhidos atrás de um ceifador, assim ficariam as vítimas do ceifador. No entanto, há uma diferença. Os grãos foram recolhidos. Contudo, esses mortos seriam deixado onde caíssem ou seriam desdenhosamente pisados. CBASD, vol. 4, p. 427.

24 Glorie-se nisto: em Me conhecer. Quem é verdadeiramente sábio atribui o louvor somente a Deus, nunca a si próprio … O conhecimento de Deus é a única base verdadeira para a glória (ver 1Co 1:31; 2Co 10:17). A pessoa é verdadeiramente sábia apenas quando o conhecimento é entesourado no coração, pois isto é a vida eterna. Esse conhecimento tem um aspecto intelectual que envolve o entendimento. O relacionamento com Deus tem uma base razoável e inteligente. Não é de discipulado cego. A pessoa deve servir a Deus com toda a sua mente (Mt 22:37). Mas conhecer a Deus vai além de uma compreensão meramente teórica. É um conhecimento experimental. É prático e se manifesta em andar nos caminhos de Deus (ver Jó 22:21; Jr 22:16). CBASD, vol. 4, p. 427, 428 [destaque acrescentado]

26 Nas têmporas. Isto é, “tendo as extremidades do cabelo cortadas”. Alguns povos, como as tribos árabes do norte de Quedar (ver com. de Jr 49:28, 32), tinham o costume de cortar o cabelo em forma de anel ao redor das têmporas. Esta prática tinha um significado religioso e foi proibida entre os hebreus (ver Lv 19:27; 21:5).


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: